A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

RODOVIA: BR-135 MA TRECHO: SÃO LUÍS – DIVISA MA/PI SUBTRECHO: Entr. BR-316(B) (Peritoró) – Entr. BR- 230(B)/MA364(A) (Dois Irmãos) SEGMENTO: km 224,16.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "RODOVIA: BR-135 MA TRECHO: SÃO LUÍS – DIVISA MA/PI SUBTRECHO: Entr. BR-316(B) (Peritoró) – Entr. BR- 230(B)/MA364(A) (Dois Irmãos) SEGMENTO: km 224,16."— Transcrição da apresentação:

1 RODOVIA: BR-135 MA TRECHO: SÃO LUÍS – DIVISA MA/PI SUBTRECHO: Entr. BR-316(B) (Peritoró) – Entr. BR- 230(B)/MA364(A) (Dois Irmãos) SEGMENTO: km 224,16 – km 323,70 Entr. BR-316(B) (Peritoró) – Entr. MA-336 (Miranorte) EXTENSÃO: 99,54 km LOTE: 01 CÓDIGO DO PNV: 135BMA0170/0190/0230 Ordem de Serviço: 17 de março de 2009 Objeto do Contrato: Elaboração de Projeto Básico e de Projeto Executivo de Engenharia para Restauração da BR-135/MA. O contrato foi paralisado no dia 31/07/2009 e teve ordem de reinício em 25/01/2010, passando o Fim de Prazo contratual para 08/04/2010.

2

3 O projeto foi inicialmente desenvolvido (Projeto Básico) como lote único, envolvendo toda a extensão contratada, entre Entr. BR-316 (B) (Peritoró) e Entr. BR-230 (B) / MA-364 (A) (Dois Irmãos). Para fins de licitação, o projeto foi dividido em quatro lotes, a saber: Lote 1: Entr. BR-316 (B) (Peritoró) – Entr. MA-336 (Miranorte); Lote 2: Entr. MA-336 (Miranorte) – Entr. MA-333 (Jatobá); Lote 3: Entr. MA-333 (Jatobá) – Entr. BR-230 (A) / MA-368 (Orosimbo); Lote 4: Entr. BR-230 (A) / MA-368 (Orosimbo) - Entr. BR-230 (B) / MA-364 (A) (Dois Irmãos).

4 Este relatório é composto dos seguintes volumes: Volume 1 - Relatório do Projeto e Documentos para a Licitação Volume 2 – Projeto de Execução Volume 3 – Memória Justificativa Volume 3A – Relatório Final de Avaliação Ambiental Volume 3B – Estudos Geotécnicos e Cadastros Tomo I – Quadros de Sondagens e Ensaios Tomo II – Deflexões, IGG e IRI Tomo III – DNIT 006/2003 – PRO Tomo IV – DNIT 007/2003 – PRO Tomo V – Cadastro - Acostamentos, Drenagem Superficial, Obras Complementares e Sinalização Tomo VI – Cadastro - Obras de Arte Correntes Tomo VII – Cadastro – Interseções e Travessias Urbanas Volume 3C – Notas de Serviço e Cálculo de Volumes Volume 4 – Orçamento e Plano de Execução da Obra

5 ESTUDOS A locação foi realizada pelo lado direito da pista de rolamento, a 3,50m do eixo da rodovia, com trena, estaqueando-se de 20 em 20m. O levantamento topográfico convencional foi adotado nas 3as faixas, interseções e travessias urbanas ESTUDOS TOPOGRÁFICOS

6 ESTUDOS Foram efetuados os seguintes cadastros, ao longo de todo o trecho: Pontos de Passagens Sinalização Horizontal e Vertical Cadastro de Acostamento (largura e degraus) Cadastro de Drenagem Superficial (meios fios, sarjetas, valetas, entradas dágua, descidas dágua e caixas coletoras); Cadastro de Cercas Cadastro de Pontes e Defensas Cadastro de Passivos Ambientais Cadastro de Bueiros e Documentação Fotográfica Cadastro das travessias urbanas e interseções CADASTROS

7 ESTUDOS Determinação das deflexões recuperáveis do pavimento com a viga Benkelman Avaliação objetiva da superfície do pavimento Levantamento das condições da superfície do pavimento O estudo das ocorrências de materiais Foram efetuadas sondagens do pavimento e subleito ESTUDOS GEOLÓGICOS E GEOTÉCNICOS

8 ESTUDOS O estudo do tráfego da BR-135 MA, trecho km 223,9 – km 573,6, visou detectar propriedades e características do fluxo na rodovia, determinar os insumos necessários para a caracterização do nível de serventia, condições operacionais em todo o segmento e dimensionamento do projeto da pavimentação. Para consecução destes objetivos, a consultora seguiu as indicações do escopo de trabalho, de conformidade com a metodologia descrita a seguir, em cada tarefa. ESTUDO DE TRÁFEGO

9 PROJETO O projeto geométrico envolveu a implantação de terceiras faixas, o estudo de melhoria das interseções e travessias urbanas. PROJETO GEOMÉTRICO

10 PROJETO As travessias urbanas funcionam hoje como avenidas da cidade. As travessias urbanas, exceto aquelas dotadas de pista dupla, necessitam, visando a segurança dos usuários, de duplicação e/ou implantação de vias locais. Sugere-se que a implantação dessas travessias urbanas faça parte de um projeto específico para melhoramentos na rodovia. TRAVESSIAS URBANAS

11 PROJETO O projeto prevê a execução de terceiras faixas, nos segmentos com rampas fortes e extensas. Terceiras Faixas (Lotes 02 E 03) Interseções Observa-se, na maioria das interseções, a deficiência ou ausência de teiperes, faixas de aceleração / desaceleração e ilhas direcionais, o que aumenta o risco de acidentes nos locais de maior movimento. O projeto prevê a melhoria de diversas interseções, ao longo de todo o trecho.

12 PROJETO O projeto prevê a restauração de bueiros, principalmente suas extremidades, e em alguns casos isolados, o prolongamento de bueiros, face à melhoria de interseções. O principal problema detectado é a falta de limpeza dos bueiros e danos verificados nas extremidades destas obras. PROJETO DE DRENAGEM E OBRAS DE ARTE CORRENTES

13 PROJETO Ao longo do trecho existem 7 pontes e 1 passagem superior: Lote 01: Ponte sobre o Igarapé Santiago, com 20,00m de extensão e 10,00m de largura. est ,95 Ponte sobre o Igarapé do Machado, com 30,00m de extensão e 10,00m de largura. est ,50 Passagem Superior, com 20,00m de extensão e 10,00m de largura. est ,60 RECUPERAÇÃO DE OBRAS DE ARTE ESPECIAIS

14 PROJETO Lote 02: Ponte sobre o Córrego Firmino, com 25,00m de extensão e 10,00m de largura. est ,00 Lote 03: Ponte sobre o rio Itapecuru, com 82,36m de extensão e 10,00m de largura. est ,12 Ponte sobre o riacho Balseiro, com 30,00m de extensão e 13,00m de largura. est ,00 Ponte sobre o riacho Curimatã, com 91,85m de extensão e 13,00m de largura. est ,05 RECUPERAÇÃO DE OBRAS DE ARTE ESPECIAIS

15 PROJETO Lote 04: Ponte sobre o riacho Piripiri, com 16,20m de extensão e 8,17m de largura. est ,40 O projeto prevê a recuperação dessas obras, envolvendo a execução de pequenos serviços, tais como, execução de guarda-corpo, tratamento de ferragens expostas, recuperação de erosões etc. RECUPERAÇÃO DE OBRAS DE ARTE ESPECIAIS

16 PROJETO O Projeto de Terraplenagem diz respeito aos melhoramentos na rodovia: terceiras faixas, interseções e travessias urbanas. PROJETO DE TERRAPLENAGEM

17 PROJETO PROJETO DE RESTAURAÇÃO DO PAVIMENTO SEGMENTO 01 Foto 01 – Est. 00 inicio do levantamento com Viga Benkelman Foto 02 – Trincas no acostamento.

18 PROJETO PROJETO DE RESTAURAÇÃO DO PAVIMENTO Foto 03 – Erosão no bordo do acostamento Est. 670, LE Foto 04 – Afundamento Acentuado em trilha de roda Est LD

19 PROJETO PROJETO DE RESTAURAÇÃO DO PAVIMENTO Foto 05 – Afundamento em trilha de roda Est LE / LD. Foto: 06 –Trilha de roda – est. 1690

20 PROJETO PROJETO DE RESTAURAÇÃO DO PAVIMENTO Foto 07: Entrada de Presidente Dutra – est (1ª rotula) Foto 08: Travessia Urbana de Presidente Dutra – est (faixa estreita)

21 PROJETO PROJETO DE RESTAURAÇÃO DO PAVIMENTO Foto 09: Ponte – est ,95 largura 10,15m (em curva) Foto 10: Ponte est: ,50m detalhe do tabuleiro

22 PROJETO PROJETO DE RESTAURAÇÃO DO PAVIMENTO SEGMENTO 02 Foto 01: Est. 35 saída de Presidente Dutra – Pista com trincas generalizadas classe 3. Acostamento sem revestimento Foto 02: Est. 550 – trincas FC2 e escorregamento. Acostamento com vegetação e revestimento desgastado e com trincas. A esquerda cerca no bordo do acostamento

23 PROJETO PROJETO DE RESTAURAÇÃO DO PAVIMENTO Foto 03: Equipe de levantamento do PRO 006/007 – est Travessia Urbana de São Domingos Foto 04: Construção no bordo do acostamento – est. 1045

24 PROJETO PROJETO DE RESTAURAÇÃO DO PAVIMENTO Foto 05: Est ,12 – Ponte sobre o Rio Itapecurú – largura total 10,02m. Extensão total de 81,45m (incluindo balanços) Foto 06: Erosão no acostamento do segundo encontro da ponte sobre o Rio Curimatá LD – est ,0

25 PROJETO PROJETO DE RESTAURAÇÃO DO PAVIMENTO SOLUÇÕES ADOTADAS Pavimentos Novos Será utilizado pavimento novo nos locais de melhoramento das interseções e terceiras faixas a implantar Com base no dimensionamento efetuado, apresentado em quadros anexos, obtem-se a seguinte solução para os pavimentos novos: Revestimento: 6,0 cm de CBUQ faixa B + 4,0 cm de CBUQ faixa C Base : 15 cm de brita graduada Sub-base : 15 cm de solo sem mistura

26 SOLUÇÕES ADOTADAS Seção transversal para pavimentos novos

27

28 PROJETO PROJETO DE RESTAURAÇÃO DO PAVIMENTO SOLUÇÕES ADOTADAS Restauração do Pavimento Existente Solução adotada – Reforço: PISTA Execução de reparos localizados; Execução de tratamento superficial simples com polímero Pintura de ligação; Execução do reforço em CBUQ; ACOSTAMENTOS Regularização dos acostamentos; Imprimação; Execução de CBUQ faixa B ou base de brita graduada; e Execução de tratamento superficial.

29 SOLUÇÕES ADOTADAS Restauração do Pavimento Existente

30

31

32

33 PROJETO PROJETO DE RESTAURAÇÃO DO PAVIMENTO SOLUÇÕES ADOTADAS Reconstrução Parcial do Pavimento: PLATAFORMA Remoção do revestimento existente em AAUQ; Reestabilização da base existente; Execução de base em brita graduada; Imprimação; Execução do CBUQ faixa B em toda a largura da plataforma (6cm); Execução do CBUQ faixa C na pista de rolamento (4cm), e Execução de TSS nos acostamentos.

34 SOLUÇÕES ADOTADAS Reconstrução Parcial do Pavimento:

35

36 PROJETO PROJETO DE SINALIZAÇÃO A sinalização prevista para o trecho baseou-se nos Estudos de Segurança Viária, no tráfego existente e no Manual de Sinalização Rodoviária 1999, do DNER. Sinalização Vertical Sinalização Horizontal

37 PROJETO PROJETO DE OBRAS COMPLEMENTARES Implantação de defensas em todas as aproximações das pontes existentes Substituição e implantação de cercas com mourões em concreto

38


Carregar ppt "RODOVIA: BR-135 MA TRECHO: SÃO LUÍS – DIVISA MA/PI SUBTRECHO: Entr. BR-316(B) (Peritoró) – Entr. BR- 230(B)/MA364(A) (Dois Irmãos) SEGMENTO: km 224,16."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google