A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Poluição atmosférica. No século XXI, onde se proclamam os direitos dos consumidores, introduzindo-se modernos conceitos como por exemplo: consumo e segurança;

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Poluição atmosférica. No século XXI, onde se proclamam os direitos dos consumidores, introduzindo-se modernos conceitos como por exemplo: consumo e segurança;"— Transcrição da apresentação:

1 Poluição atmosférica

2 No século XXI, onde se proclamam os direitos dos consumidores, introduzindo-se modernos conceitos como por exemplo: consumo e segurança; consumidores informados; consumidores on-line; consumidores saudáveis; a ideia futurista passa para segundo plano conceitos tão ou mais necessários na actualidade como consumidores responsáveis e consumo sustentável. A ambição por detrás do ideal de conforto e luxo que máquinas mais modernas nos podem proporcionar e a falta de consciência para o problema estimulam a produção industrial em grande escala, aumentado a quantidade de resíduos que juntamente com interesses económicos nos guiam para uma situação catastrófica. Sendo o nosso planeta um sistema único e dinâmico, constituído por cinco subsistemas, basta uma alteração e/ou modificação num deles, para causar desequilíbrios nas relações que eles estabelecem entre si e provocar alterações que podem afectar parcial ou totalmente o sistema Terra.

3 A emissão de substância perigosas, a utilização de fontes de energia poluentes, bem como a destruição das florestas têm vindo a degradar a atmosfera terrestre.

4 A Contaminação do ar A atmosfera do planeta é uma excepção na medida em que é dos raros recursos naturais que é compartilhado pelo mundo inteiro. A atmosfera designa-se por uma camada gasosa que envolve a Terra. É constituída por uma série de gases, sobre tudo, azoto e oxigénio. Pelo que os efeitos negativos sobre esta são globalmente sentidos.

5 A Longa vida dos poluentes Os poluentes difundem-se pela atmosfera. A maioria dos (poluentes não permanecem aí durante muito tempo, a não ser que se transformem através de reacções químicas que tem origem na estratosfera, ou voltem à superfície da terra através do ciclo correspondente). Algumas substâncias poluentes ficam dispersas pelo ar em direcção à camada superior: a estratosfera. Nesta zona da atmosfera, as massas de ar só se movimentam no sentido horizontal. Por tanto, os poluentes podem permanecer nesta camada muito tempo, exclusivamente mais de cem anos. O ozono observa as radiações ultravioleta do sol: isto faz com que tenham uma função primacial como protector da vida da terra. Lutar contra a poluição atmosférica é, conhecer melhor a qualidade do ar.

6 Estratificação da atmosfera terrestre A espessura da atmosfera está avaliada em cerca de duas centenas de quilómetros, mas as suas propriedades físicas e químicas não são verticalmente homogéneas, determinando a sua divisão em três camadas: troposfera, estratosfera e mesosfera com características diferentes. Apenas a troposfera está em contacto com a superfície terrestre e é com ela que todos os seres vivos se relacionam mais directamente. Possui uma composição química em que os diferentes constituintes se encontram em concentrações compatíveis com a característica da vida na Terra, o mesmo acontecendo com as suas propriedades físicas: temperatura e pressão. Apesar da espessura da troposfera ser de 15 quilómetros somente os primeiros cinco possuem a quantidade de oxigénio suficiente para a sobrevivência de todos os seres vivos terrestres, pelo o que é incorrecto pensarmos que o ar é irrespirável e ilimitado. A atribuição da designação troposfera á zona inferior da atmosfera deve-se á permanente mistura de massas de ar que nela ocorrem. Tal facto não se verifica na estratosfera onde os movimentos verticais de massas de ar têm amplitudes fracas conduzindo á estratificação vertical dessas massas. Mas, a atmosfera, deverá ser vista como um todo, uma vez que a divisão em camadas é apenas teórica é porque no seu conjunto funciona um poente fino protector da radiação emitida pelo sol.

7 Principais poluentes do ar Bióxido de enxofre (SO2): Gás irritante e corrosivo com origem na queima de combustíveis fósseis que contém enxofre (fuel, carvão). É uma das causas das chuvas ácidas, podendo causar problemas respiratórios. Óxido de azoto (NOX): resultam de combustão dos motores dos carros e os tipos de instalação de combustão. Provocam também problemas respiratórios e contribuem para a formação de chuvas ácidas. No óxido de carbono (CO): resulta, de combustões incompletas (motores e caldeiras com funcionamento deficiente). A sua instalação pode conduzir à morte asfixia. Ozono (O3): é indispensável na estrutura, é um poluente irritante forma-se de secções foto químicas de outro poluentes e na presença da luz solar. Partículas: emitidas por industrias e pelo tráfico rodoviário. São agressivos e podem contribuir para outras doenças. Chumbo (PB): Resulta da utilização de gasolina com chumbo. Podem levar a problemas nas contracções no ar e nos limiares de protecção. Compostos orgânicos voláteis (COV), dioxinas, e metais pesados: Estes são os principais para controlar a qualidade do ar.

8 Diferenciação entre poluentes de primeira ordem e segunda ordem Os poluentes atmosféricos podem ser classificados em poluentes primários e poluentes secundários. Os poluentes primários são as substancias emitidas para a troposfera numa forma potencialmente prejudicial. Uma vez na troposfera, alguns destes poluentes primários podem reagir entre si, ou com componentes básicos do ar, para formar novos poluentes, denominados poluentes secundários.

9 Problemas ambientais Nevoeiro fotoquímico Chuvas Ácidas Aquecimento Global e Efeito Estufa Depleção do Ozono Estratosférico

10 Chuvas ácidas A queima de carvão e de combustíveis fósseis e dos poluentes industriais lançam dióxido de enxofre e de nitrogénio para atmosfera. Esses gases combinam- se com o hidrogénio presente na atmosfera sob a forma de vapor de água. Os resultados são as chuvas ácidas. As águas da chuva, assim como a geada, neve e neblina, ficam carregadas de ácido sulfúrico ou ácido nítrico. Ao caírem na superfície, alteram a composição química do solo e das águas, atingem as cadeias alimentares, destroem florestas, atacam estruturas metálicas, monumentos e edificações.

11

12 A atmosfera da Terra é constituída por gases que permitem a passagem da radiação solar, e absorvem grande parte do calor; Esta propriedade é conhecida como efeito estufa. É graças a esta propriedade que a temperatura média da superfície do Planeta é, em média de 15ºC, se não existisse efeito estufa, a temperatura média da Terra seria de -18ºC, ou seja, é responsável por um aumento de 33ºC.

13 Quanto maior for a concentração de gases, maior será a quantidade de calor retido e, consequentemente, mais alta a temperatura média da Terra. A libertação de gases para a atmosfera através da combustão de petróleo seus derivados, têm contribuído em muito para o aumento do problema.

14 As consequências do efeito de estufa serão sentidas tanto a nível global como a nível regional, afectando um pouco por toda parte os vários países; O aquecimento global poderá levar à ocorrência de variações climáticas tais como: alteração na precipitação; subida do nível dos oceanos (degelos); ondas de calor. Assim é natural registar-se um aumento de situações de cheias que consequentemente irá aumentar os índices de mortalidade no planeta Terra.

15

16 Quando o balanço natural dos gases da atmosfera é alterado, ( aumento ou diminuição dos gases de efeito estufa) a temperatura da Terra pode ser seriamente afectada, pois são estes gases se efeito estufa que regulam a temperatura da Terra. Na nossa atmosfera verificou-se, principalmente, o aumento dos seguintes gases de efeito estufa: Dióxido de Carbono; Metano; Clorofluorcarbono (CFCs); Ácido Nítrico; Ozono;

17 CO 2 O=C=O

18 Causas: Naturais respiração; decomposição das plantas; decomposição dos animais; queimadas naturais nas florestas. Produzidas pelo Homem queima de combustíveis fósseis; desflorestação; fabricação de cimento; queima de biomassa.

19 Como diminuir o dióxido de carbono? reflorestação. Para além de reduzir em cerca de 60% a concentração da emissão deste gás para a atmosfera, seria necessário desenvolver métodos de protecção às fontes de renovação de dióxido de carbono, tais como reflorestação.

20 CH 4 C H H H H

21 Causas: É formado naturalmente em regiões onde existe matéria orgânica em composição; Existem ainda muitas fontes antropogénicas que contribuem para o aumento da concentração global na atmosfera, tais como, queima de biomassa, queima de combustíveis fósseis;

22 Como diminuir o metano? Para estabilizar as concentrações de metano existente na atmosfera de hoje, seria necessária uma redução imediata de 15 a 20% da emissão global deste gás.

23 F 2 CCl 2 C F Cl F

24 Causas: É um grupo de componentes produzidos pelo Homem, constituídos por Cloro, Flúor e Carbono. Têm sido utilizados abruptamente na produção de: aerossóis; industria do ar condicionado; sprays; motores de aviões; plásticos; solventes utilizados na indústria electrónica.

25 Como diminuir os CFC's ? A produção de CFCs foi reduzida em cerca de 40% no período entre 1988 e Contudo a concentração de CFCs na atmosfera continuará significante durante o próximo século devido ao logo período de vida associada a este componente.

26 HNO 3 C O OH O

27 Causas: O ácido nítrico é produzido essencialmente, por combustão de madeira e de combustíveis fósseis, pela decomposição de fertilizantes químicos e micróbios. Como diminuir o ácido nítrico? Seria necessário reduzir cerca de 70 a 80% das emissões de ácido nítrico para a atmosfera.

28

29 O Smog é uma mistura química de gases. Óxidos de nitrogénio (NO x ), compostos voláteis orgânicos (VOC) dióxidos de sulfureto, aerossóis ácidos e gases, tal como partículas de matéria, formam esta nuvem.

30 Estes gases e reacção coma luz solar produzem o chamado smog químico, cuja característica principal é a presença de ozono na terra. A principal causa do nevoeiro fotoquímico é a combustão de combustíveis fósseis dos veículos automóveis e das indústrias. Por este motivo este tipo de poluição é maior nas grandes cidades.

31 Como a formação do nevoeiro fotoquímico depende da luz solar, este tipo de poluição torna-se mais evidente em dias quentes e secos. Os níveis de nevoeiro fotoquímico também não são constantes ao longo do dia. De manhã, como o trânsito automóvel é mais intenso, aumentam os níveis de óxidos de azoto na atmosfera. Ao longo do dia forma-se cada vez mais nevoeiro fotoquímico (aumentam os níveis de ozono fotoquímico).

32 Os níveis atingem um pico a meio da tarde, na altura mais quente do dia, podem provocar irritações nos olhos e no aparelho respiratório.

33 Camada de ozono A camada de ozono é uma região pertencente às camadas superiores da atmosfera, entre os 20 e os 30 km de altitude. O ozono, gás instável, encontra-se concentrado nesta zona. Esta camada absorve uma parte importante da radiação ultravioleta que atinge a atmosfera da Terra e que é muito prejudicial a todas as formas de vida. A sua ausência causaria um aumento significativo do número de cancros de pele, olhos, cataratas, danos no sistema imunitário e queimaduras solares.

34 Destruição da camada de ozono Os clorofluorocarbonetos, grupo de compostos químicos também conhecidos por CFC's, são os mais directos responsáveis por este declínio. Usados frequentemente como gases propulsores de aerossóis e em aparelhos de ar condicionado, os CFC's, depois de libertos para a atmosfera, sobem e decompõem-se sob a acção da luz solar, originando a libertação de um átomo de cloro (cl) este átomo por sua vez irá reagir com uma molécula de ozono(O3),ou seja, o átomo de cloro atrai um átomo de oxigénio passando assim o ozono a oxigénio. Posteriormente o cloro libertará o átomo de oxigénio anteriormente atraído, ficando pronto para iniciar um novo ciclo.

35 CL C F O OO Atrai Liberta CL O Resultado OO E

36 Quais são as relações entre a economia de um país e a sua política de ambiente? Os custos da política de ambiente têm que ser pagos por algum segmento da sociedade. É o caso das políticas relacionadas com o controlo da poluição produzida pela obtenção de energia e seu uso, a protecção pública de doenças transmissíveis pela água, a conservação do solo e o manuseamento e utilização de matérias tóxicas, a protecção de espécies em extinção, a diminuição da camada de ozono, etc. A igualdade de princípios admite que aqueles que beneficiam das políticas de ambiente as paguem. Nestes, incluem-se as pessoas cujas actividades são reguladas e cuja saúde é protegida por leis contra a poluição. É preciso reconhecer que a imposição de certas regras força as empresas a utilizar novas tecnologias, o que tem os seus custos. Esses custos reflectem-se no preço dos produtos por elas fabricados, e assim afectam os consumidores. O custo do controle de poluição inclui o preço de compra, a instalação, o fornecimento e a manutenção de equipamento próprio e a implementação das estratégias de controlo. Proibir oficialmente um produto poluente custa dinheiro, porque há perda de emprego e de maquinaria, e porque obriga a novos investimentos com vista ao fabrico de novos produtos.

37 Preservação e intervenção A atmosfera do planeta é uma excepção na medida em que é dos raros recursos naturais que é compartilhado pelo mundo inteiro. Pelo que os efeitos negativos sobre esta são globalmente sentidos. Para se agir adequadamente contra a poluição atmosférica é necessário: Medir e conhecer a concentração dos poluentes no ar Definir as fontes poluentes Definir a qualidade do ar Analisar os valores limite Observar a evolução da qualidade do ar Planejar acções que promovam melhor qualidade do ar, tais como: reordenar actividades socio-económicas, localizar fontes poluentes, alterar o percurso rodoviário e reduzir as emissões de poluentes atmosféricos.


Carregar ppt "Poluição atmosférica. No século XXI, onde se proclamam os direitos dos consumidores, introduzindo-se modernos conceitos como por exemplo: consumo e segurança;"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google