A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Fisiologia Cardíaca Anna Claudia. O músculo cardíaco Músculo estriado (filamentos de actina e miosina) Discos intercalados – membranas celulares de céls.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Fisiologia Cardíaca Anna Claudia. O músculo cardíaco Músculo estriado (filamentos de actina e miosina) Discos intercalados – membranas celulares de céls."— Transcrição da apresentação:

1 Fisiologia Cardíaca Anna Claudia

2 O músculo cardíaco Músculo estriado (filamentos de actina e miosina) Discos intercalados – membranas celulares de céls conectadas em série por junções comunicantes (passagem de potencial de ação com rapidez). Sincício atrial e sincício ventricular separados por um tecido fibroso que envolve os orifícios valvulares – as contrações nestes sincícios não são contínuas.

3 Potenciais de ação no mm cardíaco 1 - Canais rápidos de sódio 2 - Canais lentos de cálcio-sódio – permite entrada de sódio ou cálcio formam um platô (0,2 s no mmA e 0,3s no mmV). Permite a entrada de Ca++ que auxilia na contração do mm (retículo sarcoplasmático pouco desenvolvido) e possibilita que a frequência rítmica dos átrios seja mais rápida do que dos ventriculos. 3 – canais de potássio 1 2 3

4 Portanto, a força de contração depende em grande parte da concentração de íons cálcio no líquido extracelular. A duração da contração do mm cardíaco é em função da duração do potencial de ação. Átrios – bomba de reforço (retardo de 1/10 s da condução elétrica do A para o V). Ventrículos – principal fonte de força para movimentar o sangue através do sistema vascular.

5 Ciclo cardíaco – o início de um batimento cardíaco até o início do batimento seguinte.

6 Função dos átrios como bomba – 75% do sangue flui direto para o V portanto, algumas vezes somente em situações de muito esforço uma pessoa que tenha comprometimento atrial ou valvular percebe sintomas de insuficiência cardíaca como falta de ar. Função dos ventrículos como bomba – fase de enchimento rápido dos ventrículos, período de contração isométrica (fechamento das válvulas AV e abertura das válvulas semilunares), período de ejeção e fase de relaxamento isométrico (abertura das válvulas AV), reinício do ciclo. Volume diastólico final – 110 a 120 ml de sangue no ventrículo. Débito cardíaco – quantidade de sangue que sai do coração durante a sístole (70 ml). Volume sistólico final – sangue remanescente de 40 a 50 ml. Esses valores podem se modificar em situações de esforço

7 Função das válvulas Válvulas atrioventriculares ( tricúspide e mitral) – impedem o retorno do sangue dos ventrículos para os átrios durante a sístole. As válvulas são presas aos mm papilares pelas cordoalhas tendinosas. Esses mm se contraem quando os ventrículos se contraem impedindo que a projeção das válvulas para os átrios seja muito acentuada. Válvulas semilunares (aorta e pulmonares) – impedem o retorno do sangue das artérias aorta e pulmonares para os ventrículos durante a diástole. Fechamento passivo

8 Regulação do bombeamento cardíaco Regulação intrínseca da bomba cardíaca – mecanismo de Frank-Starling – quanto maior for o estiramento do músculo cardíaco durante o enchimento maior será a força de contração e a quantidade de sangue bombeado para a aorta. Sistema nervoso autonômico: Nervos simpáticos – aumento da Frequência cardíaca, da força de contração e o aumento do débito cardíaco. Nervos parassimpáticos (vago) – diminuição dos batimentos cardíacos, da força de contração e do débito cardíaco.

9 Excitação rítmica do coração Sistema especializado de excitação e condução do coração que controla as contrações cardíacas: nodo sinusal (nodo sinoatrial ou nodo SA) onde é gerado o impulso rítmico normal, as vias internodais que conduzem o impulso do nodo sinusal para o nodo AV, o nodo Av (nodo atrioventricular) onde o impulso proveniente dos átrios é retardado antes de passar para os ventrículos, o feixe AV, que conduz os impulsos dos átrios para os ventriculos e os feixes esquerdo e direito das fibras de Purkinje que conduzem o impluso cardíaco a todas as partes do ventrículos.

10 Nodo sinusal – localizado na parede ântero-superior do átrio direito. Auto-excitação das fibras do nodo sinusal – os íons sódio tem naturalmente acesso ao interior das fibras do nodo SA. Marcapasso natural do coração pela alta freqüência de disparos de potenciais de ação. Limiar

11 Vias internodais – condução rápida (1m/s) do impulso pelas paredes atriais terminando no nodo AV. Nodo AV – localizado na parede septal do átrio direito responsável pelo retardo de transmissão do impulso do átrio para o ventrículo ( 0,16s - fornece tempo para os átrios esvaziarem o excesso de sangue nos ventrículos antes da contração ventricular). Causa: menor número de junções comunicantes. Fibras de Purkinje – conduzem os impulso do nodo AV através do feixe AV para os ventrículos. São fibras grandes com alta velocidade (1,5 a 4,0 m/s), alta permeabilidade das junções comunicantes. Se ramifica em ramo esquerdo e direito e se tornam contínuas com as fibras ventriculares (0,3 a 0,5 m/s).

12 Efeitos do sistema nervoso autônomo Estimulação parassimpática (vagal) – libera acetilcolina aumentando a permeabilidade das membranas das fibras cardíacas ao potássio, diminuindo todo o impulso elétrico. Estimulação simpática – noradrenalina aumenta a permeabilidade da fibra ao sódio e ao cálcio.

13 Artérias Coronárias Função: oxigenar o coração. Artéria coronária esquerda – supre as porções anterior e lateral do ventrículo esquerdo. Artéria coronária direita supre o ventrículo direito e parte posterior do ventrículo esquerdo. Seio coronário e veias cardíacas anteriores - fluxo de sangue venoso do miocárdio para o átrio direito. Sistema simpático – efeito final de vasodilatação.

14 Pressão Arterial

15 Sons cardíacos Primeira bulha cardíaca (B1) – fechamento da válvula AV – sístole do coração. Segunda bulha cardíaca (B2) – fechamento das válvulas semilunares – diástole do coração.

16 Eletrocardiograma Neste gráfico se distingue uma onda P que corresponde à contração das aurículas, e um consecutivo complexo QRS determinado pela contração dos ventrículos. Conclui o ciclo uma onda T. Muitas alterações cardíacas determinam uma modificação da onda eletrocardiográfica normal, de modo que o eletrocardiograma representa um precioso meio de diagnóstico.


Carregar ppt "Fisiologia Cardíaca Anna Claudia. O músculo cardíaco Músculo estriado (filamentos de actina e miosina) Discos intercalados – membranas celulares de céls."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google