A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

MAX WEBER 1864-1919.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "MAX WEBER 1864-1919."— Transcrição da apresentação:

1 MAX WEBER

2 F rases e Pensamentos em Destaque O homem não teria alcançado o possível se, repetidas vezes, não tivesse tentado o impossível. Neutro é quem já se decidiu pelo mais forte. Poder é toda chance, seja ela qual for, de impor a própria vontade numa relação social, mesmo contra a relutância dos outros.

3 Somente quem tem a vocação da política terá certeza de não desmoronar quando o mundo, do seu ponto de vista, for demasiado estúpido ou demasiado mesquinho para o que ele deseja oferecer. Somente quem, frente a todas as dificuldades, pode dizer "Apesar de tudo!" tem a vocação para a política.

4 QUEM FOI MAX WEBER? ( ) Ele nasceu em 21 de abril de 1864, na Alemanha, como primogênito de 8 filhos e herdeiro do nome do pai, um jurista e político geralmente descrito como homem pragmático e acomodado. Sua formação acadêmica foi muito ampla, concentrada nos estudos de Direito, mas com profundas incursões pela história, a Economia, a Filosofia e mesmo a Teologia. A maior parte de sua produção que lhe deu fama foi realizada em três períodos de quatro anos cada – de 1903 a 1906; de 1911 a 1913; de 1916 a 1919.

5 Quem foi Max Weber? No primeiro deles, publicou a sua célebre análise sobre a relação entre o desenvolvimento do capitalismo e a religião, na célebre obra A ética protestante e o espírito do capitalismo. Também os seus principais estudos metodológicos, além de importantes análises sobre a revolução russa de 1905, escritas no calor dos próprios acontecimentos, derivam desse primeiro período. No segundo, redigiu o essencial da sua obra máxima, Economia e sociedade.

6 MAX WEBER ( ) FUNDAMENTO ANALÍTICO: COMPREENSÃO. FUNDAMENTO ANALÍTICO: COMPREENSÃO. para decodificar o mundo social, importa compreender também a ação dos seres humanos do ponto de vista do sentido e dos valores, e não simplesmente a partir apenas das causas e pressões exteriores. para decodificar o mundo social, importa compreender também a ação dos seres humanos do ponto de vista do sentido e dos valores, e não simplesmente a partir apenas das causas e pressões exteriores.

7 WEBER - ( ) Diferentemente das perspectivas holísticas, e de explicações fundadas a partir da filosofia Hegeliana, e também a centralidade das questões econômicas, Weber vai partir do pressuposto de que a sociedade se constitui por meio de processos interativos entre indivíduos, grupos, associações e instituições.

8 Características do pensamento Weberiano que diferem do pensamento de Marx e Durkheim Características do pensamento Weberiano que diferem do pensamento de Marx e Durkheim Preocupação com o estudo da diferença; Para Weber a pesquisa histórica é essencial para a compreensão das sociedades; essa pesquisa permite o entendimento das diferenças sociais, que seriam para Weber, de gênese e formação, e não de estágios de evolução; Para Weber, o caráter particular e específico de cada formação social e histórica contemporânea deve ser respeitado;

9 A história respeita as particularidades de cada sociedade e a sociologia ressalta os elementos mais gerais de cada fase do processo histórico Método compreensivo; essa atitude de compreensão é que permite ao cientista atribuir aos fatos esparsos um sentido social e histórico;

10 MAX WEBER ( ) FUNDAMENTO ANALÍTICO: COMPREENSÃO. FUNDAMENTO ANALÍTICO: COMPREENSÃO. A sociedade para Weber não é aquilo que pesa sobre os indivíduos, mas aquilo que se veicula entre eles. A sociedade para Weber não é aquilo que pesa sobre os indivíduos, mas aquilo que se veicula entre eles. Portanto, não pode ser vista como um bloco, mas como uma teia de interações que se desenvolve por meio dos valores subjetivados por cada indivíduo, e compartilhado coletivamente. Portanto, não pode ser vista como um bloco, mas como uma teia de interações que se desenvolve por meio dos valores subjetivados por cada indivíduo, e compartilhado coletivamente.

11 PRINCIPAIS CONTRIBUIÇÕES Análise histórica e método compreensivo Weber pode trazer uma nova visão não, não influenciada pelos ideais políticos nem pelo racionalismo positivista de origem anglo-francesa Mostrou a fecundidade da análise histórica e da compreensão qualitativa dos processos históricos e sociais; Descoberta do papel da subjetividade na ação e na pesquisa social Desenvolveu suas análises de forma mais independente das ciências exatas e naturais; Foi capaz de compreender a especificidade das ciências humanas como aquelas que estudam o homem como um ser diferente dos demais e, portanto, sujeito a leis de ação e comportamento próprios.

12 Weber: sociedade é resultado das interações entre os indivíduos Principais TEMAS: a. RELAÇÕES ENTRE O ECONÔMICO E O SOCIAL; b. ANÁLISE DAS FORMAS DE PODER c. SOCIOLOGIA DAS RELIGIÕES d. RACIONALIDADE DOS COMPORTAMENTOS, e. BUROCRATIZAÇÃO DAS SOCIEDADES MODERNAS; f. A CIÊNCIA E A POLÍTICA

13 Weber: sociedade é resultado das interações entre os indivíduos Principais conceitos da teoria de Max Weber: a. Ação social b. Relação social c. Tipo ideal d. Dominação

14 A tarefa do cientista é descobrir os possíveis sentidos das ações humanas presentes na realidade social que lhe interesse estudar. O sentido, por um lado, é expressão da motivação individual, formulado expressamente pelo agente ou implícito em sua conduta; As conexões que o cientista estabelece entre motivos e ações sociais revelam as diversas instâncias da ação social- políticas, econômicas ou religiosas. O cientista pode, portanto descobrir o nexo entre as várias etapas em que se decompõe ação social A interdependência entre os sentidos das diversas ações – mesmo orientadas por motivos diversos – é que dá a esse conjunto de ações seu caráter social.

15 A tarefa do cientista O cientista, como todo indivíduo em ação, age guiado por seus motivos, sua cultura, sua tradição; Existe sempre certa parcialidade na análise sociológica, intrínseca à pesquisa, como a toda forma de conhecimento; Para Weber, os acontecimentos que integram o social têm origem nos indivíduos. O cientista parte de uma preocupação com significado subjetivo, tanto para ele como para os demais indivíduos que compõem a sociedade. Sua meta é compreender, buscar os nexos causais que dêem o sentido da ação social;

16 Qualquer que seja a perspectiva adotada por um cientista, ela será sempre um explicação parcial; O que garante a cientificidade de uma explicação é o método de reflexão, não a objetividade pura dos fatos; A tarefa do cientista

17 O TIPO IDEAL: INSTRUMENTO DE ANÁLISE O tipo ideal: instrumento de análise O tipo ideal é instrumento de análise científica, numa construção do pensamento que permite conceituar fenômenos e formações sociais e identificar na realidade observada suas manifestações. Permite ainda comparar tais manifestações.

18 Método de análise: tipo ideal 1º - CONSTRUA um tipo ideal puro (Weber construía vários: tipos de ação social, tipos de dominação, etc..) 1º - CONSTRUA um tipo ideal puro (Weber construía vários: tipos de ação social, tipos de dominação, etc..) O tipo é uma construção mental, feita na cabeça do investigador, a partir de vários exemplos históricos. Ele é um exagero de perfeição, que jamais será encontrado na vida prática. O tipo é uma construção mental, feita na cabeça do investigador, a partir de vários exemplos históricos. Ele é um exagero de perfeição, que jamais será encontrado na vida prática.

19 Método de análise: tipo ideal 2º - OLHE o mundo social que o cerca; esta teia inesgotável de eventos e processos, e selecione dele o aspecto a ser investigado (não dá pra ser tudo, tem que ser uma coisa de cada vez). 2º - OLHE o mundo social que o cerca; esta teia inesgotável de eventos e processos, e selecione dele o aspecto a ser investigado (não dá pra ser tudo, tem que ser uma coisa de cada vez).

20 Método de análise: tipo ideal 3º- COMPARE o mundo social empírico com o tipo ideal que você construiu. Mas note bem: ideal aqui não significa desejado, não significa idealizado, como por exemplo idealizar o que seria uma sociedade perfeita. Significa apenas que você escolhe as características mais puras do tipos, e Weber achava que os tipos de conduta mais puros são ao mais racionais, no sentido de adequação entre meios e fins. 3º- COMPARE o mundo social empírico com o tipo ideal que você construiu. Mas note bem: ideal aqui não significa desejado, não significa idealizado, como por exemplo idealizar o que seria uma sociedade perfeita. Significa apenas que você escolhe as características mais puras do tipos, e Weber achava que os tipos de conduta mais puros são ao mais racionais, no sentido de adequação entre meios e fins.

21 Método de análise: tipo ideal 4º EXPERIMENTE: à medida que você descreve o quanto a realidade se aproxima ou se distancia do tipo puro que você construiu, essa realidade se apresenta a você, se revela em seu caráter mais complexo; Os comportamentos vêm à luz revelando a racionalidade a irracionalidade que os tornou possíveis.

22 OBJETO DE ANÁLISE: AÇÃO SOCIAL.....por ação (incluindo a omissão e a tolerância) entendemos sempre um comportamento compreensível com relação a objetos, isto é, um comportamento especificado ou caracterizado por um sentido (subjetivo) real ou Mental, mesmo que ele não seja quase percebido (...).....por ação (incluindo a omissão e a tolerância) entendemos sempre um comportamento compreensível com relação a objetos, isto é, um comportamento especificado ou caracterizado por um sentido (subjetivo) real ou Mental, mesmo que ele não seja quase percebido (...)

23 Objeto de análise: ação social O objeto das ciências da cultura será a decifração da significação (o sentido) da ação social (as condutas humanas) : ação social. O objeto das ciências da cultura será a decifração da significação (o sentido) da ação social (as condutas humanas) : ação social. o que é ação social? Ocorre quando um indivíduo leva os outros em consideração no momento de tomar uma atitude, de praticar uma ação. o que é ação social? Ocorre quando um indivíduo leva os outros em consideração no momento de tomar uma atitude, de praticar uma ação.

24 Ação social – CONCEITO BASILAR DE WEBER Ação Social: uma ação com sentido. Ação Social: uma ação com sentido. É conduta humana dotada de sentido, isto é de uma justificativa subjetivamente elaborada; é o indivíduo que dá sentido à sua ação social: estabelece a conexão entre o motivo da ação, ação propriamente dita e seus efeitos; Para Weber não existe oposição entre indivíduo e sociedade: as normas sociais só se tornam concretas quando se manifestam em cada indivíduo sob a forma de motivação.

25 Ação social – CONCEITO BASILAR DE WEBER Cada sujeito age levado por um motivo que é dado pela tradição, por interesses racionais ou pela emotividade. O motivo que transparece na ação social permite desvendar o seu sentido, que é social na medida em que cada indivíduo age levando em conta a resposta ou a reação de outros indivíduos

26 Ação social A ação que especificamente tem importância para a sociologia compreensiva é, em particular, um comportamento que : A ação que especificamente tem importância para a sociologia compreensiva é, em particular, um comportamento que : 1. está relacionado ao sentido subjetivo pensado daquele que age com referência ao comportamento dos outros; 1. está relacionado ao sentido subjetivo pensado daquele que age com referência ao comportamento dos outros; 2- está co-determinado no seu decurso por esta referência significativa, e, portanto, 2- está co-determinado no seu decurso por esta referência significativa, e, portanto, 3 – pode ser explicado pela compreensão a partir deste sentido mental (subjetivamente); 3 – pode ser explicado pela compreensão a partir deste sentido mental (subjetivamente);

27 Ação social Ao ir à escola você emprega sua racionalidade e leva em consideração a racionalidade dos outros e o modo como ela interfere ou pode vir a interferir sobre seu próprio comportamento; Ao ir à escola você emprega sua racionalidade e leva em consideração a racionalidade dos outros e o modo como ela interfere ou pode vir a interferir sobre seu próprio comportamento; Agir em sociedade, portanto, implica em algum grau de racionalidade (inclusive a total irracionalidade) por parte de quem age, e implica no fato de que esta racionalidade de cada indivíduo está referida aos outros indivíduos que os cercam. Isso é fundamental para entender Weber. Agir em sociedade, portanto, implica em algum grau de racionalidade (inclusive a total irracionalidade) por parte de quem age, e implica no fato de que esta racionalidade de cada indivíduo está referida aos outros indivíduos que os cercam. Isso é fundamental para entender Weber.

28 racionalizadas quanto menor for a submissão do agente aos costumes e afetos e quanto mais ele se oriente por um planejamento adequado à situação. As condutas são tanto mais racionalizadas quanto menor for a submissão do agente aos costumes e afetos e quanto mais ele se oriente por um planejamento adequado à situação. Pode-se dizer, portanto, que as ações serão tanto mais previsíveis quanto mais racionais. Pode-se dizer, portanto, que as ações serão tanto mais previsíveis quanto mais racionais.

29 PORQUE DESEJO ADQUIRIR MAIS CONHECIMENTO PORQUE VOU CONHECER OUTRAS PESSOAS PORQUE MEU PAI, MEU AVÔ, MEU TIO, MINHA AVÓ FORAM... PORQUE VOU GANHAR MAIS DINHERIO PORQUE NÃO QUERO FICAR EM CASA VOU À FACULDADE PORQUE... PORQUE PRECISO DE UMA PROFISSÃO POR AMOR Racionalidade perfeita: Racionalidade perfeita: é a adequação entre os meios de que você se vale para agir e os fins que você objetiva alcançar com esta ação;

30 Ação social Ação social racional com relação a fins. Ação social racional com relação a fins. um comportamento racional com relação a fins é aquele que se orienta por meios tidos como adequados (subjetivamente) para obter fins determinados, fins estes tidos por você como indiscutíveis (subjetivamente). um comportamento racional com relação a fins é aquele que se orienta por meios tidos como adequados (subjetivamente) para obter fins determinados, fins estes tidos por você como indiscutíveis (subjetivamente). O ator concebe claramente seu objetivo e combina os meios disponíveis para atingi-lo. O ator concebe claramente seu objetivo e combina os meios disponíveis para atingi-lo. Ex. ação do engenheiro que constrói uma ponte / ação do general que quer ganhar uma batalha / ação do especulador que quer ganhar dinheiro Ex. ação do engenheiro que constrói uma ponte / ação do general que quer ganhar uma batalha / ação do especulador que quer ganhar dinheiro

31 Ação social Ação social racional com relação a fins. Ação social racional com relação a fins. O procedimento econômico corresponde ao modelo típico de ação racional. Segundo Weber, o comportamento econômico é todo aquele que leve em conta um conjunto de necessidades a atender, quaisquer que sejam, e uma quantidade escassa de meios. O procedimento econômico corresponde ao modelo típico de ação racional. Segundo Weber, o comportamento econômico é todo aquele que leve em conta um conjunto de necessidades a atender, quaisquer que sejam, e uma quantidade escassa de meios.

32 Ação social Ação social racional com relação a valores. Ação social racional com relação a valores. A conduta será racional com relação a valores quando o agente orientar-se por fins últimos, agindo de acordo com ou a serviço de suas próprias convicções, levando e conta somente sua fidelidade a certos valores, estes, sim inspiradores de sua conduta; ou na medida em que crê na legitimidade intrínseca de um comportamento, válido por si mesmo. A conduta será racional com relação a valores quando o agente orientar-se por fins últimos, agindo de acordo com ou a serviço de suas próprias convicções, levando e conta somente sua fidelidade a certos valores, estes, sim inspiradores de sua conduta; ou na medida em que crê na legitimidade intrínseca de um comportamento, válido por si mesmo.

33 Ação social Ação social racional com relação a valores. Ação social racional com relação a valores. Trata-se dos valores ou do modo como você os incorporou à própria hierarquia de valores. Trata-se dos valores ou do modo como você os incorporou à própria hierarquia de valores. Está cumprindo um dever. Está cumprindo um dever. Está cumprindo um imperativo Está cumprindo um imperativo Está cumprindo uma exigência ditada por seu senso de dignidade, suas crenças religiosas, políticas, morais ou estéticas, por valores que preza: justiça, honra, honestidade, fidelidade, beleza... Está cumprindo uma exigência ditada por seu senso de dignidade, suas crenças religiosas, políticas, morais ou estéticas, por valores que preza: justiça, honra, honestidade, fidelidade, beleza... Não é guiado pelos efeitos que poderão advir de sua conduta. Daí que às vezes exista nesse tipo de procedimento uma certa irracionalidade no que diz respeito aos seus valores. Tal irracionalidade será tanto maior quanto mais absoluto for, para o sujeito, o valor que inspira sua ação. Não é guiado pelos efeitos que poderão advir de sua conduta. Daí que às vezes exista nesse tipo de procedimento uma certa irracionalidade no que diz respeito aos seus valores. Tal irracionalidade será tanto maior quanto mais absoluto for, para o sujeito, o valor que inspira sua ação.

34 Ação social Ação social racional com relação a valores. Ação social racional com relação a valores. O significado da ação não se encontra, portanto, em seu resultado ou em suas consequências, mas no desenrolar encontra no resultado ou nas suas consequências, mas na própria conduta. O que dá o sentido à ação é sua racionalidade quanto aos valores que a guiaram. O sentido da ação não se encontra no resultado ou nas suas consequências, mas na própria conduta. O ator age racionalmente aceitando todos os riscos, não para obter um resultado extrínseco, mas para permanecer fiel às suas idéias de honra. O ator age racionalmente aceitando todos os riscos, não para obter um resultado extrínseco, mas para permanecer fiel às suas idéias de honra. A ação é racional, não porque pretende alcançar um objetivo definido e exterior, mas porque seria desonroso deixar de responder a um desafio ou abandonar um navio. A ação é racional, não porque pretende alcançar um objetivo definido e exterior, mas porque seria desonroso deixar de responder a um desafio ou abandonar um navio.

35 Ação social Ação social afetiva ou emocional Ação social afetiva ou emocional O sujeito age de modo afetivo quando sua ação é inspirada em suas emoções imediatas – vingança, desespero, admiração, orgulho, medo, inveja, entusiasmo, ciúme, paixão, sem consideração de meios ou fins a serem atingidos O sujeito age de modo afetivo quando sua ação é inspirada em suas emoções imediatas – vingança, desespero, admiração, orgulho, medo, inveja, entusiasmo, ciúme, paixão, sem consideração de meios ou fins a serem atingidos Não leva em consideração objetivos a serem alcançados nem busca utilizar-se dos melhores meios para isso; Não leva em consideração objetivos a serem alcançados nem busca utilizar-se dos melhores meios para isso; É uma ação ditada imediatamente pelo estado de consciência ou humor do sujeito; É uma ação ditada imediatamente pelo estado de consciência ou humor do sujeito; A ação é definida por uma reação emocional do ator, em determinadas circunstâncias e não em relação a um objetivo ou sistema de valores. A ação é definida por uma reação emocional do ator, em determinadas circunstâncias e não em relação a um objetivo ou sistema de valores. Ex. a bofetada de uma mãe em um filho; o soco de um jogador que perdeu o controle dos nervos numa partida de futebol Ex. a bofetada de uma mãe em um filho; o soco de um jogador que perdeu o controle dos nervos numa partida de futebol

36 Ação social Ação tradicional Ação tradicional É a ação ditada pelos hábitos, costumes e crenças, transformada numa segunda natureza É a ação ditada pelos hábitos, costumes e crenças, transformada numa segunda natureza Para agir em conformidade com a tradição, o ator não precisa conceber um objetivo, ou um valor, nem ser impelido por uma emoção: obedece simplesmente a reflexos enraizados por longa prática. Para agir em conformidade com a tradição, o ator não precisa conceber um objetivo, ou um valor, nem ser impelido por uma emoção: obedece simplesmente a reflexos enraizados por longa prática. A ação ocorre motivada por hábitos e costumes arraigados, do tipo como sempre se fez. Os estímulos são motivados pela tradição. Ex. batismo dos filhos realizado por pais pouco comprometidos com a religião.

37 Racionalidade perfeita: é a adequação entre os meios de que você se vale para agir e os fins que você objetiva alcançar com esta ação;

38 Relação Social Relação social Relação social é probabilidade de que uma forma determinada de conduta social tenha, em algum momento, seu sentido partilhado pelos diversos agentes numa sociedade qualquer. Hostilidade Hostilidade Amizade Amizade Trocas comerciais Trocas comerciais Concorrência econômica Concorrência econômica Relações eróticas Relações eróticas Relações políticas Relações políticas Em cada uma delas as pessoas envolvidas percebem o significado, partilham o sentido das ações dado pelas demais pessoas.

39 Relação Social Uma conduta plural, (várias pessoas) reciprocamente orientada, dotada de sentidos significativos. Quando, ao agir, cada um dos indivíduos, ao envolver- se nessas ou em quaisquer relações sociais, toma por referência certas expectativas que possui da ação do outro ou outros aos quais sua conduta se refere. As condutas de uns e de outros referem-se reciprocamente, embora não tenham que ter correspondência no que diz respeito ao conteúdo.

40 Relação social O que caracteriza a relação social é que o sentido das ações sociais a ela associadas pode ser (mais ou menos claramente) compreendido pelos diversos agentes de uma sociedade As relações sociais são os conteúdos significativos atribuídos por aqueles que agem tomando outro ou outros como referência – conflito, piedade, concorrência, fidelidade, desejo sexual, etc. – e as condutas de uns e de outros orientam-se por esse sentido embora não tenham que ter reciprocidade no que diz respeito ao conteúdo. As relações sociais são os conteúdos significativos atribuídos por aqueles que agem tomando outro ou outros como referência – conflito, piedade, concorrência, fidelidade, desejo sexual, etc. – e as condutas de uns e de outros orientam-se por esse sentido embora não tenham que ter reciprocidade no que diz respeito ao conteúdo. Uma relação social poder ser efêmera ou durável, ter ou não ter continuidade

41 Relação social Tanto mais racionais sejam as relações sociais, mais facilmente poderão ser expressas sob a forma de normas, seja por meio de um contrato ou de um acordo, como no caso de relações de conteúdo econômico ou jurídico, da regulamentação das ações de governos, sócios etc...

42 Relação social (Relação) Conteúdo comunitário: fundado num sentimento subjetivo (afetivo ou tradicional) de presença mútua, que se dá entre as partes envolvidas e com base no qual a ação está reciprocamente referida (Relação) Conteúdo comunitário: fundado num sentimento subjetivo (afetivo ou tradicional) de presença mútua, que se dá entre as partes envolvidas e com base no qual a ação está reciprocamente referida Ex: grupo religioso, torcedor de time de futebol, amantes, membros de uma família. Ex: grupo religioso, torcedor de time de futebol, amantes, membros de uma família. (Relação ) Conteúdo associativo: apóia-se num acordo de interesses motivado racionalmente (seja com base em fins ou valores): (Relação ) Conteúdo associativo: apóia-se num acordo de interesses motivado racionalmente (seja com base em fins ou valores): Ex: participantes de um contrato matrimonial, um sindicato, do mercado livre, Ongs. Ex: participantes de um contrato matrimonial, um sindicato, do mercado livre, Ongs.

43 MAX WEBER – SOCIEDADE COMO PROCESSO DE INTERAÇÃO SOCIAL Agir em comunidade: Agir em comunidade: é aquele agir que se baseia nas expectativas que temos com relação ao comportamento dos outros. O agir em comunidade explica-se pela existência objetiva de uma maior ou menor probabilidade de que tais expectativas sejam fundamentadas. Quando agimos racionalmente, esperamos que os outros também ajam assim, para que possamos calcular as possibilidades reais de levarmos nossos objetivos até o fim. Agir em comunidade é comportar- se com base na expectativa de que os outros também se comportem de um determinado modo.

44 MAX WEBER – SOCIEDADE COMO PROCESSO DE INTERAÇÃO SOCIAL Agir em sociedade: é um agir em sociedade no qual as expectativas se baseiam nos regulamentos sociais vigentes. No agir em sociedade, além do indivíduo orientar-se por esse tipo de expectativa baseada nos regulamentos, supõe-se que tais regulamentos tenham sido feitos justamente com objetivo de que todos os homens ajam segundo suas determinações, e não de outra maneira. Quando o indivíduo calcula que é melhor agir com base nas regras é também porque os outros igualmente agem segundo as regras, ele está agindo em sociedade.

45 A validade da Ação social (relação social) Condutas regulares: USOCOSTUME, A) se acontecem devido ao mero hábito, trata-se de um USO; quando duradoura, torna-se um COSTUME, B), DETERMINADA POR UMA SITUAÇÃO DE INTERESSES. B) Se, se reitera unicamente pela orientação racional da ação é DETERMINADA POR UMA SITUAÇÃO DE INTERESSES. O processo de racionalização da conduta pode exigir que o agente tome consciência e rejeite sua própria submissão à regularidade imposta pelo costume. Os agentes podem orientar-se pelas crenças na validez de uma ordem que lhes apresenta obrigações e modelos de conduta (vão à escola, ao templo, ao traalho)

46 legitimidade, válida Ao adquirir o prestígio da legitimidade, ou seja, quando a ordem se torna válida para um o mais agentes, aumenta a probabilidade de que a ação se oriente por ela em um grau considerável, tanto mais quanto mais ampla for a sua validez GARANTIA DA VALIDADE UMA DE UMA ORDEM: GARANTIA DA VALIDADE UMA DE UMA ORDEM: Dentro de determinado círculo de homens, uma conduta discordante tropeçará com uma relativa reprovação geral e sensível na prática ou na probabilidade da coação física ou psíquica exercida por um quadro de indivíduos instituídos com a missão de obrigar observância dessa ordem ou de castigar sua transgressão. No primeiro caso a ordem chama-se CONVENÇÃO, DIREITO Dentro de determinado círculo de homens, uma conduta discordante tropeçará com uma relativa reprovação geral e sensível na prática ou na probabilidade da coação física ou psíquica exercida por um quadro de indivíduos instituídos com a missão de obrigar observância dessa ordem ou de castigar sua transgressão. No primeiro caso a ordem chama-se CONVENÇÃO, no segundo caso, DIREITO A validade da Ação social (relação social)

47 Dominação TRADICIONAL CARISMÁTICA RACIONAL-LEGAL

48 Carisma e desencantamento do mundo O sentido em que o processo de evolução vem ocorrendo é tal que limita cada vez mais o alcance das escolhas efetivas abertas aos homens. Estes não só têm poucas alternativas como vão se tornando cada vez mais medíocres. A humanidade partiu de um universo habitado pelo sagrado, pelo mágico, excepcional e chegou a um mundo racionalizado, material, manipulado pela técnica e pela ciência. os valores últimos e mais sublimes retiraram-se da vida pública, seja para o reino transcendental da vida mística, seja para a fraternidade das relações humanas direitas e pessoais. O mundo dos deuses e mitos foi despovoado, sua magia substituída pelo conhecimento científico pelo desenvolvimento de formas de organização racionais e burocratizadas, e os valores últimos e mais sublimes retiraram-se da vida pública, seja para o reino transcendental da vida mística, seja para a fraternidade das relações humanas direitas e pessoais.

49 QUAIS AS CONSEQUÊNCIAS DESSA RACIONALIZAÇÃO OPERADA OPERADA POR MEIO DA CIÊNCIA E DA TÉCNICA? QUAIS AS CONSEQUÊNCIAS DESSA RACIONALIZAÇÃO OPERADA OPERADA POR MEIO DA CIÊNCIA E DA TÉCNICA? ACASO ELA GARANTIRIA QUE OS HOMENS ENCONTRARIAM O CAMINHO PARA O VERDADEIRO DEUS OU PARA A FELICIDADE? ACASO ELA GARANTIRIA QUE OS HOMENS ENCONTRARIAM O CAMINHO PARA O VERDADEIRO DEUS OU PARA A FELICIDADE? TEMOS HOJE UM CONHECIMENTO MAIS CLARO DAS NOSSAS PRÓPRIAS CONDIÇÕES DE VIDA DO QUE TINHAM OS PRIMITIVOS? TEMOS HOJE UM CONHECIMENTO MAIS CLARO DAS NOSSAS PRÓPRIAS CONDIÇÕES DE VIDA DO QUE TINHAM OS PRIMITIVOS?

50 SOCIOLOGIA DA RELIGIÃO


Carregar ppt "MAX WEBER 1864-1919."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google