A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

1. 2 Brasilia, 15 de julho de 2008 Ciência, Tecnologia, Inovação e Defesa Nacional FINEP Luis Fernandes Presidente.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "1. 2 Brasilia, 15 de julho de 2008 Ciência, Tecnologia, Inovação e Defesa Nacional FINEP Luis Fernandes Presidente."— Transcrição da apresentação:

1 1

2 2 Brasilia, 15 de julho de 2008 Ciência, Tecnologia, Inovação e Defesa Nacional FINEP Luis Fernandes Presidente

3 3 Contexto de profunda reestruturação mundial Impulsionada por processos de acelerada inovação tecnológica nas áreas de microeletrônica e eletrônica digital; eletrônica de concepção, produção e consumo; informática; telecomunicações; robótica; nanotecnologia; biotecnologia; entre outras.

4 4 Entramos na chamada Era do Conhecimento Novo paradigma técnico-econômico mundial, voltado para o aperfeiçoamento qualitativo de produtos; para a maior informatização e automação de processos de produção; para a economia de energia na produção e substituição de matérias-primas convencionais, por outras mais leves, elaboradas, caras e com maior base científica, promovendo uma acentuada substituição de formas de trabalho não-qualificado pelo trabalho cada vez mais qualificado.

5 5 Sistema de comunicação Década de lançamento comercial Ano em que atingiu 50 milhões de unidades usuárias População Mundial Telefone Rádio Televisão Internet (70 anos) 1968 (38 anos) 1964 (14 anos) 1995 (5 anos) 3,8 Bi 3,7 Bi 3,2 Bi 5,8 Bi Disseminação mundial das tecnologias (de comunicações)

6 6 Distribuição do trabalho por atividades

7 7 O atual paradigma baseia-se na velocidade das informações e no domínio do conhecimento. A dinâmica atual é ditada pela geração contínua de inovações tecnológicas baseadas, principalmente, em conhecimentos científicos. Papel central da transformação de conhecimentos científicos, empíricos ou intuitivos em bens e serviços para geração de riqueza e agregação de valor. Ampliação do emprego dual das novas tecnologias. Dinâmica do atual paradigma

8 8 População Mundial e PIB per-capita (2001) Considerações sobre Conhecimento e Poder

9 9 Cientistas e Engenheiros em P&D (milhão de habitantes)

10 10 Considerações sobre Conhecimento e Poder Patentes (por milhão de habitantes, 1999)

11 11 Plano de Ação Ciência, Tecnologia e Inovação para o Desenvolvimento Nacional Política de Estado Configuração da Política Plano de Desenvolvimento da Educação PDE Política de Desenvolvimento Produtivo PDP Plano de Desenvolvimento da Saúde Política de Defesa Nacional Plano de Ação em Ciência, Tecnologia e Inovação para o Desenvolvimento Nacional Plano de Aceleração do Crescimento Infra-estrutura PAC Política Econômica - - Foco dos investimentos Modernização P,D&I Ampliação da Capacidade - Políticas em dois níveis com atenção à dimensão regional Estrutural Sistêmico

12 12

13 13

14 14 FINEP - Evolução dos Recursos para Financiamento Por Modalidade

15 15 BASES DO PLANO DE AÇÃO EM CT&I

16 16 Eixos Estratégicos da Política Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação Expansão, Integração e Consolidação do Sistema Nacional de C,T&I Política de Desenvolvimento Produtivo (Política Industrial – Fase 2) Objetivos Estratégicos Nacionais C&T para a Inclusão e o Desenvolvimento Social

17 17 Desafios nacionais Política de Desenvolvimento Produtivo (PDP): esforços de fortalecimento da indústria nacional e priorização de setores, tais como, bens de capital, fármacos e medicamentos, semicondutores, software, biotecnologia, nanotecnologia e biocombustíveis. Programa de Aceleração do Crescimento (PAC): áreas de infra-estrutura, construção civil e naval, transportes, energia, saneamento, etc. Programa Nuclear. Programa Espacial. Defesa Nacional.

18 C,T&I para a Defesa Nacional Objetivo Promover a pesquisa e o desenvolvimento de tecnologias de interesse da Segurança Nacional, incentivando a sinergia de atores públicos e privados, principalmente, nas áreas de sistemas inerciais e outros sistemas de navegação, de materiais estratégicos, de sistemas avançados de geração de energia e de propulsão, de sistemas de informações de interesse da Defesa, de integração de sistemas de Defesa, de sistemas de defesa química, biológica e nuclear, de sistemas autônomos de defesa e de sistemas de detecção.

19 19 Descrição do Programa É fundamental o domínio de tecnologias que atendam às necessidades da Defesa Nacional, bem como o fortalecimento da indústria nacional. A ampliação do conteúdo tecnológico dos produtos e serviços de Defesa será obtida por intermédio da execução de programas mobilizadores e de projetos inovadores. A fim de viabilizar soluções científico-tecnológicas e inovações para o atendimento das necessidades do País atinentes à Defesa Nacional e ao desenvolvimento nacional, o programa C,T&I para a Defesa Nacional será desenvolvido em parceria com o Ministério da Defesa e com outros atores em áreas e tecnologias de interesse da defesa.

20 20 A Missão da FINEP (Secretaria-Executiva do FNDCT) Promover e financiar a inovação e a pesquisa científica e tecnológica em empresas, universidades, centros de pesquisa, institutos tecnológicos e demais entidades, mobilizando recursos financeiros e integrando instrumentos, visando o desenvolvimento econômico e social do País.

21 21 FNDCT: Execução Financeira Previsão 2007 R$ 1 milhão constantes, IPCA – média anual / dez. 2005

22 22 Tradicionalmente a FINEP tem atuação Agência de fomento de CT&I (FNDCT) Financiamento não-reembolsável Instituições Cientificas e Tecnológicas (ICTs) Subvenção econômica a empresas Banco de fomento à inovação nas empresas Crédito reembolsável Capital de risco

23 23 Temas para o Edital de Subvenção Econômica 2007 Sistemas de navegação, controle, guiamento, aerodinâmica e propulsão de artefatos aeroespaciais. Desenvolvimento de sistemas de navegação e controle para satélites. Desenvolvimento de veículos e sistemas aéreos autônomos. Desenvolvimento de robôs para detecção,manuseio e desativação de artefatos suspeitos e cargas perigosas. Desenvolvimento de software para segurança e integração de redes multimodais. Desenvolvimento de tecnologias de monitoramento e interceptação de telecomunicações, imagens e sinais.


Carregar ppt "1. 2 Brasilia, 15 de julho de 2008 Ciência, Tecnologia, Inovação e Defesa Nacional FINEP Luis Fernandes Presidente."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google