A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

A globalização A globalização representa o atual estágio do modo de produção capitalista, com implicações de ordem econômica, política e cultural. Na globalização.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "A globalização A globalização representa o atual estágio do modo de produção capitalista, com implicações de ordem econômica, política e cultural. Na globalização."— Transcrição da apresentação:

1 A globalização A globalização representa o atual estágio do modo de produção capitalista, com implicações de ordem econômica, política e cultural. Na globalização temos a interligação dos mercados, de políticas, de culturas. Esta interligação só é possível pelos avanços nos meios de transportes e informação. Os territórios são equipados para facilitar a circulação. O resultado desse processo é que podemos chamar este período de meio técnico-científico-informacional.

2 A globalização

3 Globalização (PUC RIO)A globalização procura expandir os mercados e portanto os lucros, que é o que de fato movimenta os fluxos de capital. Ela condiciona, hoje, a evolução da economia. Sobre a economia globalizada analise as seguintes afirmativas: I - A globalização acelerou e alargou, geograficamente, os fluxos de produtos e serviços. II - O comércio internacional tornou-se, nas últimas décadas, um dos indicadores mais representativos da economia globalizada. III - A abertura dos mercados e as estratégias mundiais das grandes corporações atestam a interdependência da economia mundial. IV - O petróleo, devido a seu valor estratégico, dá origem a intensos fluxos comerciais entre países produtores e consumidores. Assinale: a) Se apenas as afirmativas II e III estão corretas. b) Se apenas as afirmativas I e IV estão corretas. c) Se apenas as afirmativas I, II e III estão corretas. d) Se apenas as afirmativas II, III e IV estão corretas. e) Se todas as afirmativas estão corretas.

4 A globalização Entretanto cabe salientar que a globalização não é um processo homogêneo, pois a participação nela se faz de forma desigual. O acesso a internet, ferramenta essencial na globalização ainda é um privilégio de poucos.

5 A globalização e a internet

6 A globalização e as telecomunicações

7 Escalas e globalização - Âmbito da segregação espacial; - Conflitos pela apropriação do espaço; - Ampliação das periferias urbanas; - Rupturas na solidariedade territorial. Municípios e cidades Local - Âmbito de disputa por investimento externo (GUERRA FISCAL); - Luta por autonomia; - Âmbito de disputa entre capital e classes populares pelo orçamento estatal; Regiões subnacionais e estados federados Regional - Crise de financiamento (anos de 80 e 90); - Ambiente de reforma e redução da esfera pública; - Espaço do embate político; - Âmbito de questionamento da identidade. Federações e Estados-nações Nacional - Integração regional como alternativa para o crescimento econômico; - Espaço de integração cultural; - Ampliação do espaço de integração socioeconômica. Comunidades e blocos econômicos Continental - Mundialização de políticas públicas para o crescimento econômico, redução da planificação estatal, redução da pobreza e proteção ambiental - Regulação do espaço mundial de integração; - Estruturação da ordem entre nações e comunidades econômicas. Organizações Internacionais, cúpulas e tratados Global DinâmicasEsfera públicaEscala Fonte: Heidrich, A. L. (2004)

8 A globalização e os capitais transnacionais

9 A formação de blocos econômicos No atual estágio capitalista, os países buscam firmar parcerias que sejam benéficas para as suas economias. A proximidade geográfica pode ser um dos fatores responsáveis pela criação de blocos econômicos, mas nem sempre este fator é respeitado, pois o que interessa é a busca por novas oportunidades de negócios.

10 A formação de blocos econômicos Nesse sentido, temos o estabelecimento de uma contradição, pois a globalização tende a incluir um grande número de países como mercados possíveis para os produtos das grandes empresas multinacionais, de preferência com acessos mais facilitados, porém, com o estabelecimento de blocos econômicos, ocorre a uma espécie de fragmentação em relação aos países que não fazem parte do bloco, pois para as trocas entre membros do bloco, as tarifas são comuns, enquanto que para os demais países, as tarifas são maiores.

11 A formação de blocos econômicos Existem vários estágios para a formação de blocos econômicos: 1.Zona de Livre-comércio: área de livre circulação de capitais e mercadorias. 2.União Aduaneira: além de assumir características de uma Zona de Livre-Comércio, é usada uma tarifa externa comum (TEC). Ou seja os países cobram as mesmas taxas para produtos vindos de fora do bloco. 3.Mercado Comum: além de ter as características anteriores, também compreende a livre circulação de pessoas e a padronização das legislações econômica, trabalhista, ambiental e fiscal. 4. União econômica e monetária: adoção de moeda única.

12 Os blocos econômicos Nesse sentido, os principais blocos econômicos da atualidade são a União Européia, o NAFTA, o Mercosul, a APEC e a ASEAN.

13 União européia Integrantes: EUROPA DOS 15 - Bélgica, Holanda, Luxemburgo, França, Itália e Alemanha (1957), Reino Unido, Irlanda, Dinamarca (1973), Grécia (1981), Espanha, Portugal (1986), Suécia, Finlândia e Áustria (1995). NOVOS MEMBROS - Eslovênia, Hungria, Rep. Tcheca, Eslováquia, Polônia, Letônia, Lituânia, Estônia, Malta, Chipre (grego) (2004), Bulgária e Romênia (2007).

14 União européia

15 Em 1957 foi criada a Comunidade Econômica Européia, tendo como primeiros membros a França, a Alemanha Ocidental, a Itália, a Bélgica, os Países Baixos e Luxemburgo. Mais tarde, em 1973, ingressaram o Reino Unido, a Dinamarca e a Irlanda, e na década de 80, ingressaram Grécia, Portugal e Espanha. Na década de 90 ingressam Áustria, Finlândia e Suécia, totalizando 15 membros. A busca por novos mercados acabou levando a União Européia a aceitar novos membros, inclusive ex- repúblicas soviéticas, como a Romênia, Polônia e Bulgária.

16 União européia A União Européia visa entre outras coisas, o estabelecimento de um amplo mercado, a amparado para uma moeda única, o Euro. O bloco europeu possui um diferencial em relação aos demais blocos existentes, pois é o único que tem como objetivo a livre circulação de pessoas. É claro que esta livre circulação de pessoas é parcial, pois algumas nações que entraram recentemente no bloco, não possuem ainda as condições econômicas ideais, o que acentua ainda mais as desigualdades entre os países e aumenta os índices migratórios dos países que ainda enfrentam dificuldades econômicas, para aqueles que possuem as melhores condições econômicas do bloco europeu, como França e Alemanha.

17 União européia Impasse na União Européia: A constituição – Em 2005 a proposta de constituição da União Européia foi rejeitada por França e Holanda. Isto demonstra um recuo na integração européia. A insatisfação francesa está ligada ao possível aumento da imigração e ao desemprego que isto poderia gerar. A questão da Turquia – Em 2005, a Turquia passa a oficialmente negociar sua entrada na UE. Para isso faz reformas como a rejeição a pena de morte, e a repressão a violência contra a mulher e as torturas. Além disso, amplia a liberdade de imprensa. Mesmo assim a UE acha insuficiente. A opinião conservadora é contra a entrada da Turquia (país de maioria muçulmana).

18 NAFTA O Acordo Norte-americano de Livre Comércio, NAFTA, foi assinado em 1992 pelos Estados Unidos, México e Canadá. Com um mercado composto de mais ou menos 400 milhões de pessoas e um PIB de mais de 10 trilhões de dólares, este bloco visa aumentar as trocas comerciais entre os seus integrantes, gerando assim maiores lucros para as grandes empresas multinacionais.

19 NAFTA A maior economia deste bloco, a dos Estados Unidos, acaba polarizando as ações, isso dentro daquela lógica da Doutrina Monroe: A América para os americanos. A maior prova dessa influência dos Estados Unidos no NAFTA, ocorre no México, onde existem várias empresas norte-americanas produzindo produtos que são destinados ao mercado norte-americano. São as chamadas maquilladoras, que buscam no México uma mão-de-obra mais barata do que nos EUA, assim como uma maior quantidade de recursos naturais. Nesse sentido, algumas empresas como a General Motors, a Ford e a General Eletric, produzem os seus produtos no México, onde suas taxas de lucros são superiores as obtidas dentro do território norte- americano.

20 NAFTA

21 NAFTA Segundo alguns estudiosos, o NAFTA seria o embrião de uma iniciativa ainda maior dos EUA, a criação de um mega bloco, que englobaria todos os países do continente americano, menos Cuba. A formação da ALCA (Área de Livre Comércio das Américas) visa manter a hegemonia norte- americana no continente, principalmente após as recentes negociações envolvendo um possível acordo entre a União Européia e o Mercosul.

22 MERCOSUL O Mercosul passou a vigorar a partir de 1991, com a assinatura do Tratado de Assunção envolvendo o Brasil, o Uruguai, a Argentina e o Paraguai. Em julho de 2006, a Venezuela é admitida como 5º membro.

23 MERCOSUL Este acordo visava inicialmente o estabelecimento de uma área de livre comércio entre os países signatários, onde ocorreria a eliminação das taxas alfandegárias, possibilitando assim a livre circulação de mercadorias. Para países de fora do bloco, foram estabelecidas tarifas externas comuns (TEC), ou seja, qualquer país de fora do bloco que quiser exportar para o Mercosul terá de pagar uma tarifa maior que a paga pelos integrantes do bloco e essa taxa será a mesma, independente do país destinatário da mercadoria. A Venezuela (novo integrante) terá 4 anos para implementar a TEC. Chile e Bolívia são membros associados, não participam da união aduaneira.

24 MERCOSUL Na atualidade, o Mercosul encontra-se no estágio de união aduaneira, com a possibilidade de nos próximos anos termos o estabelecimento de um mercado comum. No entanto, algumas decisões políticas e econômicas estão colocando o futuro do bloco em jogo. As disputas comerciais entre Brasil e Argentina ameaçam a continuidade do Mercosul, pois algumas medidas protecionistas estão sendo tomadas de ambos os lados. Além disso, o Uruguai descontente com o MERCOSUL passou a negociar um acordo com os EUA, o que lhe faria sair do Mercosul. Vale lembrar que o MERCOSUL faz uma certa oposição a formação da ALCA.

25 MERCOSUL Vale dizer que no Brasil, o MERCOSUL, influenciou no processo de desconcentração industrial, com a saída de industrias do Sudeste para o Sul e Centro-oeste, regiões fronteiriças com os demais países do bloco.

26 ALCA A ALCA ainda não é um bloco econômico, ela é apenas um projeto. Ela está dentro da lógica da Doutrina Monroe, em que a América era para os americanos. Sendo assim, a ALCA é uma tentativa americana de ampliar sua influência sobre toda a América. A ALCA visa a formação de uma área de livre-comércio, envolvendo 34 países (todos os países da América, excetuando Cuba).

27 ALCA O projeto da ALCA previa sua implantação em Entretanto, pelo fato de que alguns países, como o Brasil, estão reticentes em relação ao futuro bloco, tal projeto ainda não saiu do papel. A grande questão é como competir com os EUA? Como fazer comércio com os EUA, se eles não abrem mão de medidas protecionistas, principalmente na agricultura.

28 APEC Os integrantes desta cooperação são: Estados Unidos, Canadá, México, Rússia e Japão, China, Coréia do Sul, Taiwan, Austrália, Nova Zelândia, Cingapura, Indonésia, Malásia, Tailândia, Filipinas, Brunei, Vietnã, Papua-Nova Guiné, Chile e Peru.

29 APEC Esta associação comercial foi criada em 1989 e é composta por 20 países banhados pelo oceano pacífico. O objetivo principal desta associação é a criação de uma zona de livre comércio entre seus membros. Porém, alguns entraves econômicos, na verdade, disparidades econômicas entre os países integrantes e as disputas entre três grandes potências: EUA, Japão e China, impedem os avanços para a constituição de um mega bloco e por enquanto o que existe é apenas uma cooperação econômica. Vale lembrar que este bloco é o que possui maior PIB.

30 ASEAN A ASEAN foi fundada em 1967 com o intuito de desenvolver o Sudeste Asiático em termos tecnológicos e econômicos, além de objetivar a busca de uma estabilidade política para a região. No ano de 1992, os membros integrantes da ASEAN resolvem iniciar as tratativas para a criação de uma zona de livre comércio até o ano de Nesse sentido, algumas tarifas alfandegárias já começam a ser reduzidas entre os países membros. Os países integrantes da ASEAN são: Brunei, Camboja, Cingapura, Filipinas, Indonésia, Laos, Malásia, Myanmar, Tailândia e Vietnã.

31 ASEAN

32 Outros blocos CEI (Comunidade dos Estados Independentes) MCCA (Mercado Comum Centro-Americano) CAN (Comunidade Andina) (Colívia, Colômbia, Equador e Peru) CARICOM (Mercado Comum e Comunidade do Caribe) ALADI (Associação Latino-americana de integração) SADC (Comunidade da África Meridional para o Desenvolvimento)

33 Organismos internacionais Nesse mundo globalizado em que vivemos hoje temos a presença marcada por organizações internacionais que atuam nas mais variadas áreas.

34 ONU A Organização das Nações Unidas (ONU) é o organismo internacional que surge no final da II Guerra Mundial em substituição à Liga das Nações. Em 1946, todo o acervo da Liga, criada em 1919 após a I Guerra Mundial, é transferido para a nova organização. A ONU tem como objetivos manter a paz, defender os direitos humanos e as liberdades fundamentais e promover o desenvolvimento dos países em escala mundial. Sua primeira carta é assinada em junho de 1945, por 50 países, em San Francisco, nos EUA. Atualmente, a ONU é integrada por 189 dos 192 Estados do mundo.

35 ONU Atualmente, o objetivo é concentrar suas atividades nos processos de paz e no desenvolvimento geral das nações. Entretanto vem sofrendo derrotas, tal como aconteceu na Guerra do Iraque, em que os EUA e o Reino Unido, desobedeceram o Conselho de Segurança da organização. A ONU possui a seguinte estrutura: Assembléia Geral, Conselho de Segurança, Secretaria Geral, Conselho Econômico e Social e a Corte Internacional de Justiça.

36 ONU Conselho de Segurança - Encarregado da manutenção da paz e da segurança mundial, é integrado por 15 países, dos quais dez são eleitos para mandato de dois anos, em sistema rotativo. Reino Unido, EUA, Federação Russa, França e China são membros permanentes e têm poder de vetar resoluções. Japão, Alemanha, Índia e Brasil, pleiteiam uma vaga como membro permanente.

37 ONU AGÊNCIAS ESPECIALIZADAS - A ONU possui 15 agências especializadas que atuam em áreas como saúde, finanças, agricultura, aviação civil e telecomunicações, entre outras. AIEA, Banco Mundial (Bird), FAO, Fida, FMI, Icao, OIT, OMI, OMM, OMPI, OMS, UIT, Unesco, Unido, UPU. PROGRAMAS - A ONU mantém ainda escritórios, programas e fundos que trabalham com o objetivo de melhorar as condições econômicas e sociais das populações. Acnur (Alto- Comissariado das Nações Unidas para Refugiados) e o PNUD (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento). Também merece destaque o Unicef - Fundo das Nações Unidas para a Infância, que se dedica ao atendimento das necessidades básicas da criança e do adolescente.

38 BANCO MUNDIAL (BIRD) Banco Mundial - O Banco Internacional de Reconstrução e Desenvolvimento (Bird), mais conhecido como Banco Mundial, é uma agência especializada da ONU, criada oficialmente em 1945 para reconstruir a Europa Ocidental e o Japão do pós- guerra. Financia nesses países projetos de infra-estrutura, como rodovias, ferrovias e telecomunicações. Desde então, vem alterando suas metas em virtude das mudanças econômicas, políticas e ambientais ocorridas no cenário mundial. Além de conceder créditos, o Banco Mundial presta assistência técnica aos países-membros, realiza pesquisas e produz relatórios periódicos. Também auxilia o FMI na aplicação de programas de ajuste econômico nos países em desenvolvimento.

39 BANCO MUNDIAL (BIRD) Financiamento – Os recursos para operar são gerados com aplicações no mercado financeiro e pagamentos efetuados por países beneficiados pelos financiamentos. Nas últimas décadas, vem aumentando a colaboração com a sociedade civil e as ONGs. Entre 1973 e 1988, 6% dos programas financiados pelo banco previam a participação de ONGs e em 1994 a porcentagem já é de 50%. O problema é que os países que pegam os tais financiamentos nunca conseguem acabar com suas dívidas devidos aos juros altos acumulados.

40 FMI FMI - Agência especializada da ONU, o Fundo Monetário Internacional (FMI) faz parte do sistema financeiro internacional ao lado do Banco Mundial. Fundado em 1944, na Conferência de Bretton Woods, nos EUA, dá início a suas operações no ano seguinte. Com sede em Washington, tem entre seus principais objetivos promover a cooperação monetária internacional e favorecer a expansão equilibrada do comércio.

41 FMI Também oferece ajuda financeira aos países-membros em dificuldade econômica, emprestando recursos com prazo limitado. O Fundo tem atuado na defesa da estabilidade do sistema financeiro das economias em crise. Sindicatos e organizações não governamentais (ONGs), no entanto, criticam os programas de ajuste, argumentando que estes aprofundam a pobreza ao promover cortes nos gastos sociais.

42 FMI

43 OMC A Organização Mundial do Comércio (OMC) visa promover e regular o comércio entre as nações. É criada em 1995, em substituição ao Acordo Geral de Tarifas e Comércio (Gatt), surgido em 1947, que já realizara várias rodadas de negociações multilaterais para a diminuição de barreiras comerciais. O maior avanço ocorre na Rodada Uruguai ( ), concluída com a participação de 125 países, que decidem reduções nas tarifas alfandegárias sobre mercadorias industriais.

44 OMC Com a intensificação do processo de globalização, a atuação da OMC cresce na última década. A surpreendente expansão das trocas comerciais em nível internacional - 6,5% entre 1989 e transforma a OMC num dos mais influentes organismos supranacionais da atualidade, com importância igualável à do Banco Mundial e à do FMI.

45 OMC África E. Oriental A. Do Sul e Cen Oriente Médio Ásia Em desenv A. do Norte E. Ocidental Desenvolvidos ImportaExportaImportaExportaImportaExporta Agricultura Minérios e comb.Manufaturados

46 OTAN A Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) é a aliança militar formada pelos países ocidentais em 1949, durante a Guerra Fria, com o objetivo de conter a expansão militar e ideológica das nações do bloco socialista. A partir dos anos 60, intensifica-se a hegemonia dos EUA na organização. Expansão para o leste - Após a queda do comunismo no Leste Europeu (1989), a Otan propõe a algumas nações do bloco um programa de cooperação militar pela paz na Europa, em A Otan convida Polônia, República Tcheca e Hungria e os três países tornam-se membros em 1999.

47 OTAN Membros - Bélgica, Canadá, Dinamarca, EUA, França, Islândia, Itália, Luxemburgo, Holanda (Países Baixos), Noruega, Portugal, Reino Unido (1949); Grécia e Turquia (1952); Alemanha (1955); Espanha (1982); Hungria, República Tcheca e Polônia (1999), Bulgária, Estônia, Letônia, Lituânia, Romênia, Eslováquia e Eslovênia (2004), Albania e Croácia (2009).


Carregar ppt "A globalização A globalização representa o atual estágio do modo de produção capitalista, com implicações de ordem econômica, política e cultural. Na globalização."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google