A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Introdução à Modelagem Conceitual 1. Conceitos Básicos Luiz A M Palazzo Abril, 2011 Universidade Católica de Pelotas Centro Politécnico Laboratório de.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Introdução à Modelagem Conceitual 1. Conceitos Básicos Luiz A M Palazzo Abril, 2011 Universidade Católica de Pelotas Centro Politécnico Laboratório de."— Transcrição da apresentação:

1 Introdução à Modelagem Conceitual 1. Conceitos Básicos Luiz A M Palazzo Abril, 2011 Universidade Católica de Pelotas Centro Politécnico Laboratório de Modelagem Computacional

2 Roteiro O minicurso O minicurso Noção de modelo Noção de modelo Por que modelar? Por que modelar? Níveis de modelagem Níveis de modelagem Dimensões de modelagem Dimensões de modelagem Noções fundamentais Noções fundamentais Exercícios Exercícios Conceitos Básicos

3 Introdução à Modelagem Conceitual Ementa: Conceito de modelagem; mapas conceituais; programação em lógica; projeto e construção de ontologias. Ementa: Conceito de modelagem; mapas conceituais; programação em lógica; projeto e construção de ontologias. Carga Horária: 32 horas-aula Carga Horária: 32 horas-aula Abordagem: Prática Abordagem: Prática Avaliação: Trabalhos práticos de construção de modelos com o uso de ferramentas de software Avaliação: Trabalhos práticos de construção de modelos com o uso de ferramentas de software Site: Site: Conceitos Básicos

4 Noção de modelo Modelos são representações de alguma porção real ou imaginária do universo. Modelos são representações de alguma porção real ou imaginária do universo. Interpretamos e raciocinamos sobre o mundo através de modelos mentais. Interpretamos e raciocinamos sobre o mundo através de modelos mentais. Todos os modelos são abstrações. Todos os modelos são abstrações. Modelos são produzidos com o emprego de ferramentas de modelagem. Modelos são produzidos com o emprego de ferramentas de modelagem. Em geral, a correção de um modelo somente pode ser avaliada em função de sua finalidade. Em geral, a correção de um modelo somente pode ser avaliada em função de sua finalidade Conceitos Básicos

5 A importância da modelagem Os modelos nos ajudam a visualizar um sistema como ele é ou como deveria ser. Os modelos nos ajudam a visualizar um sistema como ele é ou como deveria ser. Os modelos nos permitem especificar a estrutura ou o comportamento de um sistema. Os modelos nos permitem especificar a estrutura ou o comportamento de um sistema. Os modelos nos oferecem esquemas para nos guiar na construção de um sistema. Os modelos nos oferecem esquemas para nos guiar na construção de um sistema. Os modelos documentam as decisões tomadas no desenvolvimento de um sistema. Os modelos documentam as decisões tomadas no desenvolvimento de um sistema Conceitos Básicos

6 Por que modelar? A razão fundamental é : A razão fundamental é : Construímos modelos para melhor entender o sistema que estamos estudando Conceitos Básicos

7 Modelos computacionais São modelos destinados a auxiliar no desenvolvimento de sistemas computacionais. São modelos destinados a auxiliar no desenvolvimento de sistemas computacionais. Gradativamente aproximam as representações dos recursos disponíveis em computadores. Gradativamente aproximam as representações dos recursos disponíveis em computadores. Mas, o produto final não é somente código... Mas, o produto final não é somente código Conceitos Básicos

8 Níveis de modelagem Modelo conceitual: é o nível mais alto do processo de modelagem e corresponde a representação precisa dos conceitos e relacionamentos existentes no domínio de interesse. Modelo conceitual: é o nível mais alto do processo de modelagem e corresponde a representação precisa dos conceitos e relacionamentos existentes no domínio de interesse. Modelo lógico: é a representação de nível intermediário e está associada aos algoritmos, esquemas e estruturas de dados que capturam o significado do modelo conceitual. Modelo lógico: é a representação de nível intermediário e está associada aos algoritmos, esquemas e estruturas de dados que capturam o significado do modelo conceitual. Modelo físico: É o nível mais baixo da representação e está associado aos recursos computacionais, código, procedimentos e processos físicos associados a execução do sistema em computadores. Modelo físico: É o nível mais baixo da representação e está associado aos recursos computacionais, código, procedimentos e processos físicos associados a execução do sistema em computadores Conceitos Básicos

9 Dimensões de modelagem Modelos estáticos ou estruturais Modelos estáticos ou estruturais Modelos dinâmicos ou temporais Modelos dinâmicos ou temporais Modelos funcionais Modelos funcionais Modelos organizacionais Modelos organizacionais Modelos comportamentais Modelos comportamentais Conceitos Básicos

10 Linguagens Formais e Autômatos Modelagem estática ou estrutural Consiste na representação dos aspectos estáticos relevantes dos objetos de interesse. É a forma mais simples e mais utilizada de modelagem Exemplo: O modelo E-R

11 Linguagens Formais e Autômatos Modelagem dinâmica ou temporal Consiste na representação dos aspectos que se modificam ao longo do tempo. Exemplo: Diagramas de Estado

12 Linguagens Formais e Autômatos Modelagem funcional Procura representar os aspectos relacionados ao funcionamento dos objetos e sistemas. Exemplo: Diagramas de Fluxo de Dados.

13 Linguagens Formais e Autômatos Modelagem organizacional Consiste na representação das hierarquias e das estruturas taxonômicas e ontológicas de que fazem parte os objetos de interesse Exemplo: Redes de herança

14 Linguagens Formais e Autômatos Modelagem comportamental Consiste na representação do comportamento dos objetos de interesse. Exemplo: Sistemas Multiagentes

15 Noções fundamentais Objetos Objetos Conceitos ou classes Conceitos ou classes Propriedades ou atributos Propriedades ou atributos Métodos Métodos Instâncias Instâncias Passagem de mensagens Passagem de mensagens Herança de atributos Herança de atributos Generalização Generalização Especialização Especialização Conceitos Básicos

16 Objetos Objetos são entidades que possuem: 1.atributos, ou propriedades, que descrevem o estado de um objeto, 2.ações, ou métodos, que representam os processos associados ao objeto, e 3.um identificador, ou nome (oid), que designa univocamente o objeto Conceitos Básicos

17 Conceitos ou classes Objetos com as mesmas características formam um conceito ou classe. Objetos com as mesmas características formam um conceito ou classe. Classes semelhantes se agrupam em superclasses, da qual são subclasses. Classes semelhantes se agrupam em superclasses, da qual são subclasses. Uma classe é assim representada por uma taxonomia, onde as subclasses herdam os atributos e métodos de suas superclasses. Uma classe é assim representada por uma taxonomia, onde as subclasses herdam os atributos e métodos de suas superclasses Conceitos Básicos

18 Propriedades ou atributos Também denominados slots, descrevem o estado de um objeto Também denominados slots, descrevem o estado de um objeto Juntamente com os métodos, caracterizam uma classe. Juntamente com os métodos, caracterizam uma classe. Possuem um nome e a definição de possíveis valores. Possuem um nome e a definição de possíveis valores. Os atributos de uma classe são herdados por suas subclasses. Os atributos de uma classe são herdados por suas subclasses. Os atributos recebem valores em nível de instância. Os atributos recebem valores em nível de instância Conceitos Básicos

19 Métodos São procedimentos associados a uma classe. São procedimentos associados a uma classe. Somente se aplicam aos atributos da classe a que estão associados. Somente se aplicam aos atributos da classe a que estão associados. Estes, por sua vez, somente podem ser acessados ou alterados pelos métodos definidos na sua classe. Estes, por sua vez, somente podem ser acessados ou alterados pelos métodos definidos na sua classe. Esta propriedade denomina-se encapsulamento. Esta propriedade denomina-se encapsulamento. Não é respeitada por algumas linguagens ditasorientadas a objetos Não é respeitada por algumas linguagens ditasorientadas a objetos 01 - Conceitos Básicos 19

20 Instâncias São os indivíduos concretos do sistema. São os indivíduos concretos do sistema. Por exemplo: o objeto identificado por João da Silva é uma instância da classe Pessoa. Por exemplo: o objeto identificado por João da Silva é uma instância da classe Pessoa. Note-se que classes também são consideradas objetos. Note-se que classes também são consideradas objetos. Logo, objetos podem ser de dois tipos: classes ou instâncias. Logo, objetos podem ser de dois tipos: classes ou instâncias Conceitos Básicos

21 Exemplo: a classe processo Atributos: origem, destino, data, registro, tramitação, despacho... Atributos: origem, destino, data, registro, tramitação, despacho... Métodos: imprimir, tramitar, arquivar, cientificar... Métodos: imprimir, tramitar, arquivar, cientificar... Esquema de Identificação: AAAA-MM-NNNN Esquema de Identificação: AAAA-MM-NNNN 01 - Conceitos Básicos 21

22 Exemplo: a instância Oid: Oid: Instância da classe: processo Instância da classe: processo Logo, possui um valor compatível para cada atributo definido nesta classe. Logo, possui um valor compatível para cada atributo definido nesta classe. Pode ser acessado ou alterado pelos métodos presentes nesta classe. Pode ser acessado ou alterado pelos métodos presentes nesta classe Conceitos Básicos 22

23 Passagem de mensagens Os objetos se comunicam por meio de passagem de mensagens. Os objetos se comunicam por meio de passagem de mensagens. O objeto que envia a mensagem é o emissor e o que recebe o receptor. O objeto que envia a mensagem é o emissor e o que recebe o receptor Conceitos Básicos 23

24 Herança de atributos As subclasses herdam os atributos de suas superclasses. As subclasses herdam os atributos de suas superclasses. Assim os atributos somente precisam ser definidos no nível mais alto em que ocorrem. Assim os atributos somente precisam ser definidos no nível mais alto em que ocorrem. As subclasses podem entretanto redefinir atributos herdados (overriding). As subclasses podem entretanto redefinir atributos herdados (overriding). A herança pode ser simples (uma única superclasse) ou múltipla (duas ou mais superclasses). A herança pode ser simples (uma única superclasse) ou múltipla (duas ou mais superclasses) Conceitos Básicos 24

25 Exemplo de overriding 01 - Conceitos Básicos 25

26 Generalização e Especialização As subclasses especializam suas superclasses e são generalizadas por elas. As subclasses especializam suas superclasses e são generalizadas por elas. A especialização corresponde ao relacionamento é_um. A especialização corresponde ao relacionamento é_um. Somente na especialização ocorre a transmissão ou herança de atributos. Somente na especialização ocorre a transmissão ou herança de atributos Conceitos Básicos

27 Exemplos / Exercícios Modelar informalmente as seguintes classes: 1.Dispositivos Móveis 2.Construções Urbanas 3.Veículos Aéreos 4.Esportes Olímpicos 5.Publicações Científicas Conceitos Básicos

28 Na próxima semana: Mapas Conceituais 01 - Conceitos Básicos 28


Carregar ppt "Introdução à Modelagem Conceitual 1. Conceitos Básicos Luiz A M Palazzo Abril, 2011 Universidade Católica de Pelotas Centro Politécnico Laboratório de."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google