A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

O que significa doutrina? Programa Fundamental – Tomo I Módulo I – Roteiro 2 – Introdução.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "O que significa doutrina? Programa Fundamental – Tomo I Módulo I – Roteiro 2 – Introdução."— Transcrição da apresentação:

1 O que significa doutrina? Programa Fundamental – Tomo I Módulo I – Roteiro 2 – Introdução

2 Doutrina Programa Fundamental – Tomo I Módulo I – Roteiro 2 – Introdução Koogan/Houaiss. Enciclopédia e Dicionário Ilustrado. Conjunto de princípios de uma escola literária ou filosófica, de um sistema político, econômico etc., ou de dogmas de uma religiãoConjunto de princípios de uma escola literária ou filosófica, de um sistema político, econômico etc., ou de dogmas de uma religião

3 O que é espiritualismo? Programa Fundamental – Tomo I Módulo I – Roteiro 2 – Introdução

4 Programa Fundamental – Tomo I Módulo I – Roteiro 2 – Introdução O Espiritualismo é uma doutrina filosófica que afirma a existência de uma alma imortal no homem, isto é, de um princípio substancial distinto da matéria e do corpo, razão absoluta de ser da vida e do pensamento.

5 É o conjunto de princípios e leis, revelados pelos Espíritos Superiores, contidos nas obras de Allan Kardec que constituem a Codificação Espírita: O Livro dos Espíritos, O Livro dos Médiuns, O Evangelho segundo o Espiritismo, O Céu e o Inferno e A Gênese. Programa Fundamental – Tomo I Módulo I – Roteiro 2 – Introdução Doutrina Espírita

6 FilosofiaFilosofia ReligiãoReligião TRÍPLICE ASPECTO DA DOUTRINA ESPÍRITA CiênciaCiência

7 (estuda) CiênciaCiência (esclarece) FilosofiaFilosofia (sublima) ReligiãoReligião CONHECIMENTO MORAL MORAL

8 O Professor Rivail O professor Rivail fez em Lion os seus primeiros estudos e completou em seguida a sua bagagem escolar, na Escola de Pestalozzi em Yverdun – Suíça.Escola de Pestalozzi Pestalozzi foi um dos pioneiros da pedagogia moderna, influenciando profundamente todas as correntes educacionais. Rivail era um aluno dedicado e se tornou um dos mais eminentes discípulos do mestre. Aos quatorze anos de idade já ensinava aos seus colegas menos adiantados. Muitíssimas vezes, quando Pestalozzi era chamado pelos governos, para fundar institutos semelhantes ao de Yverdun, confiava a Denizard Rivail o encargo de substituí-lo na direção da sua escola.

9 As obras didáticas. Foi autor de numerosas obras de educação, entre as quais podemos citar: Curso Prático e Teórico de Aritmética; Curso Completo Teórico e Prático de Aritmética; Escola de Primeiro Grau; Plano Proposto para a Melhoria da Educação Pública;); (obra mereceu destaque e prêmio nacional.). Os Três Primeiros Livros de Telêmaco; Gramática Francesa Clássica; Memória sobre a Instrução Pública; Qual o Sistema de Estudos mais em Harmonia com as Necessidades da Época?; Discurso Pronunciado por Ocasião da Distribuição dos Prêmios de 14 de agosto de 1834; Programa dos Estudos segundo o Plano de Instrução de H.L.D. Rivail; Manual dos Exames para os Certificados de Capacidade;

10 KARDEC E A MISSÃO Os primeiros contatos com os fenômenos mediúnicos das mesas girantes (1854); Os primeiros estudos sérios de Espiritismo (1855); Notícias e desempenho da missão ( ); O nome Allan Kardec (1857); A atuação de Kardec na codificação da Doutrina Espírita (divulgação); A desencarnação (31 de março de 1869)

11 KARDEC E AS OBRAS ESPÍRITAS O Livro dos Espíritos (18 de abril de 1857); A Revista Espírita (1 de janeiro de 1858); O que é o Espiritismo (julho de 1859); O Livro dos Médiuns (15 de janeiro de 1861); O Evangelho segundo o Espiritismo (abril de 1864); O Céu e o Inferno (agosto de 1865); A Gênese (16 de janeiro de 1868) Obras Póstumas (1890).

12 Em 1848, a aldeia de Hydesville, localizada no condado de Wayne, Estado de New York, distante 30 km da cidade de Rochester, era um pequeno aglomerado de casas de madeiras com uma típica população de agricultores. O EPISÓDIO DE HYDESVILLE - As irmãs Fox

13 Nesta aldeia, morava a família Fox, uma família de fazendeiros composta pelo Pai (John Fox), a Mãe (Magaret Fox), e de suas filhas: Margaret Fox, de 14 anos e Kate Fox, de 11 anos. Eles tinham outros filhos que não moravam com eles e eram da religião metodista. O EPISÓDIO DE HYDESVILLE - As irmãs Fox Kate Margaret JohnMargaret História do Espiritismo. Arthur Conan Doyle

14 Na tosca cabana onde morava a família Fox, havia ocorrido o assassinato de um mascate e o espírito do vendedor produzia sons, barulhos, ruídos, tentando se comunicar com seus moradores. O VELHO BARRACÃO DA FAMÍLIA FOX Fontes: e História do Espiritismo de Arthur Conan Doyle

15 Em 31 março de 1848, a menina Kate desafiou a "força invisível" a repetir, com os golpes, as palmas que ela batia com as mãos. O EPISÓDIO DE HYDESVILLE - As irmãs Fox Foi o início da telegrafia espiritual A resposta foi imediata, e a cada estalo, um golpe era ouvido logo a seguir!

16 O EPISÓDIO DE HYDESVILLE - As irmãs Fox Logo, perceberam que aquela força invisível podia ver e ouvir, pois até quando se dobrava o dedo, a força respondia. Os vizinhos foram chamados e logo apareceram outras pessoas que também perguntavam e eram sempre respondidas de forma inteligente.

17 E, assim, estabeleceram um canal de comunicação com o espírito. O EPISÓDIO DE HYDESVILLE - As irmãs Fox Ficaram sabendo, dentre outras informações, que ele havia sido assassinado pelo antigo inquilino e que fora enterrado na adega a 10 pés de profundidade. Os espírito se identificou como Charles B. Rosma. Logo, criaram um código: uma batida seria a letra A, duas batidas seria a letra B e assim por diante...

18 Inicialmente, encontraram apenas vestígios e somente após 50 anos foi descoberto a ossada do homem assassinado. O EPISÓDIO DE HYDESVILLE - As irmãs Fox Resolveram escavar a adega para encontrar o esqueleto do suposto assassinado.

19 As mesas girantes e o Espiritismo. Zéus Wantuil Sob a ação de experimentadores, as mesas podia se elevar sobre um pé para responder às questões; agitava-se em todos os sentidos e algumas vezes se elevava no ar, sem que se pudesse ver a força que a mantinha assim suspensa. Em 1852, a Europa inteira viu-se envolvida com os fenômenos das mesas girantes. AS MESAS GIRANTES

20 Wantuil, Zeus. As mesas girantes. 4. ed. – Rio de Janeiro: FEB, p.33 Experiências com as mesas girantes na Alemanha, em Essa é uma gravura apresentada nos noticiários da época na Alemanha para mostrar como as pessoas se reunião em torno de uma mesa para fazê-la mover. AS MESAS GIRANTES Os fenômenos das mesas girantes passaram a fazer parte dos noticiários e em muitos casos de forma irônica.

21 AS MESAS GIRANTES Wantuil, Zeus. As mesas girantes. 4. ed. – Rio de Janeiro: FEB, p.33 Anedotas e charges na imprensa da época. - Dissestes que a vossa cozinheira vos furtou, mas, e as provas? - Senhor, comissário, eis a mesa da cozinha, que está pronta para depor por escrito.

22 Kardec: o Espiritismo procede exatamente como asciências positivas, aplicando o método experimental. - surgem fatos novos sem explicação conhecida; - ele observa, compara, analisa e, remontando do efeito às causas, chega à lei que os rege; - depois, deduz-lhe as conseqüências e busca as aplicações úteis. (a maçã na cabeça de Newton)

23 Deolindo Amorim, num de seus artigos, explica o espírito científico de Kardec: - a Serenidade e o equilíbrio: encarou os fatos mediúnicos, com equilíbrio imperturbável, sem negar nem afirmar aprioristicamente; - o domínio próprio: a fim de não se entusiasmar com os primeiros resultados; - o cuidado na seleção das comunicações; - a prudência nas declarações: para evitar a divulgação de fatos ainda não de todo examinados e comprovados; - a humildade: interessado na busca da verdade, antes e acima de tudo.

24 Na indução científica Chega-se à generalização pela análise das partes. Da observação de muitos exemplos diferentes, os cientistas podem tirar uma conclusão geral. Foi assim que Kardec procedeu, em relação à Doutrina Espírita.

25 O controle universal dos ensinos dos Espíritos Dois importantes critérios científicos foram adotados por Kardec, na tarefa de reunir informações para a elaboração da Doutrina Espírita: a generalidade (universalidade) e a concordância dos ensinos dos Espíritos.

26 Concordância das revelações Uma só garantia séria existe para o ensino dos Espíritos: a concordância que haja entre as revelações que eles façam espontaneamente, servindo-se de grande número de médiuns estranhos uns aos outros e em vários lugares. (Introdução de O Evangelho Segundo o Espiritismo)

27 Fenômenos de Hydesville No episódio de Hydesville, paira certa dúvida sobre a identidade do morto. É possível que seu nome fosse outro e os Espíritos que dirigiam esses fenômenos não teriam permitido que fosse revelada sua verdadeira identidade. Isso significa que nem tudo os Espíritos podem revelar; No episódio de Hydesville, paira certa dúvida sobre a identidade do morto. É possível que seu nome fosse outro e os Espíritos que dirigiam esses fenômenos não teriam permitido que fosse revelada sua verdadeira identidade. Isso significa que nem tudo os Espíritos podem revelar; As comunicações não limitaram às irmãs Fox, se espalharam rapidamente para chamar a atenção dos homens sobre a existência do mundo dos espíritos. As comunicações não limitaram às irmãs Fox, se espalharam rapidamente para chamar a atenção dos homens sobre a existência do mundo dos espíritos.

28 As mesas eram movidas por uma força inteligente. As mesas eram movidas por uma força inteligente. A moda das « Mesas Dançantes » teve por efeito fazer numerosas pessoas refletirem e desenvolver consideravelmente a nova idéia; A moda das « Mesas Dançantes » teve por efeito fazer numerosas pessoas refletirem e desenvolver consideravelmente a nova idéia; As Mesas Girantes O próprio Allan Kardec era, no início, muito cético face aos fenômenos Espíritas, mas foi convencido da veracidade dos fatos. O próprio Allan Kardec era, no início, muito cético face aos fenômenos Espíritas, mas foi convencido da veracidade dos fatos.

29 E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, para que fique convosco para sempre (João 14:16); Mas aquele Consolador, o Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas, e vos fará lembrar de tudo quanto vos tenho dito (João 14:26). Mas, quando vier o Consolador, que eu da parte do Pai vos hei de enviar, aquele Espírito de Verdade, que procede do Pai, ele testificará de mim (João 15:26). Mensagem Final...


Carregar ppt "O que significa doutrina? Programa Fundamental – Tomo I Módulo I – Roteiro 2 – Introdução."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google