A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

A herança poligênica 1910 – 1913 – H. Nilsson – Ethe (Suécia) e E.M. East (EUA) Disciplina: Genética Geral – BEG 5438 Prof: Giorgini A. Venturieri – Eng.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "A herança poligênica 1910 – 1913 – H. Nilsson – Ethe (Suécia) e E.M. East (EUA) Disciplina: Genética Geral – BEG 5438 Prof: Giorgini A. Venturieri – Eng."— Transcrição da apresentação:

1 A herança poligênica 1910 – 1913 – H. Nilsson – Ethe (Suécia) e E.M. East (EUA) Disciplina: Genética Geral – BEG 5438 Prof: Giorgini A. Venturieri – Eng. Agro. PhD

2 A herança poligênica (= H. quantitativa = H. dos genes múltiplos) É comandada por genes que individualmente exercem leve efeito em um mesmo traço fenotípico. É um conceito com base mendeliana que é estudado por métodos estatísticos Ex. tamanho,produtividade % dos experimentos de genética agrícola envolvem heranças quantitativas. Obs. O peso dos animais = f (sistema digestivo, nervosos, adaptação térmica, estratégias de forrageio etc.)

3 ParentaisVariedade anãs x variedade alta F1Todas altas F21/4 anãs 3/4 altas Por que quando se cruza um planta de milho alta com uma baixa tem-se plantas filhas com tamanho intermediário ao dos pais e no experimento de Mendel a ervilha alta cruzada com a baixa gerou todas altas? ParentaisVariedade anãs x variedade alta F1Todas médias F2Anãs intermediárias altas 1760 – Joseph Kölreuter experimento com tabaco 1866 – Gregor Mendel experimento com ervilha

4

5 A hipótese dos genes múltiplos 1910 – 1913 – H. Nilsson – Ethe (Suécia) e E.M. East (EUA) PVermelhaBranca AAaa F1F1 Cor intermediária AaAaautopolinizada gametas Aa F2F2 AAAAaAa aAaAaaa Resumo dos resultados da F2 Alelos ativo 210 GenótiposAA (1)Aa (2)aa (1) Proporção fenotípica 121 FenótipoVermelhaRosaBranca a) Controle em um locus (n=1) Caso hipotético para a coloração de flores (dominância incompleta)

6 P1 VermelhaBranca AABBaabb F1 Cor intermediária AaBbAaBbautopolinizada gametas ABAbAbaBaBab ABAABBAABbAaBBAaBbAaBb F2 AbAbAABbAAbbAaBbAaBbAabb aBaBAaBBAaBbAaBbaaBBaaBb abAaBbAaBbAabbaaBbaabb Alelos ativos Genótipos AABB (1) AABb (2) AaBB (2) AaBb (2) AAbb (2) aaBB (2) Aabb (2) aaBb (2) aabb (1) Proporção fenotípica FenótipoVermelha Vermelha claro Intermediária rosa clara Branca b) Controle em dois locus (n=2)

7 P1 VermelhaBranca AABBCCbbaacc F1 Cor intermediária AaBbCcAaBbCcautopolinizada c) Controle em três locus (n=3)

8 gametasABCABcAbCAbCaBCAbcaBcaBcabCabc ABC ABCABCABcABCAbCABCaBCABCAbcABCaBcABCabCABCabcABC ABc ABCABcABcABcAbCABcaBCABcAbcABcaBcABcabCABcabcABc AbCAbC ABCAbCABcAbCAbCAbCaBCAbCAbcAbCaBcAbCaBcAbCabCAbCabcAbC F2 aBC ABCaBCABcaBCAbCaBCaBCaBCAbcaBCaBcaBCabCaBCabcaBC Abc ABCAbcABcAbcAbCAbcaBCAbcAbcAbcaBcAbcabCAbcabcAbc aBcaBc ABCaBcABcAbcAbCaBcAbCaBcaBCaBcAbcaBcaBcaBcabCaBcabcaBc abC ABCabCABcabCAbCabCaBCabCAbcabCaBcabCabCabCabcabC abc ABCabcABcabcAbCabcaBCabcAbcabcaBcabcabCabcabcabc

9 Alelos ativos Genótipos AABBCC(1) aBCABC(2) ABcABC(2) AbCABC(2) ABcABc(1) AbCAbC(1) aBCaBC(1 AbcABC(2) aBcABC(2) abCABC(2) AbCABc(2) aBCABc(2) aBCAbC(2) AbcABc(2) aBcABc(2) abCABc(2) AbcAbC(2) aBcAbC(2) abCAbC(2) AbcaBC(2) aBcaBC(2) abCaBC(2) AbcAbc(1) aBcaBc(1) abCabC(1) abcABc(2) abcAbC(2) abcaBC(2) aBcAbc(2) abCAbc(2) abCaBc(2) abcAbc(2) abcaBc(2) abcabC(2)abcabc(1) Proporção fenotípica FenótipoVermelhaBranca

10

11 1 locus2 Locus3 locusn locus Número de gametas produzidos em uma F 1 multihíbrida 2 (A,a) 4 (AB, Ab, aB, ab) 8 (ABC, ABc, AbC, Abc, aBC, aBc, abC, abc) 2n2n Número de genótipos diferentes na F 2 3 (AA, Aa, aa) 9 (AABB, AABb, AAbb, AaBB, AaBb, Aabb, aaBB, aaBb, aabb) 27 (AABBCC, AABBCc, AABBcc, AABbCC, AABbCc, AABbcc, AAbbCC, AAbbCc, Aabbcc, AaBBCC, AaBBCc, AaBBcc, AaBbCC AaBbCc, AaBbcc, AabbCC, AabbCc, Aabbcc, aaBBCC, aaBBCc, aaBBcc, aaBbCC, aaBbCc, aaBbcc, aabbCC, aabbCc, aabbcc) 3n3n Número de fenótipos diferentes na F n + 1 Proporção de genótipos de um ou outro parental extremo na F 2 1/4 (AA ou aa) 1/16 (AABB ou aabb) 1/64 (AABBCC ou aabbcc) 1/4 n Distribuição de padrões fenotípicos na F 2 (sendo "A" o alelo efetivo e "a" ao alelo não efetivo) 1 : 2 : 11: 4 : 6 : 4: 11 : 6 : 15 : 20 : 15 : 6 : 1(A + a) 2n Generalidades a partir de um Modelo Aditivo de Herança Poligênica

12 Localização dos poligenes 1916 – O experimento de James Crow (resistência de Drosófila ao DDT)

13 Variação transgressiva O experimento de Reginald Punnett com galinhas P0 Hamburghs (grandes) Sebright (pequenas) AABBCCddaabbccDD F1F1 Peso intermediário AaBbCcDdAaBbCcDd F2F2 AABBCCDD Média maior que a do parental grande aabbccdd Média menor que a do parental pequeno

14 Resumindo Muitas características genéticas não se enquadram em categorias discretas e são chamadas de características contínuas ou quantitativas. O controle genético das características discretas é comandado por poucos genes, enquanto que nas características contínuas são muitos genes envolvidos. Se o número de genes envolvidos for pequeno e puderem ser distinguidas as classes fenotípicas, através de modelos pode-se determinar o número de genes envolvidos naquele caráter e outras propriedades do seu controle gênico.


Carregar ppt "A herança poligênica 1910 – 1913 – H. Nilsson – Ethe (Suécia) e E.M. East (EUA) Disciplina: Genética Geral – BEG 5438 Prof: Giorgini A. Venturieri – Eng."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google