A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

PRINCÍPIOS DE UMA EDUCAÇÃO PARA A PAZ. PRINCÍPIOS DE UMA EDUCAÇÃOP PARA A PAZ Sabemos que a preocupação para a superação da violência e a construção de.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "PRINCÍPIOS DE UMA EDUCAÇÃO PARA A PAZ. PRINCÍPIOS DE UMA EDUCAÇÃOP PARA A PAZ Sabemos que a preocupação para a superação da violência e a construção de."— Transcrição da apresentação:

1 PRINCÍPIOS DE UMA EDUCAÇÃO PARA A PAZ

2 PRINCÍPIOS DE UMA EDUCAÇÃOP PARA A PAZ Sabemos que a preocupação para a superação da violência e a construção de uma cultura de paz, vem se tornando uma preocupação universal. Do Oriente ao Ocidente multiplicam-se iniciativas e tendências para a consecução da paz. (Em 1986 a UNESCO publica em espanhol: Contribuições para uma pedagogia da Paz; Foi criada uma Associação Mundial, a EIP (Escola Instrumento de Paz), com sede em Genebra; Procura-se tornar a Pedagogia da Paz uma disciplina especial no campo das ciências comparadas; No ano 2000 a UNESCO juntamente com o CMI (Conselho Mundial das Igrejas) adotaram uma campanha internacional: Década para superação da violência e pela paz , que está se concluindo neste ano).

3 PRINCÍPIOS DE UMA EDUCAÇÃOP PARA A PAZ O consenso geral é que, sendo uma questão complexa, que envolve causas variadas (psicológicas, sociais, econômicas, culturais), não é suficiente a dimensão curativa (buscar atender às vítimas da violência, das drogas etc.); mas é essencial a dimensão preventiva, privilegiando o caminho da educação. O nosso trabalho de Educação para a Paz situa-se nesta dimensão.

4 PRINCÍPIOS DE UMA EDUCAÇÃOP PARA A PAZ A nossa proposta de Educação para a Paz foi iniciada há oito anos atrás, em Igarassu – PE, através da implementação de um projeto em escolas públicas, com a duração de dois anos ( ), - como será posteriormente comunicado - Porém os princípios que são premissa e estão à base desta experiência, são antigos, podemos dizer seculares. Nas culturas de inspiração cristã (Eu vos deixo a paz, eu vos dou a minha paz Jo.14,27), e também não- cristã, o valor humano da paz é defendido e testemunhado por pensadores, carismáticos, líderes e mártires que se tornaram modelos para a humanidade.

5 PRINCÍPIOS DE UMA EDUCAÇÃOP PARA A PAZ A conhecida Regra de Ouro é um princípio universal, existente em todas as religiões e vivida por pessoas que buscam uma sociedade fraterna: Fazer ao outro o que gostaria que fosse feito a si; não fazer ao outro o que não gostaria que fosse feito a si. Neste princípio, que impulsiona a colocar-se no lugar do outro, está implícito valores como solidariedade, respeito ao ser humano,dignidade da pessoa. Todos nós somos parte de uma única família humana; todos nós estamos ligados uns aos outros por laços profundos e incindíveis.

6 PRINCÍPIOS DE UMA EDUCAÇÃOP PARA A PAZ Suscitados pelo carisma da Unidade de Chiara Lubich estão os princípios que orientam a nossa proposta para a construção de uma cultura de paz e que são conhecidos como a Arte de Amar

7 PRINCÍPIOS DE UMA EDUCAÇÃOP PARA A PAZ 1. AMAR A TODOS Amar a todos, sem excluir ninguém: simpático ou antipático, pobre ou rico, da mesma religião ou não; amar a pátria alheia como a própria. Amar até o inimigo. 2. SER O PRIMEIRO A AMAR Tomar sempre a iniciativa a partir de gestos concretos para com seu semelhante sem esperar nada em troca; 3. TORNAR RECÍPROCO O AMOR Se o sentimento é verdadeiro, o outro será incentivado a retribuir o amor.

8 PRINCÍPIOS DE UMA EDUCAÇÃOP PARA A PAZ 4. FAZER-SE UM COM TODOS Colocar-se no lugar do outro sem julgar suas atitudes buscando compreender seus sentimentos e dificuldades. Chorar com quem chora, alegrar-se com quem se alegra. 5. RECONHECER A DIGNIDADE DA PESSOA Reconhecer que cada ser humano merece respeito, aceitação e é digno de atenção. No preceito cristão Jesus considera feito a si, tudo o que for feito aos nossos semelhantes. 6. AMAR O INIMIGO Amar o inimigo, isto é, retribuir sempre com o bem, qualquer pequeno ou grande mal recebido.

9 PRINCÍPIOS DE UMA EDUCAÇÃOP PARA A PAZ A partir destes princípios pode-se desmascarar a concepção de violência considerada como algo demoníaco, como lhe é popularmente atribuído. A violência é um fato humano e expressão das relações humanas e sociais. Tanto a violência como a paz se aprendem. Na superação da violência, não basta reagir contra, é necessário construir proposições alternativas. A alternativa é: passar da paz como negatividade à paz como positividade. A nossa experiência não se baseia na luta ou combate à violência, mas em viver e fazer viver a paz.

10 PRINCÍPIOS DE UMA EDUCAÇÃOP PARA A PAZ Outro aspecto que estes princípios ajudam a desmascarar e superar, é o conceito de paz que a modernidade neo-liberal mantém, ou seja: Paz é segurança e serenidade pessoal. Assim tudo o que ameaça a tranquilidade deve ser combatido. E como solução para a violência difundida na sociedade aumenta-se o aparelho repressor, apela-se para a redução da idade penal, sugere-se pena de morte etc. Na ótica da espiritualidade de comunhão, educar para a paz é demonstrar no dia-a-dia, que a paz não é uma idéia abstrata, que a paz não é um estado, mas é uma construção, é algo relacionado ao nosso cotidiano, é uma compreensão coletiva, comunitária.

11 PRINCÍPIOS DE UMA EDUCAÇÃOP PARA A PAZ No dizer de Paulo Freire devemos passar da paz como ordem, à paz como processo dialógico; passar da paz como ideal teórico, à paz como ação. Podemos mudar o mundo para melhor, para fazê-lo menos injusto a partir da realidade concreta e não fundados em devaneios... (Pedagogia da indignação UNESP 2000 pg.53-54) Também a socióloga Esther Zavaletta da UNESCO, afirma:Evidentemente a paz deverá ser feita e conquistada dia a dia com ações e virtude cotidianas... a paz começa na interioridade da consciência, na cultura de exemplos ( Educação para a Convivência Ed. Ave Maria S.P pg. 58 e 110)

12 PRINCÍPIOS DE UMA EDUCAÇÃOP PARA A PAZ Nesta primeira experiência, direcionada ao ambiente escolar, foi determinante o contributo da Escola Santa Maria, verdadeiro laboratório de atuação da espiritualidade de comunhão no âmbito educacional. Há 40 anos buscando testemunhar uma cultura de paz esta escola tornou-se um ponto de referência para o desenvolvimento do trabalho. O exemplo da Escola Stª Maria orientou a elaboração e uma proposta curricular que possibilitou tratar a disciplina Educação para a Paz nas escolas públicas, não como uma matéria a mais no currículo, mas como um eixo perpassando todas as disciplinas e abrangendo todas as dimensões relacionais do alunado.

13 PRINCÍPIOS DE UMA EDUCAÇÃOP PARA A PAZ Tratando-se de uma experiência pioneira, foram inúmeras as dificuldades enfrentadas para implementação do projeto de Educação para a paz. No período inicial de sondagem e discussão, com as instâncias educacionais, verificou-se: pessimismo, falta de motivação, sobrecarga, condições inadequadas de trabalho, evasões, indisciplina, galeras etc. Porém os princípios da Arte de Amar, ali vivenciados, possibilitaram a formação de uma consciência para a fraternidade, transformaram as relações interpessoais e favoreceram atitudes responsáveis e pacíficas, como foi ilustrado no relato de experiências que ouviremos depois. DIFICULDADES ENCONTRADAS

14 PRINCÍPIOS DE UMA EDUCAÇÃOP PARA A PAZ Análise contextual com o diagnóstico da situação na qual estavam inseridos os destinatários da educação. Tendo sido diagnosticado: Alto índice de pobreza. Desemprego e fome (situações de exclusão social prostituição infantil, delinqüência, alcoolismo, drogas. Jovens que influenciados pelos desafios das ruas e pela lei das galeras, confundem atitudes pacíficas com covardia e violência com coragem.

15 PRINCÍPIOS DE UMA EDUCAÇÃOP PARA A PAZ Formação do grupo de trabalho para articulação e contatos com os agentes envolvidos na experiência. Sondagem e diálogo com alunos, professores, técnicos e auxiliares, a partir das seguintes questões: 4. Capacitação dos agentes da Escola (Pedagogos, administrativos e serviços gerais) 5. Elaboração da proposta curricular e de subsídios para a disciplina. 1. Que escola queremos construir? 2. O que você sugere para iniciar este projeto na escola? 3. O que significa para você ser um protagonista desse projeto para a paz?

16 PRINCÍPIOS DE UMA EDUCAÇÃOP PARA A PAZ Contribuir para a construção, desenvolvimento e manutenção de uma Cultura da Paz em contextos educacionais subsidiando com reflexões teóricas que podem ter aplicação prática.

17


Carregar ppt "PRINCÍPIOS DE UMA EDUCAÇÃO PARA A PAZ. PRINCÍPIOS DE UMA EDUCAÇÃOP PARA A PAZ Sabemos que a preocupação para a superação da violência e a construção de."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google