A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Revisão para a Recuperação Paralela do 1º Trimestre Professora Mariluci Vargas História - 5ª séries.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Revisão para a Recuperação Paralela do 1º Trimestre Professora Mariluci Vargas História - 5ª séries."— Transcrição da apresentação:

1 Revisão para a Recuperação Paralela do 1º Trimestre Professora Mariluci Vargas História - 5ª séries

2 Introdução aos estudos históricos A palavra História vem do grego e seu sentido original é investigação. Para ter acesso ao passado, o historiador deve tentar reconstruí-lo examinando vestígios ou testemunhos pelas pessoas que viveram em outra época. As marcas e os vestígios deixados pelas pessoas ao longo de suas vidas são chamadas de fontes históricas, as quais são analisadas pelos historiadores para interpretar os acontecimentos do passado. As fontes históricas estão classificadas entre materiais e imateriais

3 Fontes Históricas Materiais Tudo o que for materialmente constituído e que possa fornecer informações para a análise: objetos, esculturas, pinturas, fotografias, documentos escritos, livros, móveis, roupas, etc.

4 Fontes Históricas Imateriais Tudo o que não for materialmente constituído e que possa fornecer informações para a análise: músicas, lendas, línguas, crenças, entrevistas de história oral, etc. Exemplo: Cinquenta anos de glória/ Tens imortal tricolor/ Os feitos da tua história/ Canta o Rio Grande com amoooor...(hino do grêmio-1953), Ideogramas, língua falada, entrevista gravada, lenda da mula sem cabeça.

5 Para a História não existe verdade absoluta! Até o século XX os historiadores utilizavam os documentos escritos como as principais fontes para suas investigações. Especialmente os documentos oficiais, aqueles que são emitidos pela administração do município, Estado ou do país: certidões de nascimento, atestado de óbito, acordos diplomáticos, cartas entre governantes, leis, normas, etc. A partir do início dos anos 1900 novas fontes históricas começaram a ser analisadas, não apenas as oficiais, e daí tudo produzido pelos homens ao longo do tempo e do espaço passou a ser considerado documento histórico, não apenas do passado, mas também no presente. Sendo assim, todo e qualquer vestígio deixado pelas sociedades humanas e que pode ser utilizado pelos historiadores para produzir um conhecimento sobre elas é um documento histórico.

6 Novos personagens em cena e outras áreas do conhecimento Em vez de estudar os acontecimentos apenas de acordo com a visão das elites ou daqueles que escreviam os documentos oficiais, outros personagens foram valorizados: os operários, as mulheres, as crianças, os escravos, os indígenas. Tudo e todos passaram a ser importantes para produzir conhecimento sobre o passado. Para pesquisar alguns temas, o historiador precisa recorrer ao saber elaborado por vários estudiosos, muitos deles dedicados a outras áreas do conhecimento (arqueologia, geografia, sociologia, economia, etc). A História não está isolada, ela faz parte de um todo cujo objetivo é estudar o ser humano e sua vida ao longo do tempo.

7 O tempo e a História Unidades de medida do tempo que auxiliam o historiador. É preciso estabelecer o tempo e o espaço de cada acontecimento histórico. Os primeiros instrumentos para calcular a passagem das horas foram os relógios: Relógios de sol são os mais antigos, criados pelos egípcios. (Exemplo do relógio na Praça Coronel Pedro Osório)

8 Ampulhetas (relógios de areia) Clepsidras (relógio de água) Relógios mecânicos e digitais.

9 Calendários: para calcular dias, meses e anos Cada povo marca seu tempo de acordo com algum acontecimento importante para a sua cultura. Exemplos dos calendários mais utilizados: Calendário cristão (gregoriano): solar (baseado na rotação da terra em torno do sol); ano 1 é o nascimento de Cristo; anos anteriores são contados de forma decrescente e vêm acompanhados de a.C. (antes de Cristo), os posteriores são identificados d.C. (depois de Cristo). Exemplo: O desenvolvimento da escrita se deu em 3500 a.C. Calendário judaico: o ano I é quando Deus teria criado o universo. Calendário islâmico: o ano I deste calendário que é solar (dividem o tempo de acordo com a revolução da lua em torno da terra) a fuga do profeta Maomé de Meca para Medina.

10 Outros tipos de calendários Exemplos de calendário de outros povos: maias, povos indígenas, incas (observações da natureza). Exemplo: calendário asteca.

11 Contagem do tempo A contagem em décadas (de dez em dez anos), séculos (de cem em cem anos), milênios (mil em mil anos). O calendário cristão organiza-se em séculos, ou seja, em grupos de cem anos. Século I: nascimento de Cristo (ano 1) ao ano 100. Duas regras nos ajudam a descobrir o século que pertence a determinado ano: Quando o ano termina com dois zeros, basta tirar os dois zeros e tem-se o século, exemplo: 500: século V 1800: século XVIII 2000: século XX

12 Contagem do tempo Quando o ano não termina em dois zeros, retiramos os dois últimos algarismos e somamos um (+1) ao número que resta, exemplo: 324: (século IV): 3+1:4 1922: (século XX): 19+1: : (século XXI): 20+1: 21 A linha do tempo é uma forma de organizar os acontecimentos históricos. Você já tentou fazer a linha do tempo da sua vida? Que acontecimentos você destacaria nessa linha do tempo? Que vestígios você utilizaria como fontes históricas para obter informações de fatos da sua vida?

13 Divisão da História – tempo histórico Historiadores europeus dividiram a História em quatro períodos: História Antiga; História Medieval; História Moderna; História Contemporânea. A Pré-História é localizada anteriormente a esta divisão, pois é o período que antecede o aparecimento da escrita. No entanto, não a ausência da escrita não significa que não há História, as manifestações artísticas como as pinturas rupestres, junto aos fósseis encontrados ajudam na elaboração do conhecimento histórico sobre este período.

14 As origens do ser Humano A linha evolutiva do livro, páginas 24 e 25, mostram que os estudos científicos apontam que há uma ordem evolutiva da espécie a ser considerada. A origem da vida pode ser explicada por diversas teorias, as principais são as seguintes: O Criacionismo – explicação religiosa, acredita-se que a vida e todas as coisas existentes foram criadas por um Deus superior e eterno. Está fundamentada no livro do Gênesis, da Bíblia. A criação do mundo teria ocorrido há menos de 6 mil anos. O Evolucionismo – explicação científica, acredita-se que as espécies de seres vivos passam por mudanças ao longo do tempo, diversificando-se e dando origem a novas espécies. Está fundamentado a partir do estudos dos naturalistas Charles Darwin e Alfred Wallace. Em 1859 Darwin publicou A origem das espécies onde detalha o processo de seleção natural.

15 Os hominídeos e o gênero Homo Os mais antigos hominídeos de que se tem evidência foram os australopithecus ou macacos do sul (viviam no sul da África). Andavam eretos e tinham habilidades nas mãos, mas não fabricavam instrumentos. O gênero Homo, do qual fazemos parte, originou-se há cerca de 2 milhões de anos. Maior volume cerebral e habilidade nas mãos o diferenciavam dos australopithecus. As espécies são: Homo habilis; Homo erectus; Homo neanderthalensis; Homo sapiens. Ver página 28.

16 Paleolítico Da pedra antiga ou pedra lascada; Período da história humana que vai do aparecimento do gênero Homo até a prática da agricultura; Produção do fogo, afugentavam animais, iluminavam caminhos e cozinhavam. Viviam da caça, pesca e coleta de frutos silvestres. Viviam em regiões das savanas, cavernas ou a céu aberto. Caçavam mamutes, bisões utilizando carne para o alimento e as peles para fazer as suas roupas, os ossos serviam para pontas de lanças. Ferramentas de pedra, osso e madeira. Eram NÔMADES, ou seja, NÃO POSSUÍAM LOCAL FIXO, se deslocavam em busca de alimentos.

17 Neolítico – Revolução Agrícola Pedra Polida ou Nova; Utensílios: enxadas, foices, pilões e machados; Mulheres responsáveis pela coleta de raízes e frutos, por isso a agricultura teria sido uma invenção da mulher. Assim, além de caçar, pescar e coletar, os seres humanos começaram a plantar e a colher. Além da caça, da pesca e da colheita as atividades agrícolas foram incluídas nas atividades desses povos e proporcionou com que os mesmos se fixassem em um local de moradia, e assim passaram a ser SEDENTÁRIOS.

18 Idade dos Metais Até a invenção da metalurgia, isto é, a técnica de trabalhar com os metais, as comunidades fabricavam os objetos com pedras, ossos e madeira. O metal trouxe muitas vantagens, com ele podiam-se fabricar utensílios mais afiados, mais resistentes mais adaptados à habilidade das mãos humanas. O primeiro metal usado foi o cobre, há cerca de 8 mil anos, para fazer estatuetas e enfeites. Por ser um metal mole, era pouco usado na fabricação de armas e ferramentas. O bronze passou a ser usado cerca de 6 mil anos atrás na produção de armas, ferramentas e outros objetos. O uso do ferro era raro e só se difundiu em torno de 1500 a.C. Com o ferro foi possível produzir armas mais duradouras, aperfeiçoar instrumentos agrícolas e criar novos tipos de utensílios como o alicate.


Carregar ppt "Revisão para a Recuperação Paralela do 1º Trimestre Professora Mariluci Vargas História - 5ª séries."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google