A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Anatomo-Fisiologia Humana I 15.º CLE Turma T1 Docente: Dr. Manuel Bento Universidade de Évora Escola Superior de Enfermagem S. João de Deus Discentes:

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Anatomo-Fisiologia Humana I 15.º CLE Turma T1 Docente: Dr. Manuel Bento Universidade de Évora Escola Superior de Enfermagem S. João de Deus Discentes:"— Transcrição da apresentação:

1 Anatomo-Fisiologia Humana I 15.º CLE Turma T1 Docente: Dr. Manuel Bento Universidade de Évora Escola Superior de Enfermagem S. João de Deus Discentes: Fátima Pinto; Fátima Pinto; Liliana Sousa; Sandra Silva; Tiago Madeira. Coluna Vertebral eBacia Outubro de 2007

2 ESESJD - Universidade de Évora; Anatomofisiologia Humana I - Docente: Dr. Manuel Bento 15.º CLE 2 Objectivos Caracterizar cada tipo de vértebras;Caracterizar cada tipo de vértebras; Compreender as diferenças existentes entre os diferentes tipos de vértebras;Compreender as diferenças existentes entre os diferentes tipos de vértebras; Caracterizar o sacro e o cóccix;Caracterizar o sacro e o cóccix; Descrever as quatro principais curvaturas da coluna vertebral.Descrever as quatro principais curvaturas da coluna vertebral. Descrever a estrutura e constituição óssea da bacia;Descrever a estrutura e constituição óssea da bacia; Descrever a diferença entre a pélvis masculina e feminina.Descrever a diferença entre a pélvis masculina e feminina.

3 ESESJD - Universidade de Évora; Anatomofisiologia Humana I - Docente: Dr. Manuel Bento 15.º CLE 3 Introdução Esqueleto Humano Caixa Craniana Coluna Vertebral Caixa Torácica Cintura Escapular Cintura Pélvica Esqueleto dos Membros Esqueleto Axial Esqueleto Apendicular

4 ESESJD - Universidade de Évora; Anatomofisiologia Humana I - Docente: Dr. Manuel Bento 15.º CLE 4 Coluna Vertebral Plano Geral das Vértebras A vértebra é um osso curto, ímpar, mediano e simétrico. Constituída por 7 elementos básicos: 4ª vértebra lombar Vista superior 12ª vértebra torácica Vista lateral 4ª vértebra lombar Vista anterior 1. Corpo: É a maior parte da vértebra. É único, mediano e está voltado ventralmente. É representado por um segmento cilíndrico, apresentando uma face superior e outra inferior. FUNÇÃO: Sustentação. 2. Apófise Espinhosa: É a parte do arco ósseo que se situa mediana e posteriormente, no ponto de junção entre as duas lâminas FUNÇÃO: Movimentação. 3. Apófise Transversa: São 2 prolongamentos laterais, direito e esquerdo, que se projectam transversalmente de cada lado do ponto de união do pedículo com a lâmina. FUNÇÃO: Movimentação. 4. Apófises Articulares: São quatro: duas superiores e duas inferiores. São saliências que se destinam à articulação das vértebras entre si. FUNÇÃO: Resistência. 5. Lâminas: São duas, uma direita e outra esquerda; Ligam a apófise espinhosa à apófise transversa. FUNÇÃO: Protecção. 6. Pedículos: São partes mais estreitadas; Ligam a apófise transversa ao corpo vertebral. FUNÇÃO: Protecção. 7. Buraco Vertebral: Situado posteriormente ao corpo vertebral; Limitado lateral e posteriormente pelo arco ósseo. FUNÇÃO: Protecção Figura 1

5 ESESJD - Universidade de Évora; Anatomofisiologia Humana I - Docente: Dr. Manuel Bento 15.º CLE 5 Coluna Vertebral Apófise Espinhosa Apófises Transversas Apófises Articulares Pedículos Lâminas Buraco Vertebral Corpo Vertebral Figura 4 Figura 3 Figura 2 4ª vértebra lombar Vista superior 4ª vértebra lombar Vista anterior 12ª vértebra torácica Vista lateral

6 ESESJD - Universidade de Évora; Anatomofisiologia Humana I - Docente: Dr. Manuel Bento 15.º CLE 6 Coluna Vertebral Abertura lateral entre duas vértebras adjacentes, pela qual os nervos raquidianos saem do canal vertebral. Figura 5 Buracos de conjugação: Figura 7 – Ramos dos Nervos Raquidianos da região lombar e sacrococcígea Figura 8 – Origem do Nervo Raquidiano através de uma vértebra lombar

7 ESESJD - Universidade de Évora; Anatomofisiologia Humana I - Docente: Dr. Manuel Bento 15.º CLE 7 Coluna Vertebral Vértebras Cervicais: –Têm corpos muito pequenos; –Apófises espinhosas parcialmente bífidas; –Em cada apófise transversa existe um buraco transversal pelo qual as artérias vertebrais se dirigem para a cabeça. –Apenas as vértebras cervicais têm buracos transversais. Diferenças regionais das vértebras As vértebras de cada região da coluna vertebral tem características específicas que tendem a estabelecer-se nas fronteiras entre regiões. Figura 9 5ª vértebra cervical Vista superior

8 ESESJD - Universidade de Évora; Anatomofisiologia Humana I - Docente: Dr. Manuel Bento 15.º CLE 8 Coluna Vertebral Vértebras Cervicais (C): A primeira vértebra cervical chama-se Atlas (C1). –Não tem corpo nem apófise espinhosa; –Tem grandes facetas articulares superiores. Esta articulação permite mover a cabeça no movimento de afirmação ou movê-la de um lado para o outro. Figura 11Figura 10

9 ESESJD - Universidade de Évora; Anatomofisiologia Humana I - Docente: Dr. Manuel Bento 15.º CLE 9 Coluna Vertebral Vértebras Cervicais: A segunda vértebra cervical chama-se Áxis (C2) porque nela ocorre uma porção do movimento de rotação tipo negação. A áxis tem na parte superior do seu pequeno corpo uma apófise altamente modificada que se chama apófise odontóide. Esta entra no buraco vértebral alargado do atlas, o qual roda em torno desta apófise. Figura 12

10 ESESJD - Universidade de Évora; Anatomofisiologia Humana I - Docente: Dr. Manuel Bento 15.º CLE 10 Coluna Vertebral Vértebras Cervicais: 7ª vértebra cervical (C7) ou proeminente: - Vértebra de transição entre a zona cervical e torácica; - A apófise espinhosa é muito desenvolvida e não bífida - As apófises transversas possuem um buraco transverso pouco desenvolvido; - O corpo poderá apresentar uma faceta articular para a cabeça da 1ªcostela. Figura 15Figura 16 Figura 13 Figura 14

11 ESESJD - Universidade de Évora; Anatomofisiologia Humana I - Docente: Dr. Manuel Bento 15.º CLE 11 Coluna Vertebral Vértebras Torácicas (T): Têm apófises espinhosas longas e finas; Apófises transversas compridas. As primeiras 10 vértebras torácicas têm nas suas apófises transversas facetas articulares pelas quais se articulam com as tuberosidades das costelas. Nos bordos superior e inferior do corpo há ainda facetas adicionais onde se articulam as cabeças das costelas. Figura 17Figura 18Figura 19 Figura 20

12 ESESJD - Universidade de Évora; Anatomofisiologia Humana I - Docente: Dr. Manuel Bento 15.º CLE 12 Coluna Vertebral Vértebras Lombares (L): Têm corpos largos e espessos; Apófises espinhosas fortes e rectangulares. As apófises articulares superiores estão internamente viradas uma para a outra e as apófises articulares inferiores viram-se externamente. Quando a superfície articular superior de uma vértebra lombar se articula com a superfície articular inferior da outra vértebra lombar tomam uma disposição que aumenta a força da parte inferior da coluna vertebral e limita a rotação das vértebras lombares. Figura 21Figura 22 Figura 23

13 ESESJD - Universidade de Évora; Anatomofisiologia Humana I - Docente: Dr. Manuel Bento 15.º CLE 13 Coluna Vertebral Vértebras Sagradas ou Sacro (S): Osso ímpar, mediano e simétrico, resultante da fusão de cinco vértebras sagradas. Possui uma face anterior, uma posterior, duas laterais, uma base e um vértice. Figura 25 visão antero-inferior Figura 26 visão posterior Face anterior: Buracos sagrados anteriores por onde passam os ramos anteriores dos nervos sagrados; Face posterior: Buracos sagrados posteriores por onde passam os ramos posteriores dos nervos sagrados; Faces laterais: com superfícies articulares para os ossos coxais – as asas do sacro – e as apófises articulares do sacro que se articulam com as apófises articulares inferiores da 5ª vértebra lombar. Base: na linha mediana apresenta a face superior do corpo da 1ª vértebra sagrada que se articula com a face inferior do corpo da 5ª vértebra lombar. Vértice: que se continua com o cóccix. Figura 27 visão mediana Figura 28 visão lateral A margem anterior do corpo da primeira vértebra sagrada emerge para formar o promontório sagrado, ponto de referência que separa a cavidade abdominal da cavidade pélvica. Figura 29 visão superior As apófises espinhosas das primeiras 4 vértebras sagradas são mais ou menos projecções distintas na parte dorsal do osso, que se designam por crista sagrada. A apófise espinhosa da 5ª vértebra não se forma, deixando um hiato sagrado na parte inferior do sacro.

14 ESESJD - Universidade de Évora; Anatomofisiologia Humana I - Docente: Dr. Manuel Bento 15.º CLE 14 Coluna Vertebral Cóccix: ÍmparmedianosimétricoÍmpar, mediano e simétrico; Consiste usualmente em 4 vértebras mais ou menos fundidas, que formam um triângulo, com o vértice orientado inferiormente É a porção mais inferior da coluna vertebral; 2 faces2 faces, uma anterior (côncava), e uma posterior (convexa). 2 bordos2 bordos, um direito e um esquerdo. Base superior articula-se com o sacro; apófisesNão possui buracos vertebrais nem apófises bem desenvolvidas; Figura 30 Visão póstero-inferior Figura 31 Visão ântero-superior

15 ESESJD - Universidade de Évora; Anatomofisiologia Humana I - Docente: Dr. Manuel Bento 15.º CLE 15 Coluna Vertebral Longa haste óssea situada na linha mediana da parte posterior do tronco que aloja a espinal medula. Constituída por 26 ossos, que se podem dividir em 4 regiões: –Região Cervical com 7 vértebras; –Região Dorsal com 12 vértebras; –Região Lombar com 5 vértebras; –Região Sacro-coccígea. Sacro Sacro – resulta da soldadura de 5 vértebras. Cóccix Cóccix – resulta da soldadura de 4 ou 5 vértebras. Vértebras soldadas Vértebras livres ou soltas

16 ESESJD - Universidade de Évora; Anatomofisiologia Humana I - Docente: Dr. Manuel Bento 15.º CLE 16 Coluna Vertebral Discos Intervertebrais Localização: entre os corpos das vértebras adjacentes. Função: proporcionar um suporte adicional e evitar que os corpos vertebrais façam atrito uns contra os outros. Constituição: formados por um anel fibroso exterior e um núcleo pulposo, interior e gelatinoso. Curiosidade: Com a idade o disco vai sendo comprimido de tal modo que diminui a distância entre vértebras e assim a altura total do indivíduo também diminui. Figura 6 Figura 5

17 ESESJD - Universidade de Évora; Anatomofisiologia Humana I - Docente: Dr. Manuel Bento 15.º CLE 17 Coluna Vertebral 4 curvaturas A coluna vertebral adulta tem 4 curvaturas principais (duas das curvaturas aparecem durante o desenvolvimento embrionário e reflectem a forma de C do embrião e do feto no útero) : Curvaturas Antero-Posteriores: Curvatura cervical de convexidade anterior;Curvatura cervical de convexidade anterior; Curvatura dorsal de convexidade posterior;Curvatura dorsal de convexidade posterior; Curvatura lombar de convexidade anterior;Curvatura lombar de convexidade anterior; Curvatura sacrococcígea de convexidade posterior;Curvatura sacrococcígea de convexidade posterior; As curvaturas de convexidade anterior são adquiridas: Cifose – acentuação da curvatura dorsal; Lordose – acentuação da curvatura lombar;

18 ESESJD - Universidade de Évora; Anatomofisiologia Humana I - Docente: Dr. Manuel Bento 15.º CLE 18 Coluna Vertebral Curvatura cervical de convexidade anterior Curvatura dorsal de convexidade posterior Curvatura lombar de convexidade anterior Curvatura sacrococcígea de convexidade posterior Cervical Torácica Lombar Sacro-Cóccix Lordose Cifose Figura 34

19 ESESJD - Universidade de Évora; Anatomofisiologia Humana I - Docente: Dr. Manuel Bento 15.º CLE 19 Coluna Vertebral Curvaturas laterais: Curvatura cervical de convexidade esquerda; Curvatura dorsal de convexidade direita; Curvatura lombar de convexidade esquerda; A curvatura dorsal é primitiva e as cervical e lombar de compensação: EscolioseEscoliose – acentuação das curvaturas laterais. Curvatura cervical de convexidade esquerda Curvatura dorsal de convexidade direita Curvatura lombar de convexidade esquerda Figura 35 – vista anterior Figura 36 – vista posterior

20 ESESJD - Universidade de Évora; Anatomofisiologia Humana I - Docente: Dr. Manuel Bento 15.º CLE 20 Coluna Vertebral A coluna vertebral desempenha 5 funções principais: Suporta o peso da cabeça e do tronco;Suporta o peso da cabeça e do tronco; Protege a medula espinal;Protege a medula espinal; Permite aos nervos raquidianos saírem da espinal medula;Permite aos nervos raquidianos saírem da espinal medula; Proporciona um local de inserção muscular;Proporciona um local de inserção muscular; Permite o movimento da cabeça e do tronco.Permite o movimento da cabeça e do tronco.

21 ESESJD - Universidade de Évora; Anatomofisiologia Humana I - Docente: Dr. Manuel Bento 15.º CLE 21 Coluna Vertebral Figura 37

22 ESESJD - Universidade de Évora; Anatomofisiologia Humana I - Docente: Dr. Manuel Bento 15.º CLE 22 Cintura Pélvica A cintura pélvica é constituída por: –coluna sacro-coccígea; –ossos coxais; –articulações e ligamentos. Figura 38 Vista superior da Cintura Pélvica

23 ESESJD - Universidade de Évora; Anatomofisiologia Humana I - Docente: Dr. Manuel Bento 15.º CLE 23 Cintura Pélvica Osso Ilíaco ou Coxal: Osso par, plano e irregular; Constituído por: Figura 39 Três Porções Ílion Ísquion Pubis Duas Faces Externa Interna Quatro Bordos Superior Inferior Anterior Posterior Quatro Ângulos Antero Superior Postero-Superior Antero-Inferior Postero-Inferior

24 ESESJD - Universidade de Évora; Anatomofisiologia Humana I - Docente: Dr. Manuel Bento 15.º CLE 24 Cintura Pélvica Ilíon: Ilíon: Constitui a parte superior do ilíaco; É constituído pela asa e pelo corpo. Apresenta na parte superior do osso uma crista longa e curva – a crista ilíaca; Apresenta a linha inominada ou ílio- pectínia. Figura 41 Púbis: Púbis: Parte mais interna e anterior; Está ligado ao ílion pelo ramo íliopúbico e ao ísquion pelo ramo isquiopúbico; Une-se com o seu homólogo, pela sínfise púbica.

25 ESESJD - Universidade de Évora; Anatomofisiologia Humana I - Docente: Dr. Manuel Bento 15.º CLE 25 Cintura PélvicaÍsquion: Trata-se da porção posterior e inferior do osso ilíaco; Encontra-se subdividido em: –Corpo do ísquion; –Ramo isquiopúbico; –Tuberosidade do ísquion. É a porção mais forte do osso íliaco, sendo a parte que suporta o peso do indivíduo quando este está sentado; Figura 41

26 ESESJD - Universidade de Évora; Anatomofisiologia Humana I - Docente: Dr. Manuel Bento 15.º CLE 26 Cintura Pélvica Faces: ´ Face externa:Face externa: –Asa Ilíaca ou Fossa ilíaca externa, superiormente localizada: –Linha glútea posterior; –Linha glútea anterior; Face Glútea –Linha glútea inferior. –Cavidade do Acetábulo: Grande cavidade articular constituída pela união dos três ossos coxais; Apresenta as seguintes estruturas: –Face semilunar; –Fossa do acetábulo; –Incisura do acetábulo. –Buraco obturado: Grande abertura arredondada localizada entre o ísquion e o púbis cuja principal função é a de aliviar o peso do osso ilíaco. Figura 41 Figura 42

27 ESESJD - Universidade de Évora; Anatomofisiologia Humana I - Docente: Dr. Manuel Bento 15.º CLE 27 Cintura Pélvica Face interna: Fossa Ilíaca: face grande, lisa e côncava; Face Auricular; Linha Inominada: que separa a fossa ilíaca interna e o buraco obturado, dividindo o ílion em corpo e asa. Figura 43

28 ESESJD - Universidade de Évora; Anatomofisiologia Humana I - Docente: Dr. Manuel Bento 15.º CLE 28 Cintura Pélvica Bordos: Bordo Superior Crista Ilíaca: lábio externo e interno e uma linha intermediária. Bordo Anterior Espinha Ilíaca antero-superior; Espinha Ilíaca antero-inferior; Eminência Iliopúbica: ponto de união do ílio com o púbis. Bordo Posterior Espinha Ilíaca postero-superior; Espinha Ilíaca postero-inferior; Incisura Isquiática Maior – superior à espinha isquiática; Espinha Isquiática – eminência triangular fina e pontiaguda; Incisura Isquiática Menor – inferior à espinha isquiática; Túber Isquiático – grande saliência dilatada. Bordo Inferior Ramo do Isquiopúbico - união do ísquion com o púbis Figura 43

29 ESESJD - Universidade de Évora; Anatomofisiologia Humana I - Docente: Dr. Manuel Bento 15.º CLE 29 Cintura PélvicaÂngulos: Ângulo antero-superior – espinha ilíaca antero-superior; Ângulo postero-superior – espinha ilíaca postero-superior; Ângulo antero-inferior – faceta ovalar para se articular com a faceta similar do outro osso coxal originando a sínfise púbica; Ângulo postero-inferior ou tuberosidade isquiática. Figura 43

30 ESESJD - Universidade de Évora; Anatomofisiologia Humana I - Docente: Dr. Manuel Bento 15.º CLE 30 Cintura Pélvica O conjunto dos dois ossos coxais e o sacro constituem a bacia, cuja superfície exterior mostra anteriormente localizada na linha mediana a sínfise púbica. Figura 44: Ligações ósseas da pelve, articulações do cíngulo do membro inferior e articulação lombossacral no homem; vista ântero-inferior

31 ESESJD - Universidade de Évora; Anatomofisiologia Humana I - Docente: Dr. Manuel Bento 15.º CLE 31 Cintura Pélvica A superfície interior divide-se em: grande bacia, localizada superiormente: - Situa-se entre as duas fossas ilíacas e as asas do sacro. É parcialmente rodeada por osso nos lados posterior e laterais. pequena bacia, localizada inferiormente limitada: - posteriormente pelo sacro e pelo cóccix; - lateralmente pelo ísquion e pela parte do ílion situada abaixo da linha inominada; - anteriormente, pela sínfise púbica e pela parte que delimita o buraco obturado. Figura 45

32 ESESJD - Universidade de Évora; Anatomofisiologia Humana I - Docente: Dr. Manuel Bento 15.º CLE 32 Cintura Pélvica Pélvis Feminina Pélvis Feminina Mais larga e leve mas, mais curta no sentido vertical e menos afunilada; os pontos de inserção muscular são menos óbvios Mais largo, com a parte inferior orientada mais posteriormente Estreitos mais amplos (o que é consistente com a necessidade de o feto ter que atravessar estas aberturas durante o trabalho de parto); tem forma oval Mais largo e menos fundo Igual ou superior a 90º Menos fundo Mais afastadas Viradas externamente Área Pélvis Masculina Geral Mais maciça (em consequência do maior peso e tamanho do homem); pontos de inserção mais óbvios Sacro Promontório sagrado mais saliente para diante; mais estreito Estreito superior da bacia Em forma de coração Estreito inferior da bacia Menos largo e mais fundo Ângulo infrapúbico Inferior a 90º Ílion Mais fundo Espinhas ciáticas Menos afastadas Tuberosidades isqui á ticas Viradas internamente Figura - 46.a e 46.b

33 ESESJD - Universidade de Évora; Anatomofisiologia Humana I - Docente: Dr. Manuel Bento 15.º CLE 33 Cintura Pélvica A Cintura Pélvica desempenha 2 funções principais: Suportar o peso do corpo; Proteger órgãos internos.

34 ESESJD - Universidade de Évora; Anatomofisiologia Humana I - Docente: Dr. Manuel Bento 15.º CLE 34Conclusões Coluna Vertebral Uma vértebra típica é constituída por 7 elementos básicos. É possível reconhecer diferentes tipos de vértebras. A coluna vertebral dá um suporte flexível e protege a espinal medula. A coluna vertebral tem 4 curvaturas principais: cervical, torácica, lombar e sacro-coccígea. Cintura Pélvica A cintura pélvica é formada pelos ilíacos e pelo sacro. Cada ilíaco é formado pela fusão do ílion, ísquion e púbis. Através da linha inominada podemos dividir a bacia em: grande e pequena bacia. A pélvis masculina é diferente da pélvis feminina.

35 ESESJD - Universidade de Évora; Anatomofisiologia Humana I - Docente: Dr. Manuel Bento 15.º CLE 35 Bibliografia Netter, Frank H. (2000). Atlas de Anatomia Humana. (2ª Ed.). Porto Alegre: Artmed. Putz, R. & Pabast, R. (2000). Sobotta Atlas de Anatomia Humana – vol 2. (21ª Ed.). Rio de Janeiro: Guanabara Koogan. Seeley, Rod., Stephens, Trend D., Tape, Philip (1997). Anatomia & Fisiologia. (3ª Ed.). Lisboa: Lusodidacta.


Carregar ppt "Anatomo-Fisiologia Humana I 15.º CLE Turma T1 Docente: Dr. Manuel Bento Universidade de Évora Escola Superior de Enfermagem S. João de Deus Discentes:"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google