A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

I Encontro Sul-Americano de Editores Científicos da Área da Saúde Prof. Dr. Nestor Schor Pró-Reitor de Pós-Graduação e Pesquisa São Paulo - abril/2005.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "I Encontro Sul-Americano de Editores Científicos da Área da Saúde Prof. Dr. Nestor Schor Pró-Reitor de Pós-Graduação e Pesquisa São Paulo - abril/2005."— Transcrição da apresentação:

1 I Encontro Sul-Americano de Editores Científicos da Área da Saúde Prof. Dr. Nestor Schor Pró-Reitor de Pós-Graduação e Pesquisa São Paulo - abril/2005

2 Impacto dos Periódicos Científicos Brasileiros na Pós-Graduação

3 CAPES Sistema Brasileiro de Pós-Graduação Brasília - julho/2004

4 Dimensões do Sistema A avaliação da pós-graduação, realizada pela CAPES, teve início na segunda metade da década de 70. Nesses 28 anos o Sistema Nacional de Pós-Graduação vem se expandindo de forma geométrica. Esse crescimento é observado em todos os indicadores: número de programas, alunos matriculados, alunos titulados, docentes e publicações. Cursos a serem avaliados Mestrado Doutorado Alunos matriculados (2003) Mestrado Doutorado Alunos titulados (2003) Mestrado Doutorado Fonte: CAPES

5

6

7

8

9

10 Investimento em C & T & I e em Pós-Graduação

11 National Expenditures in S & T (Estimated Figures) (US$ billion, 1996) 1996% Federal Government MINISTRY OF S & T Other Miniatries Fiscal waive & incentives State Government & Municipalities Business Sector State Corporations Investments benefited by Fiscal Policy FINEP (1) (excluding Treasury) Other Companies , Faculty Working on R&D Total GDP S&t/GDP1.10 FINEP-Financing Agency for Studies & Projects Source: SECAV/Ministry of S&T (August,1997)

12 Recursos federais para a Educação Em R$ milhões Fonte: Ipea. Divulgação: Folha de São Paulo, 06/08/2004, pg. C10

13 Orçamento do Ministério da Educação Executado em R$ bilhões % do PIB1,41,31,271,391,171, 131,181,111,08

14 Evolução das verbas de custeio das Universidades federais - Em milhões de R$ Evolução %100107,499,794,776,479,473,55954,8 Fonte: Andifes. Divulgação: Folha de São Paulo, 08/08/2004, pg. C1

15 Fonte: Folha de São Paulo, 13/10/ Cotidiano A evolução dos recursos Receita da União e investimentos em Educação em R$ mi Total de receitas da União Orçamento do MEC * Estimativa de 2003 *

16 Investimento do Ministério da Educação Redução em ~ 60% no período De R$ bilhão (1995) para R$ 790 milhões (2003) (valores atualizados pelo IGP da FGV de 2004) Principais prejudicados pelos cortes: Centros Federais de Educação Tecnológica (Cefets) Escolas Agrotécnicas e Universidades Período FHC (1995 a 2002): redução em ~80% (atualizados) 2005-proposta do M.E. de aumento em 34% acima da inflação Fonte: Folha de São Paulo, 6/08/2004, pg. C10

17

18 Brasil: Número total de bolsas de mestrado e doutorado no país concedidas por agências federais, Fonte: Capes/MEC - CNPq/MCT Elaboração: Coordenação-Geral de Indicadores - MCT

19 Brasil: Número de bolsas de mestrado e doutorado no país concedidas por agências federais, Fonte: Capes/MEC - CNPq/MCT Elaboração: Coordenação-Geral de Indicadores - MCT

20 Brasil: Bolsas no país e exterior financiadas por agências federais, Nota: no país inclui apenas bolsas de mestrado e doutorado Fonte: Capes/MEC - CNPq/MCT Elaboração: Coordenação-Geral de Indicadores - MCT

21 FAPESP - Concessões de Projetos Temáticos: 1999 a 2003 (em R$) Fonte: FAPESP

22 FAPESP - Concessões para bolsas e auxílios a pesquisa: 1999 a 2003 (em R$) Fonte: FAPESP

23 Nº de bolsas vigentes de Pós-Doc no país dezembro/1991 a 2002 Fonte: FAPESP

24 Brasil: Dispêndios do governo federal em pesquisa & desenvolvimento (P&D) Fonte: Siafi - Serpro Elaboração: Coordenação-Geral de Indicadores - MCT Notas: Valores monetários expressos em milhões de R$ de 2002, atualizados pelo Índice Geral de Preços - Disponibilidade Interna (IGP-DI) (médias anuais) da FGV.Valores monetários

25 Pedidos de patentes de invenção depositados no escritório de marcas e patentes dos Estados Unidos da América, alguns países, 2000 Fonte: United States Patente and Trademark Office (USPTO) Elaboração: Coordenação-Geral de Indicadores - MCT

26 Brasil: Concessão de patentes pelo INPI segundo origem do depositante, Fonte: Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI) Elaboração: Coordenação-Geral de Indicadores - MCT

27 Fundos Setoriais FNDCT - Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico

28 Composição FNDCT: Fonte 100 e Fundos Setoriais, de 1999 a 2003 Fonte: MCT

29 Recursos FNDCT Fonte: MCT

30 Fundos Setoriais Praticamente todo o FNDCT e o PADCT que aparece na série de recursos sistema nacional – 85 a 95 e foi praticamente interrompida a partir de 1999, em função de dificuldades legais. Neste ano, os fundos setoriais começam a ganhar força. Hoje, o Brasil conta com 14 Fundos Setoriais aprovados por lei e, juntos, eles representam um acréscimo de R$ 1 bilhão por ano no orçamento da União para C&T - uma ação inovadora e evolutiva da política pública para a pesquisa e o desenvolvimento.

31 Os 14 Fundos Setoriais: CT-PETRO - Fundo Setorial do Petróleo e Gás Natural CT-INFRA - Fundo de Infra-Estrutura CT-ENERG - Fundo Setorial de Energia CT-HIDRO - Fundo Setorial de Recursos Hídricos CT-Mineral - Fundos Setorial Mineral CT-TRANSPO - Fundo Setorial de Transportes Terrestres FVA - Fundo Verde e Amarelo - Para Interação Universidade- Empresa CT-Espacial - Fundo Setorial Espacial FUNTTEL - Fundo Setorial para o Desenvolvimento Tecnológico das Telecomunicações CT-INFO - Fundo Setorial para Tecnologia da Informação Saúde - Fundo Setorial da Saúde Agronegócios - Fundo Setorial de Agronegócios Biotecnologia - Fundo Setorial de Biotecnologia Aeronáutica - Fundo Setorial Aeronáutico

32 Resumo Redução progressiva no investimento e manutenção dos principais geradores do saber- Universidades Públicas; Melhoria da performance dos pesquisadores em termos quantitativos e qualitativos; Substancial incremento no sistema nacional de Pós- Graduação; Defasagem crescente entre oferta (bolsas/auxílios pesquisa) vs. Demanda da Pós-Graduação (nº de alunos e Programas).

33 Impacto na Produção Científica

34 América Latina X Países Desenvolvidos Investimento a Pesquisa e ao Desenvolvimento entre Holmgren and Schnitzer - Science on the Rise in Developing Countries - Plos Biology (Janeiro/2004)

35 América Latina X Países Desenvolvidos Disparate dos números de publicações entre Holmgren and Schnitzer - Science on the Rise in Developing Countries - Plos Biology (Janeiro/2004)

36 América Latina e China, com 1.8% e 2% de publicações científicas no mundo, aumentaram suas publicações entre 1990 e 1997 para 36% e 70%, respectivamente. A Europa e a Ásia industrializada apenas 10% e 26%, respectivamente. A América do Norte diminuiu 8% da produção nesse período. América Latina X Países Desenvolvidos -EVOLUÇÃO- Holmgren and Schnitzer - Science on the Rise in Developing Countries - Plos Biology (Janeiro/2004)

37 América Latina X Países Desenvolvidos Aumento relativo em publicações científicas nas Américas Holmgren and Schnitzer - Science on the Rise in Developing Countries - Plos Biology (Janeiro/2004)

38 América Latina X Países Desenvolvidos Número de publicações de SCI por milhão dólares Holmgren and Schnitzer - Science on the Rise in Developing Countries - Plos Biology (Janeiro/2004)

39 América Latina X Países Desenvolvidos Justificativa p/ o aumento na produtividade publicado na América Latina Melhoria da relação investimento/produtividade Aumento no financiamento aos cientistas mais produtivos. A cooperação internacional entre cientistas na América Latina, na Europa, e nos USA. Em contraste, a redução no número relativo das publicações/dólar de investimento, no Canadá e no USA refletem tendência para pesquisas mais caras e em programas científicos maiores. Holmgren and Schnitzer - Science on the Rise in Developing Countries - Plos Biology (Janeiro/2004)

40 Impacto na Produção Científica -Brasil-

41 Adaptado de: O Perfil da Ciência Brasileira Autores: Meis e Leta Editora UFRJ 1996, pg. 82 Publicações

42 Publicações relevantes - IES Federal Fonte: Claudio de Moura Castro – Revista Aprender – Dezembro/2003

43 Publicações relevantes por Docente Fonte: Claudio de Moura Castro – Revista Aprender – Dezembro/2003

44 Fonte - Indicadores de CT&I em São Paulo , FAPESP Número de Pesquisadores Doutores (2001)

45 Publicações Indexadas ISI + SciELO (2001) Fonte - Indicadores de CT&I em São Paulo , FAPESP

46 Publicações Indexadas ISI + SciELO/Pesquisador (2001) Fonte - Indicadores de CT&I em São Paulo , FAPESP

47 Número de Citações ISI/Pesquisador (2001) Fonte - Indicadores de CT&I em São Paulo , FAPESP

48 Fonte – Relatório CAPES (1998 a 2003) Artigos Publicados (Completos) UNIFESP

49 Artigos Publicados (Completos) / Docente UNIFESP Fonte – Relatório CAPES (1998 a 2003)

50 Total de Artigos ISI por Orientador Ranking por média dos 2 triênios: TOP 20 Fonte – Relatório CAPES (1998 a 2003) Instituição Federal

51 Total de Artigos ISI por Orientador Ranking por média dos 2º triênio: TOP 10 Fonte – Relatório CAPES (2001 a 2003) Instituição Federal Ordem decrescente de Nº de Programas

52 O Estado de São Paulo. 12/8/01

53 Impacto da PG na Produção Científica PARABÉNS !


Carregar ppt "I Encontro Sul-Americano de Editores Científicos da Área da Saúde Prof. Dr. Nestor Schor Pró-Reitor de Pós-Graduação e Pesquisa São Paulo - abril/2005."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google