A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

PODER Propriedade privada Relação entre pessoas livres.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "PODER Propriedade privada Relação entre pessoas livres."— Transcrição da apresentação:

1 PODER Propriedade privada Relação entre pessoas livres

2 ca/0,,7959,00.html?b=ser ou nao ser as relações de poder Vídeo: As relações de poder Filme: A vida dos outros e A onda

3 PODER Senso comum A maioria das pessoas vê o poder como algo que se impõe aos outros, exigindo em troca a obediência Ficamos presos ao senso comum utilizando frases como: O poder corrompe Todo poder é violência O poder é sempre uma relação, e não é prerrogativa dos governos

4 PODER Senso comum Costumamos confundir poder com política. Mas não é só a política que tem relação com ele. Devemos nos questionar: O que realmente é o poder? Será que ele é mesmo ruim? Será que de fato é sinônimo de corrupção?

5 Três Formas de entender o poder: É algo que alguém tem, uma propriedade, tanto conhecimento quanto a posse de bens e que se impõe a quem não sabe ou a quem não tem bens. É algo que alguém tem não por próprio mérito, mas porque os outros renunciam, por comodidade ou por medo, a mandarem em si mesmos, exigindo assim que alguém mande neles, preferindo uma servidão voluntária. É algo que ninguém possui como proprietário, mas algo que só existe enquanto se exerce entre seres humanos.

6 Grécia Antiga PODER Idade Média Idade Moderna

7 Aristóteles – 384/322 a.C Para Aristóteles havia três tipos de poder: O Poder Paterno : Pai/filhos O Poder Despótico : Senhor/escravos O Poder Político: Governante/governados

8 Aristóteles Para Aristóteles só na polis é possível a felicidade O cidadão feliz é aquele que atua com as virtudes em benefício da pólis Entre as más comunidades ele relaciona: A tirania – benefício próprio O governo paternalista - populistas O governo despótico – súditos /escravo

9 Grécia Antiga Idade Moderna Idade Média PODER

10 Idade média É impossível combinar ética com política Existem duas formas de poder: O poder da Igreja (diretivo, bom) O poder do Estado (Coativo, mal) Santo Agostinho consagra a distinção de duas cidades: A cidade de Deus A cidade dos Homens (cidade do Demônio)

11 Idade Moderna PODER Idade Contemporânea

12 Modernos: não acreditam ser humano naturalmente políticos não acreditam unir ética e política

13 John Locke Poder Paterno - dever pais Poder Despótico – punir culpado Poder Civil – contratualista homem lobo do próprio homem Teoria Contratualista

14 Maquiavel Santo Agostinho O homem é mal por sua natureza Um santo nunca será um bom político Não se governa um país rezando um pai nosso O ser humano longe de Deus é incapaz de fugir do mal

15 Poder Político: Tem como meio específico o uso da força e da violência Poder Econômico: Usa como meio a posse de bens para induzir a quem não tem bens Poder Ideológico: Recorre a posse de formas de saber para influenciar o comportamento dos que sabem menos ou não sabem Atualmente.....

16 Idade Contemporânea PODER

17 FOUCAULT : Século XIX : Como é possível que a produção de riquezas seja acompanhada da pobreza pauperização absoluta ou relativa daqueles mesmos que a produzem? Século XX : excesso de poder, a superprodução do poder

18 Porque o problema do poder se tornou central no século XX Como foi possível chegar ao extremo do poder?

19 Porque o problema do poder se tornou central no século XX Hanna Arendt: A verdade em prática leva ao totalitarismo

20 Ou paramos de pensar Ou pensamos de um modo menos pretensioso Questionar nossas certezas "microfísica do poder" Como reagir?

21 Crítica às Idéias de Revolução e Liberdade O poder não é violência, e nem pode ser visto como violência; Todos nascem neutros, mas a educação (pais e educadores) é que transformará o individuo; Liberdade não é algo que o ser humano possui, mas algo que depende das relações entre as pessoas; Não há liberdade total, nem escravidão total. ser sujeito = duplo sentido= sujeitados e senhores

22 Conceito de Poder O poder não é algo que pode ser negociado, ou que se possa ter. Poder é algo que se exerce; O poder não é ruim, mas seu exercício pode ser ruim; A máxima experiência de liberdade que uma pessoa pode ter é o poder, desde que não haja violência, que é totalmente contrária a idéia de liberdade; Os atos de mandar e obedecer tem um objetivo comum. A ação!

23 Pensamentos de Foucault É impossível viver sem relações de poder entre as pessoas; Uma boa administração não significa um governo bom. O nazismo consistia numa ótima organização, mas não significou um estado bom; Não existe poder absoluto. Um lado pode ter a maior parte do poder, mas não é absoluto quando a parte desprivilegiada ainda tem alguma opção para resistir a esse poder;

24 Entrevista de Foucault O poder sempre está presente nas relações humanas quando alguém tenta mudar a conduta do outro; As relações de poder são móveis, reversíveis e instáveis; A liberdade não existe sem poder, assim como o poder não existe sem liberdade; As relações de poder só acontecem entre duas pessoas livres, onde uma até pode tentar comandar a outra, mas deve dar o direito de ela resistir a esse comando;

25 Não pergunte a ninguém o que você deve fazer de sua vida:pergunte-o a si mesmo(Michel Foucault)

26 Referências bibliográficas ARENDT, Hannah. Crises da República. São Paulo: Perspectiva, ARISTÓTELES. Política. Brasília: Ed. UnB, BAUMAN, Zygmunt. Em busca da política. Rio de Janeiro: Zahar, BOBBIO, N.. Estado, governo, sociedade. Rio de Janeiro: Paz e Terra, BOBBIO, Norberto et alii. Dicionário de Política. Brasília: Edit. UnB, vols. FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder. Rio de Janeiro: Graal, O sujeito e o poder. In; DREYFUS, H. & RABINOW, P. Michel Foucault: uma trajetória filosófica para além do estruturalismo e da hermenêutica. S. Paulo: Forense, Polémique, politique et problématisations. In: Dits et Écrits, Vol IV. Paris: Gallimard, Tradução portuguesa Selvino J. Assmann. Em defesa da sociedade. S. Paulo: Martins Fontes, A filosofia analítica da política. In: Ditos e Escritos, Vol. IV. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2004.

27 Referências bibliográficas Omnes et singulatim. Para uma crítica da razão política. Trad. portuguesa de Selvino Assmann. Florianópolis: Nephelibata, (A mesma tradução do texto de Foucault, com algumas modificações, está disponível na Internet: LEBRUN, Gérard. O que é poder. S.Paulo: Brasiliense, (Há várias edições posteriores) (Coleção Primeiros Passos) LEIS, Hector R. & ASSMANN, Selvino J. Crônicas da pólis. Florianópolis: Fundação Boiteux, (Há vários textos sobre a situação política brasileira) RUBY, C. Introdução à Filosofia Política. S. Paulo: Ed. UNESP, SCHMITT, Carl. Dialogo sul potere. Trad. italiana. Genova: Melangolo, WEBER, Max. A política como vocação. In: O Político e o Cientista. 3. ed. Lisboa: Editorial Presença, WOLFF, Francis. Aristóteles e a política. S. Paulo: Discurso Editorial, 1999.


Carregar ppt "PODER Propriedade privada Relação entre pessoas livres."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google