A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Ricardo Junqueira Fujii V Oficina: "Como Considerar Variáveis Sociais, Ambientais e Políticas no Planejamento Energético" Arquitetura dos recursos energéticos.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Ricardo Junqueira Fujii V Oficina: "Como Considerar Variáveis Sociais, Ambientais e Políticas no Planejamento Energético" Arquitetura dos recursos energéticos."— Transcrição da apresentação:

1 Ricardo Junqueira Fujii V Oficina: "Como Considerar Variáveis Sociais, Ambientais e Políticas no Planejamento Energético" Arquitetura dos recursos energéticos de oferta 10 1 V Oficina de PIR na USP Planejamento Integrado de Recursos Projeto Araçatuba FAPESP Coordenador: Miguel Edgar Morales Udaeta "Como Considerar Variáveis Sociais, Ambientais e Políticas no Planejamento Energético" Ricardo Junqueira Fujii Arquitetura dos recursos energéticos de oferta 03 de Maio de 2006

2 Ricardo Junqueira Fujii V Oficina: "Como Considerar Variáveis Sociais, Ambientais e Políticas no Planejamento Energético" Arquitetura dos recursos energéticos de oferta 10 2 O que é um recurso energético de Oferta? Um recurso energético de oferta corresponde ao conjunto fonte energética + tecnologia de aproveitamento. Geração Distribuída? Comercialização entre concessionárias? Importações? Apresentação dos recursos conhecidos e discussão de suas peculiaridades, com destaque para os fatores normalmente negligenciados nas análises tradicionais.

3 Ricardo Junqueira Fujii V Oficina: "Como Considerar Variáveis Sociais, Ambientais e Políticas no Planejamento Energético" Arquitetura dos recursos energéticos de oferta 10 3 O que define um recurso energético de oferta? Caracterização (diante do PIR) Potencial

4 Ricardo Junqueira Fujii V Oficina: "Como Considerar Variáveis Sociais, Ambientais e Políticas no Planejamento Energético" Arquitetura dos recursos energéticos de oferta 10 4

5 Ricardo Junqueira Fujii V Oficina: "Como Considerar Variáveis Sociais, Ambientais e Políticas no Planejamento Energético" Arquitetura dos recursos energéticos de oferta 10 5 Caracterização das Opções de Oferta Busca formalizar a análise dos recursos, fornecendo uma referência sólida para comparação dos Recursos de Oferta sob a ótica do PIR. Adota as mesmas dimensões usualmente utilizadas no PIR (técnico-econômica, ambiental, social, política). Ela pode ser usada para a formulação da ACC – Avaliação de Custos Completos – AHP ou outros métodos de avaliação, como a monetarização.

6 Ricardo Junqueira Fujii V Oficina: "Como Considerar Variáveis Sociais, Ambientais e Políticas no Planejamento Energético" Arquitetura dos recursos energéticos de oferta 10 6 Caracterização das Opções de Oferta Universo de Análise Deve-se delimitar o universo ao qual se insere o recurso. Depende dos entes condutores do PIR e da abrangência geográfica. A não definição dessas condições de contorno pode corromper a análise, especialmente na comparação entre os recursos energéticos distintos.

7 Ricardo Junqueira Fujii V Oficina: "Como Considerar Variáveis Sociais, Ambientais e Políticas no Planejamento Energético" Arquitetura dos recursos energéticos de oferta 10 7 Caracterização das Opções de Oferta Princípios Ponderação igual das 4 dimensões (técnico- econômica, ambiental, social e política), ainda que os diversos En-In atribuam pesos a elas de acordo com seus próprios interesses. Deve-se evitar a repetição de um elemento de uma dimensão na outra. Isso não significa, no entanto, que um mesmo elemento não tenha implicações em diversas dimensões (ex: construção de barragem).

8 Ricardo Junqueira Fujii V Oficina: "Como Considerar Variáveis Sociais, Ambientais e Políticas no Planejamento Energético" Arquitetura dos recursos energéticos de oferta 10 8 Caracterização das Opções de Oferta Princípios A quantificação dos elementos deve ser realizada sempre que possível, de modo a diminuir a influência das opiniões dos En-In. Essas opiniões devem ser tratadas especificamente dentro da dimensão política.

9 Ricardo Junqueira Fujii V Oficina: "Como Considerar Variáveis Sociais, Ambientais e Políticas no Planejamento Energético" Arquitetura dos recursos energéticos de oferta 10 9 Caracterização das Opções de Oferta Contabilização dos Custos Corresponde à análise integrada de todos os impactos (positivos e negativos) provenientes da implantação do recurso energético. Pode ser feita de diversas maneiras: –Monetarização; –AHP; –Avaliação de custos completos – ACC.

10 Ricardo Junqueira Fujii V Oficina: "Como Considerar Variáveis Sociais, Ambientais e Políticas no Planejamento Energético" Arquitetura dos recursos energéticos de oferta 10 Contabilização dos Custos Monetarização A monetarização nada mais é que a internalização de todos os impactos, seja direta ou indiretamente. Tem a vantagem de trazer todos os fatores para um denominador comum (valor econômico). Como desvantagem há a dificuldade de se estabelecerem critérios – até mesmo éticos – para a monetarização dos custos (Söderholm)

11 Ricardo Junqueira Fujii V Oficina: "Como Considerar Variáveis Sociais, Ambientais e Políticas no Planejamento Energético" Arquitetura dos recursos energéticos de oferta Determinação do Potencial É importante considerar que o potencial pode ser aproveitado em quantidades diversas, devido a fatores econômicos, políticos, ambientais, etc. Dessa forma, definem-se os potenciais teórico e realizável.

12 Ricardo Junqueira Fujii V Oficina: "Como Considerar Variáveis Sociais, Ambientais e Políticas no Planejamento Energético" Arquitetura dos recursos energéticos de oferta Potencial Teórico Compreende o uso total da fonte energética capaz de ser transformada e utilizada pela melhor tecnologia existente. É o mais abrangente, pois não é avaliado com base nas diversas restrições existentes. É relativamente fácil de quantificar, visto que pouco depende de estimativas subjetivas.

13 Ricardo Junqueira Fujii V Oficina: "Como Considerar Variáveis Sociais, Ambientais e Políticas no Planejamento Energético" Arquitetura dos recursos energéticos de oferta Potencial Realizável Parte do potencial teórico, agregando as restrições ambientais, sociais, políticas e técnico- econômicas. É bem mais complexo de estimar, podendo ser avaliado com diferentes graus de profundidade. As premissas devem ser estipuladas de forma a não favorecer um recurso em detrimento de outro. Elas devem se beneficiar dos estudos e levantamentos realizados com os En-In.

14 Ricardo Junqueira Fujii V Oficina: "Como Considerar Variáveis Sociais, Ambientais e Políticas no Planejamento Energético" Arquitetura dos recursos energéticos de oferta P TE P A P P S Potencial Realizável


Carregar ppt "Ricardo Junqueira Fujii V Oficina: "Como Considerar Variáveis Sociais, Ambientais e Políticas no Planejamento Energético" Arquitetura dos recursos energéticos."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google