A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Dinâmica do Movimento II Fabíola de A. Camargo Gabriel R. S. Zarnauskas FEP 114 – SETEMBRO/2007

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Dinâmica do Movimento II Fabíola de A. Camargo Gabriel R. S. Zarnauskas FEP 114 – SETEMBRO/2007"— Transcrição da apresentação:

1 Dinâmica do Movimento II Fabíola de A. Camargo Gabriel R. S. Zarnauskas FEP 114 – SETEMBRO/2007

2 Objetivos da experiência Estudar a força de resistência de um fluido sobre um corpo em queda Verificar a validade da Lei de Stokes com a correção de Ladenburg

3 Movimento de um corpo em um fluido Duas fontes de resistência: Atrito interno (A.I.): fluido se comporta como constituído por camadas; Deslocamento do fluido (D.F.): força para tirar o fluido da trajetória do corpo.

4 Reynolds O número de Reynolds, Re, quantifica a importância relativa entre A.I. e D.F.: Densidade do óleo Velocidade limite Diâmetro da esfera Viscosidade do óleo

5 Lei de Stokes Válida para número de Reynolds baixo A.I. Dada por:

6 Correção de Ladenburg Quando a hipótese de meio infinito não é válida, utilizamos a correção de Ladenburg: Raio da esfera Raio do tubo

7 Número de Reynolds alto Deslocamento do fluido onde C é o coeficiente aerodinâmico (C ~ 0,44 para a esfera)

8 Queda de esferas em meio viscoso F =F P +F E +F SL

9 Velocidade limite y = a. x

10 Unidades da viscosidade Viscosidade cinemática No SI Na prática No SI Muito utilizado

11 Lançamento sistemático das esferas Homogeneidade do óleo Temperatura constante viscosidade constante Hipóteses do modelo

12 Procedimento experimental Dois métodos de medição A. Lançamento de esferas de um mesmo tamanho todas de uma vez B. Lançamento de esferas em séries em ordem crescente de diâmetro

13 Método A Vantagem desvio padrão é mais bem estimado Desvantagens esferas de diferentes tamanhos são lançadas em um óleo com viscosidades diferentes

14 Método B Vantagem esferas de uma certa série são lançadas em um fluido com viscosidade aproximadamente constante Desvantagens na análise conjunta é obtida uma viscosidade para uma temperatura média e com uma incerteza maior

15 Método mais adequado Método B Variação da viscosidade invalida método A Viscosidade constante cada série Análise?

16 Análise dos dados

17 Viscosidade X temperatura Crédito do material: Zwinglio Guimarães- Filho

18 Diferentes análises Todas as séries juntas Estimativa da viscosidade média Incerteza superestimada devido ao método Séries separadas 5 viscosidades diferentes possivelmente incompatíveis Como estimar a incerteza?

19 Conclusão Hipóteses verificadas Limite de validade da lei de Stokes Condições experimentais Óleo turvo lançamento próximo à parede Viscosidade varia com a temperatura Uma viscosidade por série Estimar corretamente a incerteza


Carregar ppt "Dinâmica do Movimento II Fabíola de A. Camargo Gabriel R. S. Zarnauskas FEP 114 – SETEMBRO/2007"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google