A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Aula 3 Normas relativas à iluminação natural MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE TECNOLOGIA CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Aula 3 Normas relativas à iluminação natural MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE TECNOLOGIA CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO."— Transcrição da apresentação:

1 Aula 3 Normas relativas à iluminação natural MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE TECNOLOGIA CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO DAU802 – ILUMINAÇÃO NATURAL NO AMBIENTE CONSTRUÍDO DAU 808 ILUMINAÇÃO NATURAL NO AMBIENTE CONSTRUÍDO PROFA GIANE DE CAMPOS GRIGOLETTI

2 Normas brasileiras aplicáveis ao projeto de iluminação NBR 5461 – 1991 – Iluminação: terminologia NBR 5413 – 1992 – Iluminância de interiores: procedimento NBR 5382 – 1985 – Verificação de iluminância de interiores: procedimento NBR – 2004 – Iluminação natural – Parte 1: conceitos básicos e definições NBR – 2004 – Iluminação natural – Parte 2: procedimentos de cálculo para a estimativa da disponibilidade de luz natural NBR – 2004 – Iluminação natural – Parte 3: procedimento de cálculo para a determinação da iluminação natural em ambientes internos NBR – 2004 – Iluminação natural – Parte 4: verificação experimental das condições de iluminação interna de edificações – Método de medição

3 NBR terminologia Radiação – grandezas e unidades Visão – reprodução de cores Colorimetria Emissão – propriedades ópticas dos materiais Medições radiométricas Efeitos actínicos da radiação óptica Fontes de luz Componentes de lâmpadas e dispositivos auxiliares Luminontécnica Luminárias e seus componentes Sinalização visual

4 NBR 5413 – níveis de iluminância Iluminância – fluxo luminoso recebido por uma superfície em um ponto e área infinitesimal adjacente Iluminância média mínima para a iluminação artificial A iluminância deve ser medida sobre o campo de trabalho, quando este não for definido, medir a 0,75m do piso Iluminação suplementar – complemento da iluminação média junto à tarefa visual A iluminância em qualquer ponto do campo de trabalho não deve ser inferior a 70% da iluminância média

5 NBR 5413 – níveis de iluminância Iluminância por classe de tarefas visuais (dificuldade da tarefa visual a ser desenvolvida) SELEÇÃO DA ILUMINÂNCIA Fatores determinantes da iluminância adequada: pesos Fatores0+1 Idade< 40 anos40 a 55 anos> 55 anos Velocidade e precisãoSem importânciaImportanteMuito importante Reflectância do fundo da tarefa> 70%30 a 70 %< 30 % DAU 808 ILUMINAÇÃO NATURAL NO AMBIENTE CONSTRUÍDO PROFA GIANE DE CAMPOS GRIGOLETTI

6 NBR 5413 – níveis de iluminância Somar os três valores Conforme o resultado, assume-se o valor: Na tabela 1 Iluminância por classe de tarefa visual assumir DAU 808 ILUMINAÇÃO NATURAL NO AMBIENTE CONSTRUÍDO PROFA GIANE DE CAMPOS GRIGOLETTI Resultado soma da tabela 2Valor a assumir na tabela 1 -2 ; -3Menor +2 ; +3Maior Demais casosDo meio Por exemplo, oficina de artesanato para terceira idade com fins lucrativos 55 anos (1) ; importante (0); < 30% (1) – total = 2 Segundo tabela acima, temos de assumir maior valor relativo à classe (tarefa com resquisitos especiais) – maior valor igual a lux

7 NBR 5413 – níveis de iluminância Iluminância por atividades SELEÇÃO DA ILUMINÂNCIA Assumir valor do meio em todos os caso, exceto nas situações abaixo Assumir valor mais alto quando: Tarefa com contrastes e reflectâncias bastante baixos Erros são de difícil correção Trabalho visual é crítico (muito importante) Alta produtividade ou precisão Baixa capacidade visual Assumir valor mais baixo quando: Tarefa com contrastes e reflectâncias altos Velocidade e precisão não são importantes Tarefa é executada ocasionalmente DAU 808 ILUMINAÇÃO NATURAL NO AMBIENTE CONSTRUÍDO PROFA GIANE DE CAMPOS GRIGOLETTI

8 NBR 5382 – verificação Para áreas retangulares, medição da iluminância média sobre um plano horizontal proveniente da iluminação geral Fatores que influenciam nos resultados: – Reflectâncias – Tipo de lâmpadas e vida da lâmpada – Voltagem – Instrumentos usados DAU 808 ILUMINAÇÃO NATURAL NO AMBIENTE CONSTRUÍDO PROFA GIANE DE CAMPOS GRIGOLETTI

9 NBR 5382 – verificação Tempo de estabilização das fotocélulas – 5 a 10 minutos Posição das fotocélulas – 80 cm do piso – plano horizontal Conforme a distribuição da iluminação artificial no teto do recinto, a norma recomenda a tomada de pontos específicos de leitura DAU 808 ILUMINAÇÃO NATURAL NO AMBIENTE CONSTRUÍDO PROFA GIANE DE CAMPOS GRIGOLETTI

10 DAU 808 ILUMINAÇÃO NATURAL NO AMBIENTE CONSTRUÍDO PROFA GIANE DE CAMPOS GRIGOLETTI NBR – Iluminação natural Parte 1 – complementa conceitos e definições apresentados na norma NBR5461 principalmente à terminologia aplicada à iluminação natural Parte 2 – estabelece procedimentos estimativos de cálculo da disponibilidade de luz natural em planos verticais e horizontais no exterior para condições de céu claro, encoberto e parcialmente encoberto, referência importante para o desenvolvimento de pesquisas na área de iluminação natural

11 NBR – Iluminação natural Parte 3 – estabelece procedimento de cálculo para estimativa de disponibilidade de iluminação natural em interiores para um ponto horizontal, utilizando o conceito de Daylight Factor Parte 4 – prescreve métodos para a verificação experimental das condições de iluminância e luminância de ambientes internos DAU 808 ILUMINAÇÃO NATURAL NO AMBIENTE CONSTRUÍDO PROFA GIANE DE CAMPOS GRIGOLETTI

12 NBR – Iluminação natural Parte 4: verificação experimental das condições de iluminação interna de edificações – método de medição Medições das condições de iluminância e luminância Medições reais (in loco) e medições em modelos em escala reduzida (não menor do que 1:40) Recomenda instrumentação – Fotômetros com sensores de silício – Luxímetros e luminancímetros – Dimensões dos sensores – menores possível, não maiores do que 20 cm na escala real ou equivalente na escala dos modelos – Qualidade dos instrumentos (tabela 1 p. 4)

13 NBR – Iluminação natural Parte 4: verificação experimental das condições de iluminação interna de edificações – método de medição Medições reais (in loco) – Considerar ponto os pontos da tarefa visual – Posição do sensor e nivelamento – Sombras sobre a fotocélula – Ambiente desocupado e ocupado – Estabilização da fotocélula (5 a 10min) – 0,75cm do piso – Verificar e medir as condições de iluminância no exterior

14 NBR – Iluminação natural Parte 4: verificação experimental das condições de iluminação interna de edificações – método de medição Quantidade de pontos a serem medidos: ÍNDICE DO LOCAL K: K = C × L H m × (C+L) Onde: L – largura do ambiente em metros C – comprimento do ambiente em metros H m – distância vertical entre o plano da tarefa visual e a verga da janela em metros

15 NBR – Iluminação natural Parte 4: verificação experimental das condições de iluminação interna de edificações – método de medição Quantidade de pontos a serem medidos, conforme o valor de K: Quantidade mínima de pontos a serem medidos KN o de Pontos K K K 3 25 K 3 36

16 NBR – Iluminação natural Parte 4: verificação experimental das condições de iluminação interna de edificações – método de medição Distribuição dos pontos a serem medidos: O ambiente interno deve ser dividido em áreas iguais, com formato próximo ou igual a um quadrado. A iluminância E é medida no centro de cada área. Deve-se planejar a malha evitando pontos muito próximos às paredes. recomenda-se um afastamento mínimo de 0,50 m. Sempre que possível deve-se fazer d 1 = d 2. Medir iluminância externa de referência. 0,50 m E1E1 E2E2 E3E3 E4E4 d1d1 E5E5 E6E6 E7E7 E8E8 d 1 /2 d 2 /2 E9E9 E 10 E n-1 EnEn 0,50 m d 2

17 NBR – Iluminação natural Parte 4: verificação experimental das condições de iluminação interna de edificações – método de medição Medições em modelos em escala reduzida – Menor escala 1:40 – Não requer compensações em função da escala – Cuidar a dimensão dos sensores (no caso de esc 1:40, sensores deverão ter 0,5 cm de diâmetro)

18 NBR – Iluminação natural Parte 4: verificação experimental das condições de iluminação interna de edificações – método de medição Medições em modelos em escala reduzida – Todas as superfícies devem estar presentes – Acesso ao interior (exceto modelos volumétricos) – Similaridade das reflectâncias de superfícies – O modelo não deve ter vazamentos de luz – Obstruções externas devem apresentar tamanho e reflectâncias similares ao real – Detalhar aberturas – Planejar pontos de medições

19 Exercício de aplicação da NBR – Parte 4 Fazer medição in loco para o dia e horário da aula DAU802 para a sala 211 (no grande grupo). Considerar apenas uma medida para cada ponto Medir com e sem iluminação artificial. Montar gráficos com a relação dos níveis de iluminância medidos e a distância dos pontos à janela e calcular o fator de luz do dia correspondente. Gerar relatório individual que deve conter: folha de rosto, introdução, objetivos, métodos e instrumentos, resultados e discussão, conclusões e referências bibliográficas. DAU 808 ILUMINAÇÃO NATURAL NO AMBIENTE CONSTRUÍDO PROFA GIANE DE CAMPOS GRIGOLETTI


Carregar ppt "Aula 3 Normas relativas à iluminação natural MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE TECNOLOGIA CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google