A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Prof. Rodrigo Freitas Monte Bispo DISCIPLINA ANATOMIA HUMANA CURSO DE ENFERMAGEM CURSO DE ENFERMAGEM Anatomia do Cerebelo.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Prof. Rodrigo Freitas Monte Bispo DISCIPLINA ANATOMIA HUMANA CURSO DE ENFERMAGEM CURSO DE ENFERMAGEM Anatomia do Cerebelo."— Transcrição da apresentação:

1 Prof. Rodrigo Freitas Monte Bispo DISCIPLINA ANATOMIA HUMANA CURSO DE ENFERMAGEM CURSO DE ENFERMAGEM Anatomia do Cerebelo

2 Eponímia-Do Latim Cerebellum diminuitivo de Cerebrum.

3

4

5

6

7

8 Conceito Parte do SNC que deriva da divisão posterior do metencéfalo. Situação Fossas cerebelares da escama do occipital, abaixo do lobo occipital, separado pela tenda do cerebelo e posterior à ponte e ao bulbo. Participa da formação do tecto do quarto ventrículo.

9 Fixação Ao mesencéfalo, ponte e bulbo através dos pedúnculos cerebelares. Forma Elipse irregular. Peso 140 Gramas Dimenções TRANSVERSAL (8-10cm). ANTEROPOSTERIOR (5,5-6,5cm). VERTICAL (5cm).

10 DIVISÃO FILOGENÉTICA ArquicerebeloPaleocerebeloNeocerebelo

11 ARQUICEREBELO (FUNÇÕES) MANUTENÇÃO DO EQUILÍBRIO CORPORAL NO ESPAÇO (POSIÇÃO DA CABEÇA NO ESPAÇO); MANUTENÇÃO DO EQUILÍBRIO CORPORAL NO ESPAÇO (POSIÇÃO DA CABEÇA NO ESPAÇO); NÚCLEO FASTIGIO; NÚCLEO FASTIGIO; RECEBE A PROPRIOCEPÇÃO ESPECIAL. RECEBE A PROPRIOCEPÇÃO ESPECIAL.

12 Arquicerebelo

13 PALEOCEREBELO (FUNÇÕES) REGULA A MARCHA (OS MOVIMENTOS GROSSEIROS E SIMÉTRICOS); REGULA A MARCHA (OS MOVIMENTOS GROSSEIROS E SIMÉTRICOS); RECEBE A PROPRIOCEPÇÃO INCONSCIENTE (Regula atividade muscular ); RECEBE A PROPRIOCEPÇÃO INCONSCIENTE (Regula atividade muscular ); NÚCLEOS GLOBOSO E EMBOLIFORME. NÚCLEOS GLOBOSO E EMBOLIFORME.

14 Paleocerebelo

15 NEOCEREBELO (FUNÇÕES) COORDENA OS MOVIMENTOS MAIS ELABORADOS; COORDENA OS MOVIMENTOS MAIS ELABORADOS; RECEBE A PROPRIOCEPÇÃO CONSCIENTE (percepção corporal, bem como a atividade muscular e movimento das articulações); RECEBE A PROPRIOCEPÇÃO CONSCIENTE (percepção corporal, bem como a atividade muscular e movimento das articulações); NÚCLEO DENTEADO. NÚCLEO DENTEADO.

16 Neocerebelo

17 DIVISÃO FILOGENÉTICA Arquicerebelo Arquicerebelo O primeiro a surgir na escala animal e compreende o lóbo flóculo-nodular. Mantém o equilíbrio corporal. Recebe também o nome de cerebelo vestibular.Núcleo fastigio. O primeiro a surgir na escala animal e compreende o lóbo flóculo-nodular. Mantém o equilíbrio corporal. Recebe também o nome de cerebelo vestibular.Núcleo fastigio. Paleocerebelo Paleocerebelo De origem intermediária e compreende o lobo anterior. Está relacionado com o controle da postura e do tônus muscular. É o cerebelo espinal. Núcleos globoso e emboliforme. De origem intermediária e compreende o lobo anterior. Está relacionado com o controle da postura e do tônus muscular. É o cerebelo espinal. Núcleos globoso e emboliforme. Neocerebelo Neocerebelo Aparece apenas nos mamíferos mais desenvolvidos sendo importante na coordenação e planejamento dos movimentos finos. É o cerebelo cortical.Núcleo denteado. Aparece apenas nos mamíferos mais desenvolvidos sendo importante na coordenação e planejamento dos movimentos finos. É o cerebelo cortical.Núcleo denteado.

18 CONSTITUIÇÃO Córtex Parte periférica formada por substância cinza Centro branco medular Parte central formada por substância branca

19 NÚCLEOS DO CEREBELO Denteado Globoso Emboliforme Fastigial No meio da substância branca encontramos massas de substância cinza, os núcleos fastigial,globoso,emboliforme e denteado.

20 CEREBELO - FUNÇÕES Segundo Bower e Parsons (2003) o cerebelo possui um importante papel na memória de curta duração, na atenção, no controle de atos impulsivos, nas emoções, nas funções cognitivas superiores, na habilidade de planejar tarefas e, possivelmente, até mesmo em condições especiais como esquizofrenia e o autismo. Segundo Bower e Parsons (2003) o cerebelo possui um importante papel na memória de curta duração, na atenção, no controle de atos impulsivos, nas emoções, nas funções cognitivas superiores, na habilidade de planejar tarefas e, possivelmente, até mesmo em condições especiais como esquizofrenia e o autismo.

21 Estrutura Interna do Cerebelo

22 DIVISÃO ONTOGENÉTICA (MACHADO, 1993)

23 Dois hemisférios e o verme Composição Verme (Arbor vitae)

24 Conformação Externa Várias fissuras e folhas. Várias fissuras e folhas. Margens ou bordas anterior e posterior. Margens ou bordas anterior e posterior. Incisuras anterior e posterior. Incisuras anterior e posterior.

25 - Asa do lóbulo central -Lobúlo Quadrangular Parte Anterior Parte Posterior -Lobúlo Semilunar Superior LÓBULO DOS HEMISFÉRIOS -Lobúlo Semilunar Inferior -Lobúlo Biventre -Tonsila - Flóculo

26 LÓBULOS DOS HEMISFÉRIOS

27

28

29

30

31

32 Face Súpero-Posterior Fissuras: Fissuras: Prima (primária) Prima (primária) Pós-clival Pós-clival Horizontal Horizontal Lóbulos: Lóbulos: Asas do lóbulo central Asas do lóbulo central Quadrangular, parte anterior. Quadrangular, parte anterior. Quadrangular, parte posterior. Quadrangular, parte posterior. Semilunar superior. Semilunar superior. Semilunar inferior. Semilunar inferior.

33 Face Inferior Fissuras: Fissuras: Pré-piramidal Pré-piramidal Pós-piramidal (secundária) Pós-piramidal (secundária) Póstero-lateral Póstero-lateral Lóbulos: Lóbulos: Biventre Biventre Tonsila Tonsila Flóculo Flóculo

34 -Língula LÓBULOS DO VERME -Nódulo -Úvula -Pirâmide -Túber -Folium -Declive -Cúlmen -Lóbulo Central

35 Verme FISSURAS FISSURAS Pré-central Pré-central Pré-culminar (pré-culminal) Pré-culminar (pré-culminal) Prima (primária) Prima (primária) Pós-clival Pós-clival Horizontal Horizontal Pré-piramidal Pré-piramidal Pós-piramidal (secundária) Pós-piramidal (secundária) Póstero-lateral Póstero-lateral

36 Fissura intra-biventre

37

38 (TESTUT & LATARJET, 1960)

39 LÓBULOS DO VERME

40

41

42 VARIAÇÃO

43 VARIAÇÃO

44 VARIAÇÃO

45 (LATARJET;LIARD, 1993)

46 (SNELL, 2003)

47 (KOPF-MAIER, 2000)

48 (WILLIAMS;WARWICK, 1995)

49 DIVISÃO ONTOGENÉTICA (MACHADO, 1993)

50 ARQUICEREBELO NÓDULO (VERME) NÓDULO (VERME) FLÓCULO (HEMISFÉRIO) FLÓCULO (HEMISFÉRIO)

51 PALEOCEREBELO VERME (língula, lóbulo central, cúlmen, pirâmide e úvula) VERME (língula, lóbulo central, cúlmen, pirâmide e úvula) HEMISFÉRIO (asa do lóbulo central, lóbulo quadrangular anterior) HEMISFÉRIO (asa do lóbulo central, lóbulo quadrangular anterior)

52 NEOCEREBELO VERME (declive, folium e túber) VERME (declive, folium e túber) HEMISFÉRIO ( lóbulo quadrangular posterior, lóbulo semilunar superior, lóbulo semilunar inferior, lóbulo biventre, tonsila) HEMISFÉRIO ( lóbulo quadrangular posterior, lóbulo semilunar superior, lóbulo semilunar inferior, lóbulo biventre, tonsila)

53 DISFUNÇÕES CEREBELARES Não acarretará distúrbios de consciência, paralisias nem alterações sensitivas, mas efeitos na atividade motora. Como as conexões cerebelares não são cruzadas, as lesões cerebelares têm alterações homolaterais. Não acarretará distúrbios de consciência, paralisias nem alterações sensitivas, mas efeitos na atividade motora. Como as conexões cerebelares não são cruzadas, as lesões cerebelares têm alterações homolaterais.

54 LESÕES (SINDROMES CEREBELARES) ARQUICEREBELO (+RARO) ARQUICEREBELO (+RARO) - TUMOR NO TETO DO 4°VENTRÍCULO; - INSTABILIDADE POSTURAL. PALEOCEREBELO PALEOCEREBELO (ALCOOLISMO CRÔNICO) - ALARGAMENTO DA MARCHA; - TREMORES NAS EXTREMIDADES (NO INÍCIO E NO TERMINO DO MOVIMENTO.

55 LESÕES (SINDROMES CEREBELARES) NEOCEREBELO ATAXIA (TREMORES NO COMEÇO E NO FINAL DO MOVIMENTO) ATAXIA (TREMORES NO COMEÇO E NO FINAL DO MOVIMENTO) ATAXIA CEREBELO 02.flv ATAXIA CEREBELO 02.flv ATAXIA CEREBELO 02.flv ATAXIA CEREBELO 02.flv Afeta principalmente as extremidades dos membros, acompanhando-se do desvio da marcha e do corpo para o lado da lesão. Afeta principalmente as extremidades dos membros, acompanhando-se do desvio da marcha e do corpo para o lado da lesão.

56 LESÕES (SINDROMES CEREBELARES) NEOCEREBELO DISDIADOCOCI NESIA (DIFICULDADE DE REALIZAR MOVIMENTOS RÁPIDOS E COORDENADO S) DISDIADOCOCI NESIA (DIFICULDADE DE REALIZAR MOVIMENTOS RÁPIDOS E COORDENADO S)

57 LESÕES (SINDROMES CEREBELARES) NEOCEREBELO DISMETRIA (DIFICULDADE EM APONTAR UM ALVO) DISMETRIA (DIFICULDADE EM APONTAR UM ALVO)

58 LESÕES (SINDROMES CEREBELARES) NEOCEREBELO RECHAÇO (DESCOORDE NAÇÃO MOTORA ENTRE OS M.m. AGONISTAS E ANTAGONIST AS) RECHAÇO (DESCOORDE NAÇÃO MOTORA ENTRE OS M.m. AGONISTAS E ANTAGONIST AS)

59 LESÕES (SINDROMES CEREBELARES) NEOCEREBELO NISTAGMO (É UMA DESCOORDENAÇÃO DOS M.m. DO GLOBO OCULAR, NOS SENTIDOS HORIZONTAL, VERTICAL OU CIRCULAR) NISTAGMO (É UMA DESCOORDENAÇÃO DOS M.m. DO GLOBO OCULAR, NOS SENTIDOS HORIZONTAL, VERTICAL OU CIRCULAR) Nistagmo0001.flv Nistagmo0001.flv Nistagmo0001.flv DISARTRIA (É UMA DESCOORDENAÇÃO NOS M.m. DA LARINGE. FALA LENTA E INDISTINTA) DISARTRIA (É UMA DESCOORDENAÇÃO NOS M.m. DA LARINGE. FALA LENTA E INDISTINTA) DECOMPOSIÇÃO DE MOVIMENTOS (É A FRAGMENTAÇÃO DOS MOVIMENTOS ARTICULAÇÃO POR ARTICULAÇÃO) DECOMPOSIÇÃO DE MOVIMENTOS (É A FRAGMENTAÇÃO DOS MOVIMENTOS ARTICULAÇÃO POR ARTICULAÇÃO)

60 Muito Obrigado!!! Muito Obrigado!!!

61

62 O verme é descrito como sendo uma porção ímpar e mediana na qual se fixam os hemisférios cerebelares, tanto verme quanto os hemisférios são formados por folhas que agrupadas são chamadas de lóbulos. O verme é descrito como sendo uma porção ímpar e mediana na qual se fixam os hemisférios cerebelares, tanto verme quanto os hemisférios são formados por folhas que agrupadas são chamadas de lóbulos. O Material analisado consistiu em uma amostra representada por 40 cerebelos adultos, de ambos os sexos, fixados em formaldeído a 10% e cortados medialmente. O Material analisado consistiu em uma amostra representada por 40 cerebelos adultos, de ambos os sexos, fixados em formaldeído a 10% e cortados medialmente. A língula esteve presa ao véu medular superior em 100% dos cerebelos, variando apenas em tamanho. Encontrou-se em 80% dos cerebelos o lóbulo central contendo uma folha, 7,5% dos cerebelos contendo duas folhas sendo a primeira maior que a segunda, 10% dos cerebelos contendo duas folhas sendo a segunda maior que a primeira e em 2,5% dos cerebelos contendo duas folhas de tamanhos equivalentes. Foi observado que em 5% dos cerebelos o folium teve origem no declive. Verificou-se que em 47,5% dos cerebelos o folium teve origem isoladamente na substância branca central. Foi observado em 42,5% o folium teve origem no túber. Na não foi verificado, na amostra estudada, nenhuma variação dos lóbulos cúlmen pirâmide, úvula e nódulo. A língula esteve presa ao véu medular superior em 100% dos cerebelos, variando apenas em tamanho. Encontrou-se em 80% dos cerebelos o lóbulo central contendo uma folha, 7,5% dos cerebelos contendo duas folhas sendo a primeira maior que a segunda, 10% dos cerebelos contendo duas folhas sendo a segunda maior que a primeira e em 2,5% dos cerebelos contendo duas folhas de tamanhos equivalentes. Foi observado que em 5% dos cerebelos o folium teve origem no declive. Verificou-se que em 47,5% dos cerebelos o folium teve origem isoladamente na substância branca central. Foi observado em 42,5% o folium teve origem no túber. Na não foi verificado, na amostra estudada, nenhuma variação dos lóbulos cúlmen pirâmide, úvula e nódulo. Sendo comum a dificuldade em identificar os lóbulos do verme pelos acadêmicos, em virtude das variações, que dificultam e interferem negativamente no processo aprendizagem, o presente trabalho poderá servir como instrumento para facilitar a identificação dos lóbulos do verme, tendo como objetivo verificar a morfologia dos lóbulos. Sendo comum a dificuldade em identificar os lóbulos do verme pelos acadêmicos, em virtude das variações, que dificultam e interferem negativamente no processo aprendizagem, o presente trabalho poderá servir como instrumento para facilitar a identificação dos lóbulos do verme, tendo como objetivo verificar a morfologia dos lóbulos. (BISPO et al., 2006)


Carregar ppt "Prof. Rodrigo Freitas Monte Bispo DISCIPLINA ANATOMIA HUMANA CURSO DE ENFERMAGEM CURSO DE ENFERMAGEM Anatomia do Cerebelo."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google