A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Manejo de pastagens Pressão de pastejo e ajuste na taxa de lotação

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Manejo de pastagens Pressão de pastejo e ajuste na taxa de lotação"— Transcrição da apresentação:

1 Manejo de pastagens Pressão de pastejo e ajuste na taxa de lotação
Universidade Federal do Ceará Centro de Ciências Agrárias Departamento de Zootecnia Manejo de pastagens Pressão de pastejo e ajuste na taxa de lotação Magno José Duarte Cândido Núcleo de Ensino e Estudos em Forragicultura- NEEF/DZ/CCA/UFC (www.neef.ufc.br) Fortaleza – Ceará 07 de novembro de 2011

2

3

4 PRESSÃO DE PASTEJO PC individual (kg) 300 300 300 300 300
N° novilhos PC total (kg) MSFT (kg) Pressão Pastejo (kg PC/kg MSFT) Oferta forragem (kg MSFT/100 kg PC, %) 3, , , , ,33 PC = peso corporal; MSFT = massa seca de forragem total Fonte: simulação do autor.

5 CONSUMO DE MATÉRIA SECA
Tabela – Estimativa de consumo médio diário de matéria seca para as principais categorias de ruminantes domésticos sob condições de pastagens cultivadas CMS %PC/dia kg MS/100 kg PC x dia NOVILHO DE CORTE 2,5 Ovin/caprin DE CORTE 3,5 VACA DE LEITE 3,5 CABRA DE LEITE 5,0 CMS = consumo de matéria seca MS = matéria seca PC = peso corporal Fonte: sugestão do autor, a partir de diversas compilações.

6 Ajuste na taxa de lotação
Tabela - Capacidade de consumo diária e nível adequado de oferta de forragem para diversas espécies/categorias de ruminantes em pastejo (animais com potencial de produção médio a alto) considerando os limites de eficiência de uso dos pastos cultivados Espécie/categoria CMS EUF OF Novilho de corte 2,5ª% 50% 5,0% 70% 3,6% Ex.: 300 kg PC 7,5 kg 15,0 kg 10,7 kg Vaca de leite 3,5b% 7,0% Ex.: 500 kg PC 17,5 kg 35 kg 25,0 kg Ovino/caprino de corte 3,5c% Ex.: 26 kg PC 0,91 kg 1,82 kg 1,3 kg Cabra de leite 5,0d% 10,0% 7,1% Ex.: 45 kg PC 2,25 kg 4,5 kg 3,2 kg CMS: consumo de matéria seca; EUF: eficiência de uso da forragem; OF: oferta de forragem; Fonte: adaptado de Ribeiro (1997)d, Euclides et al. (1999)a, NRC (2001)b,. Camurça et al. (2002)c, Rodrigues et al. (2003)c.

7 Estimativa da massa de forragem
MFFT = massa fresca de forragem total MS = teor de matéria seca MSFT = massa seca de forragem total 320 g = 320 g x 0,001 kg/g____ = 0,32 kg = kg m m2 x 0,0001 ha/m ,0001 ha ha

8 Ajuste na taxa de lotação (pasto cultivado sob lotação rotativa)
Demanda de forragem: rebanho de 130 borregos com peso corporal médio de 26 kg ao longo de toda a engorda Suprimento de forragem: pasto de capim-tifton 85, adubado e irrigado, período de descanso (PD) =21 d; período de pastejo (PP) = 3 d (ciclo de past, CP = 24 d) MFFT = massa fresca de forragem total MS = teor de matéria seca MSFT = massa seca de forragem total Per. = período de crescimento do pasto (ciclo de pastejo) EUF = eficiência de uso da forragem MSFC = massa seca de forragem colhível PC = peso corporal CMS = consumo de matéria seca Tax. Lot. = taxa de lotação

9 Ajuste na taxa de lotação (pasto cultivado sob lotação rotativa)
Demanda de forragem: rebanho de 130 borregos com peso corporal de 26 kg ao longo de toda a engorda e suplementados c/ 300 g de concentrad/anim x d Suprimento de forragem: pasto de capim-tifton 85, adubado e irrigado, período de descanso (PD) =21 d; período de pastejo (PP) = 3 d (ciclo de past, CP = 24 d) MFFT = massa fresca de forragem total MS = teor de matéria seca MSFT = massa seca de forragem total Per. = período de crescimento do pasto (ciclo de pastejo) EUF = eficiência de uso da forragem MSFC = massa seca de forragem colhível PC = peso corporal CMS = consumo de matéria seca Tax. Lot. = taxa de lotação

10 Exclusão de áreas de pastejo na lotação contínua

11 Ajuste na taxa de lotação (pasto cultivado sob lotação contínua)
Demanda de forragem: rebanho de 130 borregos com peso corporal médio de 26 kg ao longo de toda a engorda Suprimento de forragem: pasto de capim-tifton 85, adubado e irrigado EUF = eficiência de uso da forragem MSFC = massa seca de forragem colhível PC = peso corporal CMS = consumo de matéria seca Tax. Lot. = taxa de lotação MFFT = massa fresca de forragem total MS = teor de matéria seca MSFT = massa seca de forragem total Per. = período de crescimento do pasto

12 Ajuste na taxa de lotação (pasto cultivado sob lotação contínua)
Demanda de forragem: rebanho de 130 borregos com peso corporal médio de 26 kg ao longo de toda a engorda e suplementados c/ 300 g de concentrad/anim x d Suprimento de forragem: pasto de capim-tifton 85, adubado e irrigado EUF = eficiência de uso da forragem MSFC = massa seca de forragem colhível PC = peso corporal CMS = consumo de matéria seca Tax. Lot. = taxa de lotação MFFT = massa fresca de forragem total MS = teor de matéria seca MSFT = massa seca de forragem total Per. = período de crescimento do pasto

13 Ajuste na taxa de lotação
y = x0,75 y = x1,0 x = Demanda energética (kcal/kg PV) ou peso metabólico (kg0,75) y = Peso vivo (kg) 20 45 200 450 800 9,46 17,37 53,18 97,70 150,42

14 Relação entre peso corporal e peso metabólico
PC PM PM/PC kg kg0,75 20 9,46 0,47 45 17,37 0,39 200 53,18 0,27 450 97,70 0,22 800 150,42 0,19

15 Equivalência de unidade animal
Fonte: adaptado de Vallentine (2001) Bovinos Touro adulto 1,5 Touro jovem 1,15 Vaca + bezerro 1,35 Vaca adulta seca (450 kg) = unidade animal 1,0 Novilha prenha (18 meses) Garrote ( meses, 394 kg) 0,9 Garrote ( meses, 338 kg) 0,8 Garrote ( meses, 281 kg) 0,7 Bezerro (desmame aos 8 meses, 203 kg) 0,5 Ovinos e caprinos Ovelha com dois cordeiros 0,3 Cabra com dois cabritos 0,24 Ovelha adulta, não lactante 0,2 Cabra adulta, não lactante 0,17 Cordeiro ou cabrito desmamado 0,14 EUA

16 Ajuste na taxa de lotação
Equivalência de peso metabólico: Exemplo: trocar 40 vacas de 450 kg PV por novilhas de 225 kg EPM = (225 kg/novilha)0,75 = 58,09 kg0,75/novilha = 0,59 vacas (450 kg/vaca)0, ,70 kg0,75/vaca novilha  1 novilha de 225 kg = 59% da demanda metabólica de 1 vaca de 450 kg  onde se coloca 1 vaca de 450kg é possível colocar 100/59 = 1,69 novil. de 225kg ao trocar todo o rebanho, é possível colocar 1,69 x 40  67,6 novilhas de 225 kg Observação: se colocarmos pela equivalência de peso corporal: 1 novilha de 225 kg = 50% do peso de 1 vaca de 450 kg  onde se coloca 1 vaca de 450 kg, poderia se colocar 100/50 = 2 novilh. de 225 kg ao trocar todo o rebanho, colocar-se-ía 2,0 x 40  80 novilhas de 225 kg Ajuste = (lot epc–lot epm)x100 = (80 novilh - 67,6 novilh) x 100 = 18,34% lot epm ,6 novilh

17 Ajuste na taxa de lotação
Equivalência de peso metabólico: Exemplo: trocar 40 vacas de 450 kg PV por ovelhas de 45 kg EPM = (45 kg/ovelha)0, = 17,37 kg0,75/ovelha = 0,18 vacas (450 kg/vaca)0, ,70 kg0,75/vaca ovelha  1 ovelha de 45 kg = 18% da demanda metabólica de 1 vaca de 450 kg  onde se coloca 1 vaca de 450 kg é possível colocar 100/18 = 5,56 ovelh. de 45 kg ao trocar todo o rebanho, é possível colocar 5,56 x 40  222 ovelhas de 45 kg Observação: se colocarmos pela equivalência de peso corporal: 1 ovelha de 45 kg = 10% do peso de 1 vaca de 450 kg  onde se coloca 1 vaca de 450 kg, poderia se colocar 100/10 = 10 ovelh. de 45 kg ao trocar todo o rebanho, colocar-se-ía 10,0 x 40  400 ovelhas de 45 kg Ajuste = (lot epc–lot epm)x100 = (400 ovelh ovelh) x 100 = 80,18% lot epm ovelh

18 Ajuste na taxa de lotação
Equivalência de peso metabólico: Exemplo: trocar 40 vacas de 450 kg PV por borregos de 20 kg EPM = (20 kg/borrego)0, = 9,46 kg0,75/borrego = 0,10 vacas (450 kg/vaca)0, ,70 kg0,75/vaca borrego  1 borrego de 20 kg = 10% da demanda metabólica de 1 vaca de 450 kg  onde se coloca 1 vaca de 450 kg é possível colocar 100/10 = 10 borreg de 20 kg ao trocar todo o rebanho, é possível colocar 10 x 40 = 400 borregos de 20 kg Observação: se colocarmos pela equivalência de peso corporal: 1 borrego de 20 kg = 4,4% do peso de 1 vaca de 450 kg  onde se coloca 1 vaca de 450 kg, poderia se colocar 100/4,4 = 22,7 borr de 20 kg ao trocar todo o rebanho, colocar-se-ía 22,7 x 40  908 borregos de 20 kg Ajuste = (lot epc–lot epm)x100 = (908 borreg borreg) x 100 = 127% lot epm borreg

19 Muito Obrigado! Visite o site do Núcleo de Ensino e Estudos em Forragicultura: Magno José Duarte Cândido TEL: (85)


Carregar ppt "Manejo de pastagens Pressão de pastejo e ajuste na taxa de lotação"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google