A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Módulo de Prevenção de Acidentes – AULA 4 Prof.ª Gledsnelly Nascimento FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Módulo de Prevenção de Acidentes – AULA 4 Prof.ª Gledsnelly Nascimento FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho."— Transcrição da apresentação:

1 Módulo de Prevenção de Acidentes – AULA 4 Prof.ª Gledsnelly Nascimento FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho

2 Competências a serem trabalhadas nesta aula Entender e analisar porque ocorrem os acidentes e quais suas consequências; Conhecer formas de gerenciamento de risco; Elaborar procedimentos prevenção de acidentes e de liberação de serviços.

3 RELEMBRANDO CONCEITOS:

4 Os acidentes não são obras do acaso, tem causas que devem ser identificadas, analisadas e eliminadas.

5 DESVIOS 5 É todo procedimento fora do padrão de segurança o qual pode provocar um acidente ou incidente.

6 VAMOS ASSISTIR UM VÍDEO: Plataforma Piper Alpha

7 INCIDENTE: É o evento não planejado e não desejado em que não há perda de qualquer natureza. ACIDENTE: É o evento não planejado e não desejado em que há perda de qualquer natureza. PERDA: Qualquer tipo de dano às pessoas, ao meio ambiente, às instalações ou ao processo de produção. Entendendo o conceito de acidente

8 600 Incidentes 30 Incidentes com dano a propriedade 10 ACIDENTES ACIDENTES GRAVE 1 É todo evento que gera o risco potencial de ocorrência de acidentes, emergências e exposições ocupacionais ou eventos em que não há perda de qualquer natureza. Pirâmide de Frank Bird O QUE É INCIDENTE

9 PESSOAS PESSOAS ELEMENTOS QUE DESENCADEIAM OS ACIDENTES EQUIPAMENTOS E MATERIAIS AMBIENTE DE TRABALHO

10 PRÁTICAS INSEGURAS (ATOS INSEGUROS) Imprudência É praticar uma ação sem as devidas precauções. Imperícia É praticar uma ação sem aptidão especial, habilidade, conhecimento ou experiência necessária. Negligência É a omissão voluntária de cuidados necessários ou a falta ou demora em prevenir algum acidente. FATORES QUE PROVOCAM ACIDENTES

11 CONDIÇÕES AMBIENTAIS INSEGURAS (CONDIÇÃO INSEGURA) Arranjo físico inadequado – são exemplos de riscos significativos: alguns serviços realizados durante a montagem de estruturas; caixas de passagem de cabos elétricos, levantamento de peças pesadas, espaços confinados de difícil acesso, etc. Arranjo físico inadequado – são exemplos de riscos significativos: alguns serviços realizados durante a montagem de estruturas; caixas de passagem de cabos elétricos, levantamento de peças pesadas, espaços confinados de difícil acesso, etc. FATORES QUE PROVOCAM ACIDENTES

12 CONDIÇÕES AMBIENTAIS INSEGURAS (CONDIÇÃO INSEGURA) Máquinas e equipamentos sem proteção – são exemplos de riscos significativos: máquinas e ferramentas rotativas (esmeris, lixadeiras, serras circulares verticais, etc.), máquinas de prensar, equipamentos aquecidos, equipamentos energizados, etc. Máquinas e equipamentos sem proteção – são exemplos de riscos significativos: máquinas e ferramentas rotativas (esmeris, lixadeiras, serras circulares verticais, etc.), máquinas de prensar, equipamentos aquecidos, equipamentos energizados, etc. FATORES QUE PROVOCAM ACIDENTES

13 CONDIÇÕES AMBIENTAIS INSEGURAS (CONDIÇÃO INSEGURA) Armazenamento inadequado – o armazenamento de qualquer produto deve ser feito de modo a garantir a separação de produtos incompatíveis ou perigosos. Armazenamento inadequado – o armazenamento de qualquer produto deve ser feito de modo a garantir a separação de produtos incompatíveis ou perigosos. FATORES QUE PROVOCAM ACIDENTES

14 QUEM PERDE COM O ACIDENTE?

15 O TRABALHADOR E SUA FAMÍLIA Sofrimento físico, lesões ou até a própria morte;Sofrimento físico, lesões ou até a própria morte; Reflexos psicológicos negativos; Redução salarial. Distúrbios familiares, Desamparo, psicológico, afetivo e econômico.Desamparo, psicológico, afetivo e econômico.

16 -Danos ou avarias nos equipamentos, máquinas ou ferramentas que por ventura estejam sendo utilizados pelo trabalhador vitimado; -Paralisação de uma máquina ou equipamento componente da linha de produção, podendo afetar o processo produtivo como um todo, até que se proceda o reparo/substituição da máquina/equipamento danificado; - Reflexos negativos na imagem da empresa, variável esta que dependerá da gravidade do acidente e do grau de repercussão causado à comunidade. A EMPRESA Pagamento salarial aos trabalhadores acidentados durante os quinze primeiros dias seguintes ao do acidente; Reflexos negativos no ambiente de trabalho onde ocorreu a acidente, com a conseqüente queda na produtividade;

17 - Pagamento através do INSS, de benefícios previdenciários ao trabalhador acidentado ou seus dependentes, tais como: auxílio-doença, auxílio acidente, aposentadoria por invalidez ou pensão por morte; - Pagamento de despesas médico- hospitalares no tratamento do acidentado; - Despesas com a reabilitação profissional do trabalhador acidentado, inclusive com o fornecimento de aparelhos de próteses, conforme o caso. A SOCIEDADE

18 COMO PREVINIR ACIDENTES?

19 INSPEÇÕES DE SEGURANÇA É a observação cuidadosa dos ambientes de trabalho, com a finalidade de descobrir e/ou identificar os riscos de acidentes, e tomar as medidas necessárias para eliminá-los.

20 Detectar problemas ou situações que possam contribuir para a ocorrência de acidentes ou incidentes; Possibilitar a determinação dos meios preventivos dos acidentes; Ajudar a fixar nos colaboradores a mentalidade preventiva; Encorajar os trabalhadores a agirem como inspetores; Divulgar o interesse da empresa pela segurança. OBJETIVOS DAS INSPEÇÕES:

21 Rotina Periódicas Especiais Oficiais Eventual TIPOS DE INSPEÇÕES DE SEGURANÇA

22 Diariamente, deveremos checar: Uso dos EPI´s Proteção máquinas Ordem Arrumação Limpeza Inspeções Diárias

23 Inspeções Periódicas Programadas em intervalos regulares (mensal, bimensal, trimestral, semestral). Pode ser geral ou setorial. Deve envolver as chefias das áreas afetadas. Devem estar contempladas nos cronogramas dos programas de segurança (PPRA, PCMSO, PCMAT)

24 Necessitam de equipamentos específicos e conhecimento técnico especializado: Caldeiras Vasos sob pressão Instalações Elétricas Inspeções Especiais

25 O Téc. de Seg. acompanha, responde o estritamente necessário e apresenta os documentos solicitados Efetuada pelos órgãos governamentais do trabalho ou securitários. Para este caso. é muito importante que os serviços de segurança mantenham controle de tudo o que ocorre e ao andamento de tudo o que estiver pendente relativamente à segurança e que estejam em condições de atender e informar devidamente à fiscalização; Inspeções Oficiais

26 Sem dia ou horário pré- determinados, atende a necessidade de verificação de alguma situação específica que envolva alguma máquina, equipamento, instalações ou operações Inspeções Eventuais

27 Para que a Inspeção seja um sucesso! Boa observação (detalhes) Bom registro (evidências) Boa comunicação (setores envolvidos) Bom acompanhamento (prazos das ações)

28 APR - Análise Preliminar de Risco A APR é uma técnica de análise de riscos, utilizada com o objetivo de identificar perigos (potenciais) decorrentes de novos projetos, modificações de projeto, atividades de operação ou manutenção de sistemas, ou qualquer outra atividade com potencial de causar danos ou acidentes. PERIGOS; CAUSAS; CONSEQÜÊNCIAS; MEDIDAS PREVENTIVAS e CORRETIVAS; RESPONSÁVEIS PELAS MEDIDAS 28

29 MODELO DE APR

30 PERMISSÃO PARA TRABALHO - PT 1 - Para que serve uma PT? 2 - Por que a PT é importante? 3 - O que está escrito numa PT? 4 - Por que é importante seguir o que está escrito na PT? 5 – O trabalhador deve seguir sempre tudo o que está escrito? 6 - O que você deve fazer se tiver dúvidas? 7 – Uma PT vale durante quanto tempo?

31 INVESTIGAÇÃO E ANÁLISE DE ACIDENTES

32 INVESTIGAÇÃO DE ACIDENTES Visa levantar todos os dados essenciais que possibilitem a determinação das causas que contribuíram para o acidente e propor medidas corretivas e preventivas para eliminá-las. FINALIDADES: Não é atribuir culpa a ninguém; Determinar as causas que possam ter contribuído para a ocorrência; Adotar medidas preventivas e corretivas parar evitar sua repetição.

33 O que fazia o trabalhador no momento imediatamente anterior à ocorrência? Como aconteceu o acidente? Quais foram as conseqüências? Quais as causas que contribuíram direta ou indiretamente para a ocorrência do acidente? Quando ocorreu? (data e hora) Onde ocorreu? (especificando o setor ou seção) Quanto tempo de experiência na função tinha o acidentado? Identificar o Agente, a Natureza e a Localização da lesão INVESTIGAÇÃO DE ACIDENTES

34 ANÁLISE DE ACIDENTES É fundamental, diante de um acidente ocorrido, a busca das suas causas e a proposição de medidas para que acidentes semelhantes possam ser evitados Essa análise toma como base os depoimentos da investigação e o estudo através do processo de Árvore de Causas, onde chegará ao princípio de como esse acidente veio a acontecer. As informações podem ser apresentadas numa ficha-modelo da Empresa Além de nos dar condições de descobrir as causas, as análises permitem descobrir as perdas que os acidentes causaram, tanto para a Empresa como para o trabalhador.

35 CAUSAS DO ACIDENTE Causas Imediatas São as causas que levaram diretamente a ocorrência de acidente, incidente ou desvio. São as mais fáceis de serem identificadas Causas Básicas São falhas ou sucessão de falhas do sistema de gestão, que permitem a ocorrência de causas imediatas

36 Procedimentos adequados para uma análise de acidente: Identificar as provas; Identificar os fatores que contribuíram para o acidente; Registrar através de fotos ou fazer um esboço da cena do acidente; Fazer anotações; Entrevistar as testemunhas. CONCEITOS IMPORTANTES PARA PREVENÇÃO CONTRA ACIDENTES

37 INVESTIGAÇÃO DE ACIDENTES Agente da Lesão - Podem ser os produtos químicos, ferramentas, parte de uma máquina, materiais incandescentes, arestas cortantes, corrente elétrica, superfícies abrasivas, etc. A determinação do agente da lesão é um dado fundamental na investigação de acidentes. Natureza da Lesão - No relatório de acidente deve constar o tipo de lesão ocorrida, que geralmente envolve contusão, entorse, luxação, fratura, ferimento, queimadura, etc. Localização da lesão - A localização da lesão merece análise cuidadosa, pois quando ela apresenta-se nos mesmos pontos pode indicar a existência de determinado fator de insegurança, seja ato inseguro ou condição insegura e ainda tem importância para os efeitos legais decorrentes das normas previdenciárias.

38 ANÁLISE/INVESTIGAÇÃO DE ACIDENTES Os elementos que devem ser coletados e identificados para que uma investigação de acidente seja realmente completa, são muitos. As razões do sucesso, seja o elemento grande ou pequeno, significativo ou insignificante, necessita ser identificado, fotografado, listado ou marcado de alguma maneira, de modo que possa ser valioso no panorama completo para que se chegue á conclusão real do porquê do acontecido. CONCEITOS IMPORTANTES PARA PREVENÇÃO CONTRA ACIDENTES

39 Técnicas de Análise de Acidentes 1. ÁRVORE DAS CAUSAS: desenvolvido por pesquisadores franceses (1977). A investigação consiste em montar um quadro de antecedentes a partir do acidente, ou seja, a elaboração tem início na lesão. A partir dela procura-se os fatos que levaram a ocorrência do acidente, voltando-se o mais atrás possível. O objetivo é descobrir o encadeamento das causas que o provocaram POR QUÊS: desenvolvido pelos japoneses, a investigação consiste em montar um quadro de antecedentes a partir do acidente, ou seja, a elaboração tem início na lesão, onde iniciamos as perguntas, por quê, até concluirmos todas as respostas. As respostas que não possuem mais perguntas são as causas raízes.

40 É todo dispositivo, sistema, ou meio, fixo ou móvel de abrangência coletiva, destinado a preservar a integridade física e a saúde dos trabalhadores usuários e terceiros. EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO COLETIVA Prensa MANHNKE Dispositivo fotocélula Dispositivo de acionamento manual

41 ORIENTAÇÃO QUANTO AO USO DO EPC Os Equipamentos de Proteção Coletiva adotados serão específicos ao tipo de risco encontrado no ambiente de trabalho, podendo ser implementado em praticamente toda atividade produtiva. Trata-se de um guarda corpo, a fim de, proteger contra quedas de colaboradores no fosso da máquina.

42 ORIENTAÇÃO QUANTO AO USO DO EPC Equipamentos de Proteção Coletiva, utilizados em trabalhos Em Eletricidade.

43 SINALIZAÇÃO DE SEGURANÇA Sinalização com cones, cavaletes, fitas de demarcação, placas de avisos e advertências.

44 Sinalização e Bloqueio de Válvulas e Equipamentos Bloqueio de Válvula Kit de Bloqueio e Travamento de Máquinas e Equipamentos Etiquetas de Advertência/ Manutenção de Máquinas.

45 Estava serrando uma madeira numa serra circular e, na hora em que aconteceu o acidente, não deu tempo de ver nada. A serra puxou a madeira e senti a mão arder como se fosse a picada de um mosquito. Mas quando puxei a mão, três dedos estavam pendurados. O pessoal da obra me levou para o hospital, mas o médico falou que não tinha mais jeito. Tinha que arrancar de vez. Nome: José Rudval dos Santos Profissão : Carpinteiro Acidente: Perdeu três dedos na serra circular FONTE:http://zonaderisco.blogspot.com/2007_12_01_archive.html Profissão perigo: acidente de trabalho ESTUDO DE CASO:

46 ATIVIDADE A partir do caso do Sr. José Rudval descreva o que se pede: 1.Monte a suposta APR que deveria ser elaborada antes do acidente. 2.Quais os procedimentos e/ou medidas que devem ser tomadas pelo TST no momento que o mesmo toma ciência do acidente? O que fazer em relação ao acidentado e à cena do acidente?

47 ATIVIDADE 3.Faça um levantamento do acidente descrevendo as possíveis causas e quais a medidas corretivas que deverão ser tomadas. Você pode utilizar o próprio site do acidente para pesquisar, 4.Após a resolução do referido acidente e dos procedimentos cabíveis, você irá realizar o Diálogo Diário de Segurança(DDS), quais os assuntos você irá abordar? E por qual motivo serão estes? (Para facilitar você pode montar uma pauta)

48 Dúvidas Acesse o Fórum de Dúvidas e Discussões. Acesse o Fórum de Dúvidas e Discussões. 48

49 MENSAGEM "Só fazemos melhor aquilo que repetidamente insistimos em melhorar. A busca da excelência não deve ser um objetivo e sim um hábito. Aristóteles


Carregar ppt "Módulo de Prevenção de Acidentes – AULA 4 Prof.ª Gledsnelly Nascimento FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google