A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

S OCIOLOGIA 1.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "S OCIOLOGIA 1."— Transcrição da apresentação:

1 S OCIOLOGIA 1

2 K ARL M ARX T EORIA E PRÁTICA Prof. Everton da Silva Correa 2

3 T EORIA E PRÁTICA O pensamento de Marx também inspirou partidos políticos, movimentos sociais, sindicatos etc. O próprio Marx ao lado de líderes trabalhadores participou da fundação da: Liga Comunista (em fins de 1847); Associação Internacional dos Trabalhadores, ou Primeira Internacional (em 1864). Essas duas organizações reuniam trabalhadores em luta contra o sistema econômico capitalista e a favor da propriedade coletiva de bens. 3

4 Para Marx, era fundamental participar de organizações como essas, pois ele via como inseparáveis a teorização e a atuação política – era o que chamava de práxis e que resumiu em uma frase: Até hoje os filósofos não fizeram mais do que interpretar o mundo; é preciso agora transformá-lo. Essa transformação a que Marx se refere é, ao mesmo tempo, um projeto intelectual de compreensão da realidade e um projeto político de superação do sistema capitalista. 4

5 M ARX OLHA PARA O CAPITALISMO COM PROFUNDA FASCINAÇÃO Em nenhum outro momento da história a humanidade foi capaz de realizar tanto, de produzir com tanta velocidade um número tão grande de bens. É por isso que Marx chega a dizer que os burgueses capitalistas foram os primeiros a mostrar do que a atividade humana é capaz. 5

6 Mas se é possível modificar as estruturas da sociedade, por que a humanidade não segue investindo todas as energias para tornar o mundo mais justo? Por que a capacidade produtiva de que o capitalismo dispõe não é mobilizada a favor da construção de uma vida melhor para todos? Se nunca os seres humanos produziram tanto, por que tanta miséria? Foram perguntas como essas que Marx e vários outros pensadores se fizeram. 6

7 O capitalismo precisa ser superado, no entender de Marx, justamente porque impede que sejam realizadas as possibilidades que estão ao alcance da tecnologia, da capacidade inventiva dos seres humanos. Diariamente, no mundo todo, são criados dispositivos de produção mais eficazes, mas a distribuição da renda não acompanha o mesmo ritmo. O que Marx propunha, então, é que as capacidades de produção e de inovação que o capitalismo trouxe fossem reorganizadas em favor, não de uma única classe social, mas do conjunto da sociedade. 7

8 E o que é preciso fazer para chegar a esse livre desenvolvimento de todos? Como superar o capitalismo e chegar a uma sociedade em que a riqueza seja distribuída entre todos aqueles que ajudam a construí-la? 8

9 N ESSE PONTO, VOLTAMOS À IDEIA DO EMBATE ENTRE O NOVO E O VELHO O capitalismo, que era o novo do feudalismo, se tornara velho de uma nova forma de organização social – o socialismo. A burguesia, que era o novo do senhor feudal, representava o velho na perspectiva do proletariado. Sendo a única classe social que já não tem nada a perder e constituindo a maioria da sociedade, o proletariado tornara-se capaz de conduzir o processo de libertação de toda a humanidade. 9

10 S OCIALISMO E COMUNISMO Para Marx, esse era um processo que começaria com o socialismo em uma nação e se encerraria com o comunismo em todo planeta. Daí sua participação na organização da Liga Comunista e da Primeira Internacional, instituições políticas que ajudariam os trabalhadores de todo o mundo nessa jornada. Próxima aula: Socialismo e comunismo 10

11 V LADIMIR I LITCH L ENIN OU L ENINE (22 DE ABRIL DE 1870 – 21 DE JANEIRO DE 1924) Foi um revolucionári o e chefe de Estado russo, responsável em grande parte pela execução da Revolução Russa de 1917, líder do Partido Comunis ta, e primeiro presidente do Conselho dos Comissários do Povo da União Soviética. 11

12 M AO T SÉ -T UNG (26 DE DEZEMBRO DE 1893 – 9 DE SETEMBRO DE 1976) Foi um político, teó rico, líder comunista e revolucionári o chinês. Liderou a República Popular da China desde a sua criação em 1949 até sua morte em

13 F IDEL A LEJANDRO C ASTRO R UZ (13 DE AGOSTO DE 1926) É um revolucionári o comunista cub ano, primeiro preside nte do Conselho de Estado da República de Cuba ( ). Até 2006 foi primeiro- secretário do Comitê Central do Partido Comunista de Cuba. 13

14 A TIVIDADE 14 A história de todas as sociedades que existiram até hoje é a história da luta de classes. Homem livre e escravo, patrício e plebeu, barão e servo, mestres e companheiros, numa palavra, opressores e oprimidos, sempre estiveram em constante oposição uns aos outros, envolvidos numa luta ininterrupta, ora disfarçada, ora aberta, que terminou sempre com uma transformação revolucionária de toda a sociedade, ou com um declínio comum das classes em luta. 1. Marx e Engels viam no surgimento da propriedade privada um fato importante para explicar a diferenciação social. Por que, para esses autores, esse fato está na origem das classes sociais e da luta entre elas? 2. Que classes sociais identificadas por esses autores ao longo da história tiveram relação conflituosa?

15 FIM 15


Carregar ppt "S OCIOLOGIA 1."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google