A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Planejamento Integrado de Recursos Energéticos no Oeste do Estado de São Paulo Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Planejamento Integrado de Recursos Energéticos no Oeste do Estado de São Paulo Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento."— Transcrição da apresentação:

1

2 Planejamento Integrado de Recursos Energéticos no Oeste do Estado de São Paulo Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável FAPESP _ 03/ Ranking dos Recursos Energéticos para o PIR da RAA Setembro de 2009 Décio Cicone Junior Alexandre Orrico Reinig Andre Luiz Veiga Gimenes

3 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável 2 Ranking de Recursos Energéticos Necessário para o PIR Auxílio ao tomador de decisão Características: Utilize a ACC - Avaliação de Custos Completos Considere recursos energéticos de oferta e demanda Considere valorações determinísticas e de percepções Considere todos os En-In Gere um único ranking

4 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável ACC – Avaliação de Custos Completos A ACC é utilizada de 2 maneiras distintas –ACC determinística Notas dos recursos são calculadas deterministicamente –Complexo. Toda equipe PIR participa. Pesos dos sub-critérios são calculados qualitativamente somente pelos especialistas –ACC valorada pelos En-In Notas dos recursos são qualitativas Pesos dos sub-critérios são qualitativos Todos os En-In participam –Os 2 rankings são analisados e comparados convergindo em uma única resposta.

5 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Processo Analítico Hierárquico (PAH) O PAH foi proposto por Saaty (1977) como uma metodologia de comparação de critérios e alternativas, baseado na árvore de decisão visando auxiliar o decisor. Portanto para que se possa aplicar PAH no processo decisório é necessário inicialmente estruturar-se o problema em uma árvore de decisão.

6 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável ESTRUTURA DO PAH META OBJ SUB OBJ SUB OBJ SUB OBJ SUB OBJ SUB OBJ SUB OBJ Alternativas

7 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Passos para a Construção do Ranking Determinação da árvore de decisão Critérios, Sub-critérios e Alternativas ACC valorada deterministicamente Levantamento de dados (Equipe PIR) ACC valorada pelos En-In Aplicação de oficinas na região Comparação das ACCs Geração do Ranking Final

8 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável ACC Araçatuba – Árvore de Decisão

9 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável ACC Araçatuba – Árvore de Decisão

10 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável ACC Araçatuba – Árvore de Decisão

11 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável ACC Araçatuba – Árvore de Decisão

12 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável ACC Araçatuba – Árvore de Decisão

13 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável ACC Araçatuba – Árvore de Decisão

14 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Valoração Determinística Existe valoração determinística dos recursos energéticos em relação aos sub-critérios. –Para todo sub-critério existe um valor numérico de cada uma das alternativas. Não existe valoração determinística dos sub- critérios em relação aos critérios. –Utiliza-se a análise subjetiva dos especialistas Utiliza-se a tabela de valores

15 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável ACC Determinística Pesos dos sub-critérios – Árvore de Decisão

16 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável ACC Determinística Pesos dos sub-critérios – Árvore de Decisão

17 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável ACC Determinística Pesos dos sub-critérios – Árvore de Decisão

18 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável ACC Determinística Pesos dos sub-critérios – Árvore de Decisão

19 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável ACC Determinística Pesos dos sub-critérios – Árvore de Decisão

20 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável ACC Determinística Ranking Boa posição dos recursos de demanda Posição ruim dos recursos de oferta de fontes não- renováveis

21 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável ACC Determinística Análise de Sensibilidade Termo-acumulação ganha posições Divisão geral continua a mesma –Recursos de Demanda na parte superior –Recursos de Oferta de Fontes Não Renováveis na parte inferior

22 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável ACC Determinística Análise de Sensibilidade Ranking muito parecido com o original Eólico e Célula combustível subiram Recursos de Demanda no alto do ranking Hidrelétrica de Gde porte saiu da parte alta do ranking

23 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável ACC Determinística Análise de Sensibilidade Poucas alterações em relação ao ranking original Pico-Geração fica com a maior prioridade

24 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável ACC Determinística Análise de Sensibilidade Medidas de Informação e Educação vão para o primeiro lugar no ranking Forte aumento do Eólico e do Bagaço Biodiesel aparece na parte alta do ranking Hidrogeração Gde Porte vai para a parte mais baixa.

25 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável ACC Valorada pelos En-In Oficina em Araçatuba Oficina realizada em Araçatuba Votação para comparação par-a-par dos subcritérios Votação dos recursos energéticos em relação aos sub-critérios

26 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável ACC Valorada pelos En-In Pesos dos sub-critérios – Árvore de Decisão

27 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável ACC Valorada pelos En-In Pesos dos sub-critérios – Árvore de Decisão

28 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável ACC Valorada pelos En-In Pesos dos sub-critérios – Árvore de Decisão

29 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável ACC Valorada pelos En-In Pesos dos sub-critérios – Árvore de Decisão

30 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável ACC Valorada pelos En-In Pesos dos sub-critérios – Árvore de Decisão

31 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável ACC Valorada pelos En-In Ranking Boa posição dos recursos de demanda Posição ruim dos recursos de oferta de fontes não- renováveis –Destaque para Nuclear e Célula Combustível que estão em posição relativamente alta no ranking

32 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável ACC Valorada pelos En-In Análise de Sensibilidade Não há mudanças significativas –Melhora da Célula Combustível –Queda das Medidas de Informação e Educação

33 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável ACC Valorada pelos En-In Análise de Sensibilidade Não há mudanças significativas –Melhora do Eólico –Queda das Hidrogeração – pico geração

34 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável ACC Valorada pelos En-In Análise de Sensibilidade Não há mudanças significativas –Leve movimentação das alternativas –Melhora da Hidrogeração de Grande Porte –Queda da Termo- acumulação –Queda da Substituição de Lâmpadas

35 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável ACC Valorada pelos En-In Análise de Sensibilidade Mudanças mais significativas –Forte alta do Bagaço de Cana –Subida do Eólico –Queda da Arquitetura Bio- climática –Queda da Hidrogeração – pico geração

36 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Comparação das ACCs Árvore de Decisão

37 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Comparação das ACCs Árvore de Decisão

38 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Comparação das ACCs Árvore de Decisão

39 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Comparação das ACCs Árvore de Decisão

40 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Comparação das ACCs Árvore de Decisão

41 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Comparação das ACCs Rankings

42 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Comparação das ACCs Rankings En-In mais rigoroso que ranking determinístico –Simetria até 18º recurso Variação entre nota do 1º e último recurso na ACC valorada pelos En-In é menor. Quanto maior a variação, melhor –Menor chance de empates –Diferença mais clara de prioridades

43 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Comparação das ACCs Rankings

44 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Comparação das ACCs Rankings Grupo A –Mesmos recursos –Mesma ordem Grupo B –Mesmos recursos –Pqna diferença 7º e 9º Grupo C –Mesmos recursos –1 inversão

45 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Comparação das ACCs Rankings Grupo D –Maior grupo –Mais inversões –Diferença Nuclear Grupo E –Último recursos nas 2 ACCs

46 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Comparação das ACCs Rankings Grupos A e B –Recursos Lado da Demanda –Recursos de Oferta – renováveis Grupos C, D e E –Recursos de tecnologia em aprimoramento –Recursos Lado da Oferta – Não renováveis

47 Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável Comparação das ACCs Rankings Conclusão dos Rankings –Coerentes –Inversões somente dentro dos grupos –Robustez do ranking final

48 Planejamento Integrado de Recursos Energéticos no Oeste do Estado de São Paulo Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento Sustentável FAPESP _ 03/ Ranking dos Recursos Energéticos para o PIR da RAA Setembro de 2009 Decio Cicone Junior


Carregar ppt "Planejamento Integrado de Recursos Energéticos no Oeste do Estado de São Paulo Novos Instrumentos de Planejamento Energético Regional visando o Desenvolvimento."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google