A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

1 Movimentos QPC no Brasil e no mundo Um Brasil melhor se faz com qualidade de vida para todos Antonio Tadeu Pagliuso Superintendente Geral

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "1 Movimentos QPC no Brasil e no mundo Um Brasil melhor se faz com qualidade de vida para todos Antonio Tadeu Pagliuso Superintendente Geral"— Transcrição da apresentação:

1 1 Movimentos QPC no Brasil e no mundo Um Brasil melhor se faz com qualidade de vida para todos Antonio Tadeu Pagliuso Superintendente Geral

2 2 HISTÓRICO DOS MOVIMENTOS DE QPC

3 3 + de 75 prêmios, em 100 países Japan Quality Award Fundação Européia da Qualidade Malcolm Baldrige Fundação Nacional da Qualidade - FNQ Singapore Quality Award Australia Quality Award South Africa Quality Award Global Excellence Model - Membros India Quality Award

4 4 REDIBEX Rede Iberoamericana para Excelência da Gestão 19 Países com iniciativas para Excelência da Gestão 10 Países com ações para Micro e Pequenas Empresas 11 Países com prêmios organizados 1 Prêmio Internacional

5 5 REDIBEX - Membros PaísOrganização ArgentinaFundación Premio Nacional de la Calidad BrasilFundação Nacional da Qualidade (Coordination) ChileCentro Nacional de la Productividad y la Calidad ColombiaCorporación Calidad CubaOficina Nacional de Normalización EcuadorCorporación Ecuatoriana De La Calidad Total España/ Iberoamerica Fundación Iberoamericana para la Gestión de Calidad MéxicoPremio Nacional de la Calidad ParaguayAsociación Paraguaya para la Calidad Perú Centro de Desarrollo Industrial de la Sociedad Nacional de Industria PortugalAPQ - Associação Portuguesa para a Qualidade Republica Dominicana ONAP – Oficina Nacional de Administración y Personal UruguayComité Nacional de la Calidad

6 6 PaísDesdeCandidatasGanhadoras Banca de Examinadores Critérios de Excelência Outras Informações ARGENTINA BRAZIL Prêmios Reg. e Set. CHILE Programas da Qualidade COLOMBIA Prêmios Setoriais CUBA ECUADOR FUNDIBEQ países participantes MEXICO Prêmios Estaduais PERU Prêmio de Projeto de Melhoria REPUBLICA DOMINICANA 2005 Sem informação Sem informação Sem informação URUGUAY TOTAL Indicadores de Desempenho (até 2006)

7 7 REDIBEX - WebSite

8 8 HISTÓRICO DOS MOVIMENTOS DE QPC NO BRASIL

9 9 Rede Brasileira de Qualidade, Produtividade & Competitividade MBC Gespu- blica DF MG SC PR TO GO FNQ FÓRUM PROG. EST. E SETORIAIS ABNT INMETRO Certificadoras Consultorias Fundações ABQP GEQUAL UBQ CIC... ORGANIZAÇÕES PÚBLICAS ORGANIZAÇÕES PRIVADAS TERCEIRO SETOR MERCADO LEGISLAÇÃO RO RS SEBRAE FIRJAN FIESP FIERGS FINEP SENAC SESI SENAI... FÓRUM DE COMPETITIVIDADE MDIC PROMINP MME REDE BRASIL DE TECNOLOGIA MCT GRUPO COOPERATIVO DAS ESTATAIS GERA AÇÃO... SOCIEDADE AP ES AC SE RR MT AM PA MA PI CE RN AL PB MS BA RJ SP Previdência Privada Saneamento Básico Transporte Urbano Núcleos Regionais REDE DE COOPERAÇÃO BRASIL + PE

10 10 Destaques 53MOVIMENTOS DA QUALIDADE, PRODUTIVIDADE E COMPETITIVIDADE15 ANOS DE MOVIMENTO ~ ORGANIZAÇÕES USUÁRIAS DO MODELO DE EXCELÊNCIA DA GESTÃO PARCIALMENTE +10MILHÕES PESSOAS RELACIONADAS COM O MODELO DE EXCELÊNCIA DA GESTÃO ® ~5.000 ORGANIZAÇÕES USUÁRIAS DO MODELO DE EXCELÊNCIA DA GESTÃO INTEGRALMENTE

11 PESSOAS CAPACITADAS COMO EXAMINADORES DO MODELO DE EXCELÊNCIA DA GESTÃO CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DISTRIBUÍDOS PESSOAS CAPACITADAS EM NO MODELO DE EXCELÊNCIA DA GESTÃO ORGANIZAÇÕES MEMBROS DAS INSTITUIÇÕES GESTORAS DOS MOVIMENTOS DE QP&C Destaques

12 ORGANIZAÇÕES PREMIADAS ORGANIZAÇÕES CANDIDATAS AOS PROCESSOS DE AVALIAÇÃO PRÊMIOS NACIONAL, REGIONAIS E SETRORIAIS VOLUNTÁRIOS NA COMUNIDADE DA QUALIDADE HORAS DE TRABALHO VOLUNTÁRIO Destaques

13 13 Rede Nacional da Gestão Rumo à Excelência MPE R R R R R R R R R R R R R R R R R R R R R S S S S S S S S S S R S 11 Programas Setoriais 19 Programas Regionais 23 Prêmios MPE 53 MOVIMENTOS Programas/ Movimentos alinhados ao Modelo de Excelência da Gestão ®

14 14

15 15 O DESAFIO DA GESTÃO

16 16 Mudança de paradigmas nas organizações DIMENSÕESDEPARA Ambiente externo Estabilidade, mudança progressiva e linearidade Turbulência, descontinuidade e mudança exponencial Organizações Máquina, sistema isolado e independência Sistema vivo, ecossistema, interdependência e adaptabilidade Liderança Comando e controle, liderança centralizada e restrita à empresa Líder como mentor, focalizador e símbolo, com liderança distribuída e abrangendo o ecossistema Sociedade e meio ambiente Restrições sujeitas a cálculo custo/benefício Partes integrantes do ecossistema da organização Estrutura Pirâmide e integração vertical Redes e integração horizontal Percepção de valor Avaliação objetiva de ativos tangíveis Avaliação subjetiva de ativos intangíveis

17 17 DIMENSÕESDEPARA Interação Competição, regionalidade e relacionamento utilitário Competição e cooperação, globalidade e relacionamento de qualidade InovaçãoLocalizada Cultural, distribuída e abrangendo o ecossistema Conhecimento Crescimento linear e acesso restrito Crescimento exponencial e acesso universal Aprendizado/ educação Função da escola e se aprende uma vez para o resto da vida Função da escola e empresa e se aprende durante toda a vida Tecnologia da Informação Mais tecnologia, menos pessoas Maior conteúdo intelectual e transformação do trabalho em experiência mais rica e desafiadora Mudança de paradigmas nas organizações

18 18 As organizações estão operando cada vez mais sob a forma de redes dinâmicas e abertas. No seu conjunto constituem verdadeiros ecossistemas, onde seus integrantes, conscientes de sua interdependência, investem também significativamente na qualidade de suas relações. As organizações são sistemas vivos, integrantes de ecossistemas complexos, com os quais interagem e dos quais dependem. A excelência em uma organização depende fundamentalmente de sua capacidade de perseguir seus propósitos em completa harmonia com seu ecossistema. Novos paradigmas

19 19 DESEMPENHO DAS ORGANIZAÇÕES BRASILEIRAS Estudo SERASA e FNQ

20 20 O estudo foi elaborado a partir de uma amostra de 124 demonstrativos contábeis de empresas membros da FNQ e usuárias do Modelo de Excelência da Gestão ® Os índices econômicos-financeiros destas empresas foram comparados ao desempenho das maiores empresas do setor em que atuam, durante um período de 7 anos Para as empresas holdings utilizou-se o demonstrativo consolidado do grupo Considerou-se todas as demonstrações financeiras independente do ano de filiação ou premiação Quantidade de empresas da amostra Usuária do MEG / Membro da FNQ Setor Indústria Serviços Comércio9877 Bancos8154 Usuárias do modelo de excelência x desempenho financeiro Base junho/2006

21 21 EVOLUÇÃO DO FATURAMENTO Variação acumulada, descontada a inflação (IGPM) Estudo SERASA/FNQ Membros da FNQ e usuários do MEG Setor Indústria 30,3% 30,8% Serviços 30,2% 75,1% Comércio 41,7% 73,9%

22 22 MARGEM EBITDA % sobre o faturamento líquido Estudo SERASA/FNQ Indústria Serviços Comércio Membros da FNQ e usuários do MEG Setor

23 23 Estudo SERASA/FNQ Indústria Serviços Comércio MARGEM DE LUCRO % sobre o faturamento líquido Membros da FNQ e usuários do MEG Setor

24 24 Variação dos resultados 2005 a junho/ membros da FNQ Evolução do Faturamento Industria: +6,5% Serviços: +1,8% Comércio: +16,2% (2004/2005) Margem de Lucro Industria: +2,0% Serviços: +2,5% Comércio: -0,4% (2004/2005) Obs.: no caso do comércio a prática de apresentação de balanços é uma vez por ano, enquanto que na indústria e nos serviços a prática é apresentação de balanços trimestrais. EBITDA Industria: +1,6% Serviços: +3,1% Comércio: +0,3% (2004/2005) Endividamento Total Industria: +16,0% Serviços: +13,0% Comércio: +50,0% (2004/2005)

25 25 Maiores Exame 2006 Entre as 10 maiores - 8 Usuárias e Membros (80%) Usuárias do Modelo de Excelência e Membros da FNQ Melhores Exame - Você S/A 2006 Entre as 10 maiores - 7 Usuárias e Membros (70%) Guia de Cidadania Corporativo 2006 Entre as 10 maiores - 5 Usuárias e Membros (50%)

26 26 MODELO DE EXCELÊNCIA DA GESTÃO ®

27 27 Modelo Brasileiro de Excelência da Gestão ®

28 28 O Modelo de Excelência da Gestão (MEG) está alicerçado sobre um conjunto de conceitos fundamentais e estruturado em critérios e requisitos, que expressam a compreensão sobre a Excelência em Gestão. Os Fundamentos da Excelência expressam esses conceitos reconhecidos internacionalmente e que se traduzem em práticas ou fatores de desempenho encontrados em organizações líderes de classe mundial, que buscam constantemente se aperfeiçoar e se adaptar à mudança. Além disso, o modelo utiliza o conceito de aprendizado e melhoria contínua, segundo o ciclo de PDCL (Plan, Do, Check, Learning). Modelo de Excelência da Gestão ®

29 29 Pensamento sistêmico Aprendizado organizacional Cultura de inovação Liderança e constância de propósitos Visão de futuro Orientação por processos e informações Geração de valor Valorização de pessoas Conhecimento sobre o cliente e o mercado Desenvolvimento de parcerias Responsabilidade social Fundamentos da Excelência

30 30

31 31 Benefícios para a Organização Possibilita a visão sistêmica da Organização Foco na realização de resultados Promoção da cooperação interna Compartilhamento das informações internas Identificação de seus pontos fortes e oportunidades para melhoria Comprometimento das pessoas que compõem a força de trabalho Medição e identificação do seu desempenho, inclusive perante os referenciais Capacitação interna para se auto-avaliar

32 32 COMO COMEÇAR?

33 33 1. fornecedores para o processo 2. matérias-primas e insumos 3. processos de fornecimento 4. processos relativos ao produto (missão) 4A processo de projeto de produtos e de produção 4B processos de produção 5. produtos 6. clientes-alvo 7. segmentos-alvo 8. mercados-alvo 9. processos de apoio 10. produtos dos processos de apoio 11. força de trabalho 12. comunidade/sociedade Mapa do negócio A 4B

34 34 Implantando o Modelo de Excelência da Gestão ® - exemplo Análise crítica do processo (auto- avaliação e implementação) Entendimento da base do Modelo: Fundamentos da Excelência + Critérios de Excelência Auto-avaliaçãoAnálise crítica dos pontos fortes e Oportunidades para melhoria Elaboração do Plano de Melhorias (prioridades) Implementação das Melhorias Monitoramento da implementação Mapeamento / Inventário das práticas Construção do Mapa do Negócio A auto-avaliação pode também ser a primeira etapa do processo

35 35 CONHECIMENTO DISPONÍVEL

36 36 Portal FNQ

37 37

38 38 Conceitos Fundamentais da Excelência em Gestão

39 39 Posicionamento conceitual da FNQ Contexto social, tecnológico e econômico Conceitos Fundamentais da Excelência em Gestão

40 40 Série Cadernos de Excelência Convênio

41 41 Introdução ao Modelo de Excelência de Gestão ® Visão global do modelo, seus fundamentos e sua aplicação

42 42 Cadernos Liderança, Estratégias e Planos, Clientes, Sociedade, Pessoas, Processos e Resultados Detalha o modelo, seus requisitos e suas inter-relações

43 43 Auto-avaliação Convênio

44 44 Caderno auto-avaliação e Gestão de Melhorias Fornecer uma visão global do ciclo do PDCL de gestão de melhorias, enfatizando a auto-avaliação, as suas diferentes metodologias, e práticas de planejamento e controle

45 45 Software Diagnóstico da Gestão

46 46 Sistema de Avaliação – Prêmio Competitividade

47 47 Banco de Boas Práticas

48 boas práticas 57 organizações

49 49 PORTAL:

50 50 O FUTURO TEM UM PÉSSIMO HÁBITO: CHEGAR DE REPENTE


Carregar ppt "1 Movimentos QPC no Brasil e no mundo Um Brasil melhor se faz com qualidade de vida para todos Antonio Tadeu Pagliuso Superintendente Geral"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google