A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

CAMÕES LÍRICO Camões desenvolveu sua poesia lírica em dois estilos diferentes: 1) Clássico - utiliza-se das características próprias do Classicismo, tais.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "CAMÕES LÍRICO Camões desenvolveu sua poesia lírica em dois estilos diferentes: 1) Clássico - utiliza-se das características próprias do Classicismo, tais."— Transcrição da apresentação:

1 CAMÕES LÍRICO Camões desenvolveu sua poesia lírica em dois estilos diferentes: 1) Clássico - utiliza-se das características próprias do Classicismo, tais como a razão, o equilíbrio, a harmonia, a clareza e a concisão. 2) Maneirista - inaugura um novo estilo para expor seus sentimentos - os textos apresentam confusões de sentimentos e conflitos existenciais - é uma antecipação do estilo posterior - BARROCO. Métricas utilizadas - Medida nova - desenvolveu a maioria de seus textos em sonetos decassílabos. - Medida velha - ainda influenciado pelas poesias medievais, compõe também em versos redondilhos (5 ou 7 sílabas) TEMAS :Em seus textos destacam-se os seguintes assuntos: AMOR MUTABILIDADE DAS COISAS DESACERTO DO MUNDO IDEAL DE PERFEIÇÃO

2 TEMAS DE CAMÕES LÍRICO AMOR - desenvolve principalmente as idéias de Platão sobre o amor : valorização do amor espiritual. Desenvolve também o tema do amor carnal - está sempre angustiado em relação ao amor e à pessoa amada - fica entre o desejo de amar e a impossibilidade do amor. DESACERTO DO MUNDO - fala sobre as injustiças que há no mundo MUTABILIDADE DAS COISAS - dinamismo do mundo deixa as pessoas angustiadas por não conseguirem assimilar suas mudanças. IDEAL DE PERFEIÇÃO - o eu-lírico está sempre à procura da perfeição que, segundo Platão, só pode ser alcançada no mundo inteligível (o mundo das idéias puras) - Platão acreditava na existência de dois mundos: O inteligível (perfeito) de onde tudo deveria ser copiado; e o sensível (imperfeito) habitado por seres humanos capazes de transformar negativamente as idéias puras.

3 OS LUSÍADAS de Luís de Camões

4 É a parte mais longa de Os Lusíadas. Circula ao redor da viagem de Vasco da Gama através do mar até a Índia. Lisboa 1497 Calecut 1498 A viagem torna-se pretexto para que seja contada a história de Portugal, seus reis e seus heróis. Melinde Cabo da Boa-Esperança

5 Começo IN MEDIA RES, no meio dos aconteci- mentos, ou seja, no meio da viagem Narração 1 Chegada a Moçambique 2 Consílio dos Deuses Já no largo Oceano navegavam, As inquietas ondas apartando,

6 Narração 1 Chegada a Moçambique 2 Consílio dos Deuses 3Chegada a Melinde 4 Vasco da Gama assume a narrativa

7 Narração VASCO DA GAMA ASSUME A NARRATIVA Mandas-me, ó Rei, que conte declarando De minha gente a grão geanalosia; Não me mandas contar estranha história, Mas mandas-me louvar dos meus a glória. O Rei de Melinde pede a Vasco da Gama que conte as histórias de seu povo. Camões aproveita para fazer a glorificação da pátria portuguesa, necessária em uma epopéia.

8 Narração 1 Chegada a Moçambique 2 Consílio dos Deuses 3Chegada a Melinde 4 Vasco da Gama assume a narrativa 5 Inês de Castro

9 Narração 1 Chegada a Moçambique 2 Consílio dos Deuses 3Chegada a Melinde 4 Vasco da Gama assume a narrativa 5 Inês de Castro 6 Início da Viagem Velho do Restelo

10 Narração 1 Chegada a Moçambique 2 Consílio dos Deuses 3Chegada a Melinde 4 Vasco da Gama assume a narrativa 5 Inês de Castro 6 Início da Viagem Velho do Restelo 7 O Gigante Adamastor

11 Narração 1 Chegada a Moçambique 2 Consílio dos Deuses 3Chegada a Melinde 4 Vasco da Gama assume a narrativa 5 Inês de Castro 6 Início da Viagem Velho do Restelo 7 O Gigante Adamastor 8 Camões reassume a narrativa Chegada a Calecut

12 Narração Camões reassume a narrativa Da boca do facundo Capitão Pendendo estavam todos, embibidos, Quando deu fim à longa narração Dos altos feitos, grandes e subidos. Terminada a narração de Vasco da Gama ao rei de Melinde, Camões volta a contar as peripécias da via- gem dos portugueses. A armada passa por tempestades e traições até conseguir atravessar o oceano Índico. É Baco, junto com Netuno, quem tenta atrapalhar o caminho aos marinheiros.

13 Narração 1 Chegada a Moçambique 2 Consílio dos Deuses 3Chegada a Melinde 4 Vasco da Gama assume a narrativa 5 Inês de Castro 6 Início da Viagem Velho do Restelo 7 O Gigante Adamastor 8 Camões reassume a narrativa Chegada a Calecut 9 Volta A Ilha dos Amores

14 Narração 1 Chegada a Moçambique 2 Consílio dos Deuses 3Chegada a Melinde 4 Vasco da Gama assume a narrativa 5 Inês de Castro 6 Início da Viagem Velho do Restelo 7 O Gigante Adamastor 8 Camões reassume a narrativa Chegada a Calecut 10 A Máquina do Mundo 9 Volta A Ilha dos Amores

15 No mais, Musa, no mais, que a Lira tenho Destemperada e a voz enrouquecida, E não do canto, mas de ver que venho Cantar a gente surda e endurecida. O favor com que mais se acende o engenho Não no dá a pátria, não, que está metida No gosto da cobiça e na rudeza Dua austera, apagada e vil tristeza. O Poeta pára de cantar por- que se sente cansado A tristeza do Poeta é causada pela fraqueza do povo português Hoje Portugal está mergulhado nas trevas da tristeza e da falta de valor


Carregar ppt "CAMÕES LÍRICO Camões desenvolveu sua poesia lírica em dois estilos diferentes: 1) Clássico - utiliza-se das características próprias do Classicismo, tais."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google