A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Rational Unified Process ( Parte 1 ). 2 Um Ponto de Mudança em Eng. de SW Processo Componentes de Software Ferramentas Arquitetura.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Rational Unified Process ( Parte 1 ). 2 Um Ponto de Mudança em Eng. de SW Processo Componentes de Software Ferramentas Arquitetura."— Transcrição da apresentação:

1 Rational Unified Process ( Parte 1 )

2 2 Um Ponto de Mudança em Eng. de SW Processo Componentes de Software Ferramentas Arquitetura

3 3 Resumo O que é o Rational Unified Process? Arquitetura do Processo Características chave do processo Workflow do núcleo do processo Implementando o processo

4 4 Problemas Relacionados Processo não repetível - resultados imprevisíveis, e altamente dependentes de programadores heróicos; Software que preenche pobremente as necessidades dos usuários; Inabilidade para contar com mudanças nos requisitos; Procedimentos de teste caros e tediosos;

5 5 Problemas Relacionados Descoberta tardia de defeitos sérios no projeto; Software que é difícil de manter e estender.

6 6 Processo de Desenvolv. de SW Processo - Um conjunto de passos parcialmente ordenados para alcançar um objetivo. Em Eng. SW, o objetivo é construir um produto de software ou melhorar um já existente. Processo de Engenharia de Software Requisitos novos ou mudados Sistema novo ou mudado

7 7 Rational Unified Process Fornece guias para o desenvolvimento eficiente de software de qualidade; Reduz riscos e aumenta a previsibilidade; Captura e apresenta as melhores práticas Promove uma cultura e visão comum; Roadmap para usar ferramentas CASE com sucesso

8 8 Processo como um Produto Não apenas um livro texto, não apenas um outro método OOAD; Disponibilizado como um web site; Melhorado continuamente através de atualizações regulares.

9 9 Histórico do Processo Rational Unified Process 5.0 Rational Objectory Process 4.1 Rational Objectory Process 4.0 UML 0.8 Teste de Desempenho Engenharia de Negócios Gerenciamento de Configuração e de Mudança Engenharia de Requisitos Processo de SQA Rational Approach Objectory Process /1996 OMT Booch 10/1997 UML 1.1 Engenharia de Dados Objectory UI design

10 10 RUP Processo Online Treinamento Consultoria e Mentoring + Ferramentas de Suporte +

11 11 Arquitetura do Processo Duas estruturas ortogonais: –Estrutura estática Trabalhadores, artefatos, atividades, workflows Configuração e autoria do processo –Estrutura dinâmica Estrutura do ciclo de vida: fases, iterações Realização do processo: planejamento, execução

12 12 Duas Dimensões Estrutura Dinâmica Estrutura Estática

13 13 Fases no Ciclo de Vida ConcepçãoElaboraçãoConstrução Transição tempo Concepção - Definir o escopo do projeto; Elaboração - Planejar o projeto, especificar as características e a baseline (linha base) da arquitetura; Construção - Construir o produto; Transição - Disponibilizar o produto para a comunidade de usuários.

14 14 Fase de Concepção Critério de entrada –visão original, sistemas legados, necessidades Critério de saída –caso de negócio inicial –formulação da visão do produto –critério de sucesso –avaliação do risco inicial –estimativa de recursos para fase de elaboração

15 15 Fase de Concepção Critério de saída (cont.) –Modelo de requisitos inicial, 10-20% completo 20% dos use cases dirigidos à concepção da arquitetura –Protótipo da arquitetura inicial (opcional) Milestone: Objetivos do Ciclo de Vida

16 16 Fase de Elaboração Critério de saída –Visão da baseline –Modelos de requisitos, 80% completo suficiente para chamar a arquitetura de completa –Baseline executável da arquitetura –Maiores riscos técnicos foram eliminados

17 17 Fase de Elaboração Critério de saída (cont.) –Plano de desenvolvimento de software detalhado Riscos, plano de gerenciamento, alocação da equipe Planejamento das fases, mostrando suas iterações e conteúdos. –Critério objetivo de avaliação mensurável das próximas iterações Milestone: Arquitetura do Ciclo de Vida

18 18 Fase de Construção Para cada iteração: –Critério de entrada Plano de iteração; Use case, cenários; Riscos a tratar; Defeitos a consertar; Critérios objetivos e mensuráveis para avaliar os resultados.

19 19 Fase de Construção –Critério de saída Produtos e artefatos, atualizados; Descrição do release; Casos de teste baseados em cenários, e resultados de testes; Plano de iteração para a próxima iteração.

20 20 Fase de Construção –Para iterações seguintes nesta fase Plano de entrega empacotamento preço saídas planejadas suporte treinamento produção estratégia de transição documentação do usuário –Milestone: Versão beta do software

21 21 Fase de Transição Critério de saída –Artefatos e produtos anteriores, atualizados quando necessário –Análise post-mortem do desempenho da organização; produtos adicionais; evolução potencial. Milestone: Release do produto.

22 22 Iterações no Ciclo de Vida do Software ConcepçãoElaboração Construção Transição Iteração da Arquit. Iteração da Arquit. Iteração de Desenv. Iteração de Desenv. Iteração de Desenv. Iteração Transição Iteração Transição Milestones Uma iteração é uma seqüência distinta de atividades com um plano de linha base ( baseline ) e critério de avaliação resultando em um release (interno ou externo).

23 23 Uma Iteração como uma Mini-Cascata Planejamento da Iteração Requisitos Análise e Projeto Implementação Teste Preparação do Release Iteração 3 Iteração 4 Iteração 5

24 24 Uma Iteração Em uma iteração você caminha através de todos workflows

25 25 Fases e Iteração Pontos Planejados de Decisão (Negócios) Estabelecer recursos para a fase de elaboração Estabelecer recursos para a construção Produtos maduros o suficiente para os consumidores usarem Aceitação ou final da vida ConcepçãoElaboração Construção Transição Iteração da Arquit. Iteração da Arquit. Iteração de Desenv. Iteração de Desenv. Iteração de Desenv. Iteração Transição Iteração Transição Iteração Preliminar (Entender o problema) (Entender a solução)(Ter a solução) Pontos Planejados de Visibilidade (Técnico)

26 26 Iteração: Número e Duração Duração dirigida por + tamanho da organização +tamanho do projeto - familiaridade com o projeto, maturidade - simplicidade técnica 6 mais ou menos 3 –Concepção: 0..1 –Elaboração: 1..3 –Construção: 1..3 –Transição: 1..2

27 27 Estrutura Estática

28 28 Trabalhadores, Atividades, Artefatos Projetista de Use-Case Encontrar classes de projeto Distribuir comportamento Trabalhador Atividades Artefato Use Case Em termos de UML: Trabalhador:objeto ativo Atividade: operação sobre um trabalhador Artefato: parâmetro de uma atividade responsável por

29 29 Conceito Chave: Trabalhador Um trabalhador (Worker) define o comportamento e responsabilidades de um indivíduo, ou um conjunto de indivíduos, trabalhando juntos como uma equipe. Comportamento: um conjunto de atividades coesivas. Responsabilidade: usualmente definida relativa para certos artefatos. Um trabalhador é um chapéu usado por um indivíduo. Em termos de OO: é um objeto ativo.

30 30 Exemplos de Trabalhadores Analista de sistema; Gerente de projeto; Projetista de Use-Case; Projetista de teste; Instrutor de curso.

31 31 Trabalhadores e Pessoas Cada indivíduo no projeto é associado a um ou vários trabalhadores Recurso Paulo Maria João Sílvia Daniel Projetista Definir Operações Especificador Descrever um Use Case de Use-case Projetista de Use-case Distribuir comportamento Revisor de Projeto Revisar o modelo de use-cases Arquiteto Definir uma visão de use-case Definir uma visão lógica Trabalhador Atividades

32 32 Conceito Chave: Atividade Um trabalho que um trabalhador é convidado a executar; Granularidade: de poucas horas a poucos dias Unidade de planejamento; Repetido, quando necessário, em cada iteração; Em termos de OO: uma operação sobre um trabalhador.

33 33 Exemplos de Atividades Planejar uma iteração; Encontrar use cases e atores; Revisar o projeto; Executar o teste de desempenho.

34 34 Passos Atividades são decompostas em passos Tipos de passos –Passos de pensamento; –Passos de realização; –Passos de revisão.

35 35 Exemplo de Atividade Atividade: Encontrar use-case e atores –Passo 1: Encontrar atores; –Passo 2: Encontrar use cases; –Passo 3: Descrever como atores e use cases interagem; –Passo 4: Empacotar use cases e atores; –Passo 5: Apresentar o Modelo de Use Case em Diagramas de Use Case; –Passo 6: Desenvolver um detalhamento do modelo de use cases; –Passo 7: Avaliar seus resultados.

36 36 Conceito Chave: Workflow Seqüências de atividades que produzem um resultado observável; Diferentes workflows –Workflows núcleo –Workflows de iteração Em termos de OO: diagramas de interação ou diagramas de atividades

37 37 Exemplo de Workflow

38 38 Nove Workflows Núcleo

39 39 Exemplo: Workflow de Modelagem de Negócios Analista do Processo do Negócio Captura um vocabulário comum Encontra atores e UC do negócio Estrutura o modelo de UC do negócio Revisor do modelo de negócios Projetista de Negócio Descreve um UC de Negócios Encontra trabalhadores e entidades do negócio Descreve um trabalhador do negócio Descreve uma entidade do negócio Revisa o modelo de UC do negócio Revisa o modelo de objetos do negócio

40 40 Conceito Chave: Artefato Alguma informação que é produzida, modificada, ou apenas utilizada por um processo. Define uma área de responsabilidade. Provavelmente é passível de controle de configuração. Tipos de artefatos: –Modelos; –Documentos; –Planos. Artefatos podem conter outros artefatos.

41 41 Exemplo de Artefatos Modelo de projeto; Classe; Use Case; Caso de teste; Plano de desenvolvimento de software; Release; Documento de avaliação de status; Lista de risco.

42 42 Conjuntos: Agrupamento de Artefatos Conjunto de gerenciamento –Casos de negócio, plano de desenvolvimento de software, documento de avaliação de status. Conjunto de requisitos –documento de visão, modelo de use cases, especificações suplementares. Conjunto de projeto –modelo de projeto, modelo de teste, descrição da arquitetura.

43 43 Conjuntos: Agrupamento de Artefatos Conjunto de implementação –Código fonte, executáveis,... Conjunto de entrega –Baseline do produto, manual do usuário, manual de instalação,...

44 44 Evolução dos Conjuntos nas Fases Conjuntos crescem ao longo do ciclo de vida. Fase M R D I D M R D I D M R D I D M R D I D Concepção Elaboração Construção Transição R : Conjunto de Requisitos M : Conjunto de Gerenciamento D : Conjunto de Projeto I : Conjunto de Implementação D : Conjunto de Entrega

45 45 Artefatos, Documentos, Relatórios Não é um processo dirigido a documentos; Produz somente artefatos que serão usados; Mantém o artefato na ferramenta mais apropriada, em formato eletrônico (Rose, Excel, ReqPro, etc.); Somente poucos artefatos são documentos; Quando necessário extrai relatórios a partir das ferramentas (ex: para revisão)

46 46 Conceitos Adicionais Conceitos –Introduzem definições principais, idéias chave. Guidelines –Técnicas, regras, heurísticas, listas de checagem... Mentores de ferramentas –Ligação do processo com ferramentas específicas Templates –Para os principais artefatos.

47 47 Guidelines Guidelines são regras, recomendações, heurísticas que suportam atividades e passos. –Atividades e passos devem ser bastante concisos e enxutos –Guidelines descrevem artefatos bem-formados, focando na qualidade. –Guidelines descrevem técnicas específicas transformações de um artefato em outro uso de UML

48 48 Guidelines Usados também para avaliar a qualidade dos artefatos Feitos sob medida para a organização

49 49 Guidelines: exemplos Guidelines de modelagem –Artefatos bem-formados: classes, use cases, pacotes, modelos Guidelines de programação –Programas bem-formados Guidelines de projeto de interface com o usuário –Interfaces fáceis de usar Checklists –Para revisão.

50 50 Mentores de Ferramentas Similares a guidelines Explicam como usar uma ferramenta específica para executar uma atividade ou passos em uma atividade Exemplos: –RequisitePro: gerenciamento de requisitos –Rational Rose: modelagem visual, usando UML –SoDA: geração de documentação –ClearQuest: gerenciamento de mudança, trilhagem de defeitos –... e mais.

51 51 Templates Artefatos pré-definidos, protótipos –Templates para documentos do MS Word –Templates de planos do MS Project –Templates para páginas html do processo Conectados à atividade que cria o artefato correspondente Feitos sob medida para a organização

52 52 Guidelines, Mentores, Templates Trabalhador Artefato Realização de Use Case Template de Use Case responsável por ProjetistaEncontrar classes de projetoDistribuir comportamento Atividades Mentor da ferramenta Rose Guideline de Projeto Rational Rose 98

53 53 Resumo Estrutura estática –Trabalhador, Atividade+Passo, Artefato –Workflow –Guideline, Template, mentor de ferramenta, conceito Estrutura dinâmica –Fase Milestone principal –Iteração Milestone secundário, release


Carregar ppt "Rational Unified Process ( Parte 1 ). 2 Um Ponto de Mudança em Eng. de SW Processo Componentes de Software Ferramentas Arquitetura."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google