A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

1 Conceito e Cálculo dos Agregados Macroeconômicos SNW.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "1 Conceito e Cálculo dos Agregados Macroeconômicos SNW."— Transcrição da apresentação:

1 1 Conceito e Cálculo dos Agregados Macroeconômicos SNW

2 2 Agregados Macroeconômicos São assim genericamente chamados, os resultados da mensuração da atividade econômica como um todo.São assim genericamente chamados, os resultados da mensuração da atividade econômica como um todo. Não se trata mais de se ter como referência, o agente econômico individualmente considerado: a unidade familiar, o produtor, o investidor, o exportador, ou um órgão de governo. Nem as remunerações recebidas pelos agentes econômicos individuais ou as pagas por alguns bens e serviços.Não se trata mais de se ter como referência, o agente econômico individualmente considerado: a unidade familiar, o produtor, o investidor, o exportador, ou um órgão de governo. Nem as remunerações recebidas pelos agentes econômicos individuais ou as pagas por alguns bens e serviços. É a dimensão TOTAL – o todo, não as partes isoladamente consideradas.É a dimensão TOTAL – o todo, não as partes isoladamente consideradas. Para se chegar a essas grandes somas – os agregados – os economistas recorrem a um conjunto de convenções, agrupando recursos, agentes, atividades produtivas, transações, variáveis-fluxo e variáveis-estoque. São então elaborados os levantamentos estatísticos e feitos os processos de contabilização em termos agregados.Para se chegar a essas grandes somas – os agregados – os economistas recorrem a um conjunto de convenções, agrupando recursos, agentes, atividades produtivas, transações, variáveis-fluxo e variáveis-estoque. São então elaborados os levantamentos estatísticos e feitos os processos de contabilização em termos agregados. À metodologia sistematizada de levantamentos e de contabilização do todo, dá-se a denominação de Contabilidade Social: um conjunto de grandes contas em que se contabilizam todas as transações que compõem a vida econômica de uma nação. E ainda as transações entre as nações.À metodologia sistematizada de levantamentos e de contabilização do todo, dá-se a denominação de Contabilidade Social: um conjunto de grandes contas em que se contabilizam todas as transações que compõem a vida econômica de uma nação. E ainda as transações entre as nações.

3 3 Conceitos básicos da Contabilidade Social: Valor Adicionado, Renda e Dispêndio

4 4 O processo de produção e o conceito de valor adicionado O valor adicionado é expresso pela diferença entre saídas e suprimentos! Figura 1

5 5 A composição do valor adicionado: O Conceito de Renda Nacional Pagamentos procedentes de outras empresas e custo dos fatores pertencentes a unidades familiares: uma diferenciação básica para compreensão do conceito de renda! Figura 2

6 6 A destinação da renda: O Conceito de Dispêndio Nacional Categorias básicas de fluxos macroeconômicos. Categorias básicas de fluxos macroeconômicos. A interdependência dos conceitos de Produto, Renda e Dispêndio Nacional. A interdependência dos conceitos de Produto, Renda e Dispêndio Nacional. Figura 3

7 7 Uma aproximação simplificada: Apenas 2 Agentes Econômicos Considerando os conceitos macroeconômicos básicos de: valor adicionado, produto, renda e dispêndio, e a classificação das atividades produtivas em 3 categorias: primárias, secundárias e terciárias, os valores totalizados das saídas foram, em bilhões de $ = 950 bilhões. Tabela 1 Os Fluxos do Produto

8 8 Esse não é o valor do Produto Nacional. Constitui uma superestimação, pois inclui as transações intra e inter-atividades. Pela importância deste conceito, vejamos a observação de F. Brooman*: Esse não é o valor do Produto Nacional. Constitui uma superestimação, pois inclui as transações intra e inter-atividades. Pela importância deste conceito, vejamos a observação de F. Brooman*: Se o valor de todas as mercadorias for somado, o total será superior ao do Produto Nacional, porque algumas mercadorias são utilizadas na produção de outras. O preço de um pão, por exemplo, tem de incluir o valor da farinha de que foi feito; o preço da farinha tem de incluir o valor do trigo nela transformado. Assim, juntar o valor do trigo cultivado, da farinha e do pão é contar o valor da farinha duas vezes e o do trigo três vezes. Se essa contagem múltipla dos produtos intermediários não for eliminada de alguma forma, o valor do Produto Nacional será evidentemente superestimado. Se o valor de todas as mercadorias for somado, o total será superior ao do Produto Nacional, porque algumas mercadorias são utilizadas na produção de outras. O preço de um pão, por exemplo, tem de incluir o valor da farinha de que foi feito; o preço da farinha tem de incluir o valor do trigo nela transformado. Assim, juntar o valor do trigo cultivado, da farinha e do pão é contar o valor da farinha duas vezes e o do trigo três vezes. Se essa contagem múltipla dos produtos intermediários não for eliminada de alguma forma, o valor do Produto Nacional será evidentemente superestimado. (*apud ROSSETTI, José Paschoal. Introdução à Economia. São Paulo: Atlas, 2007) (*apud ROSSETTI, José Paschoal. Introdução à Economia. São Paulo: Atlas, 2007) Uma aproximação simplificada: Apenas 2 Agentes Econômicos

9 9 Olhando para as atividades primárias, vemos que, das saídas estimadas em $150 bilhões, deduziram-se os suprimentos intermediários sob a forma de insumos adquiridos ($15 bi do próprio setor, $25 bi do industrial e $50 bi do de serviços, totalizando $90 bi). Os $150 bi, menos os $90 bi, correspondem ao produto das atividades primárias: $60 bilhões. Aplicando-se o mesmo raciocínio às outras atividades, chega-se aos totais de $110 e $130 bilhões, respectivamente. Somando-se então as parcelas de valores adicionados por todas as empresas das 3 atividades, cheda-se ao valor do agregado do Produto Nacional: $300 bilhões (bem inferior à estimativa de $950 bi). Tabela 2

10 10 Tabela 3: Tabela 3: Uma hipótese do valor dos bens e serviços finais resultantes das atividades produtivas = valor total da produção (-) fornecimentos intermediários. Uma hipótese do valor dos bens e serviços finais resultantes das atividades produtivas = valor total da produção (-) fornecimentos intermediários. Uma aproximação simplificada: Apenas 2 Agentes Econômicos Tabela 3 A soma do valor dos bens e serviços finais produzidos, $300 bilhões, é igual à totalização dos valores adicionados. Conceitualmente, o Produto Nacional expressa a soma dos bens e serviços finais produzidos pela economia.

11 11 Uma aproximação simplificada: Apenas 2 Agentes Econômicos Figura 4

12 12 Uma aproximação simplificada: Apenas 2 Agentes Econômicos Tabela 4: Uma hipótese de composição do valor adicionado: o custo dos fatores por atividade produtiva. Os Fluxos da Renda A Tabela 4 mostra o segundo caminho para o cálculo do agregado macroeconômico do Produto Nacional: a abertura do valor adicionado, segundo os custos dos fatores que o totalizam. É a totalização dos fluxos de renda gerados internamente pelas empresas, durante o processamento da produção e pagos às unidades familiares: salários (remuneração do fator trabalho), aluguéis, arrendamentos, juros e depreciações (remuneração do fator capital) e lucros (remuneração da capacidade de empreendimento).

13 13 Uma aproximação simplificada: Apenas 2 Agentes Econômicos Os Fluxos da Renda Do ponto de vista da Contabilidade Social, as depreciações têm o significado de reduções de riqueza acumulada. Elas indicam o valor estimado do desgaste, da obsolescência, e dos danos acidentais a que estão sujeitos os bens de capital mobilizados no processamento da produção. São lançadas nas estruturas de custos das empresas (contabilização dos custos), como uma forma de se auto-ressarcir pelo desgaste havido nos bens de capital, em que foram feitos os investimentos, ao longo do tempo. Daí porque as depreciações são deduzidas dos investimentos brutos, para a aferição dos investimentos líquidos. São assim deduzidas do Produto Nacional para se chegar ao Produto Nacional Líquido.

14 14 Uma aproximação simplificada: Apenas 2 Agentes Econômicos Os Fluxos do Dispêndio Tabela 5 Atividades Bens e serviços Produtivas finaisConsumoAcumulação produzidos Primárias Secundárias Terciárias Total Uma hipótese de destinação da renda agregada: o consumo e a acumulação de bens e serviços finais. Está indicada a composição do Produto Nacional, conforme as duas categorias principais de bens e serviços finais (e por atividade produtiva): $250 bilhões foram bens e serviços de consumo; $50 bilhões, bens e serviços destinados à acumulação.

15 15 Uma aproximação simplificada: Apenas 2 Agentes Econômicos Os Fluxos do Dispêndio Figura 5 Aqui resume-se os 3 conceitos de Fluxos Macroeconômicos: PN – Depreciações = PNL, que equivale à Renda Nacional. Uma parte desta é consumida; a outra é poupada. A Poupança e a Depreciação são as fontes do processo de acumulação que, somado ao consumo, totaliza o Dispêndio Nacional.


Carregar ppt "1 Conceito e Cálculo dos Agregados Macroeconômicos SNW."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google