A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Brasil Colonial: a expansão para o interior.. Primos povoamentos ficaram restritos à zona litorânea. O mar era o meio de comunicação entre Brasil e Europa.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Brasil Colonial: a expansão para o interior.. Primos povoamentos ficaram restritos à zona litorânea. O mar era o meio de comunicação entre Brasil e Europa."— Transcrição da apresentação:

1 Brasil Colonial: a expansão para o interior.

2 Primos povoamentos ficaram restritos à zona litorânea. O mar era o meio de comunicação entre Brasil e Europa. Os colonizadores foram fazendo expedições para o interior do Brasil. Criaram caminhos formação de vilas e povoados no interior. Motivos que adentraram no interior do Brasil: Espírito de aventura. Cobiça de metais preciosos. Primos povoamentos ficaram restritos à zona litorânea. O mar era o meio de comunicação entre Brasil e Europa. Os colonizadores foram fazendo expedições para o interior do Brasil. Criaram caminhos formação de vilas e povoados no interior. Motivos que adentraram no interior do Brasil: Espírito de aventura. Cobiça de metais preciosos. A Arábia

3 Bandeiras foram expedições que partiram geralmente de pontos próximos ao litoral e adentraram no interior da Colônia em busca de riquezas. Todo o interesse da Metrópole (Portugal) estava voltado para a região produtora de açúcar, o Nordeste. As vilas mais ao sul do Brasil – São Vicente, Piratininga, Santo André da Borda do Campo – sofriam com a falta de recursos com o abandono das autoridades portuguesas. Com os bandeirantes: Descobriam rios, plantas, aves, animais. Travavam contatos com índios. Houve contatos violentos com mortes. Conhecimento de grande parte do interior da Colônia. Bandeiras foram expedições que partiram geralmente de pontos próximos ao litoral e adentraram no interior da Colônia em busca de riquezas. Todo o interesse da Metrópole (Portugal) estava voltado para a região produtora de açúcar, o Nordeste. As vilas mais ao sul do Brasil – São Vicente, Piratininga, Santo André da Borda do Campo – sofriam com a falta de recursos com o abandono das autoridades portuguesas. Com os bandeirantes: Descobriam rios, plantas, aves, animais. Travavam contatos com índios. Houve contatos violentos com mortes. Conhecimento de grande parte do interior da Colônia. As bandeiras.

4 Os bandeirantes buscavam, no interior: Indígenas para o trabalho escravo – não tinham condições de obter mão de obra escrava negra africana. Metais preciosos – ouro e prata (produtos mais almejados). Pedras preciosas. Plantas medicinais. Monções: são expedições que seguiam o regime de cheias e vazantes dos rios. Seguiam os leitos dos rios. As expedições podiam durar muitos anos. Expedição de Antonio Raposo Tavares: Partiu de São Paulo em 1647 até a Amazônia. Retornou em São Paulo em 1650 – km. Os bandeirantes buscavam, no interior: Indígenas para o trabalho escravo – não tinham condições de obter mão de obra escrava negra africana. Metais preciosos – ouro e prata (produtos mais almejados). Pedras preciosas. Plantas medicinais. Monções: são expedições que seguiam o regime de cheias e vazantes dos rios. Seguiam os leitos dos rios. As expedições podiam durar muitos anos. Expedição de Antonio Raposo Tavares: Partiu de São Paulo em 1647 até a Amazônia. Retornou em São Paulo em 1650 – km. As bandeiras.

5

6

7

8

9 As drogas do sertão eram determinados produtos que eram explorados no interior da Colônia e na Europa eram considerados especiarias. Produtos – expedição de Pedro Teixeira (1637) na Amazônia: Canela. Guaraná. Castanha-do-pará. Pau-rosa. Cacau. Cravo. Urucum. As drogas do sertão eram determinados produtos que eram explorados no interior da Colônia e na Europa eram considerados especiarias. Produtos – expedição de Pedro Teixeira (1637) na Amazônia: Canela. Guaraná. Castanha-do-pará. Pau-rosa. Cacau. Cravo. Urucum. Drogas do Sertão.

10 Rio Amazonas tinha intenso fluxo de embarcações devido aos produtos extraídos da Floresta. Forte do Presépio: construído, pelo governo português, devido aos contrabandos de franceses, holandeses e ingleses (mais vigilância). Padres jesuítas passaram a produzir remédios com as riquezas da mata. Rio Amazonas tinha intenso fluxo de embarcações devido aos produtos extraídos da Floresta. Forte do Presépio: construído, pelo governo português, devido aos contrabandos de franceses, holandeses e ingleses (mais vigilância). Padres jesuítas passaram a produzir remédios com as riquezas da mata. Drogas do Sertão.

11 Martim Afonso de Souza trouxe as primeiras cabeças de gado. Tomé de Souza (primeiro Governador-Geral) incentivou a criação de gado (transporte para Salvador). Uso do gado: Criado nos engenhos de açúcar. Complementava a atividade açucareira. Era sustento para os moradores do latifúndio. Usado para movimentar a moenda. Puxar os carros que levavam a cana cortada até os galpões. Fornecia leite, carne e couro. Foi uma atividade secundária – ligada à exploração de riquezas. Gado interiorização da colonização e povoamento (Nordeste e Sul). Martim Afonso de Souza trouxe as primeiras cabeças de gado. Tomé de Souza (primeiro Governador-Geral) incentivou a criação de gado (transporte para Salvador). Uso do gado: Criado nos engenhos de açúcar. Complementava a atividade açucareira. Era sustento para os moradores do latifúndio. Usado para movimentar a moenda. Puxar os carros que levavam a cana cortada até os galpões. Fornecia leite, carne e couro. Foi uma atividade secundária – ligada à exploração de riquezas. Gado interiorização da colonização e povoamento (Nordeste e Sul). A criação do gado.

12 Crescimento do rebanho áreas agricultáveis de cana ficaram prejudicadas Coroa portuguesa (1701) determinou que a criação de gado deveria ocorrer a dez léguas do litoral separação das atividades agrícola (cana) e pecuária (gado). Criar gados era mais barato que investir em engenhos. Gado no Nordeste: Fazendas localizadas às margens do Rio São Francisco. O Rio fornecia água, pasto e sal. Peões eram homens livres – formavam seu próprio rebanho. O gado era levado às vilas e feiras, após engordar. Criação de povoados. Foi para o interior no século XVIII. Crescimento do rebanho áreas agricultáveis de cana ficaram prejudicadas Coroa portuguesa (1701) determinou que a criação de gado deveria ocorrer a dez léguas do litoral separação das atividades agrícola (cana) e pecuária (gado). Criar gados era mais barato que investir em engenhos. Gado no Nordeste: Fazendas localizadas às margens do Rio São Francisco. O Rio fornecia água, pasto e sal. Peões eram homens livres – formavam seu próprio rebanho. O gado era levado às vilas e feiras, após engordar. Criação de povoados. Foi para o interior no século XVIII. A criação do gado.

13 Gado no Sul: Fizeram surgir povoados no século XVIII. Região disputada pelos portugueses e espanhóis. Conduzido até Sorocaba pelo caminho conhecido como Viamão. Havia as invernadas (paradas) para a engorda do gado surgimento de povoados. Gado no Sul: Fizeram surgir povoados no século XVIII. Região disputada pelos portugueses e espanhóis. Conduzido até Sorocaba pelo caminho conhecido como Viamão. Havia as invernadas (paradas) para a engorda do gado surgimento de povoados. A criação do gado.

14 Em 1549, D. João III convidou padre Manuel da Nóbrega e Tomé de Souza o trouxe, para Salvador, para: Catequizar os indígenas. Manter a fé dos colonos. O padre pertencia à Ordem da Companhia de Jesus, criada por Inácio de Loyola em Os jesuítas: Denominados de Soldados de Cristo. Atuavam na conversão dos povos pagãos em continentes. Assumiram cargos de conselheiros e ministros de reis. Na ocupação e exploração do Brasil, o Estado português e a igreja Católica estiveram aliados. Em 1549, D. João III convidou padre Manuel da Nóbrega e Tomé de Souza o trouxe, para Salvador, para: Catequizar os indígenas. Manter a fé dos colonos. O padre pertencia à Ordem da Companhia de Jesus, criada por Inácio de Loyola em Os jesuítas: Denominados de Soldados de Cristo. Atuavam na conversão dos povos pagãos em continentes. Assumiram cargos de conselheiros e ministros de reis. Na ocupação e exploração do Brasil, o Estado português e a igreja Católica estiveram aliados. Missões e reduções jesuíticas.

15 Jesuítas no Brasil: Foram para o interior da colônia para proteger os indígenas contra a escravização pelos colonizadores e bandeirantes. Formaram missões ou reduções jesuíticas: Indígenas eram catequizados. Aprendiam a tocar instrumentos musicais. Utilizavam novas técnicas agrícolas. Fabricavam artesanatos. Muitas foram atacadas e destruídas pelos bandeirantes. Foram precursores da educação no Brasil. Fundaram colégios para filhos abastados (ricos). Jesuítas no Brasil: Foram para o interior da colônia para proteger os indígenas contra a escravização pelos colonizadores e bandeirantes. Formaram missões ou reduções jesuíticas: Indígenas eram catequizados. Aprendiam a tocar instrumentos musicais. Utilizavam novas técnicas agrícolas. Fabricavam artesanatos. Muitas foram atacadas e destruídas pelos bandeirantes. Foram precursores da educação no Brasil. Fundaram colégios para filhos abastados (ricos). Missões e reduções jesuíticas.

16 Crise da economia açucareira no Brasil: Entrou em crise em Holandeses foram expulsos do Brasil (após 24 anos). Aprenderam técnicas de fabricação do açúcar. Foram para as Antilhas e estabeleceram engenhos. Detinham o controle sobre o comércio do açúcar. Vendiam o seu próprio açúcar. Brasil sem mercado para o açúcar. Crise da economia açucareira no Brasil: Entrou em crise em Holandeses foram expulsos do Brasil (após 24 anos). Aprenderam técnicas de fabricação do açúcar. Foram para as Antilhas e estabeleceram engenhos. Detinham o controle sobre o comércio do açúcar. Vendiam o seu próprio açúcar. Brasil sem mercado para o açúcar. Missões e reduções jesuíticas.

17


Carregar ppt "Brasil Colonial: a expansão para o interior.. Primos povoamentos ficaram restritos à zona litorânea. O mar era o meio de comunicação entre Brasil e Europa."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google