A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Indicadores de sustentabilidade ambiental e de saúde para a Região Metropolitana de São Paulo – Uma abordagem ecossistêmica para estudo em distintos níveis.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Indicadores de sustentabilidade ambiental e de saúde para a Região Metropolitana de São Paulo – Uma abordagem ecossistêmica para estudo em distintos níveis."— Transcrição da apresentação:

1 Indicadores de sustentabilidade ambiental e de saúde para a Região Metropolitana de São Paulo – Uma abordagem ecossistêmica para estudo em distintos níveis holárquicos Apresentação: Leandro L. Giatti e Giuliana Talamini Departamento de Saúde Ambiental - FSP/USP Demais colaboradores: Renata Ferraz de Toledo - Paulo Nascimento - Silvana Cutolo - Carlos Machado de Freitas - Rubens Landin - Juliane Gaviolli - e Gabriela Cruvinel

2 Objetivo Desenvolver uma matriz de indicadores de sustentabilidade ambiental e saúde e sua respectiva análise, adotando uma abordagem ecossistêmica para o estudo de fenômenos em distintos níveis holárquicos na Região Metropolitana de São Paulo.

3 A Abordagem Ecossistêmica, inicialmente desenvolvida nos EUA e com forte expressão no Canadá sob a denominação de Ecohealth, consiste de uma proposta de estruturação de projetos de pesquisa que envolve, de modo participativo, pesquisadores, sujeitos da pesquisa, representantes governamentais e outros atores sociais de relevância.

4 A proposta da Abordagem Ecossitêmica remete à necessidade de estudar e de promover intervenções participativas para problemas complexos, compreendendo desde questões de saúde humana, a aspectos socioambientais, baseando-se nos pilares da transdisciplinaridade, participação e equidade. Lebel, 2003

5 Em países em desenvolvimento grandes desigualdades tem se associado a exposição de grupos populacionais a uma tripla carga de fatores de risco ambientais: - domiciliares; - da comunidade; - E globais. Smith e Ezzati, 2005

6 Olhando a metrópole através de distintos níveis holárquicos Características de sistemas holárquicos abertos auto- organizáveis: - Dinâmicas retro-alimentadas por estímulos; - Estrutura hierárquica livre; - Fenômenos emergentes / imprevisibilidade; - Reconfigurações repentinas; Kay e col., 1999.

7 Metodologia - Aquisição de informações, composição e análise da Matriz FPSEEA; - Aplicação de entrevistas: amostra com base nas sub- regiões da RMSP: gestores da saúde, do ambiente e do planejamento urbano; - Análise dos municípios e da metrópole em distintos níveis hierárquicos; - Realização de oficina com gestores.

8 Forças Motrizes Pressão Situação Exposição Efeito Corvalán, e col., Matriz FPSEEA

9 Indicadores de Saúde e Sustentabilidade 7 Regiões de Saúde 39 Municípios Modelo FPSEEA – Exemplo da Rede Interagencial de Informação para a Saúde (RIPSA). RMSP

10 Força Motriz FM. 1População (IBGE, 2010) FM. 2Taxa de crescimento da população (IBGE, 2010) FM. 3IDH (PNUD - IDHM, 2000) FM. 4Pop. economicamente ativa ocupada (apenas dados Estaduais) FM. 5PIB per capita (IBGE, 2008) FM. 6Indice de Gini – Renda (IBGE, 2000) FM. 7Pobreza - Domicílios com Renda per Capita até 1/2 do Salário Mínimo (Em %) (IBGE, 2000) FM. 8Grau de Urbanização (IBGE, 2010) FORÇA MOTRIZ MunicípiosFM. 1FM. 2FM. 3FM. 4FM. 5FM. 6FM. 7FM. 8 Mananciais Cotia ,050,826_30.003,650,4112,66100 Embu ,470,772_11.527,790,3717,56100 Embu-Guaçu ,040,811_7.158,080,3917,5697,35 Itapecerica da Serra ,640,783_18.598,640,3917,7599,18 Juquitiba ,850,754_6.829,000,3923,9177,41 São Lourenço da Serra ,390,771_7.165,640,4024,9390,99 Taboão da Serra ,160,809_17.204,700,3812,52100 Vargem Grande Paulista ,810,802_15.076,010,3814,14100 Indicadores de Saúde e Sustentabilidade - RMSP

11 Pressão Indicadores de Saúde e Sustentabilidade - RMSP P.1Ausência de Serviços Gerais de Saneamento (Pnad, Apenas dados do Estado. SP - 10,9) P.2Frota de veículos por habitante (DENATRAN. Dez/2010. IBGE Cálculo nosso ) P.3Terras em uso com lavouras (não se aplica) P.4Consumo de energia elétrica (SSE-SP, 2009) P.5Número de Estabelecimentos da Indústria (Seade – MTE, 2009) PRESSÃO MunicípiosP1P2P3P4P5 Mananciais_0,35_ Cotia_0,74_ Embu_0,53_ Embu-Guaçu_0,36_ Itapecerica da Serra_1,26_ Juquitiba_0,03_ São Lourenço da Serra_1,12_ Taboão da Serra_1,52_ Vargem Grande Paulista_0,41_

12 Indicadores de Saúde e Sustentabilidade - RMSP S.1% domicílios servidos com rede pública de coleta de esgotos para a zona urbana (Sabesp/Fundação Seade) S.2% esgoto sanitário coletado que passa por algum tipo de tratamento (Sabesp/Fundação Seade) S.3% domicílios part. permanentes com serviço regular de coleta de lixo, na zona urbana. (IBGE/Fundação Seade) S.4Queimadas e Incêncidios CPTEC, 2001/2011 S.5Áreas de Risco no Perímetro Urbano PNSB,2000. Apenas RMSP- 29 mun. S.6Inundações ou Enchentes MIN/SNDC, Apenas Estadual - 28 S.7Utilização de Agrotóxico Ibama. Relatório Semestral S.8Sist. Abastecimento de Água sem tratamento SISAGUA S.9Soluções Alternativas Coletivas sem tratamento de água SISAGUA S.10Qualidade da Água - Coliformes Totais ( Sabesp. Relatórios Anuais por Sistema de Abastecimento) S.11Qualidade da Água – Turbidez (Sabesp. Relatórios Anuais por Sistema de Abastecimento) S.12Qualidade da Água - Cloro Residual Sabesp. Relatórios Anuais por Sistema de Abastecimento S.13Número de Áreas Contaminadas (solo) Cetesb, Por agência de Gestão Situação SITUAÇÃO MunicípiosS1S2S3S4S5 Taboão da Serra19099,410_ Suzano677097,210_ São Paulo926699,460_ São Lourenço da Serra ,440_ São Caetano do Sul _ São Bernardo do Campo82199,640_ Santo André96099,830_ Santana de Parnaíba26096,360_ Santa Isabel 70096,58 0_

13 Indicadores de Saúde e Sustentabilidade - RMSP Exposição EX. 1População sem acesso à água tratada SNIS, 2006 EX. 2População sem instalação de esgoto SNIS, 2006 EX. 3População sem coleta de lixo Pnad, 2008 EX. 4Residentes em aglomerados subnormais Pnad, 2008 EX. 5População potencialmente exposta contaminantes químicos Sissolo,2007 dados estaduais EXPOSIÇÃO MunicípiosEX. 1EX. 2EX. 3EX. 4EX. 5 Mananciais Cotia1921,40,59__ Embu3320,42,79__ Embu-Guaçu828,90,54__ Itapecerica da Serra8432,28,56__ Juquitiba046,50__ São Lourenço da Serra1822,70,36__ Taboão da Serra430,90,17__ Vargem Grande Paulista7448,43,64__

14 Indicadores de Saúde e Sustentabilidade - RMSP Efeito EF.1Taxa de Internações Doenças Diarréicas SIH/SUS - DATASUS, 2007 e IBGE,2000 EF.2Taxa de internações por Infecção Respiratória Aguda (< 5anos) SIH/SUS - DATASUS, 2007 e IBGE,2000 EF.3Internações por doenças relacionadas ao sabeamento ambiental inadequado DATASUS, 2002 EF.4Mortalidade por doença diarréica aguda (< 5anos) DATASUS, 2002 EF.5Mortalidade por Infecção Respiratória Aguda (< 5anos) DATASUS, 2002 EF.6Mortalidade doenças relacionadas ao saneamento ambiental inadequado DATASUS, 2007 EF.7Intoxicação a Agrotóxicos Sissolo,2007 EF.8Mortalidade por intoxicação por agrotóxico Sissolo,2007 EFEITO MunicípiosEF1EF2EF3EF4 Alto Tiête Arujá0,50 2,65 2,10,5 Barueri2,65 17,41 4,20,45 Biritiba-Mirim2,80 20,81 2,50,7 Caieiras0,83 8,95 4,31 Cajamar3,06 25,52 5,10,8 Carapicuíba2,89 23,66 6,80,4 Cotia1,22 14,75 3,41,1 Diadema2,85 23,63 5,21,5 Embu1,75 16,74 1,30,5 Embu-Guaçu0,79 12,77 1,30,8

15 Indicadores de Saúde e Sustentabilidade - RMSP Ação A.1 % da meta pactuada na PPI atingida para COBERTURA Vigiagua/ dados estaduais A.2% da meta pactuada na PPI atingida para CONTROLE Vigiagua/dados estaduais A.3% da meta pactuada na PPI atingida para CLORO Vigiagua/dados estaduais A.4% da meta pactuada na PPI atingida para TURBIDEZ Vigiagua/ dados estaduais A.5Meta pactuada na PPI atingida para identificação de áreas em municípios prioritários – SISSOLO/dados estaduais A.6% da meta pactuada na PAP/VS/2007 atingida para identificação de municípios prioritários/dados estaduais A.7Desenvolve atividades de Vigi. em Saúde Amb. Relacionada aos Acidentes com Produtos Perigosos VIGIAPP A.8Desenvolve atividades relacionadas à Vigi. em Saúde Amb. dos Riscos Decorrentes aos Desastres Naturais A.9Desenvolve atividades relacionadas à Vigi. em Saúde Amb. Relacionada a Fatores Físicos – VIGIFIS A.10Desenvolve atividades relacionadas a gestão da informação territorializada por intermédio do PISA ASISA

16 Indicadores de sustentabilidade ambiental e de saúde Desvelam condições e tendências nas mudanças dos ecossistemas que interferem na saúde e na qualidade de vida dos humanos. São organizados na forma de uma matriz de causas e consequências a partir de dados secundários e complementados com resultados de entrevistas. Constitui indicadores de saúde ambiental a partir das ligações entre aspectos de saúde e outras variáveis ou cadeias de acontecimento.

17 Variação do percentual de participação relativa das capitais no PIB por percentual de população que vive nas capitais, com representação de área desmatada nos Estados da Amazônia Legal em 2005 Obs.: O tamanho das bolhas representa o percentual de área desmatada da área original de floresta. Dados do DATASUS, IBGE e INPE Freitas e Giatti, 2010.

18 Published online: 15 february 2011

19

20 Ações Estrutras municipais em meio ambiente: secretarias, conselhos, agenda 21; Plano de Desenvolvimento Integrado e Sustentável da Região Metropolitana; Cobertura por ESF; Políticas de áreas verdes; Implementação da Vigilância em Saúde Ambiental; Iniciativas intersetoriais para a Promoção da Saúde.

21 Incertezas Mudanças climáticas; Constante crescimento demográfico da metrópole; Mudanças demográficas e epidemiológicos Mudanças nos serviços dos ecossistemas; Dinâmicas de doenças infecciosas; Exposição a poluição ambiental e efeitos sinergéticos;

22 Freitas & Giatti, 2010 Disponível em url:

23 Referências bibliográficas Corvalán, C., Briggs, D. and Kjellström, T., The need for information: environmental health indicators. In: Corvalán, C., Briggs, D., and Zielhuis, G. (eds). Linkage methods for environment and health analysis – General guidelines. Geneva: United Nations Environmental Programme, United States Environmental Protection Agency, Office of Global and Integrated Environmental Health of the World Health Organization. p Freitas CM e Giatti L. Sustentabilidade ambiental e de saúde na Amazônia Legal, Brasil: uma análise através de indicadores. Organização Pan-Americana da Saúde. Brasília :Organização Pan-Americana da Saúde, Lebel J. Health – an ecosystem approach. Ottawa: International Development Research Centre Kay JJ, Regier HA, Boyle M, Francis G. An ecosystem approach for sustainability: addressing the challenge of complexity. Futures v.31. P Smith KR, Ezatti M. How environmental health risks change with development: The epidemiologic environmental risk transitions revisited. Annu. Rev. Environm. Resour. 2005; 30, p


Carregar ppt "Indicadores de sustentabilidade ambiental e de saúde para a Região Metropolitana de São Paulo – Uma abordagem ecossistêmica para estudo em distintos níveis."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google