A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

20/3/20121Liberdade e Escravidão TÍTULO Sérgio Biagi Gregório LiberdadeeEscravidão.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "20/3/20121Liberdade e Escravidão TÍTULO Sérgio Biagi Gregório LiberdadeeEscravidão."— Transcrição da apresentação:

1 20/3/20121Liberdade e Escravidão TÍTULO Sérgio Biagi Gregório LiberdadeeEscravidão

2 Liberdade e Escravidão Introdução 20/3/2012Liberdade e Escravidão2 O que se entende por liberdade? Qual o conceito de escravidão? O que é livre-arbítrio? Como se explica a ambiguidade do termo liberdade?

3 Liberdade e Escravidão Conceito 20/3/2012Liberdade e Escravidão3 Estado do ser que não sofre constrangimento, que age conforme a sua vontade, a sua natureza. Em termos políticos, é a faculdade de fazer o que se queira dentro dos limites do direito. Liberdade Caracteriza-se pelo fato de reduzir uma pessoa humana à condição de coisa ou de animal, como propriedade absoluta de um senhor. Escravidão

4 Liberdade e Escravidão Liberdade e Livre-Arbítrio 20/3/2012Liberdade e Escravidão4 Liberdade livre-arbítrio liberdade de indiferença Liberdade é a capacidade para agir ou não, sem outra intervenção que a da vontade. Nesse sentido, muito genérico, a liberdade confunde-se com o livre-arbítrio ou com a liberdade de indiferença. Livre-Arbítrio quer dizer juízo livre. É a capacidade de escolha pela vontade humana entre o bem e o mal, entre o certo e o errado, conscientemente conhecidos. O livre-arbítrio não quer dizer, de modo algum, que é um querer sem causa, como o pretendem interpretar alguns deterministas, que se opõem à sua aceitação (2).

5 Liberdade e Escravidão Ambiguidade do Termo Liberdade 20/3/2012Liberdade e Escravidão5 A palavra liberdade presta-se a muitos significados: a liberdade nos Estados Unidos é diferente da liberdade na Rússia, como o é também da China. Há, ainda, fatores limitantes da liberdade: físicos - referem-se ao espaço, ao tempo e à possibilidade legal; psicológicos - avarento que morre de fome em cima do dinheiro; econômicos - quero ir ao Canadá, mas não tenho recursos disponíveis (3).

6 Liberdade e Escravidão Os Atos Livres 20/3/2012Liberdade e Escravidão6 Os atos livres praticados pelo indivíduo podem levá-lo à ampliação ou à limitação de outros atos livres. Caso escolha deliberadamente o vício, haverá um tolhimento da vontade, pois esta estará submetida à necessidade de supri-lo, impedindo a continuidade dos atos livres. A dimensão da moral entra, aqui, como elemento que vai permitir a continuidade dos atos livres, ou seja, a aquisição do estado de liberdade.

7 Liberdade e Escravidão Escravidão: Grécia Antiga 20/3/2012Liberdade e Escravidão7 A escravidão, na Grécia Antiga, era uma forma de liberdade, pois o inimigo preso devia morrer. Para ficar livre da morte, podia escolher a escravidão (4).

8 Liberdade e Escravidão Escravidão: Vícios 20/3/2012Liberdade e Escravidão8 vícios Os vícios limitam os nossos atos livres. São, portanto, uma forma de escravidão, pois tornam-nos dependentes deles (4).

9 Liberdade e Escravidão Escravidão: Livro dos Espíritos 20/3/2012Liberdade e Escravidão9 Nas perguntas 829 a 832, o codificador do Espiritismo tece comentários sobre o problema da escravidão. Relata-nos que toda a sujeição absoluta de um homem a outro homem é contrária à lei de Deus mas que desaparecerá com o progresso da humanidade. Afirma-nos, também, que a desigualdade de aptidões, por ser natural, deve ser utilizada para elevar e não para embrutecer, ainda mais, o próximo.

10 Liberdade e Escravidão Estado de Liberdade: Livro dos Espíritos 20/3/2012Liberdade e Escravidão10 O estado de liberdade depende do livre-arbítrio, quer dizer, da capacidade de escolha entre o certo e o errado. Allan Kardec, em O Livro dos Espíritos, diz-nos que o livre-arbítrio existe no estado de Espírito, com a escolha das provas, e no estado corpóreo, com a faculdade de ceder ou resistir aos arrastamentos a que voluntariamente estamos submetidos. Neste sentido, o homem não é fatalmente conduzido ao mal: os crimes que comete não são o resultado de um decreto do destino; será sempre livre para agir como quiser.

11 Liberdade e Escravidão Conclusão 20/3/2012Liberdade e Escravidão11 A perfeita liberdade do Espírito far- se-á pela prática dos preceitos evangélicos. Empenhemo-nos, pois, no estudo e na vivência dos ensinos deixados pelo mestre Jesus.

12 Liberdade e Escravidão Temas para Debate 20/3/2012Liberdade e Escravidão12 1) A liberdade de um termina quando começa a do outro? 2) Os vícios limitam os nossos atos livres? 3) Todos temos o dever de construir a nossa liberdade. Comente. 4) Liberdade, escravidão e o Evangelho.

13 Liberdade e Escravidão Bibliografia Consultada 20/3/2012Liberdade e Escravidão13 (1) LALANDE, A. Vocabulário Técnico e Crítico da Filosofia. (2) LEGRAND, G. Dicionário de Filosofia. (3) BOULDING, K. E. Princípios de Política Econômica. (4) MENDONÇA, E. P. de. A Construção da Liberdade. (5) ÁVILA, F. B. Pequena Enciclopédia de Moral e Civismo. (6) EMMANUEL. A Caminho da Luz. Texto em HTML e-escravidao.htm


Carregar ppt "20/3/20121Liberdade e Escravidão TÍTULO Sérgio Biagi Gregório LiberdadeeEscravidão."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google