A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

GENÉTICA DE POPULAÇÕES 1. Introdução Entende-se por população o conjunto de todos os indivíduos de uma raça, de uma espécie ou de outro grupo que habitam.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "GENÉTICA DE POPULAÇÕES 1. Introdução Entende-se por população o conjunto de todos os indivíduos de uma raça, de uma espécie ou de outro grupo que habitam."— Transcrição da apresentação:

1 GENÉTICA DE POPULAÇÕES 1. Introdução Entende-se por população o conjunto de todos os indivíduos de uma raça, de uma espécie ou de outro grupo que habitam numa dada área. Quando falamos de genética de populações, referimo-nos ao estudo da composição genética de uma determinada população.

2 GENÉTICA DE POPULAÇÕES Até então estudamos os acasalamentos controlados de indivíduos com genótipos conhecidos para ilustrar os princípios fundamentais da hereditariedade. Aprendemos a prever as relações genotípicas que ocorrerão nas gerações F1 e F2.

3 GENÉTICA DE POPULAÇÕES Nas populações de animais, onde os genótipos dos reprodutores para dado caráter são raramente conhecidos, é mais difícil prever com exatidão as relações genotípicas da descendência. A investigação genética das populações provou que várias leis mendelianas de hereditariedade também se aplicam às populações. Estudaremos alguns princípios e a sua aplicação.

4 2. Freqüência gênica Chama-se freqüência gênica `a abundância ou raridade relativa de um gene numa população, comparada com os outros alelos. Exemplificando: P touro sem cornos X vacas com cornos genes PP genes pp F1 vitelos sem cornos Pp (genes na descendência)

5 Para esclarecer melhor exemplificamos : Suponhamos que possuímos um rebanho de vacas Hereford com cornos. Durante muitos anos estas vacas foram acasaladas com touros Hereford com cornos, e em todo este tempo não apareceu nenhum filho sem cornos. Nesta condição a freqüência do gene para cornos (p) foi de 1 e a do gene para ausência de cornos foi de 0. A freqüência de um gene varia de 0 a 1 (0 % a 100 %). Quando a freqüência do gene é igual a 1 (neste exemplo) a população é homozigótica para este gene.

6 Seguindo com o exemplo: Pergunta: Qual a freqüência dos genes P e p na F1??? Resposta A freqüência dos genes P e p na F1 é de 0,5 (uma vez que freqüência total, soma de ambos os genes é igual a 1) Pergunta: Qual a freqüência dos genes P e p na F2 ? Resposta O cálculo mostra que na F2 existem 4 genes P e 4 genes p, logo, a freqüência de cada gene é 0,5.

7 Seguindo com o exemplo: Agora acasalamos um touro homozigótico para ausência de cornos (PP) com as vacas homozigóticas com cornos, conforme esquema abaixo: P touro sem cornosX vacas com cornos genes PP genes pp F1 Pp (todos s/cornos heterozigóticos) cruzados entre si F2 1 PP (sem cornos) 2 Pp (sem cornos) 1 pp (com cornos)

8 Continuando com o exemplo Agora, se eliminarmos todos os animais com cornos haverá um total de 4 genes P e somente 2 genes p. Por conseguinte a freqüência gênica será de 0,67 e 0,33, respectivamente. Desse modo os dois alelos não se encontram mais na mesma proporção nesta dada população. * As populações se comportam deste modo para cada caráter.

9 TEOREMA DE HARDY-WEINBERG (enunciado) Em uma população infinitamente grande, em que os cruzamentos ocorrem ao acaso e sobre o qual não há atuação de fatores evolutivos, as freqüências gênicas e genotípicas permanecem constantes ao logo das gerações.

10 TEOREMA DE HARDY-WEINBERG Portanto, o teorema é válido somente para populações: Infinitamente grandes Cruzamentos ao acaso Isentas de fatores evolutivos, tais como: mutações, seleção natural e migrações * Neste caso a população está em EQUILÍBRIO GENÉTICO

11 Na natureza, entretanto, não existem populações sujeitas rigorosamente a estas condições; É possível, entretanto, estimar as freqüências gênicas e genotípicas e compará-las com as obtidas na prática; Se os valores observados diferem significativamente dos valores esperados conclui-se que a população está evoluindo; Se os valores observados não diferem significativamente dos valores esperados conclui-se que a população não está evoluindo – se encontra em equilíbrio;

12 Demonstração do Teorema de Hardy-Weinberg Para demonstrar esse teorema vamos supor uma população com as características por ele pressupostas; Chamaremos de p a freqüência de gametas portadores do gene A e de de q a freqüência de gametas portadores do gene a. Os genótipos possíveis são AA, Aa e aa e as freqüências genotípicas em cada geração serão:

13 Demonstração do Teorema de Hardy-Weinberg AA: a probabilidade de um gameta feminino portador do gene A ser fecundado por um gameta masculino portador do gene A é: p x p = p 2 aa: a probabilidade de um gameta feminino portador do gene a ser fecundado por um gameta masculino portador do gene a é: q x q = q 2

14 Demonstração do Teorema de Hardy-Weinberg Aa: a probabilidade de um gameta feminino portador do gene A ser fecundado por um gameta masculino portador do gene a é: p x q = pq Aa: a probabilidade de um gameta feminino portador do gene a ser fecundado por um gameta masculino portador do gene A é: q x p = qp

15 Demonstração do Teorema de Hardy-Weinberg Essa relação pode ser representada do seguinte modo: AA = p 2 2Aa= 2pq aa= q 2 Seria então a representação de um binômio (a+b)² = a² + 2ab + b² Chamando de p a freqüência de um gene A de q a freqüência de seu alelo e sabendo-se que p+q =1, obtém-se a fórmula de Hardy-Weimberg: p² + 2pq + q² = 1 ou p² + 2p(1-p) + (1-p)² = 1

16 Para esclarecer melhor a aplicação da fórmula de Hardy-Weinberg exemplificamos: Exemplo 1: supondo que, em uma população teórica em equilíbrio, 16% dos indivíduos são míopes e o restante tem visão normal, qual a freqüência de genes recessivos e dominantes para esse caráter nessa população, sabendo-se que a miopia é determinada por gene recessivo?

17 Cálculo p² + 2pq + q² = 1 onde: p= freqüência do gene M q= freqüência do gene m q 2 = 16% = 0,16 q = 0,16 = 0,4 q = 0,4 como: p + q = 1 p = 1 - q p = 1 - 0,4 = 0,6 p = 0,6

18 Cálculo a freqüência do gene m é 0,4 e a do gene M é 0,6 sabendo disto, podemos estimar a freqüência genotípica do seguinte modo: (p + q) ² = p² + 2pq + q² = (0,6)² + 2.(0,6).(0,4) + (0,4)² = 0,36 + 0,48 + 0,16 = logo, a freq. genotípica é: 36% MM; 48 % Mm; 16 % mm

19 Exemplo 2: aplicação do teorema de Hardy-Weimberg icas: Supondo uma população com as seguintes freqüências gênicas: p= freqüência do gene B = 0,9 q= freqüência do gene b = 0,1 Estimar a freqüência genotípica dos descendentes utilizando a fórmula de Hardy-Weimberg Estimar a freqüência genotípica dos descendentes utilizando a fórmula de Hardy-Weimberg ( (p + q) ² = p² + 2pq + q² (0,9)² + 2.(0,9).(0,1) + (0,1)² 0,81 + 0,18 + 0,01 freqüência genotípica 81% BB; 18 % Bb; 1 %

20 Exemplo 3: aplicação do teorema de Hardy-Weimberg Considere 2 populações diplóides e uma característica determinada por 1 gene autossômico com 2 alelos: A1A1A1A2A2A2TOTAL I II Calcular para cada população: a) A freqüência alélica e a freqüência genotípica b) Supondo que cada população se acasale ao acaso estimar as freqüências alélica e genotípica na próxima geração

21 Exemplo 4: aplicação do teorema de Hardy-Weimberg Numa população em equilíbrio encontramos 1 indivíduo albino para cada 625 habitantes. Considerando o caráter albinismo recessivo e condicionado por 1 par de genes autossômicos, pede-se: a) As freqüências alélicas e genotípicas; b) Qual a proporção dos demais genótipos em 625 indivíduos; c) Na geração seguinte, ocorrendo acasalamentos ao acaso, qual a freqüência esperada.

22 Exemplo 5: aplicação do teorema de Hardy-Weimberg Numa população de pessoas encontrou-se a relação de 1 indivíduo polidáctilo para cada habitantes. Pergunta- se: a) Qual a freqüência alélica e genotípica; ) Na população total, qual a porporção esperada em cada genótipo.


Carregar ppt "GENÉTICA DE POPULAÇÕES 1. Introdução Entende-se por população o conjunto de todos os indivíduos de uma raça, de uma espécie ou de outro grupo que habitam."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google