A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

I Encontro Sul-Americano de Editores Científicos da Área da Saúde Prof. Dr. Nestor Schor Pró-Reitor de Pós-Graduação e Pesquisa São Paulo - abril/2005.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "I Encontro Sul-Americano de Editores Científicos da Área da Saúde Prof. Dr. Nestor Schor Pró-Reitor de Pós-Graduação e Pesquisa São Paulo - abril/2005."— Transcrição da apresentação:

1 I Encontro Sul-Americano de Editores Científicos da Área da Saúde Prof. Dr. Nestor Schor Pró-Reitor de Pós-Graduação e Pesquisa São Paulo - abril/2005

2 Impacto dos Periódicos Científicos Brasileiros na Pós-Graduação

3 CAPES Sistema Brasileiro de Pós-Graduação Brasília - julho/2004

4 Dimensões do Sistema A avaliação da pós-graduação, realizada pela CAPES, teve início na segunda metade da década de 70. Nesses 28 anos o Sistema Nacional de Pós-Graduação vem se expandindo de forma geométrica. Esse crescimento é observado em todos os indicadores: número de programas, alunos matriculados, alunos titulados, docentes e publicações. Cursos a serem avaliados 1.961 1.034 Mestrado Doutorado Alunos matriculados (2003) 72.001 40.213 Mestrado Doutorado Alunos titulados (2003) 27.630 8.094 Mestrado Doutorado Fonte: CAPES

5

6

7

8

9

10 Investimento em C & T & I e em Pós-Graduação

11 National Expenditures in S & T (Estimated Figures) (US$ billion, 1996) 1996% Federal Government MINISTRY OF S & T Other Miniatries Fiscal waive & incentives 3.34 1.24 1.55 0.45 39.72 15.20 19.00 5.52 State Government & Municipalities 1.38 16.92 Business Sector State Corporations Investments benefited by Fiscal Policy FINEP (1) (excluding Treasury) Other Companies 2.64 0.75 0.45 0.24 1,20 32.24 9.19 5.52 2.92 14.21 Faculty Working on R&D 0.90 11.03 Total 8.16 100.00 GDP760.40 S&t/GDP1.10 FINEP-Financing Agency for Studies & Projects Source: SECAV/Ministry of S&T (August,1997)

12 Recursos federais para a Educação Em R$ milhões Fonte: Ipea. Divulgação: Folha de São Paulo, 06/08/2004, pg. C10

13 Orçamento do Ministério da Educação Executado em R$ bilhões % do PIB1,41,31,271,391,171, 131,181,111,08

14 Evolução das verbas de custeio das Universidades federais - Em milhões de R$ Evolução %100107,499,794,776,479,473,55954,8 Fonte: Andifes. Divulgação: Folha de São Paulo, 08/08/2004, pg. C1

15 Fonte: Folha de São Paulo, 13/10/2003 - Cotidiano A evolução dos recursos Receita da União e investimentos em Educação em R$ mi Total de receitas da União Orçamento do MEC * Estimativa de 2003 *

16 Investimento do Ministério da Educação 1995-2003 Redução em ~ 60% no período De R$ 1.874 bilhão (1995) para R$ 790 milhões (2003) (valores atualizados pelo IGP da FGV de 2004) Principais prejudicados pelos cortes: Centros Federais de Educação Tecnológica (Cefets) Escolas Agrotécnicas e Universidades Período FHC (1995 a 2002): redução em ~80% (atualizados) 2005-proposta do M.E. de aumento em 34% acima da inflação Fonte: Folha de São Paulo, 6/08/2004, pg. C10

17

18 Brasil: Número total de bolsas de mestrado e doutorado no país concedidas por agências federais, 1997-2002 Fonte: Capes/MEC - CNPq/MCT Elaboração: Coordenação-Geral de Indicadores - MCT

19 Brasil: Número de bolsas de mestrado e doutorado no país concedidas por agências federais, 1997-2002 Fonte: Capes/MEC - CNPq/MCT Elaboração: Coordenação-Geral de Indicadores - MCT

20 Brasil: Bolsas no país e exterior financiadas por agências federais, 1996-2002 Nota: no país inclui apenas bolsas de mestrado e doutorado Fonte: Capes/MEC - CNPq/MCT Elaboração: Coordenação-Geral de Indicadores - MCT

21 FAPESP - Concessões de Projetos Temáticos: 1999 a 2003 (em R$) Fonte: FAPESP

22 FAPESP - Concessões para bolsas e auxílios a pesquisa: 1999 a 2003 (em R$) Fonte: FAPESP

23 Nº de bolsas vigentes de Pós-Doc no país dezembro/1991 a 2002 Fonte: FAPESP

24 Brasil: Dispêndios do governo federal em pesquisa & desenvolvimento (P&D) 1996-2002 Fonte: Siafi - Serpro Elaboração: Coordenação-Geral de Indicadores - MCT Notas: Valores monetários expressos em milhões de R$ de 2002, atualizados pelo Índice Geral de Preços - Disponibilidade Interna (IGP-DI) (médias anuais) da FGV.Valores monetários

25 Pedidos de patentes de invenção depositados no escritório de marcas e patentes dos Estados Unidos da América, alguns países, 2000 Fonte: United States Patente and Trademark Office (USPTO) Elaboração: Coordenação-Geral de Indicadores - MCT

26 Brasil: Concessão de patentes pelo INPI segundo origem do depositante, 1995-2002 Fonte: Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI) Elaboração: Coordenação-Geral de Indicadores - MCT

27 Fundos Setoriais FNDCT - Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico

28 Composição FNDCT: Fonte 100 e Fundos Setoriais, de 1999 a 2003 Fonte: MCT

29 Recursos FNDCT Fonte: MCT

30 Fundos Setoriais Praticamente todo o FNDCT e o PADCT que aparece na série de recursos sistema nacional – 85 a 95 e foi praticamente interrompida a partir de 1999, em função de dificuldades legais. Neste ano, os fundos setoriais começam a ganhar força. Hoje, o Brasil conta com 14 Fundos Setoriais aprovados por lei e, juntos, eles representam um acréscimo de R$ 1 bilhão por ano no orçamento da União para C&T - uma ação inovadora e evolutiva da política pública para a pesquisa e o desenvolvimento.

31 Os 14 Fundos Setoriais: CT-PETRO - Fundo Setorial do Petróleo e Gás Natural CT-INFRA - Fundo de Infra-Estrutura CT-ENERG - Fundo Setorial de Energia CT-HIDRO - Fundo Setorial de Recursos Hídricos CT-Mineral - Fundos Setorial Mineral CT-TRANSPO - Fundo Setorial de Transportes Terrestres FVA - Fundo Verde e Amarelo - Para Interação Universidade- Empresa CT-Espacial - Fundo Setorial Espacial FUNTTEL - Fundo Setorial para o Desenvolvimento Tecnológico das Telecomunicações CT-INFO - Fundo Setorial para Tecnologia da Informação Saúde - Fundo Setorial da Saúde Agronegócios - Fundo Setorial de Agronegócios Biotecnologia - Fundo Setorial de Biotecnologia Aeronáutica - Fundo Setorial Aeronáutico

32 Resumo Redução progressiva no investimento e manutenção dos principais geradores do saber- Universidades Públicas; Melhoria da performance dos pesquisadores em termos quantitativos e qualitativos; Substancial incremento no sistema nacional de Pós- Graduação; Defasagem crescente entre oferta (bolsas/auxílios pesquisa) vs. Demanda da Pós-Graduação (nº de alunos e Programas).

33 Impacto na Produção Científica

34 América Latina X Países Desenvolvidos Investimento a Pesquisa e ao Desenvolvimento entre 1990-2000 Holmgren and Schnitzer - Science on the Rise in Developing Countries - Plos Biology http://www.plosbiology.org/plosonline (Janeiro/2004)

35 América Latina X Países Desenvolvidos Disparate dos números de publicações entre 1990-2000 Holmgren and Schnitzer - Science on the Rise in Developing Countries - Plos Biology http://www.plosbiology.org/plosonline (Janeiro/2004)

36 1990-1997 América Latina e China, com 1.8% e 2% de publicações científicas no mundo, aumentaram suas publicações entre 1990 e 1997 para 36% e 70%, respectivamente. A Europa e a Ásia industrializada apenas 10% e 26%, respectivamente. A América do Norte diminuiu 8% da produção nesse período. América Latina X Países Desenvolvidos -EVOLUÇÃO- Holmgren and Schnitzer - Science on the Rise in Developing Countries - Plos Biology http://www.plosbiology.org/plosonline (Janeiro/2004)

37 América Latina X Países Desenvolvidos Aumento relativo em publicações científicas nas Américas Holmgren and Schnitzer - Science on the Rise in Developing Countries - Plos Biology http://www.plosbiology.org/plosonline (Janeiro/2004)

38 América Latina X Países Desenvolvidos Número de publicações de SCI por milhão dólares Holmgren and Schnitzer - Science on the Rise in Developing Countries - Plos Biology http://www.plosbiology.org/plosonline (Janeiro/2004)

39 América Latina X Países Desenvolvidos Justificativa p/ o aumento na produtividade publicado na América Latina Melhoria da relação investimento/produtividade Aumento no financiamento aos cientistas mais produtivos. A cooperação internacional entre cientistas na América Latina, na Europa, e nos USA. Em contraste, a redução no número relativo das publicações/dólar de investimento, no Canadá e no USA refletem tendência para pesquisas mais caras e em programas científicos maiores. Holmgren and Schnitzer - Science on the Rise in Developing Countries - Plos Biology http://www.plosbiology.org/plosonline (Janeiro/2004)

40 Impacto na Produção Científica -Brasil-

41 Adaptado de: O Perfil da Ciência Brasileira Autores: Meis e Leta Editora UFRJ 1996, pg. 82 Publicações

42 Publicações relevantes - IES Federal Fonte: Claudio de Moura Castro – Revista Aprender – Dezembro/2003 http://www.aprendervirtual.com/ver_noticia.php?codigo=106

43 Publicações relevantes por Docente Fonte: Claudio de Moura Castro – Revista Aprender – Dezembro/2003 http://www.aprendervirtual.com/ver_noticia.php?codigo=106

44 Fonte - Indicadores de CT&I em São Paulo - 2001, FAPESP Número de Pesquisadores Doutores (2001)

45 Publicações Indexadas ISI + SciELO (2001) Fonte - Indicadores de CT&I em São Paulo - 2001, FAPESP

46 Publicações Indexadas ISI + SciELO/Pesquisador (2001) Fonte - Indicadores de CT&I em São Paulo - 2001, FAPESP

47 Número de Citações ISI/Pesquisador (2001) Fonte - Indicadores de CT&I em São Paulo - 2001, FAPESP

48 Fonte – Relatório CAPES (1998 a 2003) Artigos Publicados (Completos) UNIFESP

49 Artigos Publicados (Completos) / Docente UNIFESP Fonte – Relatório CAPES (1998 a 2003)

50 Total de Artigos ISI por Orientador Ranking por média dos 2 triênios: 1998-2003 TOP 20 Fonte – Relatório CAPES (1998 a 2003) Instituição Federal

51 Total de Artigos ISI por Orientador Ranking por média dos 2º triênio: 2001-2003 TOP 10 Fonte – Relatório CAPES (2001 a 2003) Instituição Federal Ordem decrescente de Nº de Programas

52 O Estado de São Paulo. 12/8/01

53 Impacto da PG na Produção Científica PARABÉNS !


Carregar ppt "I Encontro Sul-Americano de Editores Científicos da Área da Saúde Prof. Dr. Nestor Schor Pró-Reitor de Pós-Graduação e Pesquisa São Paulo - abril/2005."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google