A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

1 1 ESTRATÉGIA EDP-ENERGIAS DO BRASIL António Pita de Abreu – EDP Energias do Brasil.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "1 1 ESTRATÉGIA EDP-ENERGIAS DO BRASIL António Pita de Abreu – EDP Energias do Brasil."— Transcrição da apresentação:

1 1 1 ESTRATÉGIA EDP-ENERGIAS DO BRASIL António Pita de Abreu – EDP Energias do Brasil

2 2 2 Sumário EDP_Energias do Brasil – Breve apresentação Perspectiva do Setor Elétrico Brasileiro Estratégia EDP-Energias do Brasil

3 3 3 Potência x Energia UHEs UTEs Mascarenhas Potência: 180,5 MW Garantia Física: 127,0 MWm (70,4%) A energia reflete a disponibilidade de água Porto de Pecém II Potência: 360,0 MW Garantia Física: 294,7 MWm (81,9%) A energia reflete o despacho esperado da usina Se há água, as hidroelétricas geram mais e as termoelétricas ficam desligadas. O Balanço de Energia Assegurada compara a Garantia Física com o Consumo de Energia.

4 4 4 Balanço de sobras e déficits de energia assegurada Leilão de Reserva elevou a Garantia Física a partir de 2009 Redução da Energia Assegurada das Térmicas a gás natural – MWm Retirada da importação da Argentina MWm Leilão A-3 acrescentou MWm a partir de 2011 Expansão baseada em fontes com custo elevado de operação

5 a 2008 Redução da Capacidade de Regularização dos Reservatórios (maior necessidade de UTEs na base) 5 5,2 5,4 5,6 5,8 6 6,2 6, (EARmáxima / Carga) Capacidade Instalada Hidroelétrica (MW) Energia armazenada máxima / Carga Capacidade Instalada hídrica (MW)

6 6 6 Tem-se verificado o aumento do despacho termelétrico para manter os reservatórios cheios ou evitar o deplecionamento excessivo Atraso do período chuvoso Aumento de 55% na Geração Térmica (out-2012 / set-2008) Geração térmica estimada (Plano Mensal de Operação ONS) Geração térmica verificada Segurança Energética Geração Térmica do SIN Conseqüência: Pagamento de R$1,5bilhão em encargo para o sistema (jan/08 a jul/08) (Passa de 1% na tarifa)

7 7 7 Atendimento à demanda com fontes de baixo custo de operação; Aumento da regularização do sistema por meio de fontes complementares à hidráulica; Diversificação da matriz energética por meio de empreendimentos de médio e pequeno porte, para minimização dos riscos de implantação. UHEs do Rio Madeira versus UTEs a biomassa ou eólicas. Atendimento à demanda com fontes de baixo custo de operação; Aumento da regularização do sistema por meio de fontes complementares à hidráulica; Diversificação da matriz energética por meio de empreendimentos de médio e pequeno porte, para minimização dos riscos de implantação. UHEs do Rio Madeira versus UTEs a biomassa ou eólicas. Quais são as fontes disponíveis para essa diversificação? Convencionais Alternativas Convencionais Alternativas Situação desejável

8 8 8 Tecnologia madura, com 314 projetos em operação (2.216MW); Elevado potencial com diversos projetos em construção (73PCHs 1.200MW) e com outorga (163PCHs 2.420MW); Preço competitivo (regime fiscal, desconto em tarifas e licenciamento). Tecnologia madura, com 314 projetos em operação (2.216MW); Elevado potencial com diversos projetos em construção (73PCHs 1.200MW) e com outorga (163PCHs 2.420MW); Preço competitivo (regime fiscal, desconto em tarifas e licenciamento). Tecnologia nova, com uso crescente na Europa e Estados Unidos; Enorme potencial de 143GW; Preço de viabilização de R$200/MWh começa a se apresentar competitivo; Expectativa de Leilão de Energia Eólica em Tecnologia nova, com uso crescente na Europa e Estados Unidos; Enorme potencial de 143GW; Preço de viabilização de R$200/MWh começa a se apresentar competitivo; Expectativa de Leilão de Energia Eólica em Leilão de Reserva com plantas que totalizam expansão de 2.700MW; Expansão em novas regiões, tais como Goiás e Mato Grosso do Sul; Aproveitamento da palha e modernização de usinas existentes pode elevar o potencial. Leilão de Reserva com plantas que totalizam expansão de 2.700MW; Expansão em novas regiões, tais como Goiás e Mato Grosso do Sul; Aproveitamento da palha e modernização de usinas existentes pode elevar o potencial. Potencial das Fontes Alternativas no Brasil PCHs Eólicas Biomassa

9 9 9 Tecnologia madura; Possui logística complexa; Baixo custo de implantação; Custo de operação elevado (onera o consumidor se despachada na base). Tecnologia madura; Possui logística complexa; Baixo custo de implantação; Custo de operação elevado (onera o consumidor se despachada na base). Tecnologia madura, com avanços que reduzem a emissão de poluentes; Fonte abundante; Custo de implantação relativamente alto; Baixo custo de operação (980MW de carvão importado em 2012). Tecnologia madura, com avanços que reduzem a emissão de poluentes; Fonte abundante; Custo de implantação relativamente alto; Baixo custo de operação (980MW de carvão importado em 2012). Tecnologia madura; Atualmente possuem problemas quanto à cadeia de suprimento; As recentes descobertas elevam o potencial de utilização dessa fonte; Investimento em GNL diversifica a oferta e reduz os riscos de desabastecimento; Custo de operação moderado. Tecnologia madura; Atualmente possuem problemas quanto à cadeia de suprimento; As recentes descobertas elevam o potencial de utilização dessa fonte; Investimento em GNL diversifica a oferta e reduz os riscos de desabastecimento; Custo de operação moderado. Potencial das Fontes Termo no Brasil Óleo Combustível Carvão Gás Natural

10 10 Tecnologia madura – o Brasil possui know how em enriquecimento de urânio; Oferta abundante; Elevado custo de implantação; Baixo custo de operação. Tecnologia madura – o Brasil possui know how em enriquecimento de urânio; Oferta abundante; Elevado custo de implantação; Baixo custo de operação. Nuclear As usinas a biomassa e as eólicas são ideais para complementarem o despacho reduzido das Hidroelétricas no período seco. As Fontes Termoelétricas de baixo custo (carvão e gás natural) também são importantes, principalmente pelo volume de energia que agregam, para complementar as Hidroelétricas. As usinas nucleares atuam na base. As usinas a biomassa e as eólicas são ideais para complementarem o despacho reduzido das Hidroelétricas no período seco. As Fontes Termoelétricas de baixo custo (carvão e gás natural) também são importantes, principalmente pelo volume de energia que agregam, para complementar as Hidroelétricas. As usinas nucleares atuam na base. Potencial das Fontes Termo no Brasil

11 11 Tecnologia madura; Dificuldades ambientais para construção de grandes reservatórios; Potencial elevado, porém distante dos centros de carga; Estudos de inventário estão sendo realizados para viabilizar a oferta destas usinas nos leilões de 2014 em diante. Tecnologia madura; Dificuldades ambientais para construção de grandes reservatórios; Potencial elevado, porém distante dos centros de carga; Estudos de inventário estão sendo realizados para viabilizar a oferta destas usinas nos leilões de 2014 em diante. Potencial das Fontes Hidro Tradicionais no Brasil UHEs

12 12 Sumário EDP_Energias do Brasil – Breve apresentação Perspectiva do Setor Elétrico Brasileiro Estratégia EDP-Energias do Brasil

13 13 MACAU Grupo EDP Energias de Portugal Presença em 3 continentes EDP no Mundo ( MM) Receita Líquida EBITDA Brasil (R$ MM) Receita Líquida EBITDA (LAJIDA) maior produtor de energia eólica no mundo

14 14 Estamos presente em seis estados brasileiros

15 15 Receita Líquida (R$ MM) Lucro Líquido (R$ MM) EBITDA (LAJIDA) (R$ MM) Tx. Méd +9.9% Tx. Méd +13.2% Tx. Méd +60.2% Evolução Financeira Ativo Total de (R$ MM) Patrimônio Líquido de (R$MM)

16 16 Sumário EDP_Energias do Brasil – Breve apresentação Perspectiva do Setor Elétrico Brasileiro Estratégia EDP-Energias do Brasil

17 17 Nós estabelecemos cinco plataformas de crescimento Principais plataformas para o crescimento I II III IV V Desenvolvimento de uma base sólida de ativos em geração tradicional (UHE, CCGT,...) Desenvolvimento de geração renovável Expansão do negócio de comercialização Potencial consolidação de acordos no setor Potencial crescimento em oportunidades na América do Sul

18 18 Projetos de termelétricas totalizando MW de capacidade Capacidade (MW)Principais projetos em carteira Termelétrica de Porto de Pecém (720 MW) em parceria com a MPX (50% de participação). Possível expansão com mais um grupo de 360 MW. Termelétrica a gás de Resende (Rio de Janeiro). Dependente das condições de suprimento de gás. Termelétrica a gás em Norte Capixaba (Espírito Santo). Dependente das condições de suprimento de gás e licenciamento

19 19 Parcerias para estudo de viabilidade de hidrelétricas de médio porte com capacidade superior a MW Parceria com Cemig, Concremat e Andrade Gutierrez Parceria com a Engevix Parceria com a Eletronorte Capacidade (MW)Principais projetos em carteira

20 20 Projetos em geração renovável superando MW Capacidade (MW)Principais projetos em carteira Projetos de pequenas centrais hidrelétricas (mais de 30 projetos em análise / desenvolvimento) Parceria com a Cemig para desenvolvimento conjunto de parques eólicos nos estado de MG e ES Projetos de biomassa em desenvolvimento

21 21 Capacidade Instalada (MW) Duplicaremos a capacidade de 2007 Projetos concluídos desde o IPO Projetos em curso ** Expectativa de Entrada em Operação 2005 UHE Peixe Angical 4 a Máq. Mascarenhas PCH São João 2007 PCH Santa Fé Repotenciações UTE Pecém 2011 Capac. adicional Lajeado * Pendente de aprovação dos orgãos competentes. Correspondente à participação de 45% da EnBr na EDP Renováveis Brasil. ** Mascarenhas, Suíça, Rio Bonito 2008 Cenaeel * 653 6* 2008

22 22 Um dos mais completos portfólios de geração para futuro crescimento A EDP Energias do Brasil possui o potencial de crescimento de geração mais atraente entre as utilities brasileiras, com um portfolio de MW em projetos de geração, sobretudo em parcerias Felipe Leal Analista de Mercado Merrill Lynch (Brasil)


Carregar ppt "1 1 ESTRATÉGIA EDP-ENERGIAS DO BRASIL António Pita de Abreu – EDP Energias do Brasil."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google