A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Bruno Ramos Carneiro da Cunha Fernando Ramos Prata Marcel Mattos da Fonseca.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Bruno Ramos Carneiro da Cunha Fernando Ramos Prata Marcel Mattos da Fonseca."— Transcrição da apresentação:

1 Bruno Ramos Carneiro da Cunha Fernando Ramos Prata Marcel Mattos da Fonseca

2 Pontos de função Grupo Internacional de Usuários de Pontos de Função (IFPUG) ASQC - Conferência Internacional sobre Qualidade de Software Pontos de Função medem o tamanho funcional do software Apenas Pontos de Função são insuficientes para um desenvolvedor de software administrar um projeto

3 O que são Pontos de função O tamanho em Pontos de Função NÃO mede a produtividade ou o esforço de desenvolvimento Pontos de função medem o tamanho do QUE o software faz, ao invés de COMO ele é desenvolvido e implementado

4 O Que é o Processo de Contagem de Pontos de Função? Determinar o tipo de contagem (pode ser um projeto de novo desenvolvimento, uma contagem básica de aplicação ou uma contagem de projeto de melhoria) Identificar a fronteira da aplicação (i.e., quais funções o software deve executar?) Contar os tipos de funções de dados (divididos em: i) Arquivos Lógicos Internos ou ALIs, que são os grupos lógicos de dados mantidos dentro da fronteira da aplicação, e ii) Arquivos de Interface Externa ou AIEs, os quais são apenas referenciados pela aplicação). Cada ALI vale 7, 10 ou 15 PF,enquanto cada AIE vale 5, 7 ou 10 PF.

5 Contar os tipos de funções de transações (divididos em: –a) Entradas Externas ou EEs, que são processos de entrada de dados –b) Saídas Externas ou SEs, por exemplo, relatórios e –c) Consultas Externas ou CEs, por exemplo, Consultar Detalhes de Empregados). Cada EE ou CE vale 3, 4 ou 6 pontos de função, enquanto cada SE vale 4, 5 ou 7 pontos de função.

6 Diversas matrizes simples baseadas nos tipos de elementos de dados (reconhecidos pelos usuários e não recursivos), juntamente com tipos de registros (subconjunto dos dados reconhecidos pelos usuários) ou tipos de arquivos referenciados (número de grupos lógicos de dados necessários à execução completa de um processo) são utilizados para determinar a complexidade de cada função, Baixa, Média ou Alta. A seguinte tabela do IFPUG sintetiza o número de pontos de função atribuídos a cada tipo de função

7 Tipo de Função BaixaMédiaAlta EE346 SE457 CE346 ALI71015 AIE5710

8 Determinar o Fator de Ajuste de Valor (FAV) baseado na equação (FAV = 0,65 + (Soma das Características Gerais do Sistema x 0,01) e a avaliação, em uma escala de 1 a 5, das seguintes quatorze Características Gerais do Sistema. Instruções específicas para avaliação são fornecidas no CPM do IFPUG Calcular a contagem ajustada final de PF (contagem final de PF = contagem não ajustada * FAV)

9 Como os Pontos de Função São Utilizados? Os pontos de função nos oferecem uma medida funcional de tamanho a partir da perspectiva do usuário e NÃO uma panacéia para a solução de qualquer problema Os pontos de função podem ser correlacionados com outras medidas para produzir métricas de software específicas Métricas de software são ferramentas passivas, utilizadas para quantificar e informar os resultados das mudanças. Pontos de função não são exceção a essa regra

10 Como as Métricas de Software e os Pontos de Função se Encaixam em um Programa de Mensuração? Pontos de Função nos oferecem uma medida padronizada e normalizada do tamanho funcional dos requisitos lógicos dos usuários e, juntamente com outras medidas, podem ilustrar vários aspectos do processo de desenvolvimento de software, de modo a ensejar melhorias

11 São métricas orientadas ao processo de desenvolvimento as quais concentram-se na funcionalidade ou utilidade do programa. Os pontos de função derivam-se de uma relação empírica baseada em medidas de informações e complexidade do software. O PF é utilizado para medir o tamanho do software pela sua funcionalidade externa tendo como objetivos: Medir o que o Cliente requisitou; Propiciar uma forma de realizar Estimativas a respeito do Software. Propiciar uma métrica quantitativa de Análise do Software;

12 Cálculo do Ponto de Função (PF) Determina-se o tipo de contagem; Identificam-se as fronteiras da contagem; Determinam-se os Pontos de Função não ajustados (PFna); Determina-se o Fator de Ajustamento (FA); Calcula-se o Ponto de Função ajustado (PFa).

13 Cálculo do Ponto de Função não ajustado (PFna): Para a determinação do Ponto de Função não ajustado (PFna), deve-se observar a funcionalidade específica requerida pelo Usuário. Número de entradas do usuário - Cada dado do usuário que proporciona dados distintos. Ex. Pedal esquerdo pressionado; Quantifica-se fatores como: Número de saídas do usuário - Relatórios, Telas e Mensagens de erro. Ex. Aviso sonoro quando ocorrer falhas;

14 Cálculo do Ponto de Função não ajustado (PFna): (cont.) Número de arquivos - Agrupamento lógico de dados, que pode ser uma parte de banco de dados ou um arquivo. Ex. Log de falhas ocorridas; Número de interfaces externas - Interfaces usadas para transmitir informações a outros sistemas. Ex. Barramentos de dados. Número de consultas do usuário - Entrada on-line que resulta em alguma resposta. Ex. Existência de corrente elétrica;

15 Cálculo do Ponto de Função não ajustado (PFna): (cont.) Abaixo apresenta-se a tabela de contagem total do sistema HADECB e o valor da complexidade associado a cada contagem: Número de entradas do usuário Contagem Fator de Ponderação SimplesMédioComplexo Número de entradas do usuário Número de saídas do usuário Número de consultas do usuário Número de arquivos Número de interfaces externas 20 Contagem-total84

16 Calculo do Fator de Ajustamento (FA): A funcionalidade proporcionada pelo software é indicada pelo fator de ajustamento (FA). Avalia-se o Nível de Influência (NI), determinando-se um valor entre 0 e 5, que ela representa.

17 Característica NI (Nível de influência) 1O sistema requer backup e recuperação confiáveis? Moderado 2São exigidas comunicações de dados? Essencial 3Há função de processamento distribuídas? Sem Influência 4O desempenho é crítico?Essencial 5 O sistema funcionará num ambiente operacional existente, intensivamente utilizado? Significativo 6O sistema requer entrada de dados on-line?Sem Influência 7 A entrada de dados on-line exige que a transação seja elaborada em múltiplas telas ou operações? Sem Influência 8Os arquivos mestres são atualizados on-line?Sem Influência 9A entrada, saída, arquivos e consultas são complexos?Moderado 10O processo interno é complexo?Significativo Calculo do Fator de Ajustamento (FA):(cont.)

18 Característica NI (Nível de influência) 11O código foi projetado para ser reusável?Essencial 12A conversão e instalação estão incluídas no projeto? Sem Influência 13 O sistema é projetado para múltiplas instalações em diferentes organizações? Sem Influência 14 A aplicação é projetada de forma a facilitar mudanças e o uso pelo usuário? Sem Influência Calculo do Fator de Ajustamento (FA):(cont.)

19 Determina-se o Fator de Ajustamento (FA), a partir da fórmula: FA = 0,65 +(0,01*NI) FA = 0,65 +(0,01*27)=0,92 Ponto de Função Ajustado(PFa) é determinado pela formula: PFa = FA*PFna PFa = 0,92*84=77,28

20 Tamanho do Software em PF X Número Esperado de Defeitos do Software: ObservaçõesTamanho do Software em PFDefeitos do Software Totais10230 Média24446

21 Tamanho do Software em PF X Número Esperado de Defeitos do Software: Calcula-se o Número Esperado de Defeitos do HADECB com o Ponto de Função ajustado igual a 77,28 Equações da Regressão Linear

22 Tamanho do Software em PF X Número Esperado de Defeitos do Software:(cont.) Logo, o número de Defeitos Esperados é determinado pela fórmula: Y = -35,15 + 2,625*X; Para X = 77,28, tem-se: Y = -35,15 + 2,625*77,28 = 167,71; Portanto, para o HADECB, com Ponto de Função Ajustado igual a 77,28 pode-se prever a existência de aproximadamente 167,71 Defeitos.

23 O Ponto de Função no Uso da Medição da Produtividade, Qualidade, Custo e Documentação: Após ter calculado o Ponto de Função Ajustado pode-se estimar também a Produtividade, Qualidade, Custo e Documentação. Produtividade = FP/pessoa mês = 77,28 / 4 = : Qualidade= Defeito/FP= 167,71 / 77,28 = 2,17 Custo=$/FP=3,55 / 77,28 = Documentação = páginas de documentação/FP= 8 / 77,28 = 0,1035

24 Utilizando Pontos de Função para Ajudar a Definir Quando e Onde Fazer Reengenharia Utilizando Pontos de Função para Estimar Casos de Teste Utilizando Pontos de Função para Ajudar a Entender Faixas de Produtividade Amplas Utilizando Pontos de Função para Entender o Aumento do Escopo Utilizando Pontos de Função para Ajudar a Calcular o Custo Real do Software Utilizando Pontos de Função para Ajudar a Estimar o Custo, Cronograma e Esforço do Projeto Utilizando Pontos de Função para Ajudar a Entender os Custos de Manutenção Utilizando Pontos de Função para Ajudar em Negociações Contratuais Utilizando Pontos de Função para Desenvolver um Conjunto Padrão de Métricas

25 Utilizando Pontos de Função para Ajudar a Definir Quando e Onde Fazer Reengenharia Objetivo : encontrar os aplicativos que mais se beneficiarão dos esforços de reengenharia. Duas perguntas devem ser feitas: 1- Como identificamos aplicativos que devem ser objeto de reengenharia? 2- Como calculamos os benefícios potenciais do esforço de reengenharia?

26 Identificando aplicações para reengenharia Calcular horas de manutenção por FP:

27 Informações necessárias para estimar os benefícios de um projeto de reengenharia: Horas de manutenção atuais por ponto de função; Horas de manutenção por ponto de função esperadas após o projeto de reengenharia; Período de retorno desejado; Estimando benefícios (calculando o retorno)

28 Ex: FP= (Horas de manutenção) / FP= 10h Valor desejado= 8h (Horas de manutenção) / FP - Valor desejado= = 2h Período de retorno= 1 ano Conclui-se que o projeto de reengenharia não poderia levar mais que horas. (2h x FP)

29 Utilizando Pontos de Função para Estimar Casos de Teste Estimado por Capers Jones. Idéia: Conforme um aplicativo cresce, os interrelacionamentos nele contidos tornam-se mais complexos Nº de casos de teste = (FP)^1,2 Ex: FP=1.000, logo deverão existir 1.000^1,2= casos de teste.

30 Entendendo o Potencial de Defeitos Objetivo: Entender os defeitos potenciais do software para aprimorar a qualidade. A diferença na quantidade real e estimada dos casos de teste é um bom indicador do potencial de defeitos Se casos reais < quantidade esperada, conclui-se que a cobertura de testes será inadequada.

31 Conclusão Há muitos usos para pontos de função além de estimar o cronograma, esforço e custo. Muitos gerentes de projeto não acreditam que os pontos de função possuem qualquer utilidade. De certa forma, eles estão certos. Muitas organizações estão utilizando pontos de função e métricas de software para reportar tendências a nível organizacional. Muitas equipes de projeto enviam dados a um grupo central de métricas e nunca mais tornam a ver seus dados. Isto é análogo a enviar os dados a um buraco negro. Se os gerentes de projetos começarem a entender como os pontos de função podem ser utilizados para estimar casos de teste, calcular custos de manutenção e assim por diante, eles provavelmente investirão na contagem de pontos de função.


Carregar ppt "Bruno Ramos Carneiro da Cunha Fernando Ramos Prata Marcel Mattos da Fonseca."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google