A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Introdução ao Cabeamento Estruturado Prof. César Augusto

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Introdução ao Cabeamento Estruturado Prof. César Augusto"— Transcrição da apresentação:

1 Introdução ao Cabeamento Estruturado Prof. César Augusto

2 Cabeamento Estruturado Histórico Definição Subsistemas Tipos de cabos

3 Histórico A comunicação sempre foi uma necessidade humana O homem já desenvolveu várias tecnologias de comunicação: Fumaça Pombo-correio Telégrafo Rádio Telefone Televisão Internet

4 Histórico Um dos primeiros sistemas de comunicação: Paris, em 1794 Telégrafo Óptico de Claude Chappe.

5 Histórico Em 1844, Samuel Morse envia uma mensagem a 90km de distância entre Washington e Baltimore. Ele inventa o telégrafo

6 Histórico Depois, o francês Emile Baudot inventou uma máquina de telégrafo por impressão, chamado teletipo ou telex.

7 Histórico Os princípios da comunicação continuam os mesmos até hoje

8 Histórico No início da era da informática havia grandes mainframes, fabricados por companhias como IBM, Sperry, DEC, Univacs e Burroughs Cada computador tinha cabos projetados especificamente para sua arquitetura Cada empresa usava sua própria especificação, o que dificultava a interoperabilidade Surgia a necessidade de padronização!

9 Comparando... Imagine se cada fabricante de material hidráulico (canos, torneiras, etc) desenvolvesse produtos compatíveis somente entre si O consumidor ficaria refém de seus produtos, porém... Dificultaria sua comercialização...

10 Histórico A infraestrutura física dos sistema de telecomunicações tornou-se um componente vital das empresas A Xerox, a DEC e a Intel se unem para desenvolver um padrão para conexão de redes locais: o padrão Ethernet

11 Histórico Velocidade inicial do padrão Ethernet: 10 Mbps Usava um cabo coaxial grosso (de cobre) ao longo do edifício A este cabo, se conectavam cabos coaxiais mais finos para interligar as estações de trabalho

12 Para que serve uma rede de computadores? Compartilhamento de recursos; Ex: Impressora Compartilhada Compartilhamento de dados; Ex: Acesso a banco de dados de cadastro de aluno (acadêmico) Comunicação; Ex: E-commerce Ex: Submarino, Americanas, etc

13 Cabeamento não estruturado... Apresentam redes de comunicação distintas para Voz Dados Imagem Não segue normas

14 Definição de Cabeamento Estruturado É um sistema onde os meios de transmissão possuem infraestrutura flexível e que permite o aproveitamento em múltiplos tipos de aplicações tais como: Dados Voz Imagem

15 Cenário Atual das redes

16 O Cabeamento Estruturado: Tem por função estabelecer uma instalação padronizada, com vida útil de pelo menos 10 ANOS Possa se adaptar a alterações de layout na empresa sem que seja preciso novas instalações de cabeamento Preocupação com o menor custo e maior prazo possível de utilização

17 O Cabeamento Estruturado: Tenta-se garantir um ambiente estável para a operação dos equipamentos. Um sistema de cabeamento é formado por um conjunto de especificações de todos os elementos que compõem essa infraestrutura: cabos, conectores, etc.

18 O Cabeamento Estruturado: Se os responsáveis pela elaboração do projeto e seus executores seguirem a documentação, o funcionamento em qualquer ambiente estará garantido. O cabeamento terá um tempo de vida superior ao dos equipamentos de rede

19 O Cabeamento Estruturado: Elimina a dispersão dos cabos de dados, sem que haja mistura com demais cabos (eletricidade, etc)

20 O Cabeamento Estruturado: Se divide em 7 subsistemas Entrada de facilidades (Entrance Facilities) Sala de Equipamentos (Equipment Room) Cabeamento Vertical (Backbone) Sala de Telecomunicações (Telecommunications Rooms) Cabeamento Horizontal (Horizontal Cabling) Área de Trabalho (Work Area Components) Administração

21 O Cabeamento Estruturado:

22 Entrada de facilidades É o local físico do prédio que se comunica com a rede externa. Contém os cabos, hardwares de conexão e Outros equipamentos exigidos para o edifício Nesta sala, podem haver equipamentos de Conexão com redes públicas e privadas Normalmente, deve ser no térreo

23 O Cabeamento Estruturado: Sala de Equipamentos Local que hospeda os equipamentos de telecomunicações que servem todos os usuários do prédio

24 O Cabeamento Estruturado: Sala de Telecomunicações Hospedam os equipamentos de telecomunicações que interligam o subsistema do cabeamento Vertical ( backbone ) com o subsistema de Cabeamento Horizontal.

25 O Cabeamento Estruturado: Cabeamento Vertical (ou Backbone) Conecta os subsistemas de Entrada de Facilidades, Sala de equipamentos e sala de telecomunicações entre si.

26 O Cabeamento Estruturado: Cabeamento Horizontal Conecta as salas de telecomunicações de um prédio a uma tomada de telecomunicação individual numa área de trabalho num andar do prédio.

27 O Cabeamento Estruturado: Área de trabalho Conecta os componentes do usuário final até as tomadas do sistema de cabeamento horizontal

28 O Cabeamento Estruturado: Administração Este subsistema é definido pela norma ANSI/EIA/TIA 606 Trata especificamente de toda parte da administração dos sistemas de cabeamento de telecomunicações

29 O Cabeamento Estruturado: O cabeamento é um item muito importante para que uma rede funcione sem problemas Embora a comunicação sem fios venha ganhando força, estima-se que 95% das instalações em uma empresa seja por cabo. A cada dia se lançam novas normas ou alterações das normas vigentes.

30 As organizações de Padronização em Cabeamento Existem diversas organizações, Entidades governamentais E grupos de trabalho Regulamentam e especificam os elementos de uma infraestrutura de uma rede de telecomunicação: Conectores, cabos, etc

31 As organizações de Padronização em Cabeamento EIA/TIA (Eletronic Industrie Association/Telecomunication Industry Association) Órgão norte-americano Padrões eletrônicos e de telecomunicações Publicou a norma para cabeamento de prédios comerciais, o chamado 568 (e suas variações: A, B e C)

32 As organizações de Padronização em Cabeamento IEEE (Institute of Electrical Engineers) – associação dedicada ao avanço da excelência tecnológica Órgão norte-americano Sem fins lucrativos É a maior associação dedicada a tecnologia da informação, eletricidade e eletrônica do mundo

33 As organizações de Padronização em Cabeamento ANSI (American Nationwide Specification Institute) – Instituto de padronização americano Equivalente ao INMETRO Coordena a integração dos padrões americanos com os padrões internacionais

34 As organizações de Padronização em Cabeamento CENELEC (European Commitee for Electrotechnical) Normas europeias Sedeado na Bélgica

35 As organizações de Padronização em Cabeamento ISO (International for Interational Standards) Organismo internacional de padronização Produz normas em várias áreas do conhecimento humano Muitas normas do cabeamento estruturado são da ISSO Desenvolveu a norma ISO (equivalente a EIA/TIA 568)

36 As organizações de Padronização em Cabeamento As normas de cabeamento mais utilizadas no Brasil ANSI/EIA/TIA-568 para cabeamento estruturado em edifícios comerciais ISO/IEC para cabeamento estruturado em redes de telecomunicações

37 As organizações de Padronização em Cabeamento Em 1994, a ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) iniciou o processo de elaboração de uma norma brasileira para cabeamento. NBR – elaboração de projetos de cabeamento para telecomunicações para rede interna estruturada Em 2013, segundo site da ABNT, a norma está passando por processo de revisão

38 As organizações de Padronização em Cabeamento A norma aplica-se a prédios comerciais e envolve: Pontos de telecomunicações nas áreas de trabalho Armários de telecomunicações (sala de telecomunicações) Sala de equipamentos e entrada de facilidades Meios de transmissão utilizados Caminhos e vias do cabeamento e terminações

39 Tipos de Cabos Existem basicamente 3 tipos que são adotados pelo cabeamento estruturado: Cabo Coaxial Cabo de par trançado Cabo de Fibra ópica

40 Cabo Coaxial É o mais antigo dos 3 Está caindo em desuso São mais propensos a mal contato Os conectores são mais caros Cabos são menos flexíveis que o de par trançado Sua taxa máxima de transferência é de 10Mbps

41 Cabo de Par trançado Os mais utilizados hoje em dia As tranças nos fios diminuem o efeito da interferência eletromagnética (EMI) Apresentam menor custo São classificados em categorias Atualmente, da cat. 1 até a 7 Cabos sem blindagem são chamados UTP ( Unshielded Twisted Pair) Cabos com blindagem são chamados STP (Shielded Twisted Pair)

42 Cabo de Fibra Ótica Utiliza a luz como forma de transmissão Condutores são de Sílica São os que atingem maior taxa de transmissão São os meios mais caros de transmissão Existem dois tipos: o monomodo e o multimodo.

43 Vantagens do Cabeamento Estruturado Aumenta o tempo de vida de projetos de cabeamento Aumenta a consistência da rede Melhora o processo de aquisição de cabos Simplifica a resolução de problemas Facilita pontos adicionais, movimentações e mudanças Suporta hardware de vários fabricantes Suporta aplicações futuras e atuais Dá suporte integral a tráfego multimídia

44 Desvantagens do Cabeamento Estruturado Custo inicial maior que o cabeamento não-estruturado Tempo de implantação maior Grande quantidade de especificações de entidades diferentes acabam gerando uma certa confusão em qual utilizar.


Carregar ppt "Introdução ao Cabeamento Estruturado Prof. César Augusto"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google