A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

MINISTÉRIO DA FAZENDA ESAF – 2009 SOFTWARE E SISTEMA OPERACIONAIS Disciplina: Informática Facilitador: Alisson Cleiton

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "MINISTÉRIO DA FAZENDA ESAF – 2009 SOFTWARE E SISTEMA OPERACIONAIS Disciplina: Informática Facilitador: Alisson Cleiton"— Transcrição da apresentação:

1 MINISTÉRIO DA FAZENDA ESAF – 2009 SOFTWARE E SISTEMA OPERACIONAIS Disciplina: Informática Facilitador: Alisson Cleiton

2 Introdução – O que é software? Softwares são programas. Programas são roteiros, escritos por programadores, que apresentam seqüências de instruções que o computador deve seguir para realizar determinadas tarefas. Um dos tipos de programas que encontramos é o Sistema Operacional. SO é o software responsável pelo gerenciamento do hardware, controle dos softwares existentes no computador e pela interface com o usuário. Estabelece a plataforma sobre a qual os programas são executados. Nesse conceito é que o Windows e o Linux se encaixam. Módulo II – Windows e Linux

3 Classificação quanto a função Softwares Básico Sistemas Operacionais - software responsável pelo gerenciamento do hardware e pela interface com o usuário. Estabelece a plataforma sobre a qual os programas são executados. Utilitários - softwares relacionados à manutenção do computador e de seus dispositivos, como gerenciadores de memória, desfragmentadores de disco etc. Softwares Aplicativo - são os programas voltados aos usuários, como editores de texto, planilhas, tocadores de áudio e vídeo etc. Linguagens de programação – são softwares utilizados para a criação de outros softwares Módulo II – Windows e Linux

4 Classificação quanto ao tipo Software (Código-Fonte) Aberto (Open Source) - Programas que têm seu código fonte aberto. Qualquer um pode baixar o código fonte do programa, estudá-lo ou mesmo aperfeiçoá-lo. Open Source não é a mesma coisa que de domínio público. Um programa Open Source continua pertencendo ao seu criador e a quem ajudou no seu desenvolvimento. Software Livre (Free Software) – É um conceito mais amplo que o de Open Source. Software livre é o software que vem com permissão para qualquer um copiar, estudar, usar e distribuir, com ou sem modificações, gratuitamente ou por um preço. Em particular, isso significa que o código fonte deve estar disponível. Domínio Público - Software de domínio público é software não protegido por copyright (direitos de cópia). Isso significa que algumas cópias ou versões modificadas podem não ser livres. Software Proprietário - É aquele que não é livre. Seu uso, redistribuição ou modificação é proibido, ou requer que você peça permissão, ou é restrito de tal forma que você não possa efetivamente fazê-lo livremente. Módulo II – Windows e Linux

5 Classificação quanto ao tipo Freeware – O termo freeware não possui uma definição clara e amplamente aceita, mas é muito usado para programas que permitem redistribuição, mas não modificação (seu código fonte não está disponível). Não são software livre, portanto não é correto utilizar o termo freeware para referir-se a software livre. Shareware – É o software que vem com permissão para redistribuir cópias. No entanto as cópias livremente distribuídas contêm restrições de tempo de uso ou de utilização de recursos. Para continuar usando um shareware ou para liberar todos os seus recursos, o usuário deve pagar por uma licença. Software Comercial – É o software que é desenvolvido visando à obtenção de renda por meio do uso do software. É um artigo de consumo. Comercial e proprietário não são termos equivalentes. A maior parte dos softwares comerciais é proprietária, mas existem softwares livres comerciais e softwares não-comerciais e não-livres. Módulo II – Windows e Linux

6

7 O Windows é um sistema operacional gráfico, desenvolvido pela Microsoft ®, que utiliza imagens, ícones, menus e outros aparatos visuais para ajudá-lo a controlar seu computador. Ele gerencia o trabalho do hardware e interage com o usuário. Características - Sistema operacional gráfico - Sistema multitarefa preemptiva - Suporta Plug and Play - O Windows é um SO de 32 bits Windows 95 Windows 98 Windows NT Windows ME Windows Vista Windows 2000 Windows XP Windows Módulo II – Windows e Linux

8 Windows 95 Introduziu o sistema de arquivos com nomes longos. Passou a permitir nomes de arquivos com até 255 caracteres contendo espaços em branco e pontos. Primeiro sistema operacional da família Windows a utilizar os conceitos de menu Iniciar e barra de tarefas Windows 98 Introduziu o Active Desktop, recurso que possibilitava a visualização de páginas web diretamente na área de trabalho. Tinha suporte a USB, Firewire, AGP, múltiplos monitores e modems e era compatível com os sistemas de arquivos FAT16 e FAT32. Versões do Windows Módulo II – Windows e Linux Versões do Windows Módulo II – Windows e Linux

9 Windows NT Capaz de gerenciar vários usuários e de implementar controles de acesso a pastas e recursos do sistema. Primeira versão do Windows voltada para o uso corporativo. Utiliza principalmente o sistema de arquivos NTFS, mas também é compatível com FAT16. Windows ME Espécie de Windows 98 com alguns recursos extras de multimídia, como visualização de imagens e miniaturas. Teve uma vida muito curta, muito em função do lançamento quase simultâneo do Windows Versões do Windows Módulo II – Windows e Linux

10 Windows Vista 11ª versão do Windows. Tem centenas de novas funções, como uma nova interface gráfica do usuário, funções de busca aprimoradas, novas ferramentas de criação multimídia e renovadas aplicações para redes de comunicação, áudio e impressão. Windows 2000 Descendente direto do Windows NT. Em versão Professional e Server. Focado para uso em rede, gerenciamento, escalabilidade e confiabilidade. A versão Professional fez bastante sucesso entre usuários domésticos; Versões do Windows Módulo II – Windows e Linux

11 Windows XP Tem as versões Home (criado para substituir o Me no gerenciamento de computadores domésticos) e Professional (para estações de trabalho corporativos). Ganhou um visual inovador em relação às versões anteriores e vários recursos voltados à multimídia, além de novos recursos, como: seqüências rápidas de iniciação e hibernação; alternância de contas de usuários, na qual quem está logado pode alternar em outra conta sem fechar os arquivos abertos; Assistência Remota, com a permissão de usuários se conectarem ao seu XP pela rede de internet e acessar seus arquivos e imprimi-los, executar aplicações e outros. Versões do Windows Módulo II – Windows e Linux

12 Windows XP – Tela de inicialização Módulo II – Windows e Linux

13 Windows XP – Tela de Logon Módulo II – Windows e Linux

14 Área de trabalho Ícones Barra de Tarefas Barra de Inicialização Rápida Área de Notificação Windows XP - Desktop Módulo II – Windows e Linux Indicação de Ícone de Atalho

15 Windows XP – Botão direito em área vazia Módulo II – Windows e Linux

16 ABA TEMAS - O Windows XP tem uma série de Temas, que modificam os aspectos ou interface do sistema, nesta tela (1 da figura), podemos alterar os temas do Windows XP, basta selecionar o tema desejado, você verá um preview dele, caso venha a escolher, selecione a opção aplicar. Windows XP – Propriedades do Vídeo Módulo II – Windows e Linux

17 ABA ÁREA DE TRABALHO - Na aba área de trabalho, podemos modificar a imagem que será colocada no fundo do desktop do Windows XP (papel de parede) existe uma galeria de imagens que podemos escolher, caso desejamos, podemos também utilizar uma imagem pessoal, para alterar o Plano de Fundo: clique na aba área de trabalho, selecione a imagem desejada da lista que aparece ou clique em procurar, uma vez escolhida a imagem, clique em aplicar, e você verá a imagem escolhida como fundo da área de trabalho. PERSONALIZAR A ÁREA DE TRABALHO - O Windows XP nos permite personalizar nossa área de trabalho, escolhendo quais ícones aparecerão nele, ou se queremos mostrar uma página web como fundo de nossa área de trabalho. Além disso, podemos através de um assistente realizar uma limpeza dos ícones da área de trabalho, o assistente nos permitirá armazenar numa pasta determinada atalhos e ícones não usados recentemente que se encontram no desktop, aqueles atalhos ou ícones que não estivermos usando nos últimos 60 dias serão considerados como ícones inativos. Windows XP – Propriedades do Vídeo Módulo II – Windows e Linux

18 ABA PROTEÇÃO DE TELA - Ao deixar o computador inativo a tela pode sofrer danos ao permanecer estática por um longo período de tempo. Para evitar que isso ocorra, podemos ativar a proteção de tela, para que depois de um tempo específico com o sistema ocioso e seja exibida. OPÇÕES DE ENERGIA - O Windows inclui algumas utilidades de economia de energia, que podemos configurar de modo que decorrido certo tempo de inatividade do sistema o monitor e os discos rígidos sejam desligados, voltando a ligar-se depois que os ativamos, como por exemplo movendo o mouse, tudo isso para economizar energia, por isso chamamos de opções de energia do sistema. Windows XP – Propriedades do Vídeo Módulo II – Windows e Linux

19 ABA APARÊNCIA - Nesta aba, podemos configurar a cor, o tipo de letra e o tamanho da letra de cada um dos elementos do Windows e de suas janelas, além das barras de menus, ícones, área de trabalho, etc. Windows XP – Propriedades do Vídeo Módulo II – Windows e Linux

20 ABA CONFIGURAÇÕES - Nesta aba podemos ajustar a resolução da tela, a quantidade e qualidade das cores. Windows XP – Propriedades do Vídeo Módulo II – Windows e Linux

21 Ícones São símbolos (ou imagens) que facilitam a associação de objetos a arquivos ou pastas. Para qualquer programa, podemos ter um ícone específico. A maioria deles já tem um padrão, mas, se o usuário quiser (em alguns casos), pode alterá-los colocando um outro ícone. Atalhos São símbolos (ou imagens) que facilitam a associação de objetos a arquivos ou pastas. Para qualquer programa, podemos ter um ícone específico. A maioria deles já tem um padrão, mas, se o usuário quiser (em alguns casos), pode alterá-los colocando um outro ícone. Windows XP Módulo II – Windows e Linux

22 Barras de Tarefas É a barra horizontal que atravessa toda a base do Desktop. Essa barra apresenta o Botão Iniciar(1), a Área de inicialização rápida(2), botões dos programas que estão em execução(3), a Barra de Idiomas(5) e a Área de Notificação e Relógio(5). Windows XP Módulo II – Windows e Linux

23 NÃO é um componente exibido na barra de tarefas do Windows XP a) o menu Iniciar. b) a área de notificação. c) a área de transferência. d) a barra de ferramentas. e) a barra de Inicialização rápida. Exercício Módulo II – Windows e Linux

24 Windows XP – Menu Iniciar Módulo II – Windows e Linux

25 Programas Fixados Usuário Programas usados freqüente Principais pastas do Windows e Documentos Recentes Atalhos de Configuração Ferramentas gerais Windows XP – Menu Iniciar Módulo II – Windows e Linux

26 No menu Iniciar do Windows existe uma opção Executar que, quando acionada, resulta num prompt que solicita dados para prosseguir. A opção que não é uma alternativa válida nessa resposta é: (A) o nome de um programa; (B) um endereço IP; (C) um endereço de página na Internet; (D) o nome de uma pasta no disco local; (E) o nome de um contato de . Exercício Módulo II – Windows e Linux

27 Barra de Título Barra de Menu Painel de Tarefas comuns Barra de Status Barra de Ferramentas Barra de Endereços Recurso compartilhado com o outros usuários da rede Windows XP – Meu Computador Módulo II – Windows e Linux

28 Todo e qualquer software ou informação gravada em nosso computador será guardada em uma unidade de disco. Essas informações só podem ser gravadas de uma forma: elas são transformadas em arquivos. Arquivo é apenas a nomenclatura que usamos para definir Informação Gravada. Quando digitamos um texto ou quando desenhamos uma figura no computador, o programa (software) responsável pela operação nos dá o direito de gravar a informação com a qual estamos trabalhando e, após a gravação, ela é transformada em um arquivo e colocada em algum lugar em nossos discos. Windows XP – Arquivos e Pastas Módulo II – Windows e Linux

29 No momento da gravação, o computador nos pede duas informações para prosseguir com o salvamento: O nome do arquivo e a pasta (diretório) onde ele será salvo. Pasta é o nome que damos a certas gavetas no disco. Pastas são estruturas que dividem o disco em várias partes de tamanhos variados, como cômodos em uma casa. Uma pasta pode conter arquivos e outras pastas. As pastas são comumente chamadas de Diretórios, nome que possuíam antes. Lembre-se bem: Pastas são gavetas, arquivos são documentos. Portanto, nunca vai haver um arquivo que tem uma pasta dentro. As pastas guardam os arquivos e não o contrário! Windows XP – Arquivos e Pastas Módulo II – Windows e Linux

30 Os arquivos e as pastas devem ter um nome. O nome é dado no momento da criação. A Regra para nomenclatura de arquivos e pastas varia para cada Sistema Operacional. No Windows, os nomes podem conter até 255 caracteres (letras, números, espaço em branco, símbolos), com exceção de: / \ | > < * ? : Windows XP – Arquivos e Pastas Módulo II – Windows e Linux

31 Dentre os nomes possíveis para arquivos gravados pelo Windows, não está: (A) Relatório.doc (B) Questões variadas.doc (C) Orçamento – 2003.xls (D) Recurso 11/2003.doc (E) Teste. Exercícios Módulo II – Windows e Linux

32 Arquivos possuem extensões. Extensões são códigos, normalmente de três caracteres, indicativos do formato do arquivo. São separadas do nome do arquivo por um ponto(.)..gif /.jpg /.bmp.doc /.xls /.ppt /.mdb.pdf /.dot /.exe /.txt Windows XP – Arquivos e Pastas Módulo II – Windows e Linux

33 Um sistema de arquivos contém regras e padrões previamente estabelecidos para que o sistema operacional possa gerenciar os dados armazenados. Os sistemas de arquivos mais conhecidos e cobrados são: FAT (ou FAT16), FAT 32, NTFS (Windows) EXT (2) (Linux) Sistemas de Arquivos Módulo II – Windows e Linux

34 Trilhas são os círculos concêntricos que formam o disco e setores são pequenas unidades de armazenamento de dados, organizados nessas trilhas. As trilhas contêm os setores. Para falarmos de Sistemas de Arquivos, precisamos conhecer primeiro 3 conceitos: Cluster é a menor unidade de armazenamento que um sistema operacional pode reconhecer em um disco. Sistemas de Arquivos Módulo II – Windows e Linux

35 FAT 16 Pode gerenciar aproximadamente 65 mil clusters (65.536). Clusters de 32KB. Quanto maior o cluster, maior o desperdício de espaço. Limita o tamanho do disco a 2GB. Nomes dos arquivos limitados a oito caracteres para o nome e três para a extensão (8.3), como: arquivos.txt. Sistemas de Arquivos Módulo II – Windows e Linux

36 FAT 32 Criada para resolver o problema de limitação de 2GB da FAT16; Capacidade para gerenciar aproxima- damente 268 mil clusters; Permite discos de 2 TB; Permite nomes longos de arquivos com até 255 caracteres; Tamanho de clusters variado. Sistemas de Arquivos Módulo II – Windows e Linux

37 NTFS Clusters de tamanhos variados (no máximo 4KB). Menor desperdício de superfície de disco; Índice de arquivos mais complexo, com mais recursos que a FAT (segurança). Sistema mais ro-busto, complexo e seguro que os sis-temas FAT. Sistemas de Arquivos Módulo II – Windows e Linux

38 Sistemas de Arquivos Módulo II – Windows e Linux

39 As permissões de acesso a pastas do Windows XP somente poderão ser aplicadas se o HD tiver formatação com o sistema de arquivo: (A) FAT, somente. (B) FAT 32, somente. (C) NTFS, somente. (D) FAT ou NTFS. (E) FAT 32 ou NTFS. Exercício Módulo II – Windows e Linux

40 Windows XP – Principais Programas Módulo II – Windows e Linux

41 Área de Pastas Área de Conteúdo Windows XP – Windows Explorer Módulo II – Windows e Linux

42 A figura ao lado mostra uma árvore de diretórios no Windows Explorer. O desenho de uma mão abaixo da pasta DOC indica que ela: (A) é protegida por senha. (B) está compartilhada. (C) está vazia, no momento. (D) pertence a outro computador da rede. (E) pode armazenar somente arquivos compactados. Exercício Módulo II – Windows e Linux

43 Criando uma pasta ou arquivo Clique em Menu Arquivo, depois em Novo. Aí, você escolherá se quer criar uma pasta, atalho, arquivo.. Clique com o botão direito em uma área vazia da área de conteúdo. Depois, em Novo. Daí, escolha Pasta, Arquivo, etc. Dêem uma olhada no Painel de Tarefas Comuns... Não é só pelo Windows Explorer que você pode criar um arquivo ou pasta. Na área de trabalho, utilizando o botão direito, também conseguimos criar. Windows XP – Windows Explorer Módulo II – Windows e Linux

44 Excluindo um arquivo 1.Selecione um arquivo e clique na tecla Delete (ou Del) 2. Clique com o botão direito sobre o arquivo e escolha a opção Excluir. Assim, o arquivo será enviado para a lixeira. Caso você queria excluir sem passar pela lixeira, segure a tecla SHIFT, junto com a tecla Delete. Todas essas opções não excluem automaticamente o arquivo. Ele é enviado a LIXEIRA. Caso você queria excluir sem passar pela lixeira, segure a tecla SHIFT (em qualquer opção acima). 3. Clique no arquivo, depois no menu Arquivo e depois em Excluir. Windows XP – Windows Explorer Módulo II – Windows e Linux

45 Renomeando um arquivo Indique, nas alternativas abaixo, aquela que NÃO permite renomear uma pasta: (A) Clicar na pasta – clicar em arquivo – renomear – digitar o nome novo – pressionar ENTER. (B) Clicar na pasta – digitar o nome novo – pressionar F2 – pressionar ENTER. (C) Clicar na pasta – pressionar F2 – digitar o nome novo – pressionar ENTER. (D) Clicar com o botão direito do mouse na pasta – clicar em renomear no menu de atalho – digitar o novo nome – pressionar ENTER. (E) Selecionar a pasta – clicar no nome da pasta – digitar o novo nome – pressionar ENTER. Exercício Módulo II – Windows e Linux

46 Movendo um arquivo 1) Selecione o arquivo 2) clique em 2) ou então nas teclas CRTL+X 2) ou clique com o botão direito sobre o arquivo e escolha a opção Recortar. 3) escolher aonde você vai colocar este arquivo 4) clicar em 4) ou nas teclas CRTL+V 4) ou clique com o botão direito sobre o arquivo e escolha a opção Colar. Windows XP – Windows Explorer Módulo II – Windows e Linux

47 Copiando um arquivo 1) Selecione o arquivo 2) clique em 2) ou então nas teclas CRTL+C 2) ou clique com o botão direito sobre o arquivo e escolha a opção Recortar. 3) escolher aonde você vai colocar este arquivo 4) clicar em 4) ou nas teclas CRTL+V 4) ou clique com o botão direito sobre o arquivo e escolha a opção Colar. Windows XP – Windows Explorer Módulo II – Windows e Linux

48 Conjunto de programas utilitários que vêm junto com o Windows XP. Visam consertar certos problemas do computador, melhorando seu desempenho. Windows XP – Ferramentas de Sistemas Módulo II – Windows e Linux

49 Backup Backup – ferramenta de backup nativa do Windows. Permite o agendamento de operações de backup. Desfragmentador do disco Desfragmentador do disco – reorganiza os clusters dos arquivos no disco rígido para otimização de seu funcionamento. Restauração do sistema Restauração do sistema – recurso do Windows que permite que sejam estabelecidos pontos de restauração do sistema. Tarefas agendadas Tarefas agendadas – permite o agendamento de tarefas como abrir programas e realizar backup. Windows XP – Ferramentas de Sistemas Módulo II – Windows e Linux

50 Assistente para transferência de arquivos e configurações Assistente para transferência de arquivos e configurações – auxilia na transferência de arquivos e configurações de um computador antigo para um novo. Informações do sistema Informações do sistema – exibe informações sobre hardware e software do computador. Não confundir com a janela de propriedades do sistema, que é aberta a partir do Painel de Controle. Limpeza de disco Limpeza de disco – auxilia na tarefa de liberar espaço em disco, sugerindo a exclusão e compactação de arquivos e pastas. Windows XP – Ferramentas de Sistemas Módulo II – Windows e Linux

51 O Gerenciador de tarefas é uma ferramenta que nos permite controlar as aplicações que estão sendo executadas nesse momento, o rendimento de nosso computador, a conexão de rede, além de podermos saber quais usuários tem uma sessão iniciada, através dele podemos fechar qualquer aplicação que esteja aberta, mesmo que a mesma esteja travada Windows XP – Gerenciador de Tarefas Módulo II – Windows e Linux

52 Windows XP – Painel de Controle Módulo II – Windows e Linux

53 A hora do sistema Windows XP, atalhos de acesso rápido a programas e atalhos de status de atividades são exibidos à direita dos botões da barra de tarefas na A) Barra de títulos. B) Área de trabalho. C) Barra de status. D) Barra de ferramentas. E) Área de notificação. Exercício Módulo II – Windows e Linux

54 O utilitário Backup ou cópia de segurança ajuda o usuário criar, por exemplo, uma cópia das informações do disco rígido. Assinale a alternativa que demonstra a seqüência de passos necessária para um usuário abrir esse utilitário: A seqüência está correta em: A) II, I, VII, VIB) II, IV, I, VII, V C) II, IV, VI, IX, VD) II, IV, VIII, VI, X E) II, III, V Exercício Módulo II – Windows e Linux

55 TUX – SIMBOLO DO LINUX

56 O Linux é um sistema operacional criado em 1991 por Linus Torvalds na universidade de Helsinky na Finlândia. É um sistema Operacional de código aberto distribuído gratuitamente pela Internet. Seu código fonte é liberado como Free Software (software gratuito) o aviso de copyright do kernel feito por Linus descreve detalhadamente isto e mesmo ele está proibido de fazer a comercialização do sistema. Linux Módulo II – Windows e Linux

57 Nos anos 80, quase todo o software era proprietário, o que significa que ele tinha donos que proibiam e impediam a cooperação entre os usuários. Isso tornou o Projeto GNU (GNUs Not Unix, ou GNU não é UNIX). O sistema segue o padrão POSIX, que é o mesmo usado por sistemas UNIX e suas variantes (como Linux, por exemplo), que tem como objetivo, entre outras coisas, manter a estrutura básica de diretórios utilizada por esses sistemas. Linux – Sobre o LINUX Módulo II – Windows e Linux

58 O Linux é um software livre e é um software Open- Source; Convivem sem nenhum tipo de conflito com outros sistemas operacionais (com o DOS, Windows, OS/2) no mesmo computador (falaremos um pouco mais sobre isso); Linux – Características Módulo II – Windows e Linux

59 Suporte a nomes extensos de arquivos e diretórios (255 caracteres); Não há a necessidade de se reiniciar o sistema após a modificar a configuração de qualquer periférico ou parâmetros de rede; Não precisa de um processador potente para funcionar; NÃO EXISTEM VÍRUS NO LINUX! Em 9 anos de existência, nunca foi registrado NENHUM tipo de vírus neste sistema. Linux – Características Módulo II – Windows e Linux

60 Chamados de DUAL BOOT a presença de dois sistemas operacionais em uma mesma máquina, o que é muito comum com Windows e Linux. LILO (Linux Loader) e GRUB Linux – Características Módulo II – Windows e Linux

61 O sistema de arquivos do Linux é o chamado ext (extended file system). Atualmente ele está na terceira versão, o ext3. Em uma interface textual, os usuários precisam necessariamente conhecer uma série de comandos para se comunicarem com o sistema operacional. Uma interface gráfica, por sua vez, não exige que o usuário conheça previamente comandos e mais comandos, pois ela consegue ser intuitiva. Linux – Características Módulo II – Windows e Linux

62 Todo sistema operacional é complexo e formado por diversos programas menores, responsáveis por funções distintas e bem específicas. O Kernel é o centro do sistema operacional, que entra em contato direto com a CPU e os demais componentes de hardware do computador, sendo, portanto, a parte mais importante do sistema. O Kernel é um conjunto de subprogramas, revistos e alterados pela Comunidade Linux o tempo todo, ou seja, existem milhares de pessoas no mundo todo, nesse momento, alterando alguma característica do Kernel do Linux no intuito de melhorá-lo. Linux – Kernel Módulo II – Windows e Linux

63 O fato de o Linux ser um sistema operacional livre faz com que haja muitos programadores, espalhados por todo o mundo, dispostos a melhorá-lo. Existem distribuições para as mais diversas tarefas. As mini-distribuições têm como objetivo desde a recuperação de um sistema danificado até o monitoramento de uma rede de computadores. Entre as grandes distribuições podemos citar: Conectiva, SuSE, Debian e Red Hat. Linux – Distribuição Módulo II – Windows e Linux

64 Um Ambiente Gráfico é um programa que permite que o Linux se apresente de forma amigável, como o Windows, através de janelas, ícones, menus, e botões. Linux – Interface Gráfica Módulo II – Windows e Linux Um ambiente gráfico é considerado um aplicativo do Linux. Uma distribuição do Linux pode conter diversos Ambientes Gráficos diferentes, mas os dois mais famosos são, sem dúvida, o KDE (K Desktop Environment) e o Gnome.

65 Linux – Interface Gráfica Módulo II – Windows e Linux KDE

66 Linux – Interface Gráfica Módulo II – Windows e Linux GNOME

67 O Linux pode trabalhar com diversos usuários, cada um com seu login e sua respectiva senha. Porém, quando o Linux é instalado no computador, é criada uma conta que dá direito a fazer qualquer coisa no sistema: o ROOT ou Super-Usuário; Lembre-se: com o Root, você pode tudo! Portanto, se você é o proprietário da conta de super usuário, não use a conta de root constantemente para fazer qualquer coisa. Linux – ROOT Módulo II – Windows e Linux

68 Unidades de Disco: Enquanto o Windows trabalha com letras para defini as unidades de disco (Unidade C:, D:), no Linux, todos os diretórios são subordinados a um grande diretório pai de todos: o diretório (ou pasta) raiz, também conhecido como / (barra). Aplicativos: Todos os aplicativos do Windows não rodam no Linux e vice-versa. Ambiente Gráfico: Todo sistema operacional deve prover uma interface para o usuário. O objetivo da interface é fornecer uma maneira pela qual o usuário possa informar suas vontades ao sistema operacional. Existem basicamente dois tipos de interface: textual e gráfica. Diferenças Windows e Linux Módulo II – Windows e Linux

69 Todo o sistema está organizado a partir do diretório chamado raiz, representado por uma barra(/). No diretório raiz, ou root, estão todos os outros diretórios, arquivos, configurações de usuários, aplicativos e dispositivos de hardware. Em 1994 foi lançado o FHS (Filesystem Hierarchy Standard-padrão para sistema de arquivos hierárquico) para estabelecer uma padronização de diretórios para os sistemas Unix-like. De acordo com as especificações do FHS, resumidamente, esta é a estrutura de diretórios que devemos encontrar em um sistema Unix-like: Linux – Estrutura de Diretórios Módulo II – Windows e Linux

70 / - diretório raiz ou root. /root - diretório local do usuário que é o administrador do sistema, o root. /home – Diretório dos usuários. Sabemos que o Linux é um sistema multiusuário. /bin - comandos executáveis essenciais (para uso por todos os usuários). /sbin - comandos executáveis essenciais do sistema. /boot - contém tudo que é necessário para o processo de boot. /etc - diretório dos arquivos de configuração do sistema. Linux – Estrutura de Diretórios Módulo II – Windows e Linux

71 /dev - arquivos dos dispositivos (devices). /dev/hda1, /dev/hda2, /dev/hdb1... Unidades de disco IDE /dev/fd0, /dev/fd1... Unidades de disquete /dev/sda1... Unidades de disco SCSI /dev/lp0 Porta de impressão paralela Um diretório interessante é o /dev/null onde temos uma espécie de dispositivo "nulo". /tmp - diretório para arquivos temporários gerados por programas. /usr – Arquivo de acesso por usuários. Diretório de instalação de programas. /var - diretório de arquivos com dados variáveis, como spool de impressão e arquivos de log. Linux – Estrutura de Diretórios Módulo II – Windows e Linux

72 Assim como no Windows, os nomes dos arquivos e diretórios no Linux podem ter até 255 caracteres e aceitam espaços em branco. Um arquivo é considerado oculto no Linux quando seu nome começa com um. (ponto). Linux – Organização dos arquivos Módulo II – Windows e Linux

73 Considere as seguintes declarações sobre o sistema Linux: I. Os caracteres minúsculos e maiúsculos são tratados de forma diferente. II. Não existe arquivos com a extensão.EXE para programas executáveis. III. Os arquivos que terminam com um asterisco são considerados ocultos. É correto o que se afirma em (A) III, apenas. (B) II e III, apenas. (C) I e III, apenas. (D) I e II, apenas. (E) I, II e III. Exercício Módulo II – Windows e Linux

74 Os comandos que veremos são interpretados pelo Shell, o interpretador de comandos do Linux. Ao interpretá-los, ele pode executar a operação solicitada ou exibir uma mensagem de erro, se for o caso. pwd - diretório em que ele se encontra. cd - navegar entre os diretórios Caminho absoluto - cd /home/fulano/imagens/esportes Caminho relativo - cd./imagens/esportes mkdir - Cria um diretório vazio. rmdir - Remove um diretório vazio. Linux – Principais Comandos Módulo II – Windows e Linux

75 ls - listamos o conteúdo de um diretório. -l Lista os arquivos em formato detalhado. -a Lista todos os arquivos (all), inclusive os ocultos (que começam com um ponto (.). -R Lista também os subdiretórios encontrados. cp - copia arquivos ou diretórios. -r - copiar um diretório com todos seus subdiretórios. mv - Move um arquivo. rm - Remove arquivos e diretórios. Linux – Principais Comandos Módulo II – Windows e Linux

76 No Sistema Operacional Linux, qual comando mostra os arquivos de um determinado diretório? (A) ls (B) grep (C) df (D) rm (E) ps Exercício Módulo II – Windows e Linux

77 chown – Change Owner (mudar dono) Altera o usuário dono ou o grupo dono de um arquivo. Muda os dois parâmetros de uma só vez. passwd - Altera a senha do próprio usuário ou, no caso de ser executado pelo root, de outros usuários. useradd - Adiciona um novo usuário. groupadd - Adiciona um novo grupo. who ou w - Mostra quem está logado no sistema. ps - Mostra os processos ativos no sistema, no momento do comando. kill - Envia um sinal a um processo. Utilizado para matar processos, encerrando-os. Linux – Principais Comandos Módulo II – Windows e Linux

78 O primeiro caractere de cada linha indica o tipo de arquivo listado. Os próximos três caracteres de cada arquivo indicam respectivamente a possibilidade de se ler (Read), escrever (Write) e executar (eXecute) os arquivos ou diretórios. Linux – Permissões Módulo II – Windows e Linux

79 Linux – CHMOD Módulo II – Windows e Linux

80 Shutdown Desligar o sistema de forma segura em 10 minutos (600 segundos), exibindo mensagem de alerta e desligando o computador ao final. $ shutdown -h +600 O sistema será desligado em 10 minutos para manutenção preventiva. Previsão de retorno após duas horas. Salvem seus trabalhos." Desligar o sistema de forma segura iniciando o processo imediatamente. shutdown now Existem outros comandos que desligam o sistema de forma mais brusca, como o halt e o poweroff. Linux – Desligando Módulo II – Windows e Linux

81 MINISTÉRIO DA FAZENDA ESAF FIM DO MÓDULO II PRÓXIMO ENCONTRO: Módulo III – Processadores de Texto


Carregar ppt "MINISTÉRIO DA FAZENDA ESAF – 2009 SOFTWARE E SISTEMA OPERACIONAIS Disciplina: Informática Facilitador: Alisson Cleiton"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google