A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

ABORDAGEM DA DOR NO TRABALHO DE PARTO Dra Eliane C S Soares Anestesiologista Hospital Municipal Odilon Behrens Hospital Vera Cruz.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "ABORDAGEM DA DOR NO TRABALHO DE PARTO Dra Eliane C S Soares Anestesiologista Hospital Municipal Odilon Behrens Hospital Vera Cruz."— Transcrição da apresentação:

1 ABORDAGEM DA DOR NO TRABALHO DE PARTO Dra Eliane C S Soares Anestesiologista Hospital Municipal Odilon Behrens Hospital Vera Cruz

2 1. Quais são as características da dor do trabalho de parto? 2. Sentir dor durante o trabalho de parto é importante? 3. Quando o alívio da dor está indicado? 4. Quais são as técnicas para o alívio da dor? 5. Quais são os riscos e complicações destas técnicas? 6. Quais os elementos chave para um alívio da dor eficiente? Objetivos

3 1. Quais são as características da dor do trabalho de parto? 2. Sentir dor durante o trabalho de parto é importante? 3. Quando o alívio da dor está indicado? 4. Quais são as técnicas para o alívio da dor? 5. Quais são os riscos e complicações destas técnicas? 6. Quais os elementos chave para um alívio da dor eficiente? Objetivos

4 Quais são as características da dor do trabalho de parto? A dor é uma experiência subjetiva e sua percepção é extremamente variável entre as gestantes em trabalho de parto Hardy JD, Javert CT. Studies on pain: measurements of pain intensity in childbirth. J Clin Inves 1949;28:153-62

5

6

7

8 Quantificação da dor Melzack R. The myth of painless childbirth [The John J Bonica Lecture]. Pain 1984

9 Quantificação da dor -Ferramentas Escala Numérica – 1 a 10 1 = Nenhuma dor 10 = A pior dor que você pode imaginar Escala Visual Analógica

10 Localização da dor Início do primeiro estágioFinal do primeiro estágio NascimentoInício do segundo estágio

11 Dilatação do colo (cm) Dor Quantificação da dor Brown DL et all. Spinal, epidural and caudal anesthesia: anatomy, physiology and technique. In: Chestnut DH. Obstetric anesthesia: principles and practice, 3a ed, Philadelphia, Elsevier Mosby, 2004:172

12 1. Quais são as características da dor do trabalho de parto? 2. Sentir dor durante o trabalho de parto é importante? 3. Quando o alívio da dor está indicado? 4. Quais são as técnicas para o alívio da dor? 5. Quais são os riscos e complicações destas técnicas? 6. Quais os elementos chave para um alívio da dor eficiente? Objetivos

13 Sentir dor durante o trabalho de parto é importante? Gênesis III:16 E à mulher disse: Multiplicarei grandemente a dor da tua concepção; em dor darás à luz filhos; e o teu desejo será para o teu marido, e ele te dominará.

14 Sentir dor durante o trabalho de parto é importante? A dor intensa e prolongada e o estresse do parto podem gerar efeitos deletérios para a mãe e o feto por acentuação de reflexos segmentares e suprasegmentares

15 Sentir dor durante o trabalho de parto é importante? Mudança no padrão ventilatório Hiperventilação durante as contrações Aumento do consumo de oxigênio Redução no fluxo sanguíneo cerebral Redução no fluxo sanguíneo uterino Alcalemia, pela maior eliminação de CO2 Desvio da curva de dissociação da hemoglobina para a esquerda, dificultando a liberação de oxigênio na placenta Hipoventilação nos intervalos entre contrações Queda na pressão arterial de oxigênio = hipoxemia fetal

16 Respiração cachorrinho Sentir dor durante o trabalho de parto é importante?

17 Alterações cardiovasculares Elevação dos níveis de catecolaminas plasmáticas (adrenalina/noradrenalina) Sobrecarga cardíaca – Aumento do débito cardíaco (autohemotransfusão) Hipertensão e taquicardia Redução do fluxo sanguíneo placentário por vasoconstrição Alterações na Dinâmica Uterina Contração uterina - Influência direta das catecolaminas Desequilíbrio na produção de catecolaminas = Disfunção na contratilidade uterina Irregularidade + Hiperssistolia + Pequena dilatação Sentir dor durante o trabalho de parto é importante?

18 Alterações Gastrointestinais Diminuição da motilidade gástrica Retardo do esvaziamento gástrico Aumento da secreção de gastrina Aumento do conteúdo e acidez da secreção gástrica Intensificam o risco já aumentado de regurgitação e aspiração pulmonar

19 1. Quais são as características da dor do trabalho de parto? 2. Sentir dor durante o trabalho de parto é importante? 3. Quando o alívio da dor está indicado? 4. Quais são as técnicas para o alívio da dor? 5. Quais são os riscos e complicações destas técnicas? 6. Quais os elementos chave para um alívio da dor eficiente? Objetivos

20 Quando o alívio da dor está indicado? Analgesia de parto Bloqueio de todas as ações nocivas desencadeadas pelo estímulo doloroso Alívio da dor Indicação = Dor Início = Dor não tolerável

21 Quando o alívio da dor está indicado? 1.Nem todas as mulheres requerem analgesia farmacológica durante o trabalho de parto 2.No caso de parturientes que solicitam alívio da dor, existem várias técnicas analgésicas disponíveis 3. A solicitação materna representa a única e principal justificativa para o início da analgesia

22 Quando o alívio da dor está indicado? Não há nenhuma circunstância em que é considerado aceitável para um indivíduo experimentar dor severa não tratada, passível de intervenção segura, estando sob os cuidados de um médico Na ausência de uma contra-indicação médica, a solicitação materna é uma indicação suficiente para o alívio da dor durante o trabalho

23 Quando o alívio da dor está indicado? Embora a dor não coloque em risco a vida de parturientes saudáveis, ela pode ter conseqüências neuropsicológicas Depressão pós-parto Estresse pós-traumático Comprometimento da função cognitiva no pós-parto pode ser atenuado pelo uso de analgesia

24 Quando o alívio da dor está indicado? Os homens também são afetados pela dor durante o trabalho de parto Mais úteis e envolvidos Menor ansiedade e estresse

25 1. Quais são as características da dor do trabalho de parto? 2. Sentir dor durante o trabalho de parto é importante? 3. Quando o alívio da dor está indicado? 4. Quais são as técnicas para o alívio da dor? 5. Quais são os riscos e complicações destas técnicas? 6. Quais os elementos chave para um alívio da dor eficiente? Objetivos

26 Quais são as técnicas para o alívio da dor? Preparar-se!

27 DOULA Cochrane Data Base Sys Rev 2003 Quais são as técnicas para o alívio da dor?

28 Evidências científicas insuficientes 1.Técnicas de respiração controlada 2.Acupuntura 3.Hipnose 4.Aromaterapia 5. Estimulação elétrica transcutânea - TENS 6. Injeção intradérmica de água bidestilada Técnicas NÃO farmacológicas Smith CAet al. Complementary and alternative therapes for pain management in labour. Cochrane Database Syst Ver. 2003;2003ÇD Huntley AL et all. Complementary and alternative medicine for labor pain: a systematic review. Am J Obst Gynecol. 2004;191:36-44

29 Evidências científicas limitadas, mas FAVORÁVEIS 1.Massagem 2.Musicoterapia Simkim PP. Non pharmacologic relief of pain during labor: systematic reviews of five methods. Am J Obstet Gynecol. 2002;186:S Phumdoung S et all. Music reduces sensation and distress os labor pain. Pain Mang Nurs. 2003;4:54-61 Técnicas NÃO farmacológicas

30 Evidências científicas fortes 1. Hidroterapia – Água morna 2. Bola de Bobath (Pilates) Técnicas NÃO farmacológicas

31 Quais são as técnicas para o alívio da dor? Dilatação do colo (cm) Dor máxima Dor 1 o Estágio 2 o Estágio Técnicas não farmacológicas * Peridural com cateter – Contínua ou Intermitente Analgesia Combinada (Raqui/Peri) – Contínua ou Intermitente Analgesia sistêmica – Remifentanil / Óxido Nitroso Dose única ** Inalatória - Sevo

32 1. Quais são as características da dor do trabalho de parto? 2. Sentir dor durante o trabalho de parto é importante? 3. Quando o alívio da dor está indicado? 4. Quais são as técnicas para o alívio da dor? 5. Quais são os riscos e complicações destas técnicas? 6. Quais os elementos chave para um alívio da dor eficiente? Objetivos

33 Quais são os problemas e os riscos da analgesia neuroaxial? 1.Dificuldade ou impossibilidade de realização 2.Falha 3.Saída do cateter da posição correta 4.Contra-indicações

34 Quando a peridural não pode ser realizada? Recusa materna Situações impeditivas à colaboração da paciente durante a execução da técnica, aumentando o risco de lesões em estruturas neurais e outras complicações: Hipertensão intracraniana Instabilidade hemodinâmica Doenças graves da coagulação ou uso de anticoagulantes Septicemia Infecção no local da punção Cardiopatias maternas (descompensadas ou primariamente incompatíveis com as técnicas neuroaxiais) Doença neurológica preexistente (esclerose múltipla, esclerose lateral amiotrófica, neuromielite óptica e neuropatias periféricas de membros inferiores)

35 Prurido – Tremores Hipotensão arterial Cefaléia pós punção de dura máter Injeção do anestésico em local inadequado (1:5000) Infecção Problemas neurológicos transitórios ou permanentes Quais são os problemas e os riscos da analgesia neuroaxial?

36 CERTEZAS Aumento da incidência de parto instrumentado Prolongamento do segundo estágio (15 – 30 minutos) Aumento do uso de ocitocina Bradicardia fetal transitória NÃO aumenta a taxa de cesarianas Quais são os problemas e os riscos da analgesia neuroaxial?

37 INCERTEZAS Hipertermia materna Interferências na amamentação Quais são os problemas e os riscos da analgesia neuroaxial?

38 1. Quais são as características da dor do trabalho de parto? 2. Sentir dor durante o trabalho de parto é importante? 3. Quando o alívio da dor está indicado? 4. Quais são as técnicas para o alívio da dor? 5. Quais são os riscos e complicações destas técnicas? 6. Quais os elementos chave para um alívio da dor eficiente? Objetivos

39 Quais os elementos chave para um alívio da dor eficiente?

40 Quais os elementos chave para um alívio da dor eficiente?

41

42

43 OBRIGADA!


Carregar ppt "ABORDAGEM DA DOR NO TRABALHO DE PARTO Dra Eliane C S Soares Anestesiologista Hospital Municipal Odilon Behrens Hospital Vera Cruz."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google