A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

B.1. Simular a existência de poços em algumas localizações, considerando as seguintes hipóteses: - Edifícios com mais de 20 unidades habitacionais poderiam.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "B.1. Simular a existência de poços em algumas localizações, considerando as seguintes hipóteses: - Edifícios com mais de 20 unidades habitacionais poderiam."— Transcrição da apresentação:

1 B.1. Simular a existência de poços em algumas localizações, considerando as seguintes hipóteses: - Edifícios com mais de 20 unidades habitacionais poderiam utilizar água do freático para usos como: lavagem de carros e calçadas, limpeza de fachadas, irrigação de jardins, etc. (alguns destes edifícios já possuem poços em funcionamento - dado ausente nos cadastros oficiais); - Algumas Igrejas no bairro já possuem poços (dado ausente nos cadastros oficiais); - As praças poderiam ser locais de abastecimento dos carros-pipa que normalmente regam os canteiros das vias principais do bairro (atualmente estes carros trazem água de outros locais para esse fim); Alternativa B: Rebaixamento do Lençol SIG e Modelagem de Dados: parte III

2 B.1. Simular a existência de poços em algumas localizações, considerando as seguintes hipóteses: - Os postos de lavagem poderiam economizar água encanada e bombear água do freático; - Muitas das mini-granjas e residências de alto padrão do bairro possuem enormes áreas verdes que poderiam ser irrigadas com água do freático. Algumas destas edificações já possuem poços (dado ausente nos cadastros oficiais); - Alguns dos lotes maiores desocupados podem vir a ser praças, e, portanto, podem abrigar poços para os usos citados anteriormente; Alternativa B: Rebaixamento do Lençol SIG e Modelagem de Dados: parte III

3 CADASTRO MULTIFINALITÁRIO (planilha) LOTES (polígonos) LOTES (polígonos) Join Query: Qtde de Unidades 20 AND Tipo = Predial EDIFÍCIOS COM MAIS DE 20 UNID. (polígonos) EDIFÍCIOS COM MAIS DE 20 UNID. (polígonos) Add centroid LOCALIZAÇÃO DE POÇOS I (pontos) LOCALIZAÇÃO DE POÇOS I (pontos) Query: Tipo=Igreja OR Tipo=praça OR Tipo=Lava-jato IGREJAS, PRAÇAS E LAVA-JATOS (polígonos) IGREJAS, PRAÇAS E LAVA-JATOS (polígonos) Add centroid LOCALIZAÇÃO DE POÇOS II (pontos) LOCALIZAÇÃO DE POÇOS II (pontos) USO DO SOLO (polígonos) USO DO SOLO (polígonos) Query: Área 1000 m 2 AND Tipo=Residencial OR Residencial Fechado AND Qtde_unid = 1 AND Classificação=CASA POSSÍVEIS GRANJAS OU MANSÕES (polígonos) POSSÍVEIS GRANJAS OU MANSÕES (polígonos) Query: Área 2000 m 2 AND ClassificaçãoOcupada GRANDES LOTES DESOCUPADOS (polígonos) GRANDES LOTES DESOCUPADOS (polígonos)

4 Resultado das Consultas Espaciais

5 B.2. Escolher preferencialmente o bombeamento de poços nas áreas onde o nível do aqüífero é mais raso no período mais seco (profundidades 3 m) B.3. Simular a existência de poço nos locais de afloramento mais freqüentes e identificar estes locais: - Adicionar uma recarga uniforme ao nível do aqüífero - Repetir o procedimento para diferentes valores de recarga (100, 200, 300 e 400 mm) e verificar se surgem novos pontos de afloramento Recarga 100 mm Recarga 200 mm Recarga 300 mm Recarga 400 mm [Nível_Maio_99] + 0,10 (+0,20, +0,30, +0,40) = [Nível Acrescido] [Áreas aflorantes] = células onde : [Nível Acrescido] [MNT] Alternativa B: Rebaixamento do Lençol SIG e Modelagem de Dados: parte III

6 Localizações sugeridas pelo SIG para ativação/implantação de poços no Bairro do Bessa Alternativa B: Rebaixamento do Lençol SIG e Modelagem de Dados: parte III

7 B.6. Simular o bombeamento dos poços: - Com a mesma vazão: 10m 3 /s para todos os poços simulados - Com vazões diferenciadas pelo uso ou localização:. 20m 3 /dia para poços localizados nas praças (existentes e simuladas). 20m 3 /dia nos locais de afloramento. 10m 3 /dia nos demais poços simulados Alternativa B: Rebaixamento do Lençol SIG e Modelagem de Dados: parte III

8 Maiores valores de RebaixamentosObtidos Verificação de Intrusão Salina Alternativa B: Rebaixamento do Lençol SIG e Modelagem de Dados: parte III

9 Níveis piezométricos mais altos após rebaixamento do lençol: Situação Limite -Período: 15/06/99 a 15/07/99 -Simulação de recarga homogênea até 400 mm: não ocorre afloramentos -Rebaixamentos bem distribuídos Alternativa B: Rebaixamento do Lençol SIG e Modelagem de Dados: parte III

10 C.1. Simular a existência de poços nas localizações apontadas pela alternativa B considerando a proximidade dos canais (200 m) C.2. Simular o funcionamento dos canais como drenos subterrâneos considerando um funcionamento ótimo, ou seja, sem problemas de limpeza/obstrução C.3. Limitar a análise baseada na intrusão salina, observando nas simulações quando o nível do aqüífero se apresentar muito baixo próximo da linha de costa Alternativa C: Bom funcionamento dos canais SIG e Modelagem de Dados: parte III

11 Localizações próximas aos canais (200 m) Alternativa C: Bom funcionamento dos canais SIG e Modelagem de Dados: parte III

12 Alternativa C: Bom funcionamento dos canais SIG e Modelagem de Dados: parte III

13 Alternativa D: Garantir áreas mínimas de recarga D.1. Gerar um novo mapa de profundidade após o rebaixamento obtido D.2. Determinar através de características como permeabilidade do solo, declividade e precipitação as áreas mais indicadas para recarga do aqüífero: - Considerar uma precipitação média de 200 mm em todo o bairro. - Recarga = declividade + precipitação + permeabilidade + profundidade do aqüífero D.3. Apontar possibilidade e/ou viabilidade de áreas verdes para servirem de áreas de recarga Alternativa D: Garantir áreas mínimas de recarga SIG e Modelagem de Dados: parte III

14 Profundidades após o rebaixamento Mapas Critérios Declividade Função linear monoticamente decrescente: Menor declividade Mais adequado Precipitação Função Constante Mesmo valor de precipitação para todo o bairro Profundidade após rebaixamento Função linear monoticamente decrescente: Menor profundidade Mais adequado Alternativa D: Garantir áreas mínimas de recarga SIG e Modelagem de Dados: parte III

15 Critério Restritivo: Permeabilidade Alternativa D: Garantir áreas mínimas de recarga SIG e Modelagem de Dados: parte III

16 Análise Multicriterial Espacial: representação algébrica Combinação Ponderada: profundidade e precipitação - relativamente o mesmo peso Melhores áreas para recarga Alternativa D: Garantir áreas mínimas de recarga SIG e Modelagem de Dados: parte III

17 Análise de Viabilidade de implantação de áreas verdes: -Área: quanto maior mais adequado (mais fácil a implantação de uma praça, por exemplo); -Proximidade às residências: quanto mais próximo às unidades residenciais mais viável a implantação de uma praça; -Distância de outras praças: quanto mais distante mais adequado (novas praças não devem ser implantadas muito próximas de praças existentes, para que o bairro inteiro seja bem servido deste tipo de equipamento); -Recarga: critério restritivo analisar apenas nas áreas apontadas pela analise multicriterial realizada anteriormente Lotes recomendados para a Implantação de áreas verdes Alternativa D: Garantir áreas mínimas de recarga SIG e Modelagem de Dados: parte III

18 Escolha entre alternativas Alternativa D: Garantir áreas mínimas de recarga SIG e Modelagem de Dados: parte III

19 Conclusões Intervenções integradas na macro e micro drenagem superficial e um controle mais rigoroso do uso do solo poderiam complementar os esforços realizados por este trabalho, no sentido de promover uma gestão inteligente e integrada das águas neste ambiente urbano costeiro. SIG e Modelagem de Dados: parte III


Carregar ppt "B.1. Simular a existência de poços em algumas localizações, considerando as seguintes hipóteses: - Edifícios com mais de 20 unidades habitacionais poderiam."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google