A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

PARASITOLOGIA MÉDICA. INTRODUÇÃOÀPARASITOLOGIA OBJETIVO: OBJETIVO: Conhecer o parasitismo num Conhecer o parasitismo num contexto ecológico e como contexto.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "PARASITOLOGIA MÉDICA. INTRODUÇÃOÀPARASITOLOGIA OBJETIVO: OBJETIVO: Conhecer o parasitismo num Conhecer o parasitismo num contexto ecológico e como contexto."— Transcrição da apresentação:

1 PARASITOLOGIA MÉDICA

2 INTRODUÇÃOÀPARASITOLOGIA

3 OBJETIVO: OBJETIVO: Conhecer o parasitismo num Conhecer o parasitismo num contexto ecológico e como contexto ecológico e como forma de relação entre os forma de relação entre os seres vivos. seres vivos.

4 URBANIZAÇÃO DA SOCIEDADE O êxodo rural, motivado pela forte concentração de renda, pela inexistência de uma política agrícola séria e pela não execução da reforma agrária, tem inchado desordenadamente as cidades de pequeno, médio e grande porte. O êxodo rural, motivado pela forte concentração de renda, pela inexistência de uma política agrícola séria e pela não execução da reforma agrária, tem inchado desordenadamente as cidades de pequeno, médio e grande porte.

5 Principais causas que contribuem para o aumento de incidência das para o aumento de incidência das parasitoses nas cidades: parasitoses nas cidades: Crescimento desordenado dos centros urbanos criando os chamados cinturões de pobreza com elevada densidade populacional em estado de confinamento; Crescimento desordenado dos centros urbanos criando os chamados cinturões de pobreza com elevada densidade populacional em estado de confinamento; Deficiência ou inexistência de abastecimento de água, coleta de lixo, esgôtos, tratamento dos dejetos, etc. Deficiência ou inexistência de abastecimento de água, coleta de lixo, esgôtos, tratamento dos dejetos, etc. Moradia inadequada; Moradia inadequada; Salários insuficientes; Salários insuficientes; Nutrição deficiente; Nutrição deficiente; Educação insuficiente; Educação insuficiente;

6 A transmissão dos enteroparasitos está A transmissão dos enteroparasitos está diretamente relacionada com as condições de vida e de higiene das comunidades urbanas e rurais. rurais.

7 A alta prevalência de parasitos entre as A alta prevalência de parasitos entre as populações de baixo nível sócio-econômico é resultante do padrão de vida, de higiene e de educação, os quais, são inadequados e deficientes. deficientes.

8 A erradicação de parasitoses intestinais A erradicação de parasitoses intestinais requer melhorias das condições sócio- econômicas, no saneamento básico e na requer melhorias das condições sócio- econômicas, no saneamento básico e na educação sanitária, além de mudanças educação sanitária, além de mudanças de certos hábitos culturais. de certos hábitos culturais.

9 POR QUE AS DOENÇAS PARASITÁRIAS POR QUE AS DOENÇAS PARASITÁRIAS ESTÃO ASSOCIADAS À POBREZA, À FOME, ESTÃO ASSOCIADAS À POBREZA, À FOME, AO ANALFABETISMO E A INJUSTIÇA SOCIAL? AO ANALFABETISMO E A INJUSTIÇA SOCIAL?

10

11 INTRODUÇÃO À PARASITOLOGIA ECOSSISTEMA É a unidade funcional de base em ecologia representando uma comunidade ecológica ou um ambiente natural onde há um estreito relacionamento entre as várias espécies de animais, ou um ambiente natural onde há um estreito relacionamento entre as várias espécies de animais, vegetais e minerais. vegetais e minerais. ECOLOGIA É o estudo das relações dos seres ECOLOGIA É o estudo das relações dos seres vivos entre si e o meio ambiente. vivos entre si e o meio ambiente.

12 INTRODUÇÃO À PARASITOLOGIA ASSOCIAÇÃO ENTRE OS ANIMAIS HARMÔNICA OU POSITIVA Comensalismo É quando uma espécie obtém vantagens sem prejuízos para a outra. vantagens sem prejuízos para a outra. Mutualismo É quando duas espécies se associam Mutualismo É quando duas espécies se associam para viver e ambas são beneficiadas. para viver e ambas são beneficiadas. Simbiose É uma forma extrema de associação inter Simbiose É uma forma extrema de associação inter específica na qual a dependência recíproca chegou a tal específica na qual a dependência recíproca chegou a tal ponto que nenhuma das duas espécies pode viver ponto que nenhuma das duas espécies pode viver isolada da outra. isolada da outra.

13 INTRODUÇÃO À PARASITOLOGIA DESARMÔNICA OU NEGATIVA Competição Os exemplares lutam pelo mesmo abrigo Competição Os exemplares lutam pelo mesmo abrigo ou alimento ou alimento Canibalismo Quando um animal se alimenta de outro Canibalismo Quando um animal se alimenta de outro da mesma espécie e família da mesma espécie e família Predatismo Quando uma espécie animal se alimenta Predatismo Quando uma espécie animal se alimenta de outra espécie de outra espécie

14 INTRODUÇÃO À PARASITOLOGIA PARASITISMO Associação entre seres vivos onde existe unilateralidade de vivos onde existe unilateralidade de benefícios; tende para o equilíbrio. benefícios; tende para o equilíbrio. É toda relação ecológica desenvolvida entre indivíduos de espécies diferentes, em que se observa além de associação íntima e duradoura É toda relação ecológica desenvolvida entre indivíduos de espécies diferentes, em que se observa além de associação íntima e duradoura uma dependência metabólica de grau variado. uma dependência metabólica de grau variado. Ectoparasito e endoparasito Ectoparasito e endoparasito

15 INTRODUÇÃO À PARASITOLOGIA AÇÃO DOS PARASITOS SOBRE O HOSPEDEIRO AÇÃO ESPOLIADORA Quando o parasito absorve nutrientes ou mesmo sangue do hospedeiro. AÇÃO TÓXICA Algumas espécies produzem enzimas ou metabólitos que podem lesar o hospedeiro. metabólitos que podem lesar o hospedeiro. AÇÃO MECÂNICA Algumas espécies podem impedir o fluxo de alimento, bile ou absorção alimentar. AÇÃO TRAUMÁTICA É provocada principalmente, por formas larvárias de helmintos, embora vermes adultos e protozoários também sejam capazes de faze-lo. AÇÃO IRRITATIVA Deve-se a presença constante do parasito que, sem produzir lesões traumáticas, irrita o local parasitado. que, sem produzir lesões traumáticas, irrita o local parasitado.

16 AÇÃO EXPOLIADORA

17 AÇÃO MECÂNICA

18 AÇÃO TRAUMÁTICA

19 AÇÃO IRRITATIVA

20 INTRODUÇÃO À PARASITOLOGIA TERMOS TÉCNICOS USADOS EM PARASITOLOGIA Agente etiológico É o agente responsável pela origem da doença (agente infeccioso) Antroponose Doença exclusivamente humana. Filariose. Antroponose Doença exclusivamente humana. Filariose. Antropozoonose Doença primária de animais, que pode ser Antropozoonose Doença primária de animais, que pode ser transmitida ao homem, Exemplo: brucelose, na qual o homem é transmitida ao homem, Exemplo: brucelose, na qual o homem é um hospedeiro acidental. um hospedeiro acidental. Zooantroponose Doença primária do homem, que pode ser transmitida aos animais. Ex: Esquistossomose mansoni Zooantroponose Doença primária do homem, que pode ser transmitida aos animais. Ex: Esquistossomose mansoni Zoonose Doenças e infecções que são naturalmente Zoonose Doenças e infecções que são naturalmente transmitidas entre animais vertebrados e o homem. Ex: Doença transmitidas entre animais vertebrados e o homem. Ex: Doença de Chagas. de Chagas.

21 INTRODUÇAO À PARASITOLOGIA Hábitat É onde o parasito vive (órgão no corpo humano onde tem predileção). tem predileção). Hospedeiro Organismo que alberga o parasito Hospedeiro Organismo que alberga o parasito Hospedeiro definitivo É o que apresenta o parasito em fase Hospedeiro definitivo É o que apresenta o parasito em fase adulta ou em fase de atividade sexual. adulta ou em fase de atividade sexual. Hospedeiro intermediário É o que apresenta o parasito em Hospedeiro intermediário É o que apresenta o parasito em fases imaturas ou fase assexuada. fases imaturas ou fase assexuada.

22 INTRODUÇÃO À PARASITOLOGIA INFECÇÃO Penetração e desenvolvimento do agente infeccioso no corpo do homem. agente infeccioso no corpo do homem. (Endoparasitos) (Endoparasitos) INFESTAÇÃO Alojamento e desenvolvimento de INFESTAÇÃO Alojamento e desenvolvimento de artrópodes na superfície do corpo do homem. artrópodes na superfície do corpo do homem. (Ectoparasitos) (Ectoparasitos)

23 INTRODUÇÃO À PARASITOLOGIA PARASITISMO É a assiciação entre os seres vivos onde um tem benefícios (parasito) e o outro não onde um tem benefícios (parasito) e o outro não (hospedeiro). Endoparasito (vive dentro do corpo do (hospedeiro). Endoparasito (vive dentro do corpo do hospedeiro) e ectoparasito (vive externamente ao corpo hospedeiro) e ectoparasito (vive externamente ao corpo do hospedeiro). do hospedeiro). PARASITO ERRÁTICO OU ECTÓPICO Vive fora do PARASITO ERRÁTICO OU ECTÓPICO Vive fora do seu hábitat natural. seu hábitat natural. PARASITO OBRIGATÓRIO É aquele incapaz de viver PARASITO OBRIGATÓRIO É aquele incapaz de viver fora do hospedeiro. Ex: Plasmodium, T. gondii,etc. fora do hospedeiro. Ex: Plasmodium, T. gondii,etc. PARASITEMIA É o numero de parasitos no sangue PARASITEMIA É o numero de parasitos no sangue

24 INTRODUÇÃO À PARASITOLOGIA PARASITO HETEROXÊNICO Possui hospedeiro definitivo e intermediário. definitivo e intermediário. PARASITO MONOXÊNICO Só possui hospedeiro PARASITO MONOXÊNICO Só possui hospedeiro definitivo. definitivo. CICLO BIOÓGICO HETEROXÊNICO CICLO BIOÓGICO HETEROXÊNICO CICLO BIOLÓGICO MONOXÊNICO CICLO BIOLÓGICO MONOXÊNICO

25 INTRODUÇÃO À PARASITOLOGIA PARTENOGÊNESE Desenvolvimento de um ovo sem interferência de espermatozóide. interferência de espermatozóide. PATOGENICIDADE É a habilidade do agente infeccioso provocar lesões. PATOGENICIDADE É a habilidade do agente infeccioso provocar lesões. PATOGENIA Mecanismo de ação do agente patogênico. PATOGENIA Mecanismo de ação do agente patogênico. PROFILAXIA É o conjunto de medidas que visam a PROFILAXIA É o conjunto de medidas que visam a prevenção, controle ou erradicação das doenças prevenção, controle ou erradicação das doenças parasitárias. parasitárias.

26 INTRODUÇÃO À PARASITOLOGIA VETOR É um artrópode, molusco ou outro veículo que transmite o parasito entre dois hospedeiros. VETOR BIOLÓGICO É quando além de ser transmitido, o parasito também se reproduz ou se desenvolve no vetor. VETOR BIOLÓGICO É quando além de ser transmitido, o parasito também se reproduz ou se desenvolve no vetor. VETOR MECÂNICO É quando só ocorre a transmissão do parasito (não se reproduz nem se desenvolve no vetor). VETOR INANIMADO OU FÔMITE Quando o parasito é transportado por objetos, tais como lenços, seringas, espéculos, talheres, etc.


Carregar ppt "PARASITOLOGIA MÉDICA. INTRODUÇÃOÀPARASITOLOGIA OBJETIVO: OBJETIVO: Conhecer o parasitismo num Conhecer o parasitismo num contexto ecológico e como contexto."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google