A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

M ÓDULO X – L EI DE LIBERDADE Associação Espírita de Cotia ESDE – Estudo Sistematizado da Doutrina Espírita.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "M ÓDULO X – L EI DE LIBERDADE Associação Espírita de Cotia ESDE – Estudo Sistematizado da Doutrina Espírita."— Transcrição da apresentação:

1 M ÓDULO X – L EI DE LIBERDADE Associação Espírita de Cotia ESDE – Estudo Sistematizado da Doutrina Espírita

2 M ÓDULO X – LEI DE LIBERDADE Objetivo geral: Possibilitar entendimento sobre a lei de Liberdade Aula 1: Rot. 1: Liberdade de pensar e liberdade de consciência Rot. 2: Livre-arbítrio e responsabilidade Aula 2: Rot. 3: Livre-arbítrio e fatalidade Rot. 4: O princípio da ação e reação

3 MÓDULO X – LEI DE LIBERDADE ROT. 1: LIBERDADE DE PENSAR E DE CONSCIÊNCIA Objetivo específico: 1. Esclarecer o significado de liberdade e relacionamento humano; 2. Estabelecer relação entre liberdade de pensar e liberdade de consciência; 3. Explicar como impedir os abusos da manifestação da consciência;

4 O que é liberdade? Liberdade é a faculdade que permite o indivíduo decidir e agir conforme sua própria vontade.

5 (...) o homem é, por natureza, dono de si mesmo, isto é tem o direito de fazer tudo quanto achar conveniente ou necessário à conservação e ao desenvolvimento de sua vida (...) As leis morais. P.148 Rodolfo Cagliaris

6 Nossa liberdade é absoluta? Direito de proceder conforme nos pareça, contanto que esse direito não vá contra o direito de outrem. (Conceito de liberdade, Dicionário Priberam )

7 (...) Essa liberdade, porém, não é absoluta, e nem poderia sê-lo, pela simples razão de que, convivendo em sociedade, o homem tem o dever de respeitar esse mesmo direito em cada um de seus semelhantes. (...) As leis morais. P.148 Rodolfo Cagliaris

8 Em que condição o homem poderia desfrutar de liberdade absoluta? Na de eremita no deserto. Desde que haja dois homens juntos, há direitos a respeitar e nenhum deles tem mais liberdade absoluta. LE – Q. 826

9 Liberdade é relativa: - Para progredir, precisamos uns dos outros (lei de sociedade); - Para vivermos bem em sociedade, precisamos respeitar o direito do outro; - Qualquer prejuízo que provoquemos ao outro, seremos responsáveis (nada ficará impune perante a Lei de Deus); - Limites na liberdade, orientam como viver em sociedade; - Para não errar: ensinamento de Jesus;

10 Há homens que são, por natureza, destinados a ser propriedade de outros homens? Toda sujeição absoluta de um homem a outro é contrária a lei de Deus. A escravidão é um abuso da força e desaparecerá com o progresso, como desaparecerão pouco a pouco todos os abusos. Q. 829

11 Quando a escravidão faz parte dos costumes de um povo, os que dela se aproveitam são condenáveis, por agirem seguindo um procedimento que parece natural? O mal é sempre o mal e todos os sofismas não farão que uma má ação se torne boa. Mas a responsabilidade do mal é relativa aos meios de que se dispõe de compreendê-la. Aquele que tira proveito da lei da escravidão é sempre culpado da violação da lei natural (...) desde que sua razão esteja mais desenvolvida, e sobretudo esclarecida pelas luzes do Cristianismo, mostrando o escravo como um ser igual diante de Deus, ele não tem mais desculpa. Q. 830

12 Há homens que tratam seus escravos com humanidade, que não lhes deixam faltar nada e pensam que a liberdade até os exporia a piores privações, o que dizeis deles? Digo que esses cuidam melhor de seus interesses. Tem também muito cuidado com seus bois e cavalos, para tirar mais proveito deles no mercado. Não são tão culpados quanto os que os maltratam, mas dispõem deles como de uma mercadoria ao impedir o direito de serem livres. Q. 832

13 ESCRAVIDÃO Lei de LIBERDADE

14 Há no homem alguma coisa livre de qualquer constrangimento e da qual desfruta de uma liberdade absoluta? Q. 833

15 Pelo pensamento que o homem desfruta de uma liberdade sem limites (desconhece obstaculos) (LE 833)

16 Q O homem é responsável pelo seu pensamento? É responsável diante Deus. Somente Deus, podendo conhecê-lo, o condena ou absolve segundo sua Justiça. Q A liberdade de consciência é uma consequência da liberdade de pensar? A consciência é um pensamento íntimo, que pertence ao homem, como todos os outros pensamentos.

17 Liberdade de Pensar Liberdade de Consciência

18 Consciência: - É una (pessoal) e indivisível. - Faculdade de estabelecer julgamentos morais e de valor; - Fruto de experiências e crenças individuais; - A medida que os espírito evolui, a consciência do bem e do mal está mais desenvolvida; - Parâmetros morais que cada um estabelece para si; - Depende do nível evolutivo do espírito;

19 Liberdade de Pensar Liberdade ilimitada Sofre restrições, depende do nível evolutivo do espírito Liberdade de Consciência

20 Consciência não esclarecida Alimenta ideias malsãs, gera e provoca ações morais e éticas abusivas Sofrimento (para si e para os outros) Doutrinas perniciosas e escravidão são exemplos provocados por espíritos imperfeitos que NÃO respeitam a liberdade do outro. É preciso cautela quando condenamos as ações, ideias ou crenças da pessoas.

21 Q. 839 É repreensível escandalizar na sua crença aquele que não pensa como nós? É falta de caridade e ofende a liberdade de pensamento. Q. 840 Será atentar contra a liberdade de consciência impor restrições às crenças que provocam problemas à sociedade? Podem-se reprimir os atos, mas a crença íntima é inacessível. * Não atenta contra a liberdade, porque a repressão não impede a pessoa de manter a crença

22 Q. 841 Deve-se em respeito à liberdade de consciência, deixar que se propaguem doutrinas nocivas e pode-se, sem prejudicar essa liberdade, procurar trazer de volta ao caminho da verdade aqueles que se perderam ao admitir falsos princípios? Certamente que sim, e até mesmo se deve. Mas ensinai a exemplo de Jesus, pela doçura e persuasão, e não pela força, o que seria pior que a crença daquele a quem quer convencer. (....) a convicção não se impõe.

23 Não fazer aos outros o que não gostaríamos que nos fizesse.

24 M ÓDULO X – LEI DE LIBERDADE R OT. 2: L IVRE - ARBÍTRIO E RESPONSABILIDADE Objetivo específico: 1. Conceituar livre-arbítrio 1. Estabelecer relação entre livre-arbítrio e responsabilidade

25 O que é livre- arbítrio ?

26 (...) a faculdade que tem o indivíduo de determinar a sua própria conduta, ou, em outras palavras, a possibilidade que tem de, entre duas ou mais razões suficientes de querer ou de agir, escolher uma delas e fazer que prevaleça sobre as outras. (...) As leis morais. P.151 Rodolfo Cagliaris

27 O homem tem o livre-arbítrio de seus atos? Visto que o homem tem a liberdade de pensar, tem a de agir. Sem livre- arbítrio o homem seria uma máquina. LE - 843

28 O homem goza do livre-arbítrio desde o seu nascimento? Há liberdade de agir desde que haja liberdade de pensar. Nos primeiros tempo de vida, a liberdade é quase nula, ela se desenvolve e muda de objeto de acordo com suas faculdades. A criança, tendo pensamentos relacionados com as necessidades de sua idade, aplica seu livre-arbítrio às coisas que lhe são necessárias. LE - 844

29 As predisposições instintivas que o homem traz ao nascer, não são um obstáculo ao exercício do livre-arbítrio? As predisposições instintivas são as do Espírito antes de sua encarnação.Conforme for ele mais ou menos avançado, elas podem solicitá-los para atos repreensíveis (...). Mas, não há arrebatamento irresistível, quando se tem a vontade de resistir. Lembrai-vos que querer é poder. LE - 845

30 A deformação das faculdades tira ao homem o livre-arbítrio? Aquele cuja inteligência está perturbada por uma causa qualquer, não é mais senhor de seu pensamento e, desde logo, não tem mais liberdade. (...) LE - 847

31 A aberração das faculdades intelectuais por embriaguez escusa os atos repreensíveis? Não, porque o bêbado está voluntariamente privado de sua razão para satisfazer paixões brutais: em lugar de uma falta, ele comete duas. LE - 848

32 Qual é, no homem em estado selvagem, a faculdade dominante: o instinto ou o livre arbítrio? O instinto, o que não o impede de agir com um inteira liberdade para certas coisas. Mas, como a criança aplica essa liberdade às suas necessidades, e ela se desenvolve com a sua inteligência. Por conseguinte, tu que és mais esclarecido que um selvagem, és também mais responsável que ele pelo que faz. LE - 849

33 A posição social, algumas vezes, não é um obstáculo à interira liberdade dos atos? O mundo tem, sem dúvida, suas exigências. Deus é justo e leva tudo em conta, mas vos deixa a responsabilidade do pouco esforço que fazeis para superar os obstáculos. LE - 850

34 Forma de viver com liberdade absoluta = viver isolado = eremita no deserto Dois homens juntos = liberdade relativa = direitos recíprocos que devem ser respeitados Livre-arbítrio é condição básica para pessoa programar sua vida e construir seu futuro; O direito natural da liberdade está atrelado ao de responsabilidade; Quanto mais livre o indivíduo, mais responsável será pelos seus atos; Conforme a pessoa aprende a associar noções de liberdade e responsabilidade, melhor exercita o livre arbítrio (desenvolve ações de amor ao próximo);

35 Forma de viver com liberdade absoluta = viver isolado = eremita no deserto Dois homens juntos = liberdade relativa = direitos recíprocos que devem ser respeitados O homem tem livre arbítrio de seus atos porque tem liberdade de pensar e de fazer (máquina); Deus nos concede o livre-arbítrio como instrumento de felicidade; Quanto mais desenvolvida as faculdades orgânicas e psíquicas maior será a responsabilidade do ser (selvagem x criança x adulto); Liberdade e responsabilidade são correlativas e aumentam com a elevação do ser;

36 Forma de viver com liberdade absoluta = viver isolado = eremita no deserto Dois homens juntos = liberdade relativa = direitos recíprocos que devem ser respeitados A responsabilidade é estabelecida pela consciência, que nos aprova ou censura de acordo com a natureza dos nossos atos; Livre-arbítrio é a expansão da personalidade e da consciência ; Para ser livre é preciso querer ser e fazer esforço para ser, nos libertando da escravidão da ignorância e das paixões baixas, substituindo pela razão; Melhor exerceremos nosso livre-arbítrio através do nosso esforço pessoal de sanarmos nossas imperfeições;

37 SER utilizando o LIVRE- ARBITRIO ESCOLHAS movido pela CONSCIÊNCIA RESPONSABI LIDADE - Quanto mais livre for – noção de respeito ao próximo; -Quanto maior for o esforço próprio Maior será

38 A quem muito foi dado, muito será cobrado. (Lc 12, 48)... Cap. XVII ESE

39 T ESTE DE A PRENDIZADO 1) A convicção se impõe. 2) O processo de amadurecimento espiritual é gradual, estando diretamente subordinado à lei de esforço próprio. 3) Os limites de nossa liberdade é bem estabelecido pelo ensinamento de Jesus, não fazer aos outros o que gostaríamos que os outros nos fizessem. 4) Enquanto a liberdade de pensar é ilimitada, a liberdade de consciência sofre restrições, já que depende do nível evolutivo do espírito. 5) A criança exerce plenamente o livre arbítrio. Falso Verdadeiro Falso

40 6) A liberdade não precisa se adequar a liberdade do outro, sendo senhor de si, o homem goza de liberdade absoluta. 7) A escravidão, se bem operada, não é contrária as leis de Deus. 8) A medida que o espírito evolui, a consciência do bem e do mal está mais bem definida. 9) Deus nos deu a liberdade e o livre arbítrio como instrumento de infelicidade. 10) A consciência não esclarecida pode alimentar ideias malsãs, gerar e provocar ações moral e eticamente abusivas. 11) Quanto mais livre o indivíduo mais responsável ele é. Verdadeiro Falso

41

42 FIM Referências:


Carregar ppt "M ÓDULO X – L EI DE LIBERDADE Associação Espírita de Cotia ESDE – Estudo Sistematizado da Doutrina Espírita."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google