A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Gestão governamental da informação: funções e competências

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Gestão governamental da informação: funções e competências"— Transcrição da apresentação:

1 Gestão governamental da informação: funções e competências
Bolsista PIBIC/UFRJ:Vinicius Cunha Ferreira Orientadoras:Ana Maria Barcellos Malin e Kelli Angela Cábia Lima de Miranda Grupo de Pesquisa: “Estudos sobre Gestão e Políticas Públicas de Informação”

2 Introdução A partir dos anos 90, destacam-se os estudos científicos para melhor compreender a Gestão da Informação (GI) no país Em 2010, criação na FACC do Observatório da Gestão da Informação (www.obgi.org) Monitorar tendências na web Estudos anteriores visaram gerar conhecimento e competência para atender às necessidades de formação acadêmica Na fase atual o estudo observa as motivações (devido a imposições legais ou busca pela eficiência), a estruturação e as competências necessárias aos profissionais da área A partir dos anos 90 toma força a tese da importância estratégica do gerenciamento da informação. A organização é vista como um portfólio de competências incorporadas e gerenciáveis. A competitividade depende do desenvolvimento dos ativos intangíveis (marca, cultura, patentes e experiências acumuladas) – Hamel & Prahalad. Nesse contexto gerenciar os recursos humanos e informacionais, que constituem a memória, o conhecimento incorporado e o aprendizado da organização, adquire importância estratégica. A TI torna-se estratégica, pois viabiliza a gestão da informação. Seguidamente, a própria GI passa a incorporar o planejamento estratégico. Estudos anteriores apontaram o lado da “oferta” de novos cursos, tendências dos cursos, etc. E o monitoramento pelo OGI e demais pesquisas indicaram que o mercado para a profissão era o setor público.

3 Objetivos Identificar como estão estruturadas as funções de Gestão da Informação dentro de organizações públicas. Descrever as competências técnicas demandadas Identificar impactos inicias decorrentes da adequação a LAI No decorrer da pesquisa (período) foi promulgada a Lei de Acesso a Informação brasileira, que leva a administração pública a buscar novos modelos de Gestão da Informação Este fator foi incorporado à pesquisa Funções ligadas à informação – designa disciplinas e funções associadas ao gerenciamento da informação como fim. Função – tipo de atividade desenvolvida pela parte (homem, setor) no todo sistema ( a organização) Estrutura – como estão organizadas formalmente as partes no todo (organização) Competência técnica – conhecimento específico relativo ao trabalho realizado

4 Metodologia Pesquisa Exploratória para ilustrar tendências na incorporação da GI Baseada em entrevistas estruturadas com gestores públicos Questionário aborda 5 aspectos: Como está estruturada a função de gerenciar informação dentro da organização? Quais são as competências técnicas necessárias para o desempenho da função? Quais são os processos gerenciais? Como é avaliada a Gestão da Informação? Primeiros impactos da LAI Os grupos profissionais envolvidos no gerenciamento da informação são muitos e distintos e há necessidade de cooperação e coordenação entre eles. Como isto esta sendo feito?

5 Onde foram feitas as entrevistas?
O grupo recorreu às instituições com as quais seus membros têm parcerias ou projetos em andamento e que representam 2 universos diferentes. Posteriormente outras serão incorporadas Instituições de pesquisa: Casa de Oswaldo Cruz(COC) / FIOCRUZ Entrevistado:Vice-Diretor de Pesquisa, Educação e Divulgação Científica da Casa de Oswaldo Cruz Centro de Tecnologia da Informação Renato Archer (CTI) Entrevistados: Vice-Diretor (Coordenador Geral de Tecnologias da Informação) e Responsável pelo Serviço de Informação ao Cidadão (SIC) Instituições da administração pública: Empresa Municipal de Informática da cidade do Rio de Janeiro (IPLAN-RIO) Entrevistado:Assessor da Presidência Controladoria Geral do Município do Rio de Janeiro (CGM) Entrevistado: Controlador Geral do Município do Rio de Janeiro

6 Premissas Na Gestão Pública os processos primários de trabalho estão baseados na criação, compartilhamento e uso de informações Gerenciar informação implica em métodos, ferramentas e técnicas de uma variedade de funções orientadas para informação Funções dispersas por toda a organização Envolve distintas disciplinas e visões Coordenação das funções com baixo grau de estruturação e baseada na cooperação A GI implica em métodos, ferramentas e técnicas de uma variedade de funções orientadas para informação em uma organização Os grupos envolvidos no gerenciamento da informação são muitos e distintos e há necessidade de cooperação interfuncional entre eles” - DAVEMPORT, Thomas H. Ecologia da informação. São Paulo: Futura, 1998. Exemplo de funções orientadas para a informação – criação, coleta, cruzamento, arquivamento, categorização, classificação, disseminação, descarte. (Função nas ciências sociais) - A organização é concebida como uma totalidade, como um organismo, cujas partes ou elementos constitutivos só se definem pela função (tipo de atividade) que exercem no seu conjunto. Enciclopédia Britânica, pg. 4996

7 1 – Quanto à estrutura Existe instância responsável pela GI na estrutura formal da organização? A Obs. COC Sim Existe e tem projetos próprios, como o desenvolvimento de um repositório institucional. CTI CGM Não Criada recentemente e em processo de formalização IPLAN Prevista pelo atual Planejamento Estratégico Outros comentários? Ver questionários de Alessandra e Malin. Consulte-as sobre os mais relevantes

8 2 .1 Quanto às competências
Competências pesquisadas Organização de informações (taxonomias, classificação temática, mapas conceituais, etc) Gerenciamento de documentos (classificação de acesso, descarte/ preservação; autenticidade, etc.) Segurança da informação (mecanismos de criptografia, controle de acesso, integridade, etc.) Desenvolvimento e operação de infraestrutura tecnológica (redes e sistemas) Elaboração de conteúdo para portal e atuação em redes sociais Gerenciamento e coordenação de planos, programas e projetos na área Orientação e atendimento ao público (atendimento presencial e eletrônico) Terminar de escrever a fonte bibliográfica Tabela retirada de Malin, 2006.

9 2 .2 Competências Quais são as competência necessárias?
COC CTI CGM IPLAN Organização de informações x Gerenciamento de documentos Segurança da informação Desenvolvimento/ operação de infraestrutura tecnológica Elaboração de conteúdo para portal e atuação em redes sociais NÃO Gerenciamento e coordenação de planos, programas e projetos na área Orientação e atendimento ao público CORRIGIR A ULTIMA LINHA, NÃO DÁ PARA IDENTIFICAR QUEM ACHA NECESSARIA ESSA COMPETENCIA-Não entendi.

10 2 .3 Competências Formação profissional predominante - profissionais de Ciência da Informação e Tecnologia da Informação Formação Profissional Escala de predominância Tecnologia da Informação Ciência da Informação Comunicação Social Administração

11 3. Processos 4.Avaliação Integra o planejamento estratégico?
Integração operacional ? A GI é avaliada? 1 2 3 COC Sim Não CTI CGM IPLAN

12 5. Impactos da LAI Comentários quanto ao impacto da LAI:
Você considera que a adoção da LAI gerou ou vai gerar mudança das atividades de GI de sua organização? Comente. Instituição/Respostas Comentários Casa de Oswaldo Cruz Ainda não é possível avaliar mudanças na COC. Mas na FIOCRUZ deve-se criar um núcleo de GI implicando, por exemplo, em manter e atualizar o cadastro de projetos de pesquisa CTI- Centro de Tecnologia da Informação Renato Archer Não, pois a natureza das atividades de P&D da instituição pressupõe valor econômico e estratégico do conhecimento (informação) técnico resultante, o que leva à proteção das informações por patentes, segredos industriais, etc CGM- Controladoria Geral do Município do Rio de Janeiro Sim, inclusive a CGM se adiantou e aproveitou a ocasião para propor a criação da nova área, que aguarda formalização. Espera-se maior impacto na parte da documentação. IPLAN- Empresa Municipal de Informática da cidade do Rio de Janeiro Sim vai gerar mudanças, estamos nos preparando para isto, mas ainda não chegaram pedidos de acesso à informação.

13 Conclusões (1) A estruturação da GI encontra-se em estágios diferentes nos dois grupos de organizações: Consolidada nas organizações de pesquisa - a gestão da informação científica e tecnológica é parte do processo rotineiro de pesquisa; e o aprendizado em GI transborda para as funções administrativas. Em processo de consolidação nas organizações da administração pública - implica em forte negociação de poder e recursos, portanto, mais complexa e demorada. As competências técnicas desejadas são multidisciplinares, mas a formação técnica predominante dos profissionais na área privilegia a TI e Ciência da Informação A GI está incorporada ao planejamento estratégico das instituições, no entanto as organizações ainda não realizam a avaliação da gestão ou de seus resultados. (melhoria de processos) Uma possível justificativa para a diferente velocidade de formalização da GI é que as instituições de pesquisa têm a Gestão da informação como parte de seu processo rotineiro de pesquisa, e a informação técnica tem valor estratégico (pode ser “paga”), portanto, a classificação, organização, divulgação e controle da informação são fundamentais, e atendem a todos da instituição. O aprendizado da GI técnica transborda para as informações administrativas Nas organizações administrativas, uma nova função de GI implica em novo mandato de poder (divisão de poder e recursos), e por isso o processo político de formalização é mais complexo

14 Considerações Finais (2)
A Lei de Acesso a Informação brasileira leva a administração pública a se adaptar a um novo modelo de gestão. Momento de transição (transparência pública) A LAI impulsiona o processo de criação e formalização da GI Requer maior padronização e integração de informações na esfera pública Questão a ser aprofundada Se tiver tempo e quiser ilustrar essa transição, dizer da iniciativa do consocial, das abordagens que o grupo tem recebido de órgãos públicos sobre o tema e dos novos rumos que a pesquisa tem aprofundado

15 Bibliografia Fleury, A.C.C.;Fleury, M.T.L. “Construindo o conceito de Competência”. Revista de administração contemporânea vol. 8,número especial, Associação Nacional de Pós Graduação e Pesquisa em Administração, Curitiba, Brasil. Hamel, G; Prahalad, C K. “Competindo pelo Futuro”. Rio de Janeiro, Campus, 1995. MALIN, Ana. “Gestão da Informação Governamental: em direção a uma metodologia de avaliação.” DataGramaZero - Revista de Ciência da Informação - v.7   n.5   out/2006  Disponível em: < Acesso em: 05 de Abril de 2010. MALIN, Ana. “Gestão da Informação Governamental:Institucionalização dos espaços de trabalho e conhecimento.” In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO – ENANCIB, 11.,2010, Rio de Janeiro. Anais Eletrônicos. Rio de Janeiro Morgan, Gareth. “Imagens da Organização”; Tradução de Cecília Whitaker Bergamini e Roberto Coda.- 1º ed reimpr.-São Paulo:Atlas, 2009. Teixeira, Hélio Janny. “Análise das Abordagens Sobre as Funções do Administrador”, RAE-Revista de Administração de Empresas, vol. 21, n.2, abr-jun 1981 Incluir mais referências?


Carregar ppt "Gestão governamental da informação: funções e competências"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google