A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

MANEJO DO PASTEJO UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ZOOTECNIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "MANEJO DO PASTEJO UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ZOOTECNIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO."— Transcrição da apresentação:

1 MANEJO DO PASTEJO UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ZOOTECNIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ZOOTECNIA UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ZOOTECNIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ZOOTECNIA Magno José Duarte Cândido Prof. Departamento de Zootecnia/UFC Magno José Duarte Cândido Prof. Departamento de Zootecnia/UFC Fortaleza, 16 de março de 2010

2 2 FATORES DO MANEJO DO PASTEJO A SEREM CONTROLADOS Intensidade de pastejo Freqüência de pastejo Seletividade do animal em pastejo

3 3 PADRÃO ESTACIONAL DE CRESCIMENTO DE UM PASTO SOB CORTES AbrMaiJunJulAgoSetOut PrimavVerãoOuton Taxa de Crescimento Cultural (kg MS/ha dia) Fonte: (JOHNSON e PARSONS, 1985)

4 4 Crescimento de um pasto sob diversos manejos Fluxo de Biomassa (kg MS/ha dia) AMJJASOAMJJASO Fot Líq Cons IAFin=3IAFin=2 20 ov/ha 40 ov/ha Fot Líq Cons Fot Líq Cons Fot Líq Cons Fonte: (JOHNSON e PARSONS, 1985) EFEITOS DA DESFOLHAÇ. SOBRE O CRESCIM. DO PASTO

5 5 FREQUÊNCIA DE PASTEJO BASEADA NA MORFOFISIOLOGIA DO PASTO Reservas orgânicas x Senescência FULKERSON e DONAGHY (2001) Fonte: GOMIDE (2001) Idade (dias) Fonte: GOMIDE e GOMIDE (2000) Idade (dias) Número de folhas/perfilho totais vivas senescentes

6 Figura - Intensidades de (pastejo) desfolhação num perfilho de gramínea (adaptado de RODRIGUES e RODRIGUES, 1987). INTENSIDADE DE PASTEJO

7 Efeito da altura de corte sobre a composição percentual de diferentes tipos de brotações (gemas) na rebrotação do capim-elefante) Tipo de brotação (gemas) Altura de corte (cm) Rizoma Basal Apical Axilar Fonte: Belyuchenko (1980) adaptado por RODRIGUES e RODRIGUES (1987). INTENSIDADE DE PASTEJO

8 8 Fonte: (BROUGHAM, 1957) Idade de rebrotação (semanas) Rendimento (kg MO/ha) Curva de crescimento de uma gramínea após a desfolhação LogarítmicaLinearAssintótica

9 9 Fonte: Adaptado de BROUGHAM (1956) Rebrotação de relvado temperado sob três intensid. de desfolhação Interceptação de luz (%)Rendimento de biomassa (lb/acre) Dias de rebrotação INTENSIDADE DE PASTEJO

10 10 INTENSIDADE DE PASTEJO Simulação da rebrotação após 6 intensidades de desfolhação tempo de rebrotação Fluxo de Biomassa (kg MS/ha dia) Fonte: Adaptado de PARSONS et al. (1988) 0,5 0,8 1,1 3,4 5,3 6,8 0,5 0,8 1,1 3,4 5,3 6,8

11 11 INTENSIDADE DE PASTEJO Simulação da TMC sob 6 intensidades de desfolhação Fonte: PARSONS et al. (1988) tempo de rebrotação Taxa Média de Crescimento (kg MS/ha dia) TCM = (W – W 0 ) t 0,5 0,8 1,1 3,4 5,3 6,8

12 12 Figura - Efeitos da desfolhação leve ou intensa sobre o padrão de crescimento de espécies forrageiras (Rodrigues & Rodrigues, 1987). 4 ciclos de pastejo 3 ciclos de pastejo INTENSIDADE DE PASTEJO (DESFOLHAÇÃO)

13 13 INTENSIDADE DE PASTEJO (DESFOLHAÇÃO)

14 14 Sustentabilidade de Ecossistemas Pastoris em função da intensidade de pastejo (adaptado de THUROW, 1991) Diminuição da taxa de infiltração Deterioração da estrutura do solo Diminuição da cobertura do solo e da matéria orgânica Diminuição da cobertura do solo e da matéria orgânica EQUILÍBRIO Aumento na intensidade de pastejo Diminuição na intensidade de pastejo Aumento da cobertura do solo e da matéria orgânica Melhoria da estrutura do solo Aumento da cobertura do solo e da matéria orgânica Aumento da taxa de infiltração SUSTENTÁVEL NÃO SUSTENTÁVEL INTENSIDADE DE PASTEJO (DESFOLHAÇÃO)

15 15 INTENSIDADE DE PASTEJO (DESFOLHAÇÃO)

16 16 SELETIVIDADE DO ANIMAL EM PASTEJO Figura – Partes da planta ramoneadas (PB) por caprinos (desenho de Lucia Sepe, adaptado de Fedele, 1996, em Bonanno et al., 2008).

17 17 SELETIVIDADE DO ANIMAL EM PASTEJO Influência da idade da folha sobre a chance de ser desfolhada. As folhas estão numeradas sequencialmente da folha mais jovem (1) para a mais velha (6) (Hodgson, 1990).

18 18 MANEJO DO PASTEJO E EFIC. DE UTILIZ. DO PASTO Crescimento do pasto Taxa de lotação Freqüência de desfolhação Núm. desfol. durante TVF Forragem consumidaForragem senesc. Fatores abióticos Efic. de Utilização Intens. desfolhação = 0,5 Tempo de vida da folha Altura constante Fonte: MAZZANTI e LEMAIRE (1994)

19 19 Muito Obrigado! Visite o site do Núcleo de Ensino e Estudos em Forragicultura: Magno José Duarte Cândido TEL: (85)


Carregar ppt "MANEJO DO PASTEJO UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ZOOTECNIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google