A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Avaliação da formação de Promotores de Municípios Saudáveis em Pernambuco e em países da América Latina e PALOPS Ronice Franco de Sá NUSP\UFPE.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Avaliação da formação de Promotores de Municípios Saudáveis em Pernambuco e em países da América Latina e PALOPS Ronice Franco de Sá NUSP\UFPE."— Transcrição da apresentação:

1 Avaliação da formação de Promotores de Municípios Saudáveis em Pernambuco e em países da América Latina e PALOPS Ronice Franco de Sá NUSP\UFPE

2 Formação de Promotores de Municípios Saudáveis : A formação para promotores de municípios saudáveis iniciou-se com oficinas de capacitação para facilitadores e supervisores do Projeto Municípios Saudáveis no Nordeste do Brasil e a aceitação e demanda foram tão grandes que a proposta foi sendo modificada. A necessidade de criação de estratégias de sustentabilidade mediante aumento de equipes locais convenceu o parceiro japonês a apoiar a formalização do curso. O curso constitui-se hoje num dos dois eixos estruturadores da Rede Pernambucana de MS e foi recomendado pelo governo japonês para ser difundido na América Latina e na África de língua portuguesa, o que já vem sendo feito desde Foram formados mais de 600 promotores de MS desde Hoje a RPMS é constituída por 21 municípios e não nasceu de iniciativa governamental, mas de demanda populacional pós-projeto. A participação no curso constitui um dos critérios para a inclusão do município na Rede.

3 Pesquisas e Monitoramentos Eixo estruturador 1: Mecanismo BAMBU MACRO MÉSO MICRO Promoção da saúde Redes sociais Intersetorialidade Ambientes saudáveis Avaliação Método Bambu Consciência do papel social Articulação sociedade- gestores locais Eixo estruturador 2: Formação continuada AÇÕES REFLEXIVAS E NOVOS CONHECIMENTOS Intersetorialidade Democracia Participação Empowerment

4 Integração Universidade, Governos e Sociedade Civil Universidade : construção da metodologia (método Bambu), nivelamento conceitual, Formação específica (Promotores de Municípios Saudáveis), formações, vulgarização, monitoramento e avaliação Municipalidades: adesão à Rede, manutenção dos Espaços, apoio às atividades, articulação com a sociedade Governo estadual: articulação entre as Secretárias, parceria com a universidade, difusão da Rede e capacitações. Governo federal: apoio para a formação específica e para pesquisas avaliativas Sociedade civil/ comunidades: Participação nos cursos, Encontros e Seminários, articulação com a gestão local, organização das oficinas Bambou, monitoramento das ações

5 Fragmentos de entrevistas sobre a formação A singularidade dele ter envolvido pessoas com baixa escolaridade e pessoas com maior escolaridade, de ter envolvido pessoas de segmentos sociais diversos, e não havia critério de idade, a gente tinha jovens e tinha idosos participando. Envolveu todos os ciclos de vida. Eu acho que causou um grande impacto, um grande reboliço né? A valorização das subjetividades, num momento em que as pessoas procuram ser tão racionais, de um modo geral, e você chegar nos municípios, falando de felicidade, resgatando solidariedade, resgatando afeto, alguns valores que estavam um pouco esquecidos no dia a dia.

6 Formação de Promotores de Municípios Saudáveis -600 promotores capacitados (certificação da UFPE) - 31 Planos de Municípios Saudáveis na RPMS - 8 Encontros da Rede Pernambucana de Municípios Saudáveis - 7 Seminários TCTP = convênio UFPE e JICA. Formação para promotores de municípios saudáveis para países da América Latina e África lusófona: promotores capacitados em 2009 e 2010

7

8 CONSEQUÊNCIAS Ampliação de carga horária Interesse do governo japonês Consultoria para governo de Santa Cruz de La Sierra – Bolívia (a pedido do governo local) Interesse do Ministério da Saúde EvidênciasIndicação pelo governo japonês para difusão para terceiros países Participação de consultor do Ministério da Saúde como aluno do curso com avaliação muito boa e solicitação posterior para difundi-lo nacionalmente

9 PESQUISA Pós-formação Foram aplicados 152 questionários, sendo que 55,2% dos questionários foi respondido por Promotores de Municípios Saudáveis, 7,2% por gestores (municipais, estadual ou federal), 19,1% por trabalhador de área não governamental e 18,5% por cidadã(o). Dos 55,2% de Promotores de Municípios Saudáveis, 33,5% eram Promotores que realizaram e concluíram a formação específica, 7,9% participaram e não concluíram e 13,8% são Promotores que não realizaram a formação específica. Foram realizados 5 grupos focais com participação de 45 pessoas após sondagem (PMS que se sentem atuando) Sondagem - Foram realizadas 72 entrevistas telefônicas com Promotores de Municípios Saudáveis do tipo sondagem sobre a temática da pesquisa para definir os grupos focais.

10 Figura 01 - Opinião sobre Políticas Públicas e Ação da Gestão Local nos municípios

11 Figura 02 – Evidências de realização de atividades de Municípios Saudáveis (MS)

12 Figura 03 – Grau de participação do promotor nas atividades de Municípios Saudáveis (I)

13 Figura 04 – Grau de participação do promotor nas atividades de Municípios Saudáveis (II)

14 Figura 05 – Grau de participação do promotor nas atividades de Municípios Saudáveis (III)

15 Características da prática Agente da intersetorialidade Prática reflexiva como elemento transformador Espelho para sociedade local Além da política partidária local – ato de cidadania Compromisso com o empoderamento social e pessoal Compromisso com os DSS Ação no campo dos valores e dos desejos Ação no campo dos DSS Sempre alerta Soluções à frente dos problemas Integralidade Liderança comprometida

16 Desafios da prática dos PMS Motivação institucional Visão temporal e setorial X visão ampliada Institucionalização – debate de opiniões Espaço físico apropriado Maior visibilidade Atualização no nível macro Comunicação Necessidade de sistematização das ações

17 Importância da prática dos PMS Diferença na implementação da ação intersetorial e territorial Ponte que liga as pessoas Conscientização a varejo Alteridade em destaque Influência direta

18 Atividades apontadas como inerentes à prática dos PMS Diversidade de ações saudáveis Lixo e limpeza dos entornos Construção e fortalecimento de PPS Mudança de hábitos Articulação com gestão Sustentabilidade ambiental Segurança e prevenção da violência

19 Como estes novos atores sociais têm atuado após a realização do Curso de Formação de Promotores de Municípios Saudáveis? Os PMS têm atuado em diferentes frentes afeitas ao campo da Promoção da Saúde, como: intersetorialidade, participação social, empoderamento, metodologias participativas de mobilização, planejamento e avaliação (método bambu©), desenvolvimento local integrado e sustentável, prevenção de violências e cultura de paz, estilos de vida saudáveis. Possuem reconhecimento por parte da população e orgulho de sua formação e atuação. Se auto- definem como responsáveis por dar exemplos, como os olhos e os ouvidos da comunidade, pessoas que atuam politicamente, mas acima dos partidarismos políticos, cidadãos, incentivadores do empoderamento e agentes da intersetorialidade.


Carregar ppt "Avaliação da formação de Promotores de Municípios Saudáveis em Pernambuco e em países da América Latina e PALOPS Ronice Franco de Sá NUSP\UFPE."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google