A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

CONDUTORES ELÉTRICOS. CONCEITO BÁSICO SOBRE CONDUTORES RESISTÊNCIA ELÉTRICA: R = (L / S)onde: é a Resistividade do material L é o comprimento do condutor.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "CONDUTORES ELÉTRICOS. CONCEITO BÁSICO SOBRE CONDUTORES RESISTÊNCIA ELÉTRICA: R = (L / S)onde: é a Resistividade do material L é o comprimento do condutor."— Transcrição da apresentação:

1 CONDUTORES ELÉTRICOS

2 CONCEITO BÁSICO SOBRE CONDUTORES RESISTÊNCIA ELÉTRICA: R = (L / S)onde: é a Resistividade do material L é o comprimento do condutor S é a seção transversal Unidade de (.mm 2 / m ) Unidade de R ( ) Nos metais, a resistividade aumenta com a temperatura, dada pela expressão: 2 = 1 [ ( ) ]onde: 1 coeficiente de temperatura relativo a 1 normalmente 1 é 20 0 C. Portanto: R 2 = R 1 [ ( ) ] Para o cobre: 1 = C -1, Para o alumínio: 1 = C -1

3 TIPOS DE CONDUTORES FIO ELÉTRICO : é um produto metálico maciço e flexível, de seção transversal invariável e de comprimento muito maior que sua maior dimensão transversal.

4 CABO ELÉTRICO : é um condutor encordoado constituído por um conjunto de fios encordoados, isolados ou não entre si, podendo o conjunto ser isolado ou não. São mais flexíveis que um fio de mesma capacidade de carga.

5 Os cabos podem ser: - unipolares: quando constituído por um condutor de fios trançados com cobertura isolante protetora.

6 - multipolares: quando constituído por dois ou mais condutores isolados, protegidos por uma camada protetora de cobertura comum.

7 ISOLAÇÃO: é definida como o conjunto dos materiais isolantes utilizados para isolar eletricamente, tem caráter qualitativo. Ex: borracha, plástico, fibra de vidro, vinil, PVC, etc. ISOLAMENTO: tem um sentido quantitativo Ex: tensão de isolamento 750V, resistência de isolamento de 5M, etc.

8 TEMPERATURA Os fios e cabos providos de isolação são caracterizados por três temperaturas, medidas no condutor propriamente dito, em regime permanente, em regime de sobrecarga e em regime de curto- circuito. Temperatura de operação em regime contínuo Temperatura de sobrecarga Temperatura de curto-circuito PVC70 0 C100 0 C160 0 C PET70 0 C90 0 C150 0 C XLPE90 0 C130 0 C250 0 C EPR90 0 C130 0 C250 0 C Tabela 3.4 Temperatura admissíveis no condutor, supondo a temperatura ambiente de 30 0 C. Tabela : Temperatura admissíveis no condutor, supondo a temperatura ambiente de 30 0 C.

9 TIPOS DE CONDUTOS ELÉTRICOS ELETRODUTO É um elemento de linha elétrica fechada, de seção circular ou não destinado a conter condutores elétricos. Os eletrodutos podem ser metálicos (aço, alumínio) ou de material isolante (PVC, polietileno, fibro-cimento, etc). São usados em linhas elétricas embutidas ou aparentes. Sua função principal é proteger os condutores elétricos contra certas influências externas (ex. choques mecânicos, agentes químicos, etc).

10 ELETRODUTO RÍGIDOS São vendidos em varas de 3m de comprimento, rosqueados nas extremidades. São fabricados nos tipos: - Eletroduto rígido de aço galvanizado ou de aço-carbono; - Eletroduto de PVC rígido antichama, classe B ou tipo rosqueado; ELETRODUTO FLEXÍVEL (CONDUÍTE) Os eletrodutos flexíveis são empregados no prolongamento dos eletrodutos rígidos e na instalação de motores ou em outros aparelhos sujeitos a vibração. É proibido o seu emprego: - nas instalações embutidas; - nas localizações perigosas; - em instalações ao tempo.

11 CALHA É um conduto fechado utilizados em linhas aparentes, com tampas. As calhas podem ser metálicas (aço, alumínio) ou isolantes (plásticos); as paredes podem ser maciças ou perfuradas e a tampa simplesmente encaixadas.

12 MOLDURA É um conduto utilizados em linhas aparentes, fixado ao longo de paredes compreendendo uma base com ranhuras para a colocação dos condutores e uma tampa desmontável em toda a sua extensão. As molduras podem ser de madeiras ou plásticos.

13 BLOCO ALVEOLADO É um bloco de construção, com um ou mais furos que,por justaposição com outros blocos, forma um ou mais condutos fechados.

14 CANALETA É um conduto com tampas ao nível do solo, removíveis e instaladas em toda a sua extensão. As tampas podem ser maciças e/ou ventiladas e os cabos podem ser instalados diretamente ou em eletrodutos. Nas canaletas só podem ser utilizados cabos uni e multipolares. Os condutores isolados podem ser utilizados desde que contidos em eletrodutos

15 BANDEJA É um suporte de cabos constituído por uma base contínua com rebordos e sem cobertura, podendo ser ou não perfurada; é considerada perfuradas se a superfície retirada da base for superior a 30%. As bandejas são geralmente metálicas (aço, alumínio).

16 ESCADAS PARA CABOS É um suporte constituído por uma base descontínua, formada por travessas ligadas a duas longarinas longitudinais, sem cobertura. As escadas são geralmente metálicas.

17 POÇOS É um conduto vertical formado na estrutura do prédio. Nos poços, via de regra, os condutores são fixados diretamente as paredes ou a bandejas ou escadas verticais ou são instalados em eletrodutos. ESPAÇO DE CONSTRUÇÃO É um espaço existente na estrutura de um prédio, acessível apenas em certos pontos e no qual são instalados condutores diretamente ou contidos em eletrodutos. Observações: 1) A menor dimensão transversal do espaço de construção ou poço deve ser de, 20mm ao longo de toda a sua extensão. 2) Os poços de elevadores não devem ser utilizados para a passagem de instalações elétricas, com exceção dos circuitos de controle dos elevadores. 3) A soma das áreas totais dos cabos utilizados não deve ser superior a 25% da área útil do espaço de construção ou poço.

18 GALERIAS É um conduto fechado que pode ser visitado em toda sua extensão. Geralmente nas galerias os condutores são instalados em bandejas, escadas, eletrodutos, etc. PRATELEIRA É um suporte contínuo para condutores, engastados ou fixados numa parede ou no teto por um de seus lados e com uma borda livre. GANCHOS É um suporte constituídos por elementos simples fixados à estrutura ou aos elementos da construção.

19 CAIXA DE DERIVAÇÃO É uma caixa utilizada para passagem e/ou ligações de condutores entre si e/ou dispositivos nela instalados. Devem ser empregadas caixas de derivação: a) Em todos os pontos de entrada ou saída dos condutores na tubulação, exceto nos pontos de transição ou passagem de linhas abertas para linhas em eletrodutos; b) Em todos os pontos de emenda e derivação de condutores; c) Para dividir a tubulação em trechos não maiores que 15m. ESPELHO É a peça que serve de tampa para uma caixa de derivação, ou de suporte e remate para dispositivos de acesso externo.

20 Caixa de derivação

21 CONDULETE É uma caixa de derivação para linhas aparentes, dotadas de tampa própria. Os tipos de caixas mais usuais são especificados por letras. Nota-se que essas caixas já vem rosqueadas para serem ligados os eletrodutos na seguintes bitolas: 1/2, 3/4, 1, 1 1/4, 1 1/2 e 2. Dentro destas caixas ficarão instalados as tomadas e interruptores.


Carregar ppt "CONDUTORES ELÉTRICOS. CONCEITO BÁSICO SOBRE CONDUTORES RESISTÊNCIA ELÉTRICA: R = (L / S)onde: é a Resistividade do material L é o comprimento do condutor."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google