A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Segurança Viária na Empresa Projeto PRAISE. Sofridos pelo trabalhador no trajeto que deve realizar para o cumprimento da missão, assim como aquele que.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Segurança Viária na Empresa Projeto PRAISE. Sofridos pelo trabalhador no trajeto que deve realizar para o cumprimento da missão, assim como aquele que."— Transcrição da apresentação:

1 Segurança Viária na Empresa Projeto PRAISE

2 Sofridos pelo trabalhador no trajeto que deve realizar para o cumprimento da missão, assim como aquele que acontece no desempenho da mesma, dentro da jornada de trabalho. Acidentes em missão

3 Acidente que ocorre nos deslocamentos desde o domicílio até o lugar de trabalho e ao voltar dele, em qualquer meio de transporte, sempre que este seja idôneo e que não aumente os riscos desnecessariamente (especialmente aqueles expressamente proibidos pela empresa) e sempre que o percurso não seja por motivos de interesse particular, de índole tal que quebrem a relação de causalidade com a ida ou volta do trabalho Acidentes in itinere

4 Condutores profissionais. Profissionais do ensino da condução. Setor automotivo. Setor energético. Seguros, vendas… Setor vias. Importância do trabalho de trânsito

5 Condutores em situação de risco Condutores de veículos utilizados para fins diversos (por exemplo, veículos da empresa, furgões, camionetes, caminhões de grande porte, ônibus, táxis, radiotáxis, veículos de emergência, da construção e maquinário agrícola, motocicletas, ciclomotores e bicicletas). Pessoas que trabalham na ou perto da estrada, por exemplo, trabalhadores de manutenção, os trabalhadores postais, os empregados de avarias de veículos e a polícia.

6 Transferidos Companhias de seguros. Induzidos Dias de afastamento pagos pela empresa. Perda de negócios. Reparação de veículos. Substituição de veículos (sinistro total). Troca de veículos. Franquias. Custo do pessoal dedicado à gestão de acidentes. Sanções econômicas. Estresse e deterioração do ambiente de trabalho. Perda da carteira. Custos

7 Tabela 1 – Evolução da SLV – Fonte: Estadísticas de Accidentes de Trabajo y Enfermedades Profesionales. Ministerio de Trabajo y Asuntos Sociales Evolução da acidentalidade viária no trabalho PARÂMETROESTATÍSTICA População ocupadaFrequências absolutas Sinistros de trabalho viários Frequências absolutas Índice de Incidência x 10 5 trabalhadores 378,71361,11427,57403,99364,42354,59 Sinistros de trabalho viários mortais Frequências absolutas Índice de Incidência x 10 5 trabalhadores 2,632,572,301,831,491,43

8 Magnitude do problema Estima-se que, na Europa, seis de cada dez acidentes no trabalho com resultado de morte são acidentes de trânsito, quer sejam em missão ou in itinere. ( Eurogip. Organismo francês que estuda as questões relativas aos acidentes de trabalho: Estima-se que 40% de todos os acidentes de trânsito envolvem pessoas em serviço e os que conduzem para o trabalho ou voltando do trabalho. (ORSA. Working for road safety at work:

9 Deslocamentos 33% dos acidentes de trânsito com vítimas no Reino Unido envolvem alguém que conduz por motivo de trabalho. 33% de todos os veículos da empresa sofrem pelo menos um acidente. ATA DE HOMICÍDIO CORPORATIVO (2007) Bélgica 10% 40% Finlândia 13% 50% França 10% 49% Alemanha* 15% 45% *PARCERIAS entre o Conselho de Segurança de Trânsito e os demais dos Atores. Reino Unido

10 PRAISE PRAISE: Prevenção de lesões e acidentes de trânsito para a segurança dos empregados. Objetivos: - Avançar no conhecimento dos trabalhos direta ou indiretamente relacionados com a gestão da segurança viária. - Melhorar a segurança viária relacionada com o trabalho no Estados membros da União Europeia e realizar uma promoção europeia de melhores práticas.

11 PRAISE – Parceiros

12 PRAISE – Relatórios Relatórios temáticos anuais em matéria de segurança viária com diferentes temas relacionados com o trabalho. 1.Equipamento de segurança do veículo. 2.Da avaliação do risco à formação. 3.Aptidão para conduzir. 4.Deslocamento seguro para o trabalho. 5.Distração. 6.Lugares de trabalho 7.Legislação europeia e veículos grandes. 8.Cansaço / Sono.

13 PRAISE – Boas práticas Diferentes casos reais demonstram o sucesso da filosofia PRAISE e ilustram os relatórios técnicos. 1.DB Schenker. É o principal fornecedor de serviços de logística rodoviária da Suécia, com mais de veículos na sua frota nacional. 2.Suckling Transport. Empresa especializada no transporte rodoviário de combustível, transportando cerca de dois bilhões de litros de líquidos inflamáveis por ano. 3.Fredso Vognmanforretning. É subcontratada da Fredso Vognmandsforretning, para a região dinamarquesa da Jutlândia do Norte, adquiriu e instalou alcolocks em toda sua frota de caminhões: 25 no total.

14 PRAISE – Boas práticas 4.Transport for London (TfL). Possui um plano destinado a proporcionar a seus empregados com moto uma vaga de estacionamento grátis em todos seus edifícios. 5.Corporate Communications Manager, 3M. Introduziu, como política da empresa, a proibição do uso de telefones celulares, incluindo a opção mãos livres. Analisa-se como foi introduzida e os efeitos obtidos, além de como ela se encaixa dentro dos compromissos da 3M com a segurança viária.

15 PRAISE – Eventos – Concursos São organizados 2 seminários nacionais para discutir a segurança viária no trabalho, reunindo profissionais da segurança viária e responsáveis pelas decisões em nível nacional. Concurso para estimular todas as empresas Para acessar toda a informação sobre o PRAISE: (em castelhano) (em inglês) Próximos seminários: Espanha -Madri, 23 de novembro de Europa - Paris, 7 de março de 2012.

16 PRAISE – 3 Prioridades Principais A cada ano mais de mortes nas estradas poderiam ser evitadas se a velocidade média de condução fosse reduzida em somente 1 km/h em todas as estradas da União Europeia. Segundo a Comunidade Europeia, 20-25% das mortes na estrada são causadas pelo álcool, de modo que poderiam ter sido evitadas pelo menos mortes. Em 2009, em toda a União Europeia, cerca de ocupantes de veículos leves sobreviveram a acidentes graves devido ao uso do cinto de segurança. Poderiam ter sido evitadas mortes se 99% dos ocupantes tivessem utilizado seu cinto de segurança, uma taxa que poderia ser alcançada com campanhas para o uso do cinto de segurança.

17 Programas de Prevenção no Trabalho Atuação integral sobre o meio, o veículo e o condutor. Fases: - Coleta de informação - Análise e tratamento - Plano de atuação Plano de capacitação adaptado às necessidades de cada empresa. Objetivo: Prevenção de acidentes in itinere e em missão Atuação

18 A ser considerado… FATOR HUMANO FATOR VEÍCULO FATOR VIA ASPECTOS ORGANIZACIONAIS O Plano de Prevenção

19 FATOR HUMANO Capacitação Normativa vigente Treinamento Sobre veículos e vias Integridade física Limitações (ouvido, visão…) ou temporais (lesões, gravidez…) Integridade psíquica Agressividade, depressão, estresse… Álcool / drogas Fadiga Sono O Plano de Prevenção

20 FATOR VEÍCULO Manutenção preventiva Revisões, ITV (Inspeção Técnica de Veículos), manutenção... Sistemas de Segurança Ativa Freios, suspensão, luzes… Sistemas de Segurança Passiva Cintos, airbag… O Plano de Prevenção

21 FATOR VIA Elementos estáveis Vias de acesso / Vias internas Fatores ambientais Climatológicos Fatores temporais Trânsito, obras… O Plano de Prevenção

22 FATORES ORGANIZACIONAIS Cronograma Turnos Ritmos de trabalho Atribuição de tarefas aos empregados Ordem / limpeza Pausas / descansos O Plano de Prevenção

23 GESTÃO DE MOBILIDADE

24 Presidente Máximo apoio e impulso ao programa. Manager / Diretor-Geral Implantar o programa. Estabelecer objetivos mensuráveis. Fornecer recursos necessários. Supervisores / Chefes de equipe Investigar acidentes / incidentes. Definir grupos de risco. Gestão de mobilidade ORGANIZAÇÃO E RESPONSABILIDADES

25 Coordenador Segurança Viária/ Trânsito Elaboração e controle de avaliações periódicas. Monitoramento da manutenção e documentação de veículos. Condutores Operar com segurança máxima. Manter vigente toda a documentação necessária. Manter o estado mecânico do veículo. Atender às atividades do programa de Segurança Viária. Gestão de mobilidade ORGANIZAÇÃO E RESPONSABILIDADES

26 SELEÇÃO VEÍCULOS Veículo próprio Veículo de empresa Aluguel / leasing Frotas Gestão de mobilidade POLÍTICA DA EMPRESA SELEÇÃO CONDUTORES Avaliação Qualificação Manutenção!!

27 Objetivo0 ACIDENTES Informar acidentes. Investigar acidentes. Documentar acidentes. Melhorar a formação e/ou treinamento Melhorar a seleção de condutores Melhorar a manutenção dos veículos Mudanças nas rotas de trânsito Gestão de mobilidade MONITORAMENTO DE ACIDENTES

28 CANAL ISO A política de Segurança Viária na empresa… Absoluta prioridade da saúde. Uma ferramenta voluntária e complementar da legislação, para todas as organizações envolvidas no trânsito rodoviário produzido pelas necessidades das partes interessadas, incluídas as forças de mercado. Integração no funcionamento da organização. Sistemática e estruturada. Utiliza a melhor informação possível. Levará em conta a tomada de decisões. Processo transparente e global. O Plano de Prevenção

29 – Avançar no conhecimento – Informar empregados e empresários – Divulgar boas práticas – Apoiar pesquisas – Avaliar resultados PRAISE Preventing Road Accidents and Injuries for the Safety of Employees

30 Obrigado


Carregar ppt "Segurança Viária na Empresa Projeto PRAISE. Sofridos pelo trabalhador no trajeto que deve realizar para o cumprimento da missão, assim como aquele que."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google