A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Doenças Cirúrgicas Dra. Paula Saab Cukier. Colecistopatia Calculosa Presença de cálculos no interior da vesícula biliar Presença de cálculos no interior.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Doenças Cirúrgicas Dra. Paula Saab Cukier. Colecistopatia Calculosa Presença de cálculos no interior da vesícula biliar Presença de cálculos no interior."— Transcrição da apresentação:

1 Doenças Cirúrgicas Dra. Paula Saab Cukier

2 Colecistopatia Calculosa Presença de cálculos no interior da vesícula biliar Presença de cálculos no interior da vesícula biliar

3 Colelitíase

4 Colelitíase O que são as pedras ? O que são as pedras ? Colesterol Lecitina Bilirrubina

5 Colelitíase Fatores de risco Fatores de risco - Mulheres entre 20 e 60 anos têm 3 x mais chance de Ter cálculos do que a população masculina. - Mulheres que tiveram múltiplas gestações. - O risco aumenta com a idade e a obesidade.

6 Colelitíase Fatores de risco Fatores de risco - Fat - Fourty - Fertility - Female

7 Quadro Clínico Dor abdominal intensa, geralmente tipo cólica, que pode se localizar no no lado direito do abdomen abaixo da costela, boca do estômago, ou ainda nas costas. Pode se localizar em todos os lugares descritos ao mesmo tempo ou separadamente. Dor abdominal intensa, geralmente tipo cólica, que pode se localizar no no lado direito do abdomen abaixo da costela, boca do estômago, ou ainda nas costas. Pode se localizar em todos os lugares descritos ao mesmo tempo ou separadamente.

8 Quadro Clínico

9 Complicações Cólica Biliar Cólica Biliar Coledocolitíase Coledocolitíase Pancreatite Biliar Pancreatite Biliar Colecistite Aguda Colecistite Aguda

10 Tratamento Colecistectomia convencional, ou aberta. Colecistectomia convencional, ou aberta. Colecistectomia videolaparoscópica Colecistectomia videolaparoscópica Colecistectomia videolaparoscópica Colecistectomia videolaparoscópica

11 Colecisitite Aguda Inflamação aguda da vesícula biliar associada a infecção Inflamação aguda da vesícula biliar associada a infecção

12 Quadro Clínico Cólicas biliares Cólicas biliares Febre Febre Tremores de frio Tremores de frio Náusea e/ou vômitos Náusea e/ou vômitos Perda do apetite Perda do apetite Icterícia (cor amarela da pele ou dos olhos) Icterícia (cor amarela da pele ou dos olhos) Urina escura Urina escura Fezes acinzentadas ou brancas. Fezes acinzentadas ou brancas.

13 Tratamento Colecistectomia - Aberta - Videolaparoscópica Conservador - Antibiótico e antinflamatório - Cirurgia Posterior

14 Pancreatite Aguda A Pancreatite aguda é uma condição resultante da inflamação aguda do pâncreas. A principal função do pâncreas é produzir enzimas digestivas e a insulina A Pancreatite aguda é uma condição resultante da inflamação aguda do pâncreas. A principal função do pâncreas é produzir enzimas digestivas e a insulina Na Pancreatite, as enzimas pancreáticas que normalmente são lançadas nos intestinos delgados para ajudar na digestão são ativadas dentro do próprio pâncreas e começam a danificá-lo. Se a crise é grave ou prolongada, ou se ocorrem surtos de pancreatite aguda repetidamente, a lesão permanente do pâncreas pode acontecer e levar a uma condição chamada pancreatite crônica. Na Pancreatite, as enzimas pancreáticas que normalmente são lançadas nos intestinos delgados para ajudar na digestão são ativadas dentro do próprio pâncreas e começam a danificá-lo. Se a crise é grave ou prolongada, ou se ocorrem surtos de pancreatite aguda repetidamente, a lesão permanente do pâncreas pode acontecer e levar a uma condição chamada pancreatite crônica. As duas causas mais comuns de pancreatite são os cálculos de vesícula biliar e o etilismo (uso abusivo do álcool). Como o canal pancreático, que leva enzimas digestivas do pâncreas para o intestino delgado é comum ao canal da bile, que vem da vesícula biliar e do fígado, os cálculos biliares que entupirem o canal pancreático impedem que as enzimas cheguem ao intestino, ficando acumuladas dentro do fígado e sendo pois ativadas, corroendo o órgão por dentro. Embora a maioria das pessoas que bebem álcool não desenvolva a pancreatite, beber grandes quantidades de álcool pode ativar a pancreatite. As duas causas mais comuns de pancreatite são os cálculos de vesícula biliar e o etilismo (uso abusivo do álcool). Como o canal pancreático, que leva enzimas digestivas do pâncreas para o intestino delgado é comum ao canal da bile, que vem da vesícula biliar e do fígado, os cálculos biliares que entupirem o canal pancreático impedem que as enzimas cheguem ao intestino, ficando acumuladas dentro do fígado e sendo pois ativadas, corroendo o órgão por dentro. Embora a maioria das pessoas que bebem álcool não desenvolva a pancreatite, beber grandes quantidades de álcool pode ativar a pancreatite.

15 Pancreatite Aguda Biliar

16 Outras Causas Trauma abdominal (pancreatite traumática), Trauma abdominal (pancreatite traumática), Cirurgia abdominal, Cirurgia abdominal, Medicamentos, incluindo certos antibióticos (metronidazol, sulfa e tetraciclina), diuréticos tiazídicos e estrogênio, Medicamentos, incluindo certos antibióticos (metronidazol, sulfa e tetraciclina), diuréticos tiazídicos e estrogênio, Altos níveis de cálcio ou triglicérides no sangue, Altos níveis de cálcio ou triglicérides no sangue, Algumas infecções, como caxumba ou hepatite viral, Algumas infecções, como caxumba ou hepatite viral, Procedimentos endoscópicos que envolvem o canal biliar e pancreático, Procedimentos endoscópicos que envolvem o canal biliar e pancreático, Idiopática (não é encontrada causa). Idiopática (não é encontrada causa).

17 Quadro Clínico Dor abdominal superior que pode ser de tolerável à lancinante, em faixa, na altura do estômago, tanto à direita como à esquerda; Dor abdominal superior que pode ser de tolerável à lancinante, em faixa, na altura do estômago, tanto à direita como à esquerda; Projeção da dor para as costas, tórax, flanco ou para baixo, Projeção da dor para as costas, tórax, flanco ou para baixo, Piora da dor com a alimentação, principalmente gordurosos, Piora da dor com a alimentação, principalmente gordurosos, Náuseas e vômitos, Náuseas e vômitos, Perda do apetite, Perda do apetite, Distensão abdominal (inchaço), Distensão abdominal (inchaço), Febre, Febre, Falta de ar, Falta de ar, Cansaço, Cansaço, Hipotensão e Choque (pressão muito baixa impossibilitando o funcionamento dos órgãos). Hipotensão e Choque (pressão muito baixa impossibilitando o funcionamento dos órgãos).

18 Diagnóstico Clínico Clínico Laboratorial Laboratorial USG USG TC de abdome TC de abdome

19 Tratamento Repouso no hospital, Repouso no hospital, Jejum para descansar o pâncreas, Jejum para descansar o pâncreas, Reposição de líquidos por via endovenosa, Reposição de líquidos por via endovenosa, Passagem de uma sonda pelo nariz até o estômago para controlar os vômitos, Passagem de uma sonda pelo nariz até o estômago para controlar os vômitos, Nutrição parenteral (por uma veia grossa) pode ser necessária nos casos mais graves, Nutrição parenteral (por uma veia grossa) pode ser necessária nos casos mais graves, Remédios para proteger o estômago de úlceras de stress. Inclui os bloqueadores H2 (Cloridrato de ranitidina) e os Inibidores da bomba de próton (Omeprazol, Pantoprazol, Esomeprazol, etc), Remédios para proteger o estômago de úlceras de stress. Inclui os bloqueadores H2 (Cloridrato de ranitidina) e os Inibidores da bomba de próton (Omeprazol, Pantoprazol, Esomeprazol, etc), Antibióticos só são indicados nos casos graves e quando a causa é a calculose biliar pela freqüente presença de infecção da vesícula – colecistite. Antibióticos só são indicados nos casos graves e quando a causa é a calculose biliar pela freqüente presença de infecção da vesícula – colecistite. Cirurgia : Tratamento definitivo dos cálculos de vesícula (colecistectomia), Tratamento definitivo dos cálculos de vesícula (colecistectomia), Infecção pancreática documentada com abscesso (coleção de pus), Infecção pancreática documentada com abscesso (coleção de pus), Necrose (deterioração) extensa do pâncreas, Necrose (deterioração) extensa do pâncreas, Hemorragia importante, Hemorragia importante, Choque que não melhora, Choque que não melhora, Insuficiência de múltiplos órgãos. Insuficiência de múltiplos órgãos.

20 Hérnias O que são as hérnias ?? O que são as hérnias ?? Hérnia significa a passagem anormal de estruturas de uma cavidade para outra. Hérnias podem ser encontradas em vários locais podendo ser divididas em externas e internas. Hérnia significa a passagem anormal de estruturas de uma cavidade para outra. Hérnias podem ser encontradas em vários locais podendo ser divididas em externas e internas.

21 Hérnias A cavidade abdominal é basicamente um grande espaço onde ficam os intestinos, o estômago, o fígado e outros órgãos. Eles são mantidos no lugar por aponeuroses, músculos e pele, com algumas áreas fechadas por ossos. Mas quando, por qualquer motivo, ocorre um enfraquecimento desta parede, com a formação de um orifício na parte muscular e aponeurótica da parede, as estruturas que estão dentro do abdome tendem a deslizar para o orifício, criando uma protrusão visível ao portador - só a pele separa o intestino (por exemplo) da parte exterior do abdome. A cavidade abdominal é basicamente um grande espaço onde ficam os intestinos, o estômago, o fígado e outros órgãos. Eles são mantidos no lugar por aponeuroses, músculos e pele, com algumas áreas fechadas por ossos. Mas quando, por qualquer motivo, ocorre um enfraquecimento desta parede, com a formação de um orifício na parte muscular e aponeurótica da parede, as estruturas que estão dentro do abdome tendem a deslizar para o orifício, criando uma protrusão visível ao portador - só a pele separa o intestino (por exemplo) da parte exterior do abdome.

22 Hérnias

23 Fatores de risco Fraqueza mucular Fraqueza mucular Peso Peso Doenças prostáticas Doenças prostáticas Doenças pulmonares Doenças pulmonares Idade Idade Paridade Paridade

24 Complicações Encarceramento Encarceramento Estrangulamento Estrangulamento

25 Hérnias Hérnia inguinal - (na virilha) Hérnia inguinal - (na virilha) Hérnia inguinal Hérnia inguinal Hérnia umbilical Hérnia umbilical Hérnia umbilical Hérnia umbilical Hérnia epigástrica - (região do estômago) Hérnia epigástrica - (região do estômago) Hérnia epigástrica Hérnia epigástrica Hérnia crural - (junto à coxa) Hérnia crural - (junto à coxa) Hérnia incisional - (nas incisões cirúrgicas) Hérnia incisional - (nas incisões cirúrgicas) Hérnia incisional Hérnia incisional Hérnia do hiato esofágico - (porção do estômago vai para dentro do tórax, através de uma passagem naturalmente fechada do diafragma) Hérnia do hiato esofágico - (porção do estômago vai para dentro do tórax, através de uma passagem naturalmente fechada do diafragma) Hérnia do hiato esofágico Hérnia do hiato esofágico Hérnia muscular Hérnia muscular Hérnia de Bochdaleck - (falha de fechamento do diafragma) Hérnia de Bochdaleck - (falha de fechamento do diafragma) Hérnia de Petit - (principal queixa: percepção de um tumor de consistência firme no dorso, que pode estar acompanhada de sensação de ardência ou dor) Hérnia de Petit - (principal queixa: percepção de um tumor de consistência firme no dorso, que pode estar acompanhada de sensação de ardência ou dor) Hérnia de disco Hérnia de disco Hérnia de disco Hérnia de disco Hérnia do uncus - (no crânio) Hérnia do uncus - (no crânio)

26 Tratamento Correção Cirúrgica Correção Cirúrgica Quanto menor o anel, mais perigoso !


Carregar ppt "Doenças Cirúrgicas Dra. Paula Saab Cukier. Colecistopatia Calculosa Presença de cálculos no interior da vesícula biliar Presença de cálculos no interior."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google