A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

GRUPO DE TRABALHO DO CREA-ES CONCESSÕES RODOVIÁRIAS FEDERAIS CONCESSÃO DA BR 262 TRECHO ES-MG E A LOGÍSTICA DO E. SANTO CONTRIBUIÇÕES DO GT DE INFRAESTRUTURA.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "GRUPO DE TRABALHO DO CREA-ES CONCESSÕES RODOVIÁRIAS FEDERAIS CONCESSÃO DA BR 262 TRECHO ES-MG E A LOGÍSTICA DO E. SANTO CONTRIBUIÇÕES DO GT DE INFRAESTRUTURA."— Transcrição da apresentação:

1 GRUPO DE TRABALHO DO CREA-ES CONCESSÕES RODOVIÁRIAS FEDERAIS CONCESSÃO DA BR 262 TRECHO ES-MG E A LOGÍSTICA DO E. SANTO CONTRIBUIÇÕES DO GT DE INFRAESTRUTURA DO CREA-ES CONCESSÕES E PROGRAMAS DE EXPLORAÇÃO DA RODOVIA BR 262 ES-MG

2 DO GRUPO DE TRABALHO Da Finalidade e da Composição do Grupo de Trabalho O grupo de trabalho é órgão de caráter temporário que tem por finalidade subsidiar os órgãos da estrutura básica e da estrutura de suporte por intermédio do estudo, a análise ou a apresentação da solução para problemas internos, específicos do sistema Confea/Crea, ou externos, com abrangência nas áreas técnicas, econômicas, sociais ou políticas. O grupo de trabalho é instituído pelo Plenário do Crea, mediante proposta devidamente fundamentada e sugestão de composição apresentadas pela Presidência, pela Diretoria ou por câmara especializada. GRUPO DE TRABALHO DE INFRESTRUTURA Concessão e Programa de Exploração da Rodovia BR-262/ES/MG

3 A proposta para instituição do grupo de trabalho deve contemplar a justificativa da necessidade de sua criação e a pertinência do tema às atividades do órgão proponente. O grupo de trabalho é supervisionado pelo órgão proponente. O grupo de trabalho é composto por conselheiros regionais ou por profissionais do Sistema Confea/Crea em número fixado pelo Plenário do Crea, tendo por base a complexidade do tema a ser estudado. O grupo de trabalho é conduzido por um coordenador e por um Coordenadora Adjunto. GRUPO DE TRABALHO DE INFRESTRUTURA Concessão e Programa de Exploração da Rodovia BR-262/ES/MG

4 A 3ª Etapa das Concessões Rodoviárias Federais – Fase 3 é parte integrante do Programa de Investimentos em Logística - PIL, que objetiva o desenvolvimento acelerado e sustentável por meio de uma ampla e moderna rede de infraestrutura com eficiência logística e modicidade tarifária. O Programa visa ampliar a escala dos investimentos públicos e privados em infraestrutura duplicando os principais eixos rodoviários do país. Para tanto estão previstos para a 3ª Etapa das Concessões Rodoviárias Federais – Fases 1 e 3 um total de 42 bilhões de reais em investimentos ao longo das concessões, sendo 23,5 bilhões de reais nos primeiros cinco anos. GRUPO DE TRABALHO DE INFRESTRUTURA Concessão e Programa de Exploração da Rodovia BR-262/ES/MG

5 Neste novo modelo de concessão os investimentos estão concentrados nos primeiros 5 anos de concessão, com duplicações, contornos, travessias e obras de arte. O pedágio só será cobrado quando 10% das obras estiverem concluídas. Ao todo estão sendo estudados 7 lotes de rodovias federais totalizando 5.748,3 km de rodovias a serem concedidas. GRUPO DE TRABALHO DE INFRESTRUTURA Concessão e Programa de Exploração da Rodovia BR-262/ES/MG

6 A Audiência Pública nº 132/2013 tem o objetivo de tornar público e colher sugestões e contribuições aos Estudos de Viabilidade Técnica e Econômica para Concessão e aos Programas de Exploração das Rodovias BR- 262/ES/MG, BR-050/GO/MG, BR-060/153/262/DF/GO/MG, BR- 153/TO/GO, BR-101/BA, BR-163/MT e BR-163/267/262/MS, integrantes da 3ª Etapa das Concessões Rodoviárias Federais – Fase III. PRORROGADO O PERÍODO PARA ENVIO DE CONTRIBUIÇÕES DAS 18 HORAS DO DIA 25 DE JANEIRO DE 2013 PARA AS 18 HORAS DO DIA09 DE FEVEREIRO DE 2013 (HORÁRIO DE BRASÍLIA). GRUPO DE TRABALHO DE INFRESTRUTURA Concessão e Programa de Exploração da Rodovia BR-262/ES/MG

7 A Audiência Pública nº 131/2013 tem objetivo de tornar público e colher sugestões, contribuições ao Edital e Contrato para concessão das rodovias BR-262/ES/MG, BR-050/GO/MG, BR-060/153/262/DF/GO/MG, BR- 153/TO/GO, BR-101/BA, BR-163/MT e BR-163/267/262/MS, integrantes da 3ª Etapa das Concessões Rodoviárias Federais – Fase III. PRORROGADO O PERÍODO PARA ENVIO DE CONTRIBUIÇÕES DAS 18 HORAS DO DIA 25 DE JANEIRO DE 2013 PARA AS 18 HORAS DO DIA09 DE FEVEREIRO DE 2013 (HORÁRIO DE BRASÍLIA) GRUPO DE TRABALHO DE INFRESTRUTURA Concessão e Programa de Exploração da Rodovia BR-262/ES/MG

8 Rodovias&Vias: Das obras federais que estão previstas para este ano no Estado do Espírito Santo, quais avalia como as mais importantes? Halpher Luiggi Mônico Rosa: As que estão no PAC (Programa de Aceleração do Crescimento). A duplicação da BR-262, que liga Vitória a Belo Horizonte, fase 1 e 2, o contorno de Cachoeiro de Itapemirim e a implantação de mais um trecho na BR-342. A expectativa é de iniciar as três obras ainda neste ano e concluí-las ao longo dos próximos quatro anos. Além disso, o DNIT está trabalhando com duas novas ações. Uma é a adequação de toda a BR-259, inclusive com a construção de uma nova ponte, que liga o Espírito Santo ao interior de Minas Gerais. A outra é a BR-484 que será uma rodovia paralela a BR-101, ainda em fase de viabilidade e projeto, que deve ser implantada a partir do ano que vem. GRUPO DE TRABALHO DE INFRESTRUTURA Concessão e Programa de Exploração da Rodovia BR-262/ES/MG

9 Elas fazem parte de uma estratégia do governo federal para a região? Sim, principalmente a BR-262, que é a ligação do Espírito Santo com todo o polo de produção de grãos do país. De Belo Horizonte rumo ao interior, boa parte já está duplicada. De Belo Horizonte até João Monlevade (MG), os projetos de duplicação já estão praticamente prontos e deverão ser licitados juntos com um outro lote, entre Vitória e Victor Hugo, no interior do estado, e que será licitado no início do segundo semestre. A ideia é ter a rodovia de Vitória a Belo Horizonte duplicada, e de Belo Horizonte até Uberaba, também duplicada. Ou seja, um grande corredor, similar ao antigo corredor do Mercosul, só que ao invés de ligar Norte e Sul para cruzar a América do Sul, vamos ligar o interior produtor de soja aos portos capixabas. Um investimento na ordem de R$ 700 milhões, somente no Espírito Santo. GRUPO DE TRABALHO DE INFRESTRUTURA Concessão e Programa de Exploração da Rodovia BR-262/ES/MG

10 .A BR-101 é o maior projeto rodoviário da história do Espírito Santo, o senhor tem contato com a concessionária vencedora da licitação? Sim, mantenho um contato muito estreito, no sentido de realizarmos reuniões ordinárias, onde constatei que eles já estão fazendo o planejamento para evitar a prorrogação de obras. Qual será a participação do DNIT na BR-101 após a concessão? Na BR-101, o DNIT tem algumas obras em andamento, como as ruas laterais de Linhares, que é um município importante no Norte do estado, um viaduto aqui na grande Vitória e a obra do contorno. Depois que ela for concedida, o DNIT será responsável apenas por 2,9 km da rodovia, que é o acesso Norte de Vitória. O restante passará para a administração da iniciativa privada. GRUPO DE TRABALHO DE INFRESTRUTURA Concessão e Programa de Exploração da Rodovia BR-262/ES/MG

11 GRUPO DE TRABALHO DE INFRESTRUTURA Concessão e Programa de Exploração da Rodovia BR-262/ES/MG E os portos estarão preparados para o aumento da atividade? A expectativa é de ter um porto de águas profundas aqui, com a possibilidade de movimentação de dois mil contêineres dia. E mais dois grandes portos ao longo do litoral, complementando os portos que já existem. Nós já temos a maior quantidade de portos no litoral do país, possivelmente, depois desses terminais construídos, teremos também a maior movimentação de cargas do país.

12 O Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Espírito Santo – Crea-ES, através do Grupo de Trabalho de Infra estrutura, após breve análise dos documentos disponibilizados e dos esclarecimentos prestados na Audiência Pública nº 132/2013 do dia 16/01/2013, entende pertinente, por ora, apresentar as seguintes contribuições: 1 – A forma originariamente proposta permite o início da cobrança do pedágio a partir da conclusão, pela concessionária, de 10% das obras de duplicação do trecho do Estado de Minas Gerais. Ainda em relação à tal duplicação, com o objetivo de minimizar os problemas de segurança da BR nos trechos contemplados pela concessão, sugerimos que a duplicação inicial priorize trechos representativos de trafego e de maior conflito, tanto no Estado de Minas Gerais, quanto no Espírito Santo. GRUPO DE TRABALHO DE INFRESTRUTURA Concessão e Programa de Exploração da Rodovia BR-262/ES/MG

13 GRUPO DE TRABALHO DE INFRESTRUTURA Concessão e Programa de Exploração da Rodovia BR-262/ES/MG 2 –O trecho objeto da concessão interceptará diretamente 22 municípios, além daqueles municípios vizinhos cuja população utiliza a via como principal rota de trafego. Nesse sentido, sugerimos que seja incluído no edital exigência de que os usuários que estejam domiciliados em até 5 (cinco) km no sentido longitudinal e/ou transversal sejam cadastrados e liberados do ônus de pedágio, por meio de passe livre. 3 – Adotar providências no sentido de garantir que os prazos em relação à execução das obras no trecho compreendido entre o km 19,1 e 196 até a divisa entre o Estado do Espírito Santo e de Minas Gerais sejam rigorosamente cumpridos, seja através da constituição de uma Sociedade de Propósito Específico – SPE ou outra modalidade legalmente prevista. Sabe-se que são públicas e notórias as dificuldades encontradas no âmbito da Administração Pública no exercício de tal atividade. Tal constatação causa demasiada preocupação no sentido de que a sociedade capixaba arque com os custos do pedágio, sem a devida contraprestação dos benefícios.

14 GRUPO DE TRABALHO DE INFRESTRUTURA Concessão e Programa de Exploração da Rodovia BR-262/ES/MG 4 – Para sucesso de qualquer empreendimento e, especialmente, em obras que causam impacto direto na vida dos cidadãos, a participação popular é medida de garantia de êxito no empreendimento. Sendo assim, sugerimos que a concessionária após a assinatura dos contratos de concessão, na fase de execução dos projetos, estabeleça para a execução dos projetos básicos/executivos, um período mínimo de 01 (uma) semana em cada trecho (inter pedágio), executando a fase inicial presencial dos projetos, aceitando, registrando e ouvindo a opinião de moradores e usuários para melhorar a qualidade destes projetos, contemplando a opinião dos usuários permanentes da via (inter pedágio), em face de que temos visto que os projetos atuais são feitos em local diverso do trecho projetado (abertura e transparência legal, do projeto licitatório) e muitos questionamentos, inclusive, são considerados preclusos e intempestivos, pois alega-se que os projetos já estão prontos e acabados, o que constitui flagrante violação ao princípio da eficiência.

15 GRUPO DE TRABALHO DE INFRESTRUTURA Concessão e Programa de Exploração da Rodovia BR-262/ES/MG 5 – Com vistas à garantia dos princípios constitucionais que norteiam os atos da administração pública, sugere-se que a duplicação do trecho no Espírito Santo tenha exigências legais transparentes e planejamento efetivo para que seja executada obrigatoriamente, atendendo os prazos consolidados na apresentação da Audiência Pública 132/2013, estabelecido para 05 (cinco) anos, a exemplo do esperado que ocorra com o trecho no Estado de Minas Gerais, cuja duplicação ficará a cargo da concessionária. 6 – A sustentabilidade e a melhoria da qualidade de vida das pessoas é preocupação global nos dias atuais. Contemplando tal situação, sugere-se que seja implantado em todos os trechos urbanos dos 22 (vinte e dois) municípios interceptados, ciclovias ou ciclo faixas, o que couber, e naqueles trechos inter pedágios que possam ser viabilizadas alternativas que proporcionem aos usuários utilizar deslocamentos próximos às praças de pedágio por meio de veículos com tração humana.

16 O Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Espírito Santo – Crea- ES, por meio do Grupo de Trabalho de Infra estrutura, após análise dos documentos disponibilizados e dos esclarecimentos prestados na Audiência Pública nº 132/2013 do dia 16/01/2013, em face de prorrogação do prazo inicial estendido até o dia 09 de fevereiro de 2013, entende pertinente, apresentar a seguinte contribuição: SISTEMA NACIONAL DE IDENTIFICAÇÃO AUTOMÁTICA DE VEÍCULOS – SINIAV, cuja implantação, nos termos da RESOLUÇAO No 412 DE 09 DE AGOSTO DE 2012, deverá estar obrigatoriamente implantado até 30 de junho de GRUPO DE TRABALHO DE INFRESTRUTURA Concessão e Programa de Exploração da Rodovia BR-262/ES/MG

17 O trecho objeto da concessão interceptará diretamente 22 municípios, além daqueles municípios vizinhos cuja população utiliza a via como principal rota de trafego. Sugere-se assim, que seja adotado como trecho mínimo o percurso de 20(vinte) km, entre pórticos de cobrança eletrônica. Esta iniciativa reduzirá drasticamente os custos fixos para a concessionária e proporcionará maior base de cobrança o que reduzirá em muito, a tarifa final. GRUPO DE TRABALHO DE INFRESTRUTURA Concessão e Programa de Exploração da Rodovia BR-262/ES/MG

18 GRUPO DE TRABALHO DE INFRAESTRUTURA OBRIGADO VITÓRIA, 27 DE FEVEREIRO DE 2013


Carregar ppt "GRUPO DE TRABALHO DO CREA-ES CONCESSÕES RODOVIÁRIAS FEDERAIS CONCESSÃO DA BR 262 TRECHO ES-MG E A LOGÍSTICA DO E. SANTO CONTRIBUIÇÕES DO GT DE INFRAESTRUTURA."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google