A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Processos de Seleção para Cursos de Graduação da UFSC Seleção e permanência em graduações de IES públicas - modelo USP Prof. Dr. Mauro Bertotti Instituto.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Processos de Seleção para Cursos de Graduação da UFSC Seleção e permanência em graduações de IES públicas - modelo USP Prof. Dr. Mauro Bertotti Instituto."— Transcrição da apresentação:

1 Processos de Seleção para Cursos de Graduação da UFSC Seleção e permanência em graduações de IES públicas - modelo USP Prof. Dr. Mauro Bertotti Instituto de Química - USP Florianópolis – 08 de outubro de 2010

2 estudantes de graduação estudantes de pós-graduação estudantes de mestrado estudantes de doutorado docentes 40 unidades de ensino e pesquisa USP – Universidade de São Paulo

3 * Fonte: DI/Júpiter Ampliação de vagas na USP* TOTAIS Ampliação de vagas na USP* TOTAIS

4 SÃO PAULO OESTE SÃO PAULO LESTE

5 SÃO CARLOS PIRACICABA

6 PIRASSUNUNGA BAURU

7 LORENA RIBEIRÃO PRETO

8 USP – Universidade de São Paulo Criada em 1934 para formar a elite acadêmica, científica e cultural do Estado de São Paulo Indissociabilidade entre PESQUISA e ENSINO!!!!!!

9 FUVEST 2010 Rua Alvarenga, 1945 (Portão Principal da USP) Butantã, São Paulo – SP CEP (Foto: Cecília Bastos/Jornal da USP)

10

11 O vestibular até a Fase (90 questões objetivas ) com ~ mil candidatos 2 a Fase (provas discursivas) com quase 40 mil candidatos ~ matriculados

12 O vestibular até a Fase (até 4 provas!!!) Domingo: 10 questões Português + Redação 2 a feira: História e Química 3 a feira: Biologia e Geografia 4 a feira: Física 5 a feira: Matemática Nota final = (1 a Fase + 2 a Fase)/2

13 FUVEST 2010 – 1ª Fase Nota mínima

14 FUVEST 2010 – 1ª Fase Medicina Química - Licenciatura

15 FUVEST 2010 – 1ª Fase Nível de qualificação dos candidatos nas carreiras é muito heterogêneo!!!!

16 Proposta de Modificações no Vestibular GT – Vestibular – 2008/2009 Prof. Dr. Quirino Augusto de Camargo Carmello (Pró-Reitor Substituto) Prof. Dr. Mauro Bertotti (Coordenador) Prof. Dr. Manoel Oriosvaldo de Moura (FE) Profa. Dra. Maria Amélia de Campos Oliveira (Assessora) Prof. Dr. Maurício dos Santos Matos (FFCLRP) Profa. Dra. Maria Isabel de Almeida (Assessora) Prof. Dr. Roberto Bolzani Filho (FFLCH) Profa. Dra. Vera Lúcia Fava (FEA) Profa. Dra. Maria Dolores Montoya Diaz (FEARP) Prof. Dr. Eduardo Batista Franco (FOB) Profa. Dra. Maria Cristina Motta de Toledo (EACH) Prof. Dr. Roberto Celso Fabrício Costa (FUVEST)

17 Perfil de um aluno USP Saber se expressar com clareza e desenvoltura. Ter capacidade de buscar, selecionar, organizar e interpretar informações diversas, elaborar hipóteses e argumentar sobre posições ou problemas a eles apresentados. Esboçar visões críticas do mundo e da sociedade em que vivemos. Demonstrar competência na identificação e proposição de soluções para problemas sociais, culturais, científicos e tecnológicos. Identificar seu campo de interesse e demonstrar competência para acompanhar com bom desempenho o curso escolhido. Outros atributos???? Trabalho em equipe, perseverança, capacidade de aprender, atividades extracurriculares, solidariedade......

18 Chemistry in Oxford (http://www.chem.ox.ac.uk/ungrad-admissionscriteria.html) Introduction The University and its colleges seek to admit students of high academic merit and potential. All colleges select students for admission without regard to marital status, race, ethnic origins, colour, religion, social background. Decisions on admission are based solely on the individual merits of the candidate and the application of selection criteria appropriate to the course of study. Entry is competitive and the attainment of minimum standards is no guarantee of a place. Criteria (i) Academic ability Reasoning ability; aptitude for analysing and solving problems using logical and critical approaches Mathematical ability. Capacity to absorb new ideas and to apply familiar ideas to unfamiliar situations Spirit of enquiry: desire to understand the reasons for observations; enthusiasm and curiosity in science An understanding of the chemical concepts covered in courses taken so far. (ii) Interest in Chemistry including an appreciation of some aspects of it outside the confines of the A level syllabus (or equivalent) (iii) Motivation and perseverance An enthusiasm for chemistry and the motivation to pursue an academically demanding four-your course (iv) Independent working and communication Ability to work independently; willingness and ability to express ideas clearly and effectively orally, in writing and numerically; ability to listen (v) Educational achievement GCE: Good grades at GCSE are expected, especially in science and mathematics. Three A-levels are required, which must include Chemistry and preferably Mathematics. There is no standard condition but in recent years practically all offers have been AAA. An A grade is expected in Chemistry and also in Mathematics, if taken. SCE: Five Highers plus Advanced Highers (or CSYS) are required. These must include Chemistry while Mathematics is highly desirable. There is no standard condition but in recent years most offers have involved 4a + b at the (ordinary) Higher level plus two or three A-grades in Advanced Highers (or CSYS). International Baccalaureate: 38+, including grade 7 in Chemistry and 6/7 in Mathematics at higher level. Applications are welcomed from those studying for qualifications other than those listed above.

19 O que se espera do vestibular? i.Seja eficaz na seleção de alunos com o perfil por nós considerado mais adequado. ii.Cause o impacto desejado no Ensino Médio (sinalização!!). LDB, artigo 51 : As instituições de educação superior, ao deliberar sobre critérios e normas de seleção dos estudantes, levarão em conta os efeitos desses critérios sobre a orientação do ensino médio, articulando-se com os órgãos normativos do sistema de ensino.

20 Questões objetivas: não são subjetivas, correção é fácil, permitem avaliação mais abrangente (dependendo do número de questões). Geralmente, avaliam conhecimentos pontuais (lower order skills) Questões discursivas: permitem ao candidato, após a identificação do problema proposto, construir a resposta por caminhos próprios. A elaboração de estratégias adequadas para encaminhar a resolução, a capacidade de síntese e o uso de linguagem apropriada são habilidades necessárias para o bom desempenho nesta etapa. Pode-se extrair do candidato sua habilidade na projeção de conhecimentos (higher order skills, capacidade de aplicar o conhecimento em novas situações ou de avaliar e sintetizar informações). Além do conhecimento, afere-se também como esse conhecimento é transmitido. Instrumento empregado: matérias do Ensino Médio

21

22 Literatura Bacon, D. R. (2003). Assessing learning outcomes: A comparison of multiple-choice and short answer questions in a marking context. Journal of Marketing Education, 25 (1), 31–36 Becker, W. E., Johnston, C. (1999). The relationship between multiple choice and essay response questions in assessing economics understanding. Economic Record, 75 (231), 348–357 Fenna, D. S. (2004). Assessment of foundation knowledge: Are students confident in their ability? European Journal of Engineering Education, 2, 307–313 Hancock, G. R. (1994). Cognitive complexity and the comparability of multiple-choice and constructed- response test formats. Journal of Experimental Education, 62 (2), 143–157 Kuechler, W., Simkin, M. (2003). How well do multiple choice tests evaluate student understanding in computer programming classes? Journal of Information Systems Education, 14 (4), 389–399 Martinez, M. E. (1999). Cognition and the question of test item format. Educational Psychologist, 34 (4), 207–218 Rogers, W. T., Harley, D. (1999). An empirical comparison of three- and four-choice items and tests: Susceptibility to testwiseness and internal consistency reliability. Educational and Psychological Measurement, 59 (2), 234–247 Zimmerman, D. W., Williams, R. H. (2003). A new look at the influence of guessing on the reliability of multiple-choice tests. Applied Psychological Measurement, 27 (5), 357–371 Simkin, M.G., Kuechler, W.L. (2005). Multiple-Choice tests and student understanding: what is the connection? Decision Sciences Jounal of Innovative Education, 3 (1), 73-97

23 Características do novo vestibular Valorização das provas da 2ª Fase (discursivas), pois consistem em instrumento mais adequado para a seleção dos alunos com o perfil desejado pela USP (dos 3N candidatos, selecionar N candidatos) Nota da 1ª Fase é excluída inclusão de questões de todas as matérias na 2ª Fase (sinalização!) 2 a Fase com menos dias (custo, tempo, matrícula antecipada) Abordagem interdisciplinar (ou por temáticas, resolução de problemas, raciocínio científico)

24 1 a FASE Questões das várias matérias (Língua Portuguesa, Matemática, Física, História, Química, Biologia, Geografia, Inglês, Interdisciplinares) Não há divisão por disciplinas e algumas das questões são elaboradas de maneira articulada Desempenho na 1 a Fase é utilizado somente para a progressão à 2 a Fase (papel da 1ª Fase é importante, pois ela faz a seleção preliminar!!!!!).

25 Dia 1: Redação e Língua Portuguesa (10 questões) – 4h Dia 2: 18 questões de B/Q/F/M/H/G (algumas com abordagem interdisciplinar) + 2 questões de Inglês – 4h Dia 3: Unidades escolhem conjunto de 12 questões específicas (4 ou 6 por matéria, 3 ou 2 matérias) – 4h 2 a FASE As provas dos 3 dias possuem o mesmo peso!!!!! Poder de discriminação é mais elevado! Instrumento pode ser mais eficiente para aferir outros atributos!!!

26 A nova FUVEST preditivos Avaliar habilidades associadas ao pensamento crítico e analítico, ou seja, prefere-se candidatos que saibam interpretar um problema e criar uma resposta a aqueles que são preparados somente para memorizar e transferir informações e conteúdos. Em suma, valorizam-se a leitura, a expressão, a atividade do pensamento e o raciocínio lógico e científico. Desta forma, espera-se criar mecanismos preditivos de diagnóstico para aferir o potencial dos candidatos para o sucesso na graduação na USP.

27 DESEMPENHO FINAL (Notas da 2ª Fase) CONVOCADOS PARA a 2ª FASE

28

29

30 PROVA DO 1º DIA (LP + RED) MATRICULADOS

31 PROVA DO 2º DIA (M/F/Q/B/G/H/I) MATRICULADOS

32 PROVA DO 3º DIA (2 ou 3 matérias) MATRICULADOS

33 Administração (ingressantes 2008) Classificação no vestibular Vestibular é preditivo? Nota da 1ª Fase

34 Matemática Licenciatura (ingressantes 2008) Classificação no vestibular Vestibular é preditivo? Nota da 1ª Fase

35 Enfermagem (ingressantes 2008) Classificação no vestibular Vestibular é preditivo? Nota da 1ª Fase

36 Administração (ingressantes 2006!!!!) Classificação no vestibular Vestibular é preditivo?

37 Filosofia (ingressantes 2006!!!!) Classificação no vestibular Vestibular é preditivo?

38 Ciências da Natureza (ingressantes 2006!!!) Classificação no vestibular Vestibular é preditivo?

39 Mudanças esperadas?? Poder preditivo do vestibular talvez não melhore muito Mas o perfil dos ingressantes, após 5 anos, SIM!!!!!

40 Das características que os indivíduos carregam para uma certa situação, as que contribuem para o bom desempenho funcionam como aptidões. Exemplos incluem a habilidade de tomar notas de maneira apropriada, saber controlar o tempo, usar conhecimentos já incorporados, fazer inferências e generalizações e lidar com as emoções. Portanto, aptidões para aprender ultrapassam as habilidades cognitivas e aspectos vinculados à personalidade e motivação também funcionam como aptidões. APTIDÃO

41 Inteligência cristalizada: capacidade de um indivíduo de resolver problemas com os quais ele tem familiaridade utilizando práticas bem assimiladas. Inteligência fluida: capacidade de resolver problemas novos empregando ferramentas vinculadas ao raciocínio. Analogia: atleta (habilidades inatas e treinamento) Como medir aptidão?

42 Training is provided as a way of dealing with known problems by applying approved strategies in order to minimize risks. If the training is so deep that the responses become automatic, this can have many benefits, for it frees us to think about problems as yet unresolved. Yet, working only by rote or from scripts can also be extremely boring and can lead easily to the kinds of mistakes that happen when problems do not fit preconceptions Training is provided as a way of dealing with known problems by applying approved strategies in order to minimize risks. If the training is so deep that the responses become automatic, this can have many benefits, for it frees us to think about problems as yet unresolved. Yet, working only by rote or from scripts can also be extremely boring and can lead easily to the kinds of mistakes that happen when problems do not fit preconceptions If your only tool is a hammer, you might think all problems are nails

43

44

45 Raciocínio Científico Avaliar a capacidade de entendimento, análise, síntese e generalização de informações de cunho científico, com ênfase na maneira com que dados experimentais são obtidos e interpretados (método científico). Ensino de Ciências: pautado na transmissão de conhecimentos já estabelecidos, sem que o estudante possa criar o espírito científico, crítico e inquiridor!! APRENDER = f(motivação, persistência,...., CURIOSIDADE)

46 Raciocínio Científico Pensando no desempenho do aluno no contexto universitário, pode-se questionar: qual a importância relativa de medidas mais associadas ao conhecimento (provas tradicionais), e de outras, associadas ao raciocínio? A ênfase no conhecimento, pressupõe que quanto mais profundo e extenso for o conhecimento do aluno sobre o conteúdo tratado no Ensino Médio, mais preparado ele estará para prosseguir no ensino universitário e, portanto, melhor será seu desempenho. A ênfase no raciocínio, parte do princípio de que, como o conteúdo tratado na universidade será novo, quanto maior a capacidade de raciocínio do aluno, mais bem preparado ele estará para organizar as novas informações e, portanto, melhor será seu desempenho.

47 O experimento da vela!! 1. Calcule a massa de gás carbônico produzido pela queima de 1 grama da vela levando em consideração a seguinte reação de combustão: 2 O 2 + CH 4 CO H 2 O Ao colocar o copo sobre a vela, a chama apaga e o nível da água dentro do copo sobe.

48 O experimento da vela!! 2. Por que o nível da água dentro do copo sobe?? Ao colocar o copo sobre a vela, a chama apaga e o nível da água dentro do copo sobe.

49 O experimento da vela!! Ao colocar o copo sobre a vela, a chama apaga e o nível da água dentro do copo sobe. 3. Uma possível explicação para o aumento do nível da água tem relação com o consumo de oxigênio. Entretanto, este modelo é falso. Justifique esta afirmação com base nas seguintes observações: a) O nível da água somente sobe quando a vela apaga. b) Se o experimento é repetido com duas velas, no lugar de somente uma, a altura da coluna de água dentro do copo é maior.

50 INCLUSP Programa de Inclusão Social da USP Proposta elaborada pelo GT de Inclusão Social sob a coordenação da Pró-Reitoria de Graduação. Aprovada pelo CoG em maio/06 UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

51 Ampliar o acesso e a permanência de estudantes de escolas públicas Interação com escolas públicas Isenção do pagamento da taxa de inscrição do vestibular Sistema de Pontuação Acrescida (bônus no vestibular) Programa de Avaliação Seriada (PASUSP) Acompanhamento pós-ingresso - incentivos

52

53 Cálculo do Bônus FUVEST Bônus % Nota 1ª Fase FUVEST

54 Cálculo do Bônus PASUSP Bônus % Nota PASUSP

55

56 Ano Oferta Isenção Demanda bruta Demanda qualificada Inscritos no vestibular PresentesAprovados Isenção do Pagamento da Taxa de Inscrição do Vestibular

57 Fonte: FUVEST – Questão 7 do questionário socioeconômico ( ) e ficha de inscrição ( ) Inscritos no vestibular em carreiras com curso USP* ESCOLAS PÚBLICAS

58 Fonte: FUVEST – Questão 07 do questionário socioeconômico ( ) e ficha de inscrição ( )

59 Alunos de escola pública ingressantes na USP Valores simulados (1 a chamada p/ matrícula) sem acréscimo dos bônus (26,7%) (26,3%) (30,1%) (24,7%)

60 Faixa de renda familiar mensal: TOTAL DE ALUNOS INGRESSANTES NA USP. Fonte: DI/FUVEST –questionário socioeconômico (questão 16 e 17 )

61 Evolução Vagas/Inscritos/Convocados de Escolas Públicas Ano Inscritos FUVEST Vagas USP Nº inscritos vagas USP Inscritos escola pública Convocados 2º fase (escola pública) Aprovados escola pública 1ª lista Nº% % , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,64

62 25,6 dos ingressantes realizaram seu curso médio integralmente em Escola Pública alunos foram matriculados na USP por meio do INCLUSP (22,4%) Destes, 583 (24,72%) dependeram da bonificação. 550 candidatos foram isentos da Taxa de Inscrição. O bônus incluiu 498 alunos com renda menor que 10 salários mínimos que corresponde a 85,4% dos alunos que dependeram da bonificação para o ingresso na USP. 25,6 dos ingressantes realizaram seu curso médio integralmente em Escola Pública alunos foram matriculados na USP por meio do INCLUSP (22,4%) Destes, 583 (24,72%) dependeram da bonificação. 550 candidatos foram isentos da Taxa de Inscrição. O bônus incluiu 498 alunos com renda menor que 10 salários mínimos que corresponde a 85,4% dos alunos que dependeram da bonificação para o ingresso na USP. INCLUSP – FUVEST 2010

63 CarreirasN % 226- Letras 29735, Física/Mat/Geofis/Astro/Estat/MatAplicada 12327, Licenciatura em Matemática e Física11443, Escola Politécnica11113, Economia FEA9716, Direito 7813, História7226, Sistemas de Informação6536, Geografia6035, Engenharia Elétrica e Computação SC6020, Pedagogia5731, Medicina4717, Filosofia4224, Gestão Ambiental EACH3529, Ciências Sociais3416, Marketing EACH3327, Gestão de Políticas Publicas2924,2 As 20 carreiras com maior número de matriculados de Escolas Públicas

64 Desempenho dos alunos INCLUSP no período de No geral, apresentam bom desempenho. 2.Alguns apresentam melhor desempenho que os demais. 3.A avaliação no período mostra que a grande maioria apresenta excelente resposta ao estímulo: avança mais rápido que os demais. 1.No geral, apresentam bom desempenho. 2.Alguns apresentam melhor desempenho que os demais. 3.A avaliação no período mostra que a grande maioria apresenta excelente resposta ao estímulo: avança mais rápido que os demais.

65 Conclusões Universidades devem refletir sobre o perfil do aluno desejado em discussões sobre o formato do Vestibular Vestibular é um grande exemplo de democracia, pois é um processo honesto, seguro e todos são tratados igualmente Vestibular deve ser um instrumento para fazer seleções com alto poder de discriminação, minimizando o impacto de fatores aleatórios Após seleção prévia (1 a Fase), poder preditivo do Vestibular é muito pequeno, especialmente para carreiras muito competitivas. Para carreiras fracas, há alternativas melhores! A influência do Vestibular no Ensino Médio é muito grande, razão pela qual seu impacto deve ser avaliado Universidades devem criar estratégias para identificar candidatos cujo potencial acadêmico latente não pode ser totalmente evidenciado pelos resultados de processos de seleção

66 Muito obrigado pela atenção!!


Carregar ppt "Processos de Seleção para Cursos de Graduação da UFSC Seleção e permanência em graduações de IES públicas - modelo USP Prof. Dr. Mauro Bertotti Instituto."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google