A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

CONTABILIDADE NACIONAL E AGREGADOS MACROECONÔMICOS.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "CONTABILIDADE NACIONAL E AGREGADOS MACROECONÔMICOS."— Transcrição da apresentação:

1 CONTABILIDADE NACIONAL E AGREGADOS MACROECONÔMICOS

2 Contabilidade Nacional e Agregados Macroeconômicos Contabilidade Nacional Um Instrumental que permite mensurar a totalidade das atividades econômicas. ESSE INSTRUMENTO DEVE-SE AOS TRABALHOS DE SIMON KUZNETS E RICARD STONE NAS DÉCADAS DE 20, 30 E 40.

3 Evolução da Contabilidade Nacional ou Contabilidade Social no Brasil Entre 1947 e 1985, as contas nacionais do Brasil foram calculadas anualmente pela Fundação Getúlio Vargas; Desde dezembro de 1986, essa tarefa passou aos cuidados do IBGE. (metodologia recomendada pela ONU)

4 SISTEMA DE CONTAS NACIONAIS (constituído de quatro contas) Produto Interno Bruto Produto Interno Bruto: corresponde à atividade de produção; Renda Nacional Disponível Bruta Renda Nacional Disponível Bruta: relativa às atividades de apropriação; Conta de Capital Conta de Capital: detalha as atividades de acumulação; Conta de Transações Correntes com o Resto do Mundo Conta de Transações Correntes com o Resto do Mundo: registra as relações do Brasil com os demais países.

5 Contabilidade Nacional e Agregados Macroeconômicos Fatores de Produção Fatores de Produção – são os recursos utilizados na produção de bens e serviços (terra – capital – trabalho). Produção – é a atividade social que visa adaptar a natureza para a criação de bens e serviços que permitam a satisfação das necessidades humanas;

6 Contabilidade Nacional e Agregados Macroeconômicos Renda Nacional Renda Nacional (RN) – é a soma dos rendimentos pagos aos fatores de produção num dado período de tempo. RN = Salários + Juros + Aluguéis + Lucros PRODUTO NACIONAL = DESPESA NACIONAL = RENDA NACIONAL

7 Contabilidade Nacional e Agregados Macroeconômicos Despesa Nacional Despesa Nacional (DN) Gasto dos agentes econômicos com o produto nacional. Despesa Nacional composta apenas pelos gastos das famílias com bens de consumo. DN = C (consumo)

8 Contabilidade Nacional e Agregados Macroeconômicos Despesa Nacional Despesa Nacional (DN) Com os demais agentes de despesas (empresa, governo e setor externo) DN = C + I + G + (X – M)

9

10 Contabilidade Nacional e Agregados Macroeconômicos Produtos que são utilizados como insumos na produção de outros, ou seja, é uma mercadoria intermediária. ALGUMAS DIFICULDADES PARA EFETUAR A MENSURAÇÃO E OU CALCULAR O PRODUTO PROBLEMA DA DUPLA CONTAGEM Ex. aço, açucar.

11 Contabilidade Nacional e Agregados Macroeconômicos OUTRO MEIO DE CONTABILIZAR O PRODUTO Valor Adicionado – é igual ao valor que foi, em cada etapa produtiva, acrescido (adicionado) ao valor das matérias-primas utilizadas.

12 Contabilidade Nacional e Agregados Macroeconômicos VALOR PRODUTO INSUMOSVALOR ADICIONADO Trigo1400 Farinha Pão MENSURAÇÃO VALOR ADICIONADO

13 Contabilidade Nacional e Agregados Macroeconômicos PIBpm - É por meio deste indicador que se avalia o desempenho de uma economia. PIBpm – Produto Interno Bruto a preços de mercado, ou seja, o valor monetário de venda dos produtos finais produzidos dentro do país em determinado período de tempo;

14 Contabilidade Nacional e Agregados Macroeconômicos GOVERNO União; Estados; Municípios. O SETOR PÚBLICO REALIZA FUNÇÕES ECONÔMICAS DE FUNDAMENTAL IMPORTÂNCIA

15 Contabilidade Nacional e Agregados Macroeconômicos RECEITAS FISCAL DO GOVERNO Impostos Diretos – que incidem diretamente sobre o agente que os recolhe. Ex. IR, IPTU, ITR. Impostos Indiretos – que incidem sobre a mercadoria a ser vendida. Tais impostos são embutidos no preço das mercadorias. Ex. ICMS, IPI.

16 Contabilidade Nacional e Agregados Macroeconômicos SUBSÍDIOS O subsídio corresponde ao pagamento pelo governo de parte dos custos de produção. O governo transfere para as empresas esta diferença (custo total – preço mercado).

17 Contabilidade Nacional e Agregados Macroeconômicos COM O GOVERNO, PODE-SE CHEGAR A OUTRA MEDIDA DE PRODUTO, O PRODUTO INTERNO BRUTO A CUSTOS DE FATORES PIBcf. PIBcf = PIBpm – impostos indiretos + subsídios

18 Contabilidade Nacional e Agregados Macroeconômicos GASTOS DO GOVERNO Gastos dos ministérios e autarquias – provêm de dotações orçamentárias; Os serviços do governo (justiça, educação, planejamento) não têm preço de venda de mercado, é medido por suas despesas correntes ou de custeio (salário, compras de materiais de manutenção).

19 Contabilidade Nacional e Agregados Macroeconômicos GASTOS DO GOVERNO Gastos com transferências e subsídios – são considerados nas contas nacionais como transferências financeiras do setor público para o setor privado. Ex:. Aposentadorias, Programas Sociais.

20 Contabilidade Nacional e Agregados Macroeconômicos Renda líquida do setor Público – corresponde a soma dos impostos diretos e indiretos deduzidos os subsídios e as transferências.

21 Contabilidade Nacional e Agregados Macroeconômicos DÉFICIT PÚBLICO Sempre que houver um déficit público, isto é, Ig > Sg o governo gasta mais do que recebe. Deve haver um excesso de poupança no setor privado para financiar o governo, isto é, Sp > Ip

22 Contabilidade Nacional e Agregados Macroeconômicos SUPERÁVIT OU DÉFICIT PRIMÁRIO Quando exclui os juros da dívida pública, interna e externa, tem-se o conceito de superávit ou déficit primário ou fiscal. Quando são incluídos os juros nominais sobre a dívida, tem-se o conceito de superávit ou déficit total ou nominal

23 Contabilidade Nacional e Agregados Macroeconômicos POUPANÇA PÚBLICA Investimento = Poupança Considera-se, tanto a poupança pessoal (Sp) como a poupança pública (Sg): I = Sp + Sg


Carregar ppt "CONTABILIDADE NACIONAL E AGREGADOS MACROECONÔMICOS."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google