A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Clebio Garcia Superintendência Comercial e Marketing O Desenvolvimento de um Departamento de Relações Internacionais: Desafios e oportunidades.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Clebio Garcia Superintendência Comercial e Marketing O Desenvolvimento de um Departamento de Relações Internacionais: Desafios e oportunidades."— Transcrição da apresentação:

1 Clebio Garcia Superintendência Comercial e Marketing O Desenvolvimento de um Departamento de Relações Internacionais: Desafios e oportunidades

2 Turismo da Saúde (viagens médicas) Na Grécia antiga peregrinos e doentes se deslocavam de todos os pontos do Mediterrâneo para Epidauro, o santuário de Esculápio; Na Roma antiga pacientes buscavam banhos de águas sulfurosas; No século XVIII pacientes viajavam da Alemanha até o rio Nilo em busca de banhos terapêuticos, os spas; Princesa Sissi com tuberculose mudou-se da Áustria para a Ilha de Corfú no Sul na Grécia; No século XXI com a redução dos custos de viagens internacionais, o turismo de saúde tornou-se um importante negócio para doentes e pessoas sadias também. Uma história que começou na Grécia antiga

3 Turismo da Saúde (viagens médicas) Custos dos tratamentos - Transplante de Fígado: Estados Unidos: US$ 300,000 Taiwan ou Brasil: US$ 95,000 Demora para realização de procedimentos em países com sistemas socializados – Canadá (26 semanas para realizar uma prótese de quadril ou 16 semanas para uma cirurgia de catarata), Reino Unido (filas no sistema público e altos custos no sistema privado); Ausência de estrutura para procedimentos de alta complexidade em alguns países mas com extratos econômicos emergentes (Angola); Cirurgias estéticas e outras que também podem ser associadas a lazer (regiões tropicais, safaris na África do Sul e outros); Medicina Reprodutiva – países com maior flexibilidade legal / implante de embriões. Principais motivações

4 Turismo da Saúde (viagens médicas) norte-americanos buscaram tratamentos externos em 2007, 1,5 milhões em 2008 e estima-se um aumento 10 vezes maior nesta década (Delloite Consulting); David Hancock The Complete Medical Tourist o mercado de Turismo Saúde deve superar US$ 40 bilhões a partir de 2010; A Índia hoje é o maior prestador de serviços médicos internacionais. Em Nova Delhi, existem centros médicos de qualidade onde 20% dos leitos são ocupados por norte-americanos. Mercado Internacional

5 Superintendência Comercial Fonte: Turismo da Saúde (viagens médicas) Principais destinos tradicionais

6 Turismo de saúde no Brasil Cirurgia Plástica Cirurgia Bariátrica Odontologia Medicina Reprodutiva Ortopedia Cardiologia Oftalmologia Oncologia Principais especialidades e procedimentos demandados pelos pacientes internacionais

7 Turismo de saúde no Brasil Ausência de terrorismo, terremotos e furacões; Belezas naturais, boa rede hoteleira e clima agradável; Medicina com tecnologia de ponta nos grandes centros e destaque de qualidade internacional em diversos procedimentos; Preços competitivos a nível internacional; Vários hospitais privados com acreditações internacionais (JCI) em diversos estados; Malha aérea deficiente; Dificuldades de visto de entrada – reciprocidade; Problemas de violência em algumas capitais; Poucos centros com estrutura de apoio preparada; Pontos positivos e dificuldades

8 Superintendência Comercial Turismo de saúde no Brasil 19 milhões de habitantes (região metropolitana) Maior centro econômico do continente: 15% do PIB e 10% da população do Brasil Cerca de 700 mil m² em grandes espaços para realização de eventos 1 evento a cada 6 minutos entre congressos, feiras, shows internacionais, num total de 90 mil por ano De 1740 eventos em 2010, 465 (26,7%) relativos a temas da Saúde (São Paulo Convention & Visitors Bureau) Maior parque hoteleiro do país: 410 hotéis e 42 mil apartamentos disponíveis 63% das empresas dos grupos internacionais que estão no Brasil tem sede na cidade Bolsa de Mercadoria e Futuros - BM&F (São Paulo), a sexta maior do mundo em volume de negócios São Paulo em números

9 Cidade de São Paulo – um dos pólos da saúde 33% dos hospitais de todo o Brasil (14 em 43) ligados à ANAHP (Associação Nacional dos Hospitais Privados) estão em São Paulo; 53% dos hospitais brasileiros (9 em 17) acreditados pela Joint Comission International (JCI) no Brasil estão em São Paulo; 67% dos laboratórios de diagnóstico acreditados pelo College of American Pathologists (CAP) estão em São Paulo (8 em 12); 900 mil pessoas ao ano (50 mil estrangeiros) são atraídos por eventos de saúde ou tratamentos em São Paulo; Pessoas em busca de tratamento permanecem em média 3,3 dias na cidade – necessidade de resolutividade dos serviços; Em 2010, 0,6% dos turistas estrangeiros no Brasil vieram por finalidades médicas e grande parte passaram por São Paulo. Turismo de saúde no Brasil

10 Hospitais da ANAHP e laboratórios acreditados e com estrutura de atendimento internacional em São Paulo

11 Alguns hospitais paulistanos com estrutura de atendimento ao paciente internacional Turismo de saúde no Brasil

12 Alta tecnologia em saúde – a marca de São Paulo Dr. André Alexandre Osmo Turismo de saúde no Brasil

13 Hospitais Paulistanos investem no seu crescimento e na qualidade Nova torre Hospital Sírio-Libanês Abertura prevista Turismo de saúde no Brasil

14 Turismo de saúde em São Paulo 1,5 milhão de estrangeiros por ano 1,5 milhão de estrangeiros por ano Tratamento médico – 4ª principal motivação das visitas Tratamento médico – 4ª principal motivação das visitas

15 Superintendência Comercial Expatriados que residem temporariamente no país; Estrangeiros que viajam a lazer, estudos ou negócios; Pacientes que viajam a outros países em busca de procedimentos e/ou tratamentos médicos de qualidade, sejam pacientes críticos ou eletivos. Turismo de saúde no Brasil Quem são os pacientes internacionais?

16 Superintendência Comercial Insegurança em relação aos serviços de saúde oferecidos num universo desconhecido; Barreira de comunicação em relação ao idioma; Necessidade de pessoas de referência para apoio; Dificuldade em compreender informações da apólice do seguro e de como utilizar seu plano internacional; Desembolso de valores para pagamento de despesas hospitalares e honorários médicos ou cobrança direta do plano de saúde; Pouco tempo e dificuldade para providenciar documentos para processos de reembolso. Turismo de saúde no Brasil Porque os hospitais devem se preparar? Dificuldades do paciente

17 Superintendência Comercial Desenvolver relacionamento comercial junto aos financiadores internacionais Turismo de saúde no Brasil Como os hospitais devem se preparar? Convênios internacionais Brokers

18 Superintendência Comercial Turismo de saúde no Brasil Como os hospitais devem se preparar? Call center bilíngue Case managers Enfermagem bilíngue Analistas comerciais familiarizados com planos internacionais

19 Superintendência Comercial Experiência do Hospital Sírio Libanês

20 Origem dos pacientes internacionais América do Sul 38% Europa30% África 24% EUA8%

21 Atendimento a pacientes estrangeiros % 461% Principais demandas: Oncologia 50% Internações para elucidação diagnóstica e tratamentos 30% Exames especializados 20%

22 Previsão de turistas estrangeiros mil turistas estrangeiros em 2014 (Copa do Mundo); 11,1 milhões de turistas até 2020, com o impulso da Copa e da Olimpíada; Entrada de US$ 17,6 bilhões em divisas até 2020; Consolidar o Brasil como líder do turismo sul-americano com 27% no conjunto do continente. Metas da Embratur com a Copa (2014) e a Olimpíada (2016)

23 Obrigado. 08/novembro/2011 Clebio Garcia


Carregar ppt "Clebio Garcia Superintendência Comercial e Marketing O Desenvolvimento de um Departamento de Relações Internacionais: Desafios e oportunidades."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google