A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

SISTEMA NACIONAL DE PÓS- GRADUAÇÃO E AVALIAÇÃO Nair Yumiko Kobashi UFPE-Abril de 2013 i.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "SISTEMA NACIONAL DE PÓS- GRADUAÇÃO E AVALIAÇÃO Nair Yumiko Kobashi UFPE-Abril de 2013 i."— Transcrição da apresentação:

1 SISTEMA NACIONAL DE PÓS- GRADUAÇÃO E AVALIAÇÃO Nair Yumiko Kobashi UFPE-Abril de 2013 i

2 Sistema Nacional de Pós-Graduação Fonte: GeoCapes – Dados jan 2013 Sistema Federal de Educação: 55,6% Instituições Estaduais: 24,8% Instituições Privadas: 18,8% Instituições Municipais: 0,8% Cursos 5333 Mestrado: 3014 Doutorado: 1820 Mestrado Profissional: 499 Programas stricto sensu 3571 Alunos Matriculados MA: DO: MP: Total:

3 Programas de Pós-Graduação por Área Distribuição heterogênea entre 9 Grandes Áreas do Conhecimento Fonte: GeoCapes – Dados janeiro 2013

4 Distribuição de Programas de Pós-Graduação Sudeste (+de 50% dos PPGs: 46,5% dos Mestrados 55,7% dos Doutorados 51,3% dos MProfissionais

5 PLANO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO EIXOS PRINCIPAIS DO PNPG 1. Expansão do SNPG: Qualidade. Quebra de Endogenia. Redução de Assimetrias. Novas Modalidades de de Interação Social 2. Nova Agenda de Pesquisa associada a PG: Priorização de pesquisa de problemas estratégicos. 3. Aperfeiçoamento da avaliação e sua expansão para outros segmentos do sistema de CT&I: Ajustes nos critérios de excelência, indicadores de inovação e solidariedade 4. Multi, inter e transdisciplinaridade como tema conceitual para a PG: Incentivo ao debate e operacionalização na PG. 5. Apoio à Educação Básica e Ensino Médio. 6. Internacionalização

6 Duplicar, em 10 anos, o n o de pesquisadores qualificados 1,4 p/ 2,8 /1000 hab Alemanha = 15,4/1000 hab EUA = 8,4/1000 hab Estabelecer prioridades para direcionamento futuro do crescimento do SNPG Criar centros de excelência em ensino e pesqu isa de padrão internacional

7 INVE $ TIMENTO $ - CAPES Bolsas no País Bolsas no Exterior Cooperação Nacional e Internacional PAEP – Auxílio A Eventos Nacionais e Internacionais AEX – Auxílio de Participação em Eventos PNPD- Plano Nacional de Pós-Doutorado PIBID – Plano de Iniciação à Docência Educação Básica Novas Fronteiras Portal de Periódicos 7 7

8 PNPG Estímulo à criação de Programas com ciclo completo (Mestrado e Doutorado) Mestrado profissional Internacionalização Envio de estudantes e docentes brasileiros ao exterior Estímulo à participação de docentes em eventos no exterior Atrair docentes e estudantes do exterior

9 INTERNACIONALIZAÇÃO COMO chegar lá? COMO equacionar: -autonomia da pesquisa, -políticas públicas; -emancipação social; -desenvolvimento, etc… -interesses dos espaços internacionais de educação superioE) COMO medir? 9 9

10 Internacionalização Visibilidade dos pesquisadores Criação de conhecimentos socialmente importantess Caminhos de internacionalização - mobilidade de professores e estudantes - projetos conjuntos com instituições do exterior - revistas de circulação internacional -livros de autores brasileiros traduzidos no exterior 10

11 Interdisciplinaridade Diferentes modos de relação e articulação entre saberes Redefinição constante de fronteiras (Pombo) Respeito à dinâmica não-hierárquica e não linear das imbricações entre saberes (Latour) Como avaliar?

12 Desafios para a expansão Superação de assimetrias Estratégias Programas em rede? Dinter/Minter? (solidariedade) Criação de Agendas nacionais de pesquisa Aperfeiçoamento da avaliação: critérios específicos para subáreas (estratégias) Identidade da área (controvérsias) Mestrado profissional = expansão?

13 AVALIAÇÃO DE PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO Escala 1 a 7 Valorização da nucleação e solidariedade Introdução de novos parâmetros para aprimorar processos/corrigir distorções: Comparação com programas internacionais de referência Novos indicadores de produção: seleção de melhores trabalhos Desafios – superar: - conservadorismo de grupos - produtivismo (primazia da quantidade)

14 AVALIAÇÃO - PONTUAÇÃO COMPOSIÇÃO DA NOTA Proposta do Programa – 0% Corpo Docente – 20% Corpo Discente, Teses e Dissertações – 30% Produção Intelectual – 40% Inserção Social – 10% 14

15 PRODUÇÃO DOCENTE & PRODUÇÃO DISCENTE RESPONSABILIDADE & COMPROMISSO Projeto Coletivo Integração Participação Integração Participação QUALIDADE DO PROGRAMA Grupos de Pesquisa Inserção Social Inserção Social Identidade Infraestrutura Apoio da IES Apoio da IES Produção

16 ÁREA CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS II SEMINÁRIO DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS DOCUMENTO & DECISÕES DA ÁREA 1.PROPOSTA DO PROGRAMA 2.CORPO DOCENTE 3.CORPO DISCENTE, TESES E DISSERTAÇÕES 4.PRODUÇÃO INTELECTUAL E PROFISSIONAL 5.INSERÇÃO SOCIAL - QUESTÕES CONCEITUAIS Projeto Coletivo Compromisso com o Programa Interdisciplinaridade Formas Associativas Diferenciais e qualidade Doutorado Mestrado Acadêmico Mestrado Profissional Internacionalização Contribuição à educação nacional OPERACIONALIZAÇÃO Orientação Número Orientandos/ Orientador Qualificação Periódicos Classificação Livros Produção Técnica Produção Artística Pesos Pontuação Índices Médias

17 CLASSIFICAÇÃO DE PERIÓDICOS ESTRATOS A1 < A2 = 25% A1 + A2 + B1 = 50% B2 + B3 + B4 + B5 = 50%

18 A1 06 0,55% A2 15 1,40% B1 55 5,11% B2 74 6,88% B3 85 7,90% B413812,82% B512311,43% C102 9,47% ,21% LISTA CSA1 ( ) 1076 TÍTULOS

19 Estratificação dos Periódicos CSAI 2010 e A1 – 6 – 0,55% 2010 – A1 – 32 – 4,17% 2011 – A1 – 44 – 4,36% A2 – ,40% 2010 – A2 – 38– 4,95% 2011 – A2 – 58 – 4,36% B1 – 55 – 5, – B1 – 88 – 11,46% – B – 11,20% 19

20 PERIÓDICOS CI A1 Informação e sociedade Perspectivas em CI Transinformação A2 – Revista CI B1 – Datagramma; Em questão; Encontros Bibli; Perspectivas em Gestão & Conhecimento; RBBD; Rev. Digital de Biblioteconomia e C.I; Tend. Da Pesq. Bras. em CI B2 - Brazilian Journal of I.C.; Informação & Informação; LIINC 20

21 PLANO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO QUESTÕES CONCEITUAIS = Conhecimento e Tecnologia = desenvolvimento econômico e social ++ Associação propulsora: UNIVERSIDADE + ESTADO + EMPRESAS Qualificação da formação profissional + Ações Induzidas e Parcerias: agências de fomento + SNPG Relação entre a Pós-graduação e Ensino Básico Novas modalidades de interação entre universidade e sociedade Atenuação da distância entre produção de conhecimento e apropriação prática Ampliação da Agenda Nacional de Pesquisa e as redes de pesquisa

22 INSERÇÃO SOCIAL TESE. DISSERTAÇÃO. PRODUTO PRODUÇÃO CIENTÍFICA PESQUISA: LINHAS + PROJETOS PROJETO ACADÊMICO PROPOSTA DO CURSO IDENTIDADE. OBJETIVOS QUALIFICAÇÃO & AVALIAÇÃO AVALIAÇÃ O Curso 7 Curso 6 Curso 5 Curso 4 Curso 3 FUNCIONAMENTO & QUALIFICAÇAO DE PPGs

23 Equação & Desafios PROJETO ACADÊMICO PESQUISA IDENTIDADE DO PPG PRODUÇÃO

24 Equação & Desafios PROJETO ACADÊMICO PESQUISA IDENTIDADE DO PPG PRODUÇÃO

25 Equação & Desafios PROJETO ACADÊMICO PESQUISA IDENTIDADE DO PPG PRODUÇÃO POLÍTICAS PÚBLICAS DESENVOLVIMENTO NACIONAL CULTURA NACIONAL EDUCAÇÃO AMPLIADA EMANCIPAÇÃO SOCIAL INTERNACIONALIZAÇÃO MUDANÇAS

26 Equação & Desafios PROJETO ACADÊMICO PESQUISA IDENTIDADE DO PPG PRODUÇÃO Qualidade Responsabilidade Compromisso INSTITUIÇÃO PROGRAMA DOCENTES PESQUISADOR ES DISCENTES

27 Muito obrigada!


Carregar ppt "SISTEMA NACIONAL DE PÓS- GRADUAÇÃO E AVALIAÇÃO Nair Yumiko Kobashi UFPE-Abril de 2013 i."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google