A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação - MCTI Workshop Nanotecnologias Glauco Arbix Finep ABC, 3 de outubro de 2011.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação - MCTI Workshop Nanotecnologias Glauco Arbix Finep ABC, 3 de outubro de 2011."— Transcrição da apresentação:

1 Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação - MCTI Workshop Nanotecnologias Glauco Arbix Finep ABC, 3 de outubro de 2011

2 Por que Inovar?

3 Fonte: MDIC, Brasil, Consulta em 10/02/2011 (ton/us$ fob. circuitos importados. minério de ferro e grãos de soja exportados, 2010) Para importar uma tonelada de circuitos integrados (US$ ,43) Brasil precisa exportar toneladas de minério de ferro (US$39,58/ton) ou toneladas de soja (US$ 487,36/ton) Relevância da Inovação 3

4 Produtor de minério de Ferro Produtor e exportador de Carne e Frango, Etanol e Soja Produtor de minério de Ferro Produtor e exportador de Carne e Frango, Etanol e Soja 1 1 Produtor de Etanol Maior mercado para Cosméticos Maior mercado de Telefonia Celular Maior fabricante de Aviões Comerciais Maior mercado de Telefonia Celular Maior fabricante de Aviões Comerciais Maior população, mercado para Livros e Música Maior número de usuários Internet Maior população, mercado para Livros e Música Maior número de usuários Internet Produtor de Veículos Maior Mercado Consumidor Fonte: ABDI, 2010 Brasil: Perfil Econômico

5 11,4 mil doutores titulados em ,8 mil mestres titulados em 2009 Mestres e Doutores titulados anualmente

6 Produção Científica Artigos brasileiros publicados em periódicos científicos indexados (ISI) e participação do Brasil na América Latina e no Mundo ( ) 6

7 Fonte: Capes/MEC Crescimento médio anual de 10,5% em 28 anos 3 x a média mundial 2,69% da produção mundial em 2009 Valor relativo O número de publicações aumentou 205% entre 2000 e 2009 (de artigos em 2000 à artigos em 2009) Crescimento da produção científica

8 3ª empresa aeronáutica do mundo TOTVS 7ª maior empresa de software JBS-FRIBOI 1ª empresa em produção de proteínas animais GERDAU 8ª empresa do mundo em produção de aço PETROBRAS 2ª empresa de petróleo do mundo VALE 2ª empresa de mineração do mundo MARCOPOLO 7.0% do mercado mundial de peças para ônibus EMBRAER Empresas Brasileiras Globais 8

9 Regimes de Ciência e Tecnologia Regime 1: infraestrutura científica pequena e incapaz de alimentar a produção de tecnologia. Regime 2: produção científica determina parcela da produção tecnológica, mas não ao ponto de viabilizar um efeito retro-alimentador sobre a produção científica. Regime 3: conexões e interações estão estabelecidas e o determinante do crescimento econômico é a capacitação científica e tecnológica. Brasil está no regime 2. Busca estágio superior de interação entre a dimensão científica e a tecnológica para generalizar inovação como estratégia.

10 Domínios Tecnológicos Três Regimes de Ciência e Tecnologia (120 países) Áreas Científicas Brasil Coréia Argentina Israel Suécia Estados Unidos China Índia

11 Fonte: Elaborado com base em Investimento Público e Empresarial em P&D (% PIB) Nos países avançados, mais de 70% dos dispêndios em inovação são realizados pelas empresas. Investimento EstatalInvestimento Empresarial 2010: 1,26%

12 Distribuição dos pesquisadores com equivalência de tempo integral Fontes: OECD, Main Science and Technology Indicators, 2009/2 e Brasil: MCT Setor EmpresarialGovernoEnsino Superior

13 Cientistas e Engenheiros em P&D na indústria Fonte: UNESCO 2009, Plano Nacional de Pós-graduação PNPG Brasil

14 Distribuição do Número de Patentes USPTO por Países Selecionados Fonte: Relatório da UNESCO sobre Ciência

15 15 Resultado das Políticas Recentes Em R$ milhões Dispêndio Público em P&D: Variação Total = 172,3% / CAGR = 13,3%; Taxa de Inovação PINTEC: Variação Total = 22,5% / CAGR = 2,6%. Fontes: Indicadores Nacionais de C&T 2008 (MCT) PINTECs 2000, 2003, 2005 e 2008 (IBGE) (nº emp. inov./total emp.)

16 Pontos de Apoio 1.O Brasil é diferente da média dos países em desenvolvimento 2.Há capacidade de geração própria de tecnologia suficiente para sustentar a competitividade brasileira no cenário internacional

17 Foco: Consolidação da base científica e ampliação das intersecções entre produção de conhecimento novo e as empresas. Fortalecimento da inovação empresarial. Inovação: Agenda Prioritária das Políticas Públicas

18 Finep: Apoio Financeiro INVESTIMENTO (Venture & Seed K) Instituições de P&D e Universidades FundosEmpresas EMPRÉSTIMOSSUBVENÇÃO ECONÔMICA AUXÍLIOS (4 chamadas específicas, outras chamadas e encomendas) R$ 143 mi : R$ 104 mi - crédito R$ 40 mi - subvenção Nanox investida pelo Fundo Novarum (2006) Participa do 19º Venture Forum (2011)

19 Crescimento Expansão e Consolidação Pré incubação Incubação Empresas Nascentes Instrumentos FINEP Crédito Subvenção ecnômica Capital de Risco PRIME TECNOLÓGICO E SUBVENÇÃO NACIONAL INOVAR FUNDOS Empresas Infraestrutura, Projetos Cooperativos, Pesquisas, Estudos Integração Empresas–Institutos de C&T Pesquisa

20 Inova Brasil (Crédito) Participação da FINEP: até 90% do valor do projeto Valor Mínimo: R$ 1 milhão - Valor Máximo: R$ 200 milhões Garantias: Fiança Bancária Hipoteca, Penhor, Alienação Fiduciária Outras Garantias Taxa de Juros Fixa: 4 % a 8% ao ano Período de Carência: até 3 anos Amortização: até 96 meses

21 ENERGIA DEFESA TICs FÁRMACOS E EQUIPAMENTOS TECNOLOGIAS VERDES AEROESPACIAL TECNOLOGIA INFRAESTRUTURA Áreas Intensivas em conhecimento

22 22 Coatings cerâmicos para superfícies plásticas Processo de fabricação industrial de cerâmicas para proteção de dutos do setor petroquímico Empresa Atuação Soluções em nanotecnologia para o setor industrial Recebeu o Prêmio FINEP 2007 (pequena empresa) Empresa investida do Fundo Novarum de Venture Capital com investimentos FINEP Inovação Valor Suporte R$ 2,8 milhões (subvenção) Caso de Sucesso - Nanox Caso de Sucesso - Nanox Nanotecnologia na produção de materiais com propriedades especiais, funções inovadoras e aplicação em diversos setores Resultado

23 Países emergentes como o Brasil, com produção intensiva em trabalho e em recursos naturais, com pauta exportadora dependente de commodities, os processos permanentes de inovação são a garantia de futuro. Para sustentar o crescimento as empresas precisam diversificar sua produção e serviços, o que só ocorre quando há ampliação de suas competências. O principal desafio da economia brasileira

24 Obrigado! Glauco Arbix


Carregar ppt "Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação - MCTI Workshop Nanotecnologias Glauco Arbix Finep ABC, 3 de outubro de 2011."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google